História Labyrinth: My way to you - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Kookv, Mitologia, Taekook, Vkook, Yoonmin
Exibições 453
Palavras 5.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Fluffy, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá gente.
Vou dizer tudo nas notas finais, então, apenas aproveitem, ok?
Boa leitura. ;)

Capítulo 10 - Volte ao início.


Taehyung repetiu o ato, subindo pelo pescoço de Jungkook novamente, dando beijos e leves chupadas, fazendo com que o moreno soltasse um novo som pela garganta a cada movimento.

Jungkook, que ainda estava de costas, recebendo os carinhos de Taehyung em seu pescoço, virou-se, sentando no colo dele e atacando sua boca com um desejo ardente. Segurava os cabelos lilás em suas mãos com firmeza, aprofundando o contato com os lábios de Taehyung, que sem demora deu passagem para que suas línguas se encontrassem, começando um ósculo molhado e sensual.

Com o peso do deus sobre si e a cada som estalado de seus beijos, Taehyung podia sentir seu membro despertando. Jungkook começara a mexer seus quadris lentamente, causando um atrito prazeroso entre seu membro e as nádegas dele. Não aguentara tamanho prazer, também soltando um gemido grave.

Taehyung passava as mãos pelas costas de Jungkook, acariciando seu corpo, então, as abaixou até que elas chegassem ao cós de sua calça jeans preta. Enfiou seus longos dedos dentro dela, dando um aperto firme na bunda de Jungkook, fazendo também com que ajudasse nos movimentos que ele fazia, aproximando ainda mais o roçar de seus corpos.

Sabia que dali para frente talvez não haveria mais volta, o estado que se encontravam era prazeroso e também desesperador. Para que ficassem mais confortáveis, Taehyung pegou Jungkook no colo, levantando, fazendo com que ele entrelaçasse as pernas em sua cintura. Andou até sua enorme cama de casal, jogando Jungkook sobre ela e subindo por cima dele, logo em seguida, aproximou seus rostos.

“Você tem certez-” tentou perguntar mas foi interrompido por Jungkook, que lhe deu uma rápido selar, puxando seu lábio inferior entre os dentes afiados.  O olhou confuso, mas ele apenas tinha uma expressão divertida. As bochechas coradas e o cabelo bagunçado, junto as orelhinhas fizeram o coração de Taehyung perder uma batida.

“Porque ainda não tirou nossas roupas?” Jungkook perguntou travesso, enquanto soltava um riso envergonhado pelo nariz.

Taehyung riu de volta para ele. “Lá vem ele de novo” pensou. Achou que o deus iria desistir de seguir em frente, principalmente pelo motivo de não estarem em uma situação tão agradável com o que acabaram de vivenciar, mas notara que ele não parecia se importar, que só queria ser amado e era exatamente o que passava por sua cabeça agora. O resto não importava, o que tinha que ser prioridade para eles no momento era mostrar o quão apaixonados eles estavam e também o quanto desejavam um ao outro.

Resolveu seguir sem nem mais uma pergunta. Queria dar amor a ele, queria sexo, queria experimentar mais uma coisa nova ao lado de Jungkook, ao lado de quem ele realmente amava e confiava.

Voltou a beijar Jungkook. Enquanto acariciava seu peito por cima da larga camiseta roxa, — a qual ele tinha trocado pela vermelha, que ficara totalmente suja e com alguns buracos depois da luta na arena — podia sentir os músculos dele sob as palmas de suas mãos, se contraindo a cada toque mais íntimo e apreensivo. Chegou até a borda da vestimenta, adentrando-a e subiu suas mãos lentamente pelo corpo quente do moreno, sentindo o abdômen malhado em seus dedos, que o fez engolir seco com as cenas que já surgiam em sua mente, sobre os planos do que faria com ele essa noite. Chegando nos mamilos, Taehyung começou os acariciando com o dedo indicador de cada mão, fazendo assim com que Jungkook soltasse um gemido abafado a cada vez que suas bocas se afastavam por um curto período de tempo.

