História La Délicatesse - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), Emma Swan, Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Regina Mills, Stable Queen, Stablequeen, Swan Queen, Swanqueen, Swen
Exibições 328
Palavras 1.748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


I'M BAAAAAAAAAACK

Demorei um pouco mais do que o previsto, mas voltei.

Como eu havia explicado anteriormente, eu estava num final de semestre bem bizarro na faculdade, trabalhando e com mil trabalhos para serem feitos, então me forcei a entrar em hiatus um tanto longo. Peço desculpas por essa demora absurda, mas agora estou de férias da faculdade e do estágio, ou seja, vou atualizar as fics aos poucos ao longo dessa semana.

Eu tinha escrito metade do capítulo, mas não gostei e reescrevi tudo hahahaha

Espero que vocês gostem tanto quanto eu <3

Boa leitura!

Capítulo 8 - Capítulo 8


As coisas simplesmente pareciam simplesmente fluir naturalmente entre Emma e Regina. A amizade entre elas a cada dia que se passava tornava-se mais forte e isso as aproximavam cada vez mais.

Como combinado, Emma chega alguns minutos mais cedo à casa da publicitária, segurava um buquê e toca a campainha, a aguardando atender, o que não demora para acontecer. Regina atende a porta e sorri ao ver Swan ali.

 

— Oi. – A loira diz meio sem jeito e entregando as flores que havia comprado para ela.

— Oi. – Mills sorri ao vê-la ali e pega as flores, a agradecendo antes de entrar com a loira e colocar as rosas no vaso com água. — São lindas...

— Fico feliz que tenha gostado. – Emma sorri de canto de lábio e Regina pega suas coisas antes de saírem.

— Posso saber onde iremos? – Pergunta curiosa.

— Você irá descobrir daqui a pouco. – O sorriso travesso se forma nos lábios de Swan.

 

Ao ver o carro de Emma, um fusca amarelo, Regina a olha curiosa.

 

— Amo pedalar. – Justifica assim que percebe o olhar da outra, abrindo a porta do passageiro para Regina. — Entretanto não dá para ir à um encontro usando bicicleta.

— Então o carro é apenas para fazer charme com as pretendentes? – Pergunta arqueando a sobrancelha.

— Também. – Brinca. — Mas é mais para realizar algumas outras tarefas e viajar. – Responde antes de fechar a porta do passageiro, dar a volta e entrar no lado do motorista, dando partida no carro.

 

As duas iam conversando sobre coisas aleatórias e dando risada quando Emma estaciona, desce e abre a porta para Regina rapidamente.

 

— Gosta de comida japonesa? – A designer pergunta.

— Amo.

— Então acho que você vai gostar daqui. — Emma sorri e dá o braço para Regina e as duas seguem para um pequeno restaurante japonês a poucos metros dali.

 

Era um local pequeno, mas aconchegante, com várias pinturas e peças relacionadas a cultura oriental e algumas mesas pelo salão. Além delas, havia apenas mais dois casais, um rapaz no bar e os funcionários que logo as atendem. Entre tantas opções, elas pedem uma barca pequena de sushi, sashimi e hot roll.

 

— Um local bastante peculiar. – Regina observa, analisando-o por completo e definindo que jamais entraria ali se não fosse por Emma.

— Descobri aqui por acaso... Estava chovendo forte, não dava para eu voltar para casa, então acabei parando aqui na frente, entrei, decidi experimentar enquanto esperava a chuva passar e desde então aqui se tornou o meu restaurante favorito.

 

O pedido chega e elas começam a comer e Regina percebe que Emma realmente falava a verdade sobre o quanto restaurante, apesar de sua aparência, era, de fato, um dos melhores que já havia experimentado.

 

— Além de você me contar só hoje que dirige, o que mais não sei sobre você? – Regina a olha curiosa.

