História Kurry Coffee - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Originais, Shounen Ai, Yaoi
Visualizações 27
Palavras 674
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Prometi que postaria depois das três horas, Mas fiquei desde as três até as quatro escrevendo :v desculpa.
Continuando de onde tinha parado--->

Capítulo 11 - Um parente irritante


_ Posso passar a noite na sua casa?

Minhas pernas estremeceram e quase caio de joelhos no chão quando escuto Nathan dizer aquilo. Como pode uma pessoa ser tão direta assim?!

Nathan permaneceu em silêncio esperando minha resposta.

_ Porque isso tão de repente? 

_ Na sua casa te explico. Não me sinto seguro conversando ao telefone.

Me fodi. Me fodi muito. Fodeu tudo. Tá tudo fodido. Como diabos vou fazê-lo tirar a blusa sem desconfiar de nada??? Ele vai me interpretar mal. Tenho certeza. Vai dar muita merda hoje!

_ Tudo Bem então. _ Concordei. _ Quero ouvir uma boa desculpa do senhor quando chegar aqui.

_ Ok. Obrigado. Já estou me arrumando. _ Nathan disse aquelas palavras quase sussurrando ao telefone.

Eu desliguei o celular pasmo. Não precisei dizer nada. Ele mesmo Pediu para vir aqui e passar a noite. Mãe, pai, me perdoem por estar indo pelo mal caminho!

Eu estava deitado no sofá, quase tendo um ataque cardíaco de tanta ansiedade, quando escuto baterem na porta. Dessa vez lembrei de trancar a porta, mas na hora errada... cof cof...

Destranquei a porta e lá estava Nathan, com uma mochila pesada nas costas. Peguei sua mochila e o convidei para entrar e sentar. Estranhei a atitude dele. Ele entrou sem dizer uma só palavra e se sentou no sofá. Me aproximei e coloquei sua mochila sobre a mesa de centro.

_ Então, _ Me sentei ao seu lado e perguntei. _ Qual o motivo de estar aqui? Algo na sua casa está te incomodando?

Ele olhou bem nos meus olhos e respondeu a pergunta:

_ Meu primo vai passar a noite lá em casa. Ele me deixa nervoso.

_ Como?

_ Fica me assediando!

- ...

Como pode isso? O irrita tanto ao ponto de não aguentar mais ficar em casa? Mas realmente me sinto preocupado com Nathan. Sua família parece problemática.

_ Mas não pense besteira! _ Ele continuou. _ Ele só gosta de ver irritado, então fica me assediando.

_ Não acha que deveria dizer algo?

_ Sim. Mas quem se importa comigo? Se eu disser, ele vai mentir e vão acreditar nele, não em mim.

Esse menino não tem auto-estima nenhuma! Não me admira Paola estar tão preocupada com ele.

_ Paola veio aqui a tarde, não veio? _ Ele disse cruzando os braços.

_ Sim. Ela não falou nada sobre isso, né?

_ Não. Ela não quis me dizer sobre o que vocês dois estavam conversando.

_ Eu acho que tem um segundo motivo pra você ter vindo aqui. O assunto não era nada de mais.

_ Se não era nada de mais, você pode me dizer sobre o que era, certo?

Não achei justo, de qualquer maneira. Nathan se sentia excluído, e eu sei como é essa sensação.

_ Nós falamos sobre a sua saúde, e como estamos preocupados com você. _ Não podia dizer o real objetivo dela ao vir aqui em casa. 

_ Sério...? _ Ele levantou os olhos fitando meu rosto. _ Está preocupado comigo?

Foca no objetivo. Fazer ele tirar a blusa.

_ Sim. _ Acenei com a cabeça afirmando. _ Ela acha você muito depressivo ultimamente, e está preocupada com você.

_ Quem se importa com o que a Paola acha? _ Disse cruzando os braços novamente e fazendo uma cara emburrada. _ Perguntei se você estava preocupado.

Esse garoto realmente não sabe como mandar uma indireta! Eu fiquei com o rosto totalmente vermelho, isso foi praticamente ele admitindo estar com ciumes de mim.

_ Sim... _ Eu me desliguei por um momento mas logo voltei á realidade. _ C-Claro!

Ele me abraçou dizendo:

_ Não se preocupe. Eu estou bem.

Ele estava se aproveitando da situação para me cheirar e eu ficando cada vez mais curioso sobre o que Paola tinha dito. Até que não aguentei mais a curiosidade. 

_ Nathan. _ Disse o empurrando. _ Tire essa blusa!

Nathan levou um um susto com minha ordem repentina e corou as bochechas, mas obedeceu minha ordem e tirou a blusa.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Vocês vão se decepcionar ;u; mas é a vida, né?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...