Parou um momento, retirando de uma vez por todas a peça de roupa, que foi parar em algum lugar pelo chão do quarto. Logo depois, Jungkook levantou, fazendo o mesmo com a blusa que Taehyung usava e deitou-se novamente. Não era acostumado a mostrar seu corpo as pessoas, o que o deixara meio acanhado de início, fazendo com que olhasse para o deus com um pouco de desconforto, sentindo seu rosto esquentar consideravelmente. Nunca fora alguém atlético, muito menos gostava de fazer algo que exigisse muito esforço físico, fazendo com que ele não tivesse um dos melhores corpos do mundo apesar de ser magro, mas principalmente, se sentia envergonhado por aos seus olhos ele ter a visão do corpo bem desenhado de Jungkook.

A pele branquinha não aparentava ter nenhum de defeito. Ele tinha o peitoral mais largo, mas sua cintura se afinava ao longo de sua barriga, — com um sixpack de dar inveja — que revelava sua respiração um pouco mais acelerada pelo nervosismo.

“Você é tão lindo.” soltou a frase em voz alta sem que percebesse.

Ao Taehyung olhar sua face no entanto, o via sereno, um sorriso de canto carinhoso, que realçava as maçãs coradas de seu rosto angelical. Aquilo o fazia perceber que não tinha o que “esconder”, era Jungkook, e perto dele Taehyung não precisava tentar ser outra pessoa ou se envergonhar de como ele é.  

“Você é muito mais.” Ele respondeu. Também, Jungkook o puxara para cima de si com certo desespero junto de desejo. Percebeu como ele também lhe olhava sedento, o que o fizera não ligar para mais nada além deles dois se darem prazer.

Assim que sua blusa também fora perdida em algum canto do apartamento, Taehyung começou depositando selares molhados sobre o pescoço de Jungkook, o fazendo suspirar pesado. Desceu mais, trilhando um caminho de beijos sobre a clavícula marcada dele, até que sua boca chegasse até o mamilo direito. O olhou antes que fizesse algo, para assim ter a visão de Jungkook mordendo os próprios lábios fortemente, os dando uma cor mais viva e os olhos fechados; ele parecia apreciar cada toque.

Finalmente, ele passou a língua sobre aquela parte mais sensível, fazendo com que o outro parasse de morder sua boca para que a abrisse num gemido falho, fazendo Taehyung ficar cada vez mais excitado. Jungkook não estava diferente, na verdade, parecia ainda pior, pois a marca de seu membro duro era claramente vista em sua calça jeans. Devia estar louco para se livrar dela.

Foi com esse pensamento que Taehyung se acelerou. Chupava com vontade seu mamilo direito, às vezes o mordendo de leve e brincando com o esquerdo em seus dedos. O moreno já não aguentava mais se segurar, os sons que saíam de sua boca eram cada vez mais altos e se remexia cada vez mais sobre os lençóis.

“T-Tae...”  Jungkook chamou assim que Taehyung começara a se abaixar, indo mais longe com sua trilha de beijos molhados sobre o abdômen dele. Seu corpo queimava de tesão, queria aproveitar cada pedaço de Jungkook, ele o deixava completamente louco. Droga. Estava completamente apaixonado e não conseguia mais ver como viveria sem aquele garoto com orelhas pontuadas.

“Eu vou cuidar de você hoje, então não se preocupe, apenas seja um bom garoto.” disse e Jungkook acenou com a cabeça, concordando com suas palavras, enquanto o olhava de cima. Os olhos alaranjados mostravam que ele estava tão excitado quanto aparentava. Hoje ele não tivera coragem de se opor contra Taehyung o tratando como um cão, estava totalmente submisso, completamente entregue ao prazer. Só o pensamento o fez sentir seu membro pulsando dentro de suas calças, já insuportavelmente apertadas.

