História Kurry Coffee - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Originais, Shounen Ai, Yaoi
Visualizações 40
Palavras 356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá, pessoas fofas que gostam de viadagem. Não tenho nada de interessante para falar. Vamos ao capítulo. ↓

Capítulo 8 - Maldita super-protetora


São quase nove e fazem umas três horas desde que Nathan foi embora.

Acabo de sair do banho, caindo de sono, em direção ao meu quarto. Ao me trocar, literalmente me jogo na cama.

Acordo e pego meu celular para ver a hora.

_...

É uma da tarde... como eu dormi tanto? Ainda bem que é domingo. Resolvi nem sair da cama... tédio...

Estava quase pegando no sono quando escuto alguém bater na porta. Aaaaaargh! Odeio minha vida.

Vou até a sala e a garota de tranças estava sentada no sofá. Esqueci a Porra da porta destrancada novamente! E se me assaltarem?! 

_ Bom dia. _ A garota me cumprimentou com as pernas cruzadas. _ Quero falar com você sobre uma coisa.

De novo... sempre que escuto essas palavras, nunca vem nada de bom em seguida. 

_ É sobre seu irmão? Se for, nos dois já conversamos sobre isso ontem e sinto muito pelo mal entendido. 

_ Sim. É sobre meu irmão. Mas não. Não é esse assunto. Vim fazer algumas perguntas sobre vocês dois. E você não parece muito responsável, pois deixa a porta aberta durante a noite. 

_ Eu estava muito cansado ontem, ouviu? Não é sempre que isso acontece!

_ Sim, claro. _ A menina parecia caçoar de mim. _ Meu irmão gosta de você. 

Até minha respiração deu uma pausa no momento em que ela disse aquelas palavras. 

_ Não é assim. Não faz nem uma semana que nos conhecemos. 

_ Não importa. Ele é uma pessoa ingênua, e tenho certeza que você percebeu isso apenas nesses poucos dias que se viram. 

Pensando bem, Nathan estava agindo de maneira muito íntima, mesmo eu sendo quase um estranho.

Ela continuou o sermão:

_ Quantos anos tem? Mais de vinte, estou certa? 

Ela não parava de falar! Não tinha tempo nem de responder tantas perguntas. 

_ Nath acabou de completar seus dezesseis anos! Espero que saiba muito bem no que está se metendo! 

Perfeito. Ela acha que sou um pedófilo pervertido. Eu devia fazer ela calar a boca!

_ O que está dizendo? Você acha que estamos saindo?!

Essa garota está entendendo tudo errado! 

 

 

 


Notas Finais


Escrevi pa calaaaaaioooo! Mas foudaçi -q (estou sentindo uma treta)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...