— Bom... – Diz abaixando o tom de voz, se aproxima um pouco de Regina, movendo os hashis com pressa. — Eu sou uma psicopata procurada pela Interpol, mas como roubei alguns bancos, fiz uma cirurgia plástica e mudei totalmente meu rosto. – Pega um sushi e leva a boca, vendo Regina arregalar os olhos aos poucos, a olhando nos olhos. — Além de esconder os corpos de todas as minhas ex-namoradas num freezer no porão de casa. – Responde tranquila, como se fosse algo normal.

 

Os hashi que Regina segurava caem de sua mão, não conseguia desprender seu olhar dos olhos verdes, mas quando a designer começa a rir alto ela percebe que era só uma brincadeira.

 

— Você precisava ver sua reação. – Emma gargalhava e Regina a olha furiosa, dando alguns tapas nela pela travessura, mas logo cai na risada.

— Você é uma idiota... Mas quase acreditei nisso. – Diz mais aliviada.

— Notei. – Swan consegue parar de rir e sorri. — Mas algo que você não saiba... Bom, eu nasci na Suécia, depois fui pra Holanda ao ser adotada e tudo mais sobre o que te falei outra dia... Tenho uma coleção de doces antigos, bom, pelo menos das embalagens de alguns.

— Sério? Eu amava aquele que vinha num pote que tinha cabeça de alce, eram pastilhas de menta se não me engano. – Regina a olhava empolgada. — Meu pai sempre me dava um quando voltava de viagem do trabalho.

— Eu adorava esse justamente por causa do alce que abria a boca e entregava a bala.

— Sim!

 

As duas sorriem e terminam de comer enquanto conversavam. Emma paga a conta e sai com a morena do restaurante, segurando sua mão assim que atravessam a porta.

 

— Quer beber um café? – Swan propões.

— Adorarei.

 

Os sorrisos não conseguiam sair de seus rostos e Emma a leva até um café na outra quadra, passando seu braço ao seu redor e Regina deposita um beijo em seu rosto. Elas entram no café e pegam uma mesa próximo da janela, sendo atendidas pelo garçom logo em seguida. Emma pede um café au crème e Regina um latte machiatto.

 

— Emma... Posso te perguntar uma coisa? – A morena a olha meio incerta.

— Claro, o que você desejar.

— Como você soube que gostava de mulheres?

— Bom, na verdade eu gosto tanto de homens quanto de mulheres em definições gerais, para as pessoas compreenderem melhor, mas eu gosto de pessoas, independentemente do que ela é.

— Uma definição um tanto ampla...

— Um pouco, mas simplificando, sou bissexual. – Explica. — Sempre senti algo, foi uma fase bem confusa, achava que eu precisava decidir entre um e outro até o dia que percebi que não, que eu posso gostar dos dois.

 

O garçom traz os pedidos e Emma aguarda o rapaz se retirar e olha Mills tranquila.

 

— E você, como soube que era hétero? – Pergunta em brincadeira.

— Nunca havia sentido atração por mulheres, até alguns meses atrás... Então achei que fosse hétero.

— Mesmo com a Kristin a provocando todo esse tempo? – Emma a olha incrédula.

— Mesmo com a Kris me provocando. – Responde rindo.

— Impressionante.

 

Elas riem, adoçam seus cafés e brindam, tomando-o em seguida, conversando, falando algumas bobagens quando o garçom se aproxima e entrega uma taça de vinho a Regina.

 

— Desculpe-nos, mas não pedimos... – A publicitária o olha séria.

— Foi o rapaz ali que mandou. – O garçom diz indicando o rapaz o loiro no balcão, que pisca para ela ao vê-la olhando para ele.

— Por favor, agradeça-o por mim, mas poderia levar para ele de volta? Não quero.

 

O garçom recolhe a taça e leva de volta para o rapaz, passando o recado dela. Emma observa em silêncio, levemente desconfortável com a situação. O rapaz se levanta com a taça em mãos e vai até elas.

 

— É muito deselegante recusar um presente. – O rapaz loiro diz colocando a taça na mesa.

— Não quero, obrigada. – Regina responde séria.

— Posso ser uma companhia muito agradável. – O homem dizia ignorando totalmente a presença de Emma na mesa.

— A senhorita já disse não. – Emma o responde séria. — O senhor poderia se retirar? Ela já está acompanhada.