Já Jungkook, por mais que quisesse, não conseguia se forçar a não demonstrar aquilo. Durante toda sua vida ele nunca se sentiu tão vulnerável a alguém. Alguém que podia tirar todo tipo de reação de Jungkook, de Anúbis, o grande e assustador deus da morte que jamais demonstrava qualquer tipo de afeto. Kim Taehyung, era o nome daquele que virava seu mundo, mágico ou não, de cabeça para baixo.

É claro, ele não era uma má pessoa com todos, nem tratava as pessoas com uma cara fechada, mas seu jeito quieto e sua fama de assombroso o fez ser mais acanhado. Porém, quando estava com Taehyung, agia do jeito mais carinhoso que conseguia, simplesmente se derretia ao ouvir o simples som de sua voz grave e sedutora. Talvez por medo de que ele se afastasse por qualquer razão? Não sabia; só sabia que não tinha controle algum sobre si mesmo quando o assunto era o garoto dos cabelos claros, de um lilás desbotado que já perdia sua cor.

Mordia os próprios lábios, tentava segurar os gemidos que queriam sair de sua garganta a cada toque, puxava continuamente os lençóis, os apertando  entre seus dedos e contraía os dedos dos pés, — agora livres de seus coturnos surrados — mas sempre, sempre, entregava-se e não se arrependia nenhum pouco.

Taehyung voltou a tocar sua língua sobre aquela pele, aparentemente fria por sua palidez, mas tão quente ao toque; dessa vez, na barriga de Jungkook, trilhando uma lambida até seu peitoral, enquanto ao mesmo tempo, ele finalmente cuidava de desabotoar as roupas baixas do garoto.

Assim que abaixou o zíper da calça, ele ouviu Jungkook soltar todo ar de seus pulmões pela boca. Saiu de cima do moreno, puxando sua cintura para mais perto da beirada da cama e ajoelhou-se ali. Quando começou a abaixar as calças do deus, o viu se apoiar sobre os cotovelos, assistindo a tudo que Taehyung fazia.

Sua boca salivou, sedenta, quando viu o pênis de Jungkook na boxer branca que ele usava, mancando o lugar onde seu pré-gozo já se fazia presente.

Começou a imaginar como será que Jungkook se vestia em seu passado. Ele provavelmente aprendeu a usar essas roupas conforme o passar do tempo, mas será que antigamente ele usava a mesma vestimenta que via nas pinturas, livros, filmes e imagens de egípcios que encontrava na internet? Sua mente começou a trabalhar na imagem de Jungkook, com o peito nu, usando uma saia branca e mostrando suas coxas torneadas, assim como eram retratados o povo do antigo Egito...sem roupas íntimas... Piscou apertando seus olhos, retirando aqueles pensamentos de sua cabeça antes que enlouquecesse de vez.

Antes que continuasse a fazer qualquer outra coisa, ele se levantou, atirando a calça de Jungkook próxima a porta do banheiro e logo após retirando a sua também, pois já não era mais possível aguentar seu pênis preso em suas roupas, a menos que quisesse sofrer mais um pouco.

Viu Jungkook observá-lo atentamente, passando a língua sobre os próprios lábios quando viu o quão duro ele estava. Não pode evitar que um sorriso malicioso crescesse no canto de sua boca. Aproximou-se novamente, dessa vez, não demorando para agir, logo abocanhando o falo de Jungkook sobre o pano de sua boxer, fazendo com que ele jogasse sua cabeça para trás de uma vez, soltando gemido que mais parecera um soluço com o jeito que seu corpo se contraiu com o contato.

“T-Tae...hyu...ng...” Jungkook tentava pronunciar seu nome em suspiros cortados, enquanto ele o tocava de todo modo que podia por cima da cueca. Lambendo, chupando, massageando o membro rijo com sua mão, brincando com a glande; judiava dele e nem mesmo se sentia arrependido.

