História Lábios de fogo. - Parado indefinidamente. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Cake, Canelinha, Fionna, Lord Monocromicórnio "Lormo", Marshall Lee, Principe Chiclete, Príncipe de Fogo, Rainha Gelada
Tags Cake, Chiclete, Fionna, Flame, Fogo, Gumball, Hora De Aventura, Marshall, Marshall Lee, Princesa De Fogo, Principe Chiclete, Principe Gumball, Zzkit
Visualizações 97
Palavras 1.933
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


~Cap revisado e editado dia 19/07/17. Viu, falei que não tinha abandonado a fic :p ~

Iae galerinhaaaaa :3
Aqui esta o primeiro cap dessa nova fic que estou postando :3
Só avisando que eu geralmente demora cerca de uma semana para postar, então podem deixar que na próxima quarta-feira teremos o cap 2 XD
Bem, é isso.
Espero que gostem.

Bjus da Zz *3*

Capítulo 1 - Fale a verdade.


Fanfic / Fanfiction Lábios de fogo. - Parado indefinidamente. - Capítulo 1 - Fale a verdade.

Fionna suspirou pela milésima vez e conseguiu, finalmente, acabar com a já pouca paciência de Cake.

- Fionna, pare de fazer isso! - falou irritada fazendo Fionna perder a concentração e olhar para a irmã curiosa.

- Parar com o quê? - perguntou com as sobrancelhas erguidas é uma expressão inocente.

- De suspirar! - Cake bufou quando Fionna a olhou ainda sem entender - Você está à mais de meia hora olhando para essa foto e suspirando sem parar!

Fionna arregalou os olhos, surpresa.

Sabia que estava olhando para a foto de príncipe Gumball por algum tempo, porém não imaginou que fosse tanto nem que estava suspirando sem parar.

Seus olhos se abaixaram para a foto amassada em suas mãos e seus olhos se apertaram.

Ela queria vê-lo, mas o príncipe Gumball tinha uma importante reunião com alguns príncipes e reis de outros reinos e por causa disso não poderia recebe-la no castelo doce. Ao menos por enquanto.

- Você fez de novo! - Cake exclamou já no seu limite.

Fionna se envergonhou quando percebeu que estava mesmo suspirado sem perceber.

Olhou para a irmã com os olhos molhados e uma expressão suplicante.

- Cake... - choramingou e se jogou nos braços finos da gata - Eu quero ver o Gumball!

Cake começou a acariciar sua touca de coelhinho com um olhar cansado e suspirou preocupada, decidindo finalmente fazer algo pela irmã.

- Por que você não se declara para ele? - Fionna negou com a cabeça decidida a não ceder.

Ela estava apaixonada por Gumball já fazia bastante tempo, porém não poderia simplesmente falar o que sentia para ele.

Ela não tinha coragem o suficiente.

Cake pegou em suas bochechas e as apertou, fazendo a humana olhar para ela.

- Vamos lá, Fih. Já está na hora de falar a verdade para ele - sua voz era mansa, carinhosa.

Fiona escondeu seu rosto nos braços da gata e murmurou:

- Eu não tenho coragem.

Cake avaliou a situação.

A loira era a pessoa mais corajosa que Cake conhecia, sempre pronta para uma aventura e ser a heroína.

Ela não podia simplesmente perder por causa de algo banal como uma declaração de amor.

Forçou sua cabeça a pensar em alguma coisa e uma ideia fez um sorriso travesso brotar em seus lábios.

Deixou uma Fionna depressiva jogada no sofá e foi até seu quarto, revirou gaveta atrás de gaveta até que enfim encontrou o que queria:

Uma esmeralda.

Mas não uma esmeralda qualquer, igual às várias que elas duas guardavam junto com os tesouros que capturavam em suas aventuras.

Não, aquela esmeralda era especial.

Voltou para a sala e encontrou Fionna no mesmo estado, deitada no sofá abraçando a foto do amado de forma deplorável.

Após um longo suspiro desanimado Cake se aproximou.

Quando ficou de frente para o sofá a gata levantou seu braço e ofereceu a pedra preciosa para Fionna.

A garota olhou para a joia com os olhos cheios de deboche.

- Uma esmeralda? O que eu vou fazer com isso? Dar um colar para ele? - zombou seguida de uma risada carregada de escárnio.

Seu humor estava horrível.

A gata, porém, não se deixou abalar pelas palavras maldosas; sabia que sua melhor amiga estava sofrendo.

- Não é uma simples esmeralda. - falou carregada de uma paciência até então desconhecida - Foi o Lormo quem me deu.

- E agora está jogando na minha cara que você está namorando o cara que ama? - Fionna exclamou indignada - Pensei que estava do meu lado!

Cake revirou os olhos.

- Não estou jogando nada na sua cara, Fih. Estou dando ela para você - explicou bufando e novamente ofereceu a pedra preciosa.