— Com licença? – O homem volta sua atenção para Swan e a olha com desprezo.

— O senhor poderia se retirar? O senhor está nos incomodando, a senhorita já disse não.

 

O homem ri dela e dá um leve empurrão em Emma, deixando Regina brava, mas ela se levanta e tira o homem de cima da morena. Ele se vira com a mão aberta e o reflexo da loira é mais rápido, dando um murro no olho dele e uma joelhada entre as pernas, o derrubando no chão. Os funcionários vão correndo apartar a briga, mas Emma só balança a mão, sentindo um pouco de dor e se senta para terminar o café, antes de pedir uma água, um saco com gelo e a conta. Regina apenas a observa séria, mas agradecendo por ela ter afastado o homem, mesmo que tenha tido agressão.

Ao saírem do café, Emma dá o braço a morena e caminham até a pracinha a poucos metros dali e se sentam. No mesmo instante, Regina pega a mão que a designer havia utilizado para dar o murro no homem e tira o saco de gelo, vendo apenas uma vermelhidão nos nós dos dedos.

 

— Garota, você é maluca. – Constata.

— Ele estava sendo extremamente inconveniente e irritante, mas a hora que ele veio com a mão aberta não aguentei, mas já foi.

— Fico muito agradecida pelo gesto, mas não faça isso novamente, ele poderia ter feito algo pior ou poderia estar portando uma arma. – A preocupação era mais do que nítida na voz de Regina.

 

Emma sorri e passa a mão no rosto de Regina, afastando alguns fios de cabelo que escapava detrás da orelha.

 

— Está tudo bem, não aconteceu nada com a gente e é isso que importa, não é?

 

Regina apenas concorda com a cabeça enquanto observava os lábios finos de Swan. “Sempre tão gentil, tão educada, mesmo sendo um pequeno desastre.” – Pensa. Seus rostos estavam próximos e se olhavam com calma, prestando atenção a cada mínimo detalhe. Seus rosto se aproximam mais e seus lábios se encontram num beijo calmo, tranquilo, exploratório. A mão de Regina passa pelo rosto da loira, afagando-a e logo sente a mão de Emma passar por sua nuca e enrolar os dedos em seu cabelo. O beijo começa a se tornar mais intenso, mas elas interrompem com selinhos e afagos.

 

— Continua muito hétero? – Emma pergunta num sussurro, rindo baixo.

— Um pouco ainda. – Regina responde rindo.

— Você disse que nunca havia sentido atração por mulheres, até alguns meses atrás...

— É... Comecei a me sentir atraída depois que fiquei totalmente fora de mim e beijei uma designer talentosa que trabalha comigo, mas é só ela. – Responde.

— Hm... Compreendi. – Emma sorri e rouba um selinho da morena.

 

Elas riem e engatam outro beijo antes de irem para o carro e Emma levar Regina para casa. O caminho de volta era só risada e brincadeiras. Ao estacionar na porta da casa da morena e elas se olham, seus lábios se reencontram num outro beijo tranquilo e sorriem ao pararem.

 

— Sobe comigo. – Regina pede num sussurro.

— Henry... – Começa preocupada.

— Está com os avós paterno.

 

Emma ajeita o carro na vaga e fecha os vidros antes de descer com a morena e subirem para o local de mãos dadas. Swan observa com calma o apartamento e as duas se sentam no sofá, conversando, trocando algumas caricias.

 

— Obrigada. – Mills diz olhando nos olhos da loira.

— Pelo o que? – Pergunta curiosa.

— Por ser do jeito que é e por interver aquele cara no café. – Sorri.

 

O rosto de Emma começa a corar e Regina acha uma graça, dando alguns selinhos nela antes de voltarem a conversarem sobre coisas aleatória e adormecerem no sofá. 


Notas Finais


Ouvi um amém em nome de Cher!?

Galeres, não vou enrolar, essa história é curta, ou seja, mais 7 capítulos talvez...

Espero que tenham gostado hehehe

Até o próximo capítulo!
@vincemills_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...