Resolveu aliviar Jungkook e retirou a peça de roupa íntima, tendo a clara visão do pênis com a glande vermelha, inchada e molhada pelo fluido pré-ejaculatório. Segurou-o firmemente em sua mão, apenas passando os lábios por toda extensão dele, só para que o provocasse ainda mais, enquanto observava o olhar do garoto chacal sobre si.

“N-Não faça isso c-comigo.” implorava com sua expressão de puro desejo e ao mesmo tempo, piedade. As sobrancelhas franzidas, os olhos semicerrados, juntamente de seu rosto corado e as infalíveis orelhinhas abaixadas, — que Taehyung nunca conseguia suportar — o fizeram ceder. “Que jogo sujo, seu chacal espertinho” pensou enquanto sem mais nenhuma piedade, abocanhara o membro de Jungkook por completo.

O barulho que fizera com a surpresa do ato de Taehyung fora quase um choro de prazer. A tanto tempo que Jungkook não tinha essas sensações que nem se lembrava mais como era, parecia que estava fazendo tudo pela primeira vez novamente. Agarrou os cabelos lilás entre os dedos, ajudando nos movimentos de vai e vem que Taehyung fazia com sua boca, às vezes, soltando seu falo com um som estalado, fazendo todo seu corpo tremer.

Taehyung não sabia se fazia certo, mas estava se esforçando, dando o melhor de si e mesmo assim já sentia ele pulsar em sua boca. Via seu peito descer e subir cada vez mais rápido, indicando que logo ele chegaria ao ápice e também que Jungkook estava se sentindo bem com seu toque, o dando certo alívio. Antes que isso acontecesse, parou os movimentos com sua boca. Ele mesmo já estava lutando para não vir apenas com a imagem que tinha; de Jungkook atirado sobre seus lençóis verde claro, com uma cara que parecia ser a maior tentação que Taehyung já provara na vida, o implorando para que ele fodesse Jungkook agora mesmo.

Estava na hora de preparar Jungkook. O que aprendera lendo seus mangás BL escondido de sua mãe serviria para algo afinal. Precisava fazer isso, pois não tinham nada com que se preparar naquele momento, nem mesmo estavam planejando isso. Ele só esperava que Jungkook não fosse se importar com o que aconteceria a seguir.

Queria fazer todo o momento ser agradável para os dois, mas não conseguia disfarçar seu nervosismo. Seu coração batia rápido e tentava controlar o tremor de suas mãos, assim como o frio que crescia em sua barriga. Já tivera suas experiências antes, mas nada nunca passara de um toque mais íntimo. Ali ele não tinha pra onde correr e também nem queria correr, apenas esperava que tudo desse certo, porque apesar de tudo, estava fazendo aquilo com quem amava.

“T-Tire a sua também.” Jungkook o tirou de seus devaneios quando agarrou a beirada de sua cueca com a ponta dos dedos. “Não é j-justo.” disse manhoso, tapando o rosto com o antebraço direito, Taehyung quase perdeu o controle sobre si mesmo.

Não desobedeceu, apenas se afastou um pouco para que retirasse a última peça de roupa em seu corpo, com o olhar de Jungkook o devorando. A cara que ele fizera quando vira o membro de Taehyung no entanto, foi indescritível. Seus olhos amarelados brilharam rapidamente em um leve tom de laranja quase vermelho, demonstrando seu desejo e mordera o canto do lábio inferior com vontade, usando suas presas, o que fizera com que quase cortasse a boca, deixando uma forte marca vermelha no local. “Ah, você está me provocando tanto.” pensou. “E vai pagar por isso, eu juro.”

Guardou seus pensamentos para si mesmo enquanto agarrava Jungkook pela cintura, o surpreendendo quando o deixara de quatro sobre a cama, com suas nádegas empinadas para cima e seu rosto colado ao colchão.

“T-Ta...Taehyung!” Jungkook engasgou em suas próprias palavras antes de perguntar o que realmente queria. “O-O que está fazendo?!”

“Fiquei calmo. Vai ser melhor pra você desse jeito, eu prometo.” Respondeu passando tranquilidade, mas na verdade estava tão nervoso quanto antes e ao mesmo tempo tonto de tesão só pela visão que tinha.