Fionna ergueu as sobrancelhas e a aceitou, sentando no sofá e dando espaço para a irmã se sentar ao seu lado.

- Se foi o Lormo quem te deu, por que está dando ela para mim? - questionou sem entender.

Cake era totalmente apaixonada pelo Lorde Monocromicórnio e por isso tudo o que ele dava para a pequena gata era praticamente sagrado.

- O Lormo me deu isso para me dar coragem - respondeu olhando a pedra preciosa com nostalgia - Ele disse que ela foi enfeitiçada por uma bruxa muito medrosa para dar coragem a quem a carregar.

Fionna ergueu as sobrancelhas, curiosa.

- Por que ele te daria isso? - não conseguia entender; Para ela Cake era corasoja, destemida, decidida e cheia de bravura. Nunca recusava seus chamados por aventura e elas duas se divertiam muito indo atrás de monstrons e salvando príncipes.

Fionna admirava Cake com uma fé inabalável, com um respeito profundo e com uma admiração cega.

- Para que eu fosse tão corajosa quanto você - Fionna arregalou os olhos, surpresa.

Ela não esperava tal resposta.

As palavras de Cake acertaram Fionna de uma maneira que ela jamais pensou ser possível.

Vendo que já tinha atingido seu objetivo a gata se levantou e foi para a cozinha afim de comer algo e deixar sua irmãzinha refletir em suas palavras.

Fionna observou a pedra preciosa que brilhava de forma insistente com mais atenção, porém não viu nada de diferente. Nada que desse qualquer indício de que a história era de fato verdadeira.

Ao seu ver era apenas uma pedra preciosa qualquer.

Mas se Cake disse que esta, em específico, fôra enfeitiçada para dar coragem a quem a possuir, então deveria ser verdade.

Fionna ajeitou as costas, inspirou decidida e saiu de casa sem pensar duas vezes.

Seus passos eram apressados, queria chegar no reino doce antes do anoitecer que estava se aproximando a passos lentos, porém contínuos.

Após algum tempo ela se viu em frente ao grande portão do castelo. Os guardas-banana a olharam e sorriram, acenando.

Fionna retribuiu e logo eles abriram o portão sem falar ou perguntar nada.

Fionna era amiga e salvadora da maioria dos príncipes, além do próprio principe do castelo, e isso lhe dava uma espécie de passe VIP para dentro do castelo da maioria dos reinos.

Sua fama era gigantesca, e a confiança que depositavam nela era proporcional.

Enquanto passava pelos corredores se deparou com Canelinha.

- Fionna! - exclamou o pequenino e redondo pão de canela com um sorriso adorável no rosto.

- Oi - acenou a garota - Você sabe onde o príncipe Gumball está?

Canelinha concordou ainda sorrindo e apontou para uma porta logo a frente.

- Ainda está na sala de reuniões.

Fionna avaliou suas opções.

- Quando ele sair você pode dizer que estarei esperando ele na biblioteca, por favor? - e após o doce assentir Fionna rumou em direção à biblioteca.

Chegando lá logo ficou entediada com o amontoado de livros e decidiu tirar um cochilo.

Nunca fôra fã de ler mesmo.

Acordou com uma leve cutucada em seu rosto, o que a fez abrir os olhos lentamente.

Por um minuto se viu perdida naqueles doces olhos, porém quando finalmente processou de quem àqueles lindos olhos pertenciam ela quase teve um ataque.

Eram do Príncipe Gumball!

Se sentiu apressada e assustada.

- Ai! - os dois exclamaram juntos. Gumball acariciando e o seu nariz vermelho e com um sorriso divertido nos lábios e Fionna com o rosto corado e com a testa avermelhada.

- Príncipe Gumball! Você está bem? - Se aproximou do rapaz de cabelos rosa e tocou seu ombro, preocupada.

Ele parou de massagear o nariz e vou para ela com uma risada querendo sair.

- Estou sim - respondeu e soltou uma risada divertida com o exagero da amiga - O que você quer, Fionna? Precisa de alguma coisa?

Seu tom de voz era amigável, porém Fionna percebeu que ele estava cansado e provavelmente o que mais queria agora era tomar um banho, deitar em sua cama e ler um livro sobre ciência até por fim dormir.

Engolindo em seco ela o olhou repentinamente nervosa.

Com a mão ela buscou a esmeralda que Cake havia lhe entregue e a apertou fortemente.

Após inspirar e expirar repetidas vezes ela finalmente ergueu o olhar e o encarou.

- Eu só vim aqui para dizer... - Príncipe Gumball a olhou curioso. Ela continuou: - Eu te amo, Gumball.

Um silêncio perturbador se instaurou entre ambos. 

Príncipe Gumball arregalou os olhos, porém não era por causa da notícia.

