História La Rose - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Tags Byahime, Grimmhime
Visualizações 43
Palavras 1.368
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoas!
Demorou a atualização? Demorou.
Valeu a pena? Sim, vai valer muito. Porque vocês vão surtar. Huashuas

Bora a ler? Sim

~Boa leitura.

Capítulo 4 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction La Rose - Capítulo 4 - Capítulo 4

La plus belle fleur

Capítulo 4

“A sua beleza não será despercebida”

Ela andava apressada pelos corredores da faculdade. Seus longos cabelos ruivos balançavam com seus movimentos, a mochila estava pendurada em um só ombro. Segurava em um dos braços os livros pesados de cálculos e a outra mão segurava o celular.

— Já falei, Sora! – indignou a garota — Está tudo perfeitamente bem por aqui.

— Está bem mesmo? — perguntou novamente o rapaz. — Os estudos, o trabalho...

— Está sim — estava se segurando para não irritar o irmão. — Sora, dá pra parar de enrolar e falar o quer saber?

— Sou seu irmão, fico preocupado com você. Desde que você mudou, está dividindo o apê com a Rukia e não temos nos falado com frequência.

— A mudança é para facilitar a vinda para faculdade, além de ficar próximo ao café que trabalho no meio período.

— Eu sei disso maninha. Tem mais alguma outra novidade?

— Já entendi — a garota parou de andar e encostou na parede do corredor vazio. — Quer saber se estou namorando? Ainda não.

— Ah que bom! —  Exclamou aliviado.

— Como eu disse: ainda não — falou divertida.

— O que quer dizer com isso? Orihime Inoue — sua voz se tornou irritada.

— Sei lá, vai daqui cinco minutos sou pedida em namoro. Vai que eu aceito...

Orihime Inoue! — Sora praticamente gritou no telefone.

— Não sei o motivo do seu desespero — falou calma. — Tenho vinte anos, universitária, trabalho, jovem responsável e o item importante: sol-tei-ra. — deu ênfase na última palavra — Não tem nada que me impeça.

— Como nada  te impede? E seu lance com...

— Não diga o nome — interrompeu a garota. — Já passou um ano sem notícias, e isso você tem que cobrar dele e não de mim. — falou com raiva.  — Ele que me esqueceu —bufou.

Hime, desculpe. Eu não sabia que... — suspirou

— Tudo bem — respirou fundo. — Tenho que desligar, vou me atrasar para a aula.

— Tudo bem, até mais — despediu. — Se cuida.

— Até.

Manteve o celular na mão e caminhou mais alguns passos encontrando a sala que haveria aula. Para sua sorte ainda não havia começado, a maioria dos alunos já haviam chegado. Deu um rápido olhar procurando um lugar vago. Avistou um ao fundo da sala, no canto da parede. Com cuidado para não derrubar as suas coisas e nem esbarrar em colegas, caminhou até seu lugar. Cumprimentou a todos com um “Oi!” e assentou. Como o seu sobrenome é “desastre”, acabou deixando cair o “tijolo” chamado livro de Cálculos, e antes que o mesmo chegasse ao chão foi aparado por uma mão.

— Deveria ser mais cuidadosa —ouviu a voz masculina próxima dela.

— Obrigada — pegou o livro da mão da voz misteriosa, levantou o olhar para o rapaz. O mesmo de cabelos azuis da cantina. —  Terei mais cuidado.

Ele deu um sorriso de canto, digno de um galanteador.

— Grimmjow — estendeu a mão.

— Orihime.

Estendeu a mão para cumprimentá-lo. Ele beijou-lhe o dorso da mão em uma atitude inesperada.. Ela ficou meia atonia com a atitude e puxou a mão. O azulado apenas sorriu com a ação da garota.

— Qual é o seu curso? — perguntou curioso.

— Arquitetura e Urbanismo — respondeu fugindo do olhar dele.

— Por isso que não vi na engenharia — tentou puxar o assunto. — Que bom, teremos uma bela flor nesse semestre — deu uma piscadela.

A garota piscou os seus ambares diante do “flete” tão direto. Não sabia o que falar, se respondia “obrigada”, se sorria ou simplesmente não falava nada. O sem jeito da ruiva, fez o sorriso do rapaz alargar ainda mais. A menina abriu a boca para responder mas o professor entra na sala iniciando a aula.

Grimmjow deu sorriso para ruiva antes dela olhar para frente. Ela jogou o cabelo na tentativa de tampar o rosto. O olhar do rapaz estava “incomodando” a garota.

***

Byakuya entrou no escritório distraído lendo algo no tablet. Sora olhou para o amigo com olhar de reprovação. O moreno continua com as suas tarefas, sem perceber que seu amigo o observava.

— Sora — o moreno o chamou. — Os e-mails das empreiteiras chegaram?

— Já, enviei para seu e-mail — respondeu secamente.

O moreno percebeu a mudança de comportamento do amigo.

— Aconteceu alguma coisa? — perguntou.

— Sim — respondeu. — Mas não é assunto para ser discutido aqui.