“M-Mas essa posição é m-muito constrangedora.” respondeu olhando para Taehyung atrás de si. As bochechas tanto quanto a ponta das orelhas fortemente vermelhas de vergonha. Taehyung queria rir de si mesmo por achar a cena que o deixava tão desesperado ser também tão fofa.

“Só tem eu aqui te olhando.” aproximou seu rosto da nádega esquerda de Jungkook depositando um beijo carinhoso, ao mesmo tempo que olhava o moreno fixamente nos olhos. “E eu te acho muito bonito.” completou e o outro nem mesmo respondera, apenas virando seu rosto para frente tentando esconder sua face que mais parecia um tomate.  

Um sorriso carinhoso brotou no rosto de Taehyung, passando para um travesso, assim que parou para observar o estado do deus. Sua pele era ainda mais branca e também mais delicada naquele lugar que ficava escondido dos olhares. A bunda cheinha perdia destaque quando ele observava as coxas super volumosas de Jungkook daquele ângulo e o mais importante de tudo, o anel rosado no meio de suas nádegas se contraia, ansioso.

Cansou de observar, queria provar, eles já estavam enrolando demais. Foi quando Taehyung abaixou-se colocando sua língua para fora da boca, dando uma lambida exagerada sobre o lugar. Se sentiu satisfeito quando viu Jungkook apertar os lençóis sobre a cama e buscar por um travesseiro com uma das mãos para tampar sua boca, mas, felizmente, para Taehyung, ele não conseguiu alcançá-los. Assim, à cada vez que dava uma nova lambida molhada sobre o ânus, às vezes o penetrando com a mesma, o outro soltava um soluço cortado por sua respiração, seguidos de gemidos arrastados e agudos, que faziam todos os pelos do corpo de Taehyung se arrepiarem.

Quando viu que Jungkook já estava se revirando sobre o colchão, enfiou os longos dedos na própria boca, os cobrindo de saliva. “Isso vai ajudar.” pensou consigo mesmo, mas quando enfiou o indicador no buraco apertado, sentindo ele se contrair ao mesmo tempo que o garoto soltava o gemido mais alto que tinha ouvido naquela noite, tudo que passou pela sua cabeça foi “vai me ajudar a ficar mais louco.” Aquilo fora tão esplêndido que ele não se acanhou em continuar. Jungkook jogava seu corpo para trás às vezes, demonstrando que queria que ele fosse mais fundo, mostrando também que estava se sentindo bem, aquilo era o que importava. Assim que sentiu que ele estava se acostumando, adicionou o dedo médio, fazendo movimentos em tesoura para que o alargasse.

Seu próprio pênis já pedia socorro enquanto tudo aquilo acontecia, se segurava para não se tocar. E não queria que Jungkook fizesse isso, queria dar todo prazer a ele agora, pois ele merecia isso, por como agira com Taehyung desde o começo, pelo o que tinha passado antes o esperando e também, pelo que vinham passando agora, com a notícia de que estavam em perigo, assim como ele sempre tomava as dores da culpa. Queria mostrar a todos como amava Jungkook, ao extremo. E foi quando uma ideia louca — mas que ele gostou — brotou em sua mente.

Parou, retirando seus dedos de dentro de Jungkook, ouvindo ele soltar um gemido no fundo da garganta, reclamando pela ausência de Taehyung o penetrando, mas agora, a coisa iria ficar ainda melhor. Virou Jungkook de barriga para cima, o pegando em seu colo de novo, sentindo seu corpo quente contra o dele enquanto suas bocas se encontravam em um beijo caloroso. Taehyung os carregou até a beirada da grande parede de vidro de seu quarto, sem que parassem o ósculo. O deixou sobre o chão, virando ele de frente para o vidro e o abraçando pelas costas. Começou a passar seu membro entre as partes da bunda de Jungkook, o provocando enquanto revirava os próprios olhos de prazer, já se imaginando dentro dele e também o alertando de que estava pronto.