Ele sempre suspeitou que Fionna sentisse algo por ele, mas sempre se esforçara para negar com medo de estragar a amizade.

Porém lá estava ela, na sua frente, confirmando suas suspeitas.

- Olha, Fih... - suspirou incomodado - Eu sinto muito. Eu...

Ele perdeu a fala ficando repentinamente desanimado, aquilo acabou com o seu dia, que já tinha sido difícil com a reunião e os relatórios.

Ser príncipe e governar um reino inteiro não era fácil.

A humana apertou a esmeralda com força e sorriu.

- Tudo bem - riu pelo nariz e abriu um belo sorriso - Eu já vou indo, okay!?.

Ela mais afirmou do que perguntou.

- Fih.

- Você acabou de sair de uma reunião...

- Fionna...

- ... precisa descansar. Até algum dia, Príncipe Gumball.

E com um aceno ela caminhou de cabeça erguida deixando um Gumball aflito e ressentido para trás.

Ainda atordoado príncipe Gumball foi até seu laboratório com a mente trabalhando sem parar.

Fionna havia sido rejeitada, então por que ela sorrira daquele jeito?

Será que já esperava tal resposta?

O que estava acontecendo?

O rapaz apenas saiu de seus pensamentos quando sentiu uma leve respiração tocar sua pele e dentes pontiagudos roçar sua pele rosada e sensível.

Com um grito ele pulou e caiu da cadeira.

- Caramba, Marshall! - gritou irritado - Vai assustar a mãe.

Marshall Lee gargalhou com gosto.

Há muito tempo seu passa-tempo preferido era assustar e irritar Gumball, e hoje não seria diferente.

- Seu gritinho foi ridículo, Gumball - retrucou o vampiro achando a situação e a reação do amigo hilária, como sempre.

Príncipe Gumball se levantou com uma careta irritada e voltou a se sentar, pegou o lápis e olhou para o relatoria que estava escrevendo, ou que deveria estar escrevendo.

Porém como sua cabeça estava nas nuvens o papel continuava sem um risco sequer.

O príncipe passou a batucar o lápis na folha quando seus pensamentos voltaram com mais força.

Ele estava preocupado com Fionna.

E estava preocupando Marshall Lee com sua atitude distraída e desatenta.

- O que houve? - perguntou o moreno se sentando ao lado do rosado, o surpreendendo por sua atitude.

Esta era a primeira vez que Marshall Lee, o rei dos vampiros, se mostrava sério com algo.

Suspirando desanimado Gumball relatou o ocorrido. Marshall escutou tudo sem interromper o príncipe.

Fôra um relato breve.

- ... E agora estou preocupado. Quer dizer, eu a rejeitei, e ela saiu sorrindo... - suspirou - Estou preocupado.

- Você gosta dela? - perguntou o outro em tom sério.

- Eu... - o rosado refletiu sobre a pergunta.

Dizer que não gostava de Fionna era pura mentira, porém não se sentia atraído por ela. Seus sentimentos eram puramente fraternais.

- Fionna é como uma irmã para mim - finalmente respondeu - Eu me preocupo com ela. E me sinto mal por saber que eu posso ter feito ela sofrer.

Apoiou a cabeça na bancada de mármore e esfregou seus cabelos com as mãos, odiando até imaginar essa possibilidade.

- Sabe... Você não deveria se preocupar com isso - o vampiro quebrou o silêncio e atraiu o olhar o príncipe para si - Fionna é uma mulher forte. Talvez a mais forte que eu conheço.

Príncipe Gumball refletiu sobre as palavras e percebeu a verdade contida nelas.

Fionna era uma mulher incrível, independente e extremamente forte.

Ela não choraria por algo bobo como uma rejeição.

- Sim, eu sei - murmurou mais para si do que para o outro.

O silêncio permaneceu por algum tempo, e foi quebrado minutos mais tarde quando Marshall Lee se levantou sem mais nem menos e atraiu a atenção do amigo.

- Bem, Vossa Majestade - caçoou ganhando uma careta do príncipe; Gumball odiava quando o amigo o tratava com deboche, principalmente quando o assunto era sua coroa - Eu acho que minha melhor amiga precisa de mim então estou vazando.

Após uma reverência desajeitada e zombeteira o vampiro saiu pela mesma janela que entrou, deixando o jovem príncipe perdido em seus pensamentos para trás.


Notas Finais


E é isso pessoal kkk
Ae, só avisando que não, infelismente não terá Gumlee ~Aaaaaaaah...
Eu sei, eu sei.
Eu também queria.
Porém por causa de alguns probleminhas não poderei colocar yaoi na minha fic... fazer o que ne?
Aceitamos para continuar com os dentes ~e o celular kk~
Bem. É isso.
Espero que tenham gostado :3

Bjus da Zz e até a próxima semana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...