— Ei me diga — tentou instigar mais.

— Prometi não misturar os assuntos — respondeu Sora. — Hoje o engradado de cerveja é seu.

— Tenho um jantar hoje à noite — rolou os olhos. — Com meu avô.

— Não tem problema — voltou seus afazeres. — Podemos conversar isso a madrugada. Espero que ainda se lembre que não vou olhar amizade, caso algo acontecer com a Orihime.

— Sim, eu lembro.

— Então essa será a primeira —falou friamente para o moreno.

— Claro — o moreno engoliu em seco.

***

Após as aulas da manhã, Orihime foi encontrar com a Rukia no ginásio da universidade. A morena estava sentada nas arquibancadas com uma prancheta no colo e lápis na mão.

— Que está fazendo aqui? — perguntou a ruiva ao encontrar a baixinha.

— Ótimo lugar para ter inspiração — sorriu travessa.

— Sei... — suspirou ao ver uma cabeça vermelha na Quadra. — Eu entendi a sua inspiração.

— Você deveria encontrar a sua inspiração: um alto de cabelos e olhos azuis – riu.

— Não me enche, Rukia — sentou ao lado da baixinha, com olhar fixo na Quadra. — Eu encontrei com a peça hoje de manhã.

— E aí? — perguntou curiosa.

— Ele é meu colega de cálculos — respondeu sem dar importância.

— Da disciplina comum? — a ruiva assentiu com a cabeça. — E vocês conversaram?

— Ele é um convencido — respondeu. — É daqueles que só quer pegar e falar quantas  foram.

— As aparências enganam, ruivinha — riu. — Está lendo muitas histórias.

— Aff... — bufou. — Que eles estão fazendo? Brincando de pega-pega? — desviou do assunto.

— Estão. É da disciplina de jogos e brincadeiras — respondeu.

O ruivo deu um sorriso ao ver  Rukia, e fez um sinal para ela esperar ele após aula. A morena fez um sinal de positivo.

— Desde quando vocês estão conversando tão afinados assim? — perguntou Orihime.

— Umas semanas — sorriu a morena. — Além do mais, já trocamos os números de telefone.

— Ah tá! — fez menção de levantar.

— Espera — segurou a mão da ruiva. —  Onde você vai?

— Não vou ficar aqui de tocha.

— Olá meninas! — Renji estava próximo das duas.

— Olá Renji! — Rukia sorriu mais abertamente com voz amável.

— Oi! — cumprimentou a ruiva.

— Então, Rukia — o rapaz puxou o assunto. — Sobre o assunto que você me falou, no sábado seria um bom dia.

— Oh! Isso é uma boa noticia! — sorriu a morena. — Então ele aceitou?

— Sim, tanto foi ele que escolheu o dia.

— Que vocês estão falando? —perguntou curiosa a ruiva.

— Da saída do grupo — respondeu — A Rukia não falou nada não?

— Acho que ela falou Vagamente — estreitou os olhos para a morena — Ficamos de finalizar as pendencias.

— Ah certo! Ficamos combinados às 19 horas, na pizzaria. Pode ser?

— Podemos combinar Assim — concordou Rukia.

— Até mais — deu um beijo na bochecha da morena. — Te mando mensagem mais tarde. Tchau Orihime.

— Tchau — despediu do rapaz.

Orihime viu o rapaz se afastar, enquanto Rukia acenava com as mãos. Deixou o rapaz sumir de vista para questionar com a morena.

— Que encontro é esse?

— Encontro de grupo de casal — deu por ombros juntando seus materiais.

— Quem seria esse grupo? —fuzilava a amiga com olhar.

— Eu, você, Renji e Grimmjow — sorriu travessa.

— Sinto muito dizer isso, eu não irei nesse encontro — levantou pegando a sua mochila.

— Por que não? — olhava para a amiga sem entender.

— Tenho compromissos —respondeu secamente.

— O que? — quase gritou – Desde quando assistir séries e escrever fanfics são compromissos? Um dia a Vega não postar ninguém irá morrer!

— Não me Enche — saiu andando deixando a morena sozinha — Você não perguntou se eu estava afim. Tô’ indo para o trabalho.

— Orihime —  chamou a mesma que continuava a andar. — Sua cabeça oca!

***

Orihime não tinha gostado do que a amiga tinha feito. Estava pensando no assunto enquanto organizava as notas de produtos no café. Achava um “absurdo” a morena decidir tudo sem consultá-la.

— Orihime — chamou um senhor. — Atende a mesa seis, por favor.

— Sim, senhor — pegou o bloquinho para anotar o pedido e foi atender o cliente.

Andou automaticamente até a mesa.

— Boa tarde! — falou respeitosamente. — Qual será o seu pedido?

— Olá ruivinha!

Ela levantou o olhar e viu aquele sorriso. Aquele sorriso, que ainda irá torturar futuramente.

Continua...


Notas Finais


Ministério da fanfic adverte:
Não esquece de deixar a sua opinião. Anime essa autora linda!
Beijos♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...