“Tae-Taehyung...!” Jungkook disse pausadamente, ao mesmo tempo que tentava se soltar de seus braços, mas não conseguia ao sentir Taehyung se esfregando em sua traseira. “N-Nós não podemos fazer isso aqui.” dizia entre gemidos. “As pessoas dos prédios vizinhos podem n-nos ver!” Era engraçado como ele tentava ser sério, mas acabava apenas mordendo os lábios sem conseguir pensar direito, com o desespero de querer que Taehyung o preenchesse logo.

“Não tem problema, é exatamente isso que eu quero, que todo mundo veja como a gente se ama.” respondeu ao pé de seu ouvido.

“M-Mas...”

Foi tudo que Jungkook conseguiu dizer, antes de trocar suas palavras por barulhos de prazer novamente, enquanto sentia Taehyung tocando sua entrada com a cabeça de seu pênis. Viu as mãos dele se fecharem em punhos e logo prensou o moreno contra o vidro gelado, fazendo com que os mamilos ainda sensíveis e rijos de Jungkook o tocassem, o dando uma sensação ainda melhor.

“Shhh.” Foi a resposta de Taehyung antes de começar a penetrá-lo. Com calma, ele foi se colocando dentro de Jungkook aos poucos. Podia ver seu reflexo no brilho do vidro iluminado pelos demais edifícios em volta. Tinha os cabelos claros bagunçados e os lábios completamente vermelhos e nunca vira a si mesmo com um olhar tão sereno, apaixonado e também derramado em prazer. Já Jungkook tinha as sobrancelhas franzidas, os olhos fechados com força e sua boca entreaberta; soltava suspiros pesados.

Assim que adentrara o deus completamente, ele parou, apreciando o sentimento de Jungkook apertado contra seu falo, esperando com que ele se acostumasse com o volume dentro de si.

Pegou seu rosto pelo queixo, fazendo com que o olhasse. Parecia anestesiado, seu olhar era calmo mas as maçãs de seu rosto ainda não haviam deixado a cor quente. Os lábios judiados pelas mordidas que ele mesmo dera, agora tinham uma pequena mancha de sangue pelo corte que ele tinha feito, provavelmente por culpa dos caninos pontudos. As orelhinhas no topo da cabeça ainda estavam abaixadas, se misturando com seus cabelos negros bagunçados e ele podia sentir em seu peito o ronronar que Jungkook transmitia, dizendo que ele estava apreciando aquele momento e isso o fazia feliz.

Taehyung juntou sua boca a de Jungkook novamente, sugando seus lábios com paixão, deslizando sua mão direita pelo lado do corpo dele, agarrando seu membro. Começou a masturbá-lo enquanto ainda estava parado, fazendo com que ele soltasse leves suspiros contra seus lábios. Seu pênis jorrava pré-gozo em abundância, demonstrando o quanto ele estava excitado e também ajudando Taehyung a bombear seu falo com mais facilidade, sendo que seus dedos logo foram totalmente melados pelo fluido viscoso.

Continuavam nesse ritmo, até que sentiu o deus mexendo seus quadris por conta própria. Seus gemidos já quase virando um choro agonizado.

“S-Se mexa.” Ele pediu. “Por favo-or.” E Taehyung não demorou mais nenhum segundo sequer.

Começou a se mexer dentro dele, sentindo seu interior quente e apertado, mordeu os próprios lábios fortemente para que não gritasse. Jungkook nem mesmo se dava o trabalho de se segurar mais e Taehyung só esperava que os vizinhos não viessem reclamar mais tarde.

Logo eles estavam em um ritmo acelerado. Jungkook descansava seu torso sobre o vidro, empinando seu quadril na direção das estocadas de Taehyung, nem mais se importando com quem os via do lado de fora. Já Taehyung aumentava mais e mais o som de sua voz junto ao moreno, a cada vez que ele enfiava seu falo dentro do outro, segurando com firmeza a cintura delicada.

O sentimento era ainda melhor do que ele esperava e o som das peles se chocando a cada penetrada deixava tudo ainda mais pornográfico, não deixando também de ser algo a mais a acrescentar prazer a eles dois no momento.

Viu as pernas de Jungkook começarem a tremer, indicando que ele já estava em seu limite e Taehyung não se encontrava diferente dele. Acelerou ainda mais seu ritmo, vendo que atingira a próstata de Jungkook com o gemido agudo que ele dera. Ele respirava pesado contra o vidro, fazendo com que seu hálito deixasse o lugar embaçado. Com a força das estocadas de Taehyung, a glande dele batia repetidamente no vidro frio, fazendo com que o deus choramingasse a cada toque.

“Ta-e. T-Taeh-yun-g.” gemia indicando estar próximo ao ápice.

“Venha pra mim, Jungkook.” respondeu colando seus corpos. “Eu também estou muito perto.”

Pegou o membro do moreno novamente, o bombeando ao mesmo tempo que o penetrava. Seus gemidos e as respirações pesadas se misturavam e eram claramente ouvidas pelo grande e espaçoso quarto. Mordeu o lóbulo da orelha de Jungkook apenas para desencadear de uma vez por todas seu orgasmo. Ele jogou a cabeça no ombro de Taehyung enquanto se desfazia sobre o vidro; o gozo escorria pela parede transparente. Ao senti-lo se contraindo seguidamente em seu membro, não pode suportar mais se segurar e acabou se desmanchando dentro de Jungkook, enquanto apertava seu quadril tão forte que seus dedos marcaram sua pele, deixando-a avermelhada. Não fazia isso por mal, pois apesar de tudo, Jungkook também não se aguentava sobre as próprias pernas, moles, e Taehyung o segurava pela cintura, ao mesmo tempo que ele se apoiava no vidro, observando o seu líquido escorrendo.

Tudo que restara foram suas respirações preenchendo o som do apartamento apenas ocupado por eles dois. Gotas de suor escorriam dos lados da face de Taehyung e Jungkook tinha alguns fios de sua franja colados à testa. O moreno virou-se, tirando o membro de dentro de si, fazendo com que o gozo se escorresse nas coxas brancas. Taehyung abocanhara seus lábios, em um selar mais calmo, apenas aproveitando o calor dos corpos levemente suados, junto do som das batidas dos corações acelerados se acalmando lentamente.

Pegou o garoto chacal no colo estilo noiva, fazendo com que ele passasse o braço pelo seu pescoço e assim, com que se olhassem. Não pronunciavam palavras; não precisavam; tudo que sentiam estava sendo passado para ambos por suas ligações, de mago e deus patrono. Durante todo momento que ele amava Jungkook, sentiu-se tão ligado com ele quanto nunca sentira antes, como se conhecesse seu coração de cor, seus sentimentos, suas fraquezas, suas dores e suas alegrias também. Assim como ele mesmo também sentiu como se fosse invadido por um sentimento quente de acolhimento, e ao observar os olhos escuros que encaravam os seus, apenas sabia que não precisava fazer nenhuma pergunta.

Os levou até o banheiro da suíte, sentando Jungkook dentro da grande banheira antes de ligar a torneira que a enchia e juntando-se a ele logo depois. Enquanto a banheira era preenchida pela água quentinha, Taehyung se sentou apoiando as costas em uma das extremidades e Jungkook se deitou de barriga para baixo sobre seu corpo, apoiando a cabeça em seu torso, abraçando sua cintura por baixo da água morna. Ele tinha os olhos fechados e parecia tranquilo, um leve sorriso era notável em seus lábios.

“Você está bem?” Taehyung perguntou com medo de que ele podia tê-lo machucado sem perceber, afinal, naquele momento tudo que controlava os dois eram seus hormônios.

“Hmm.” disse manhoso com o relaxamento que sentia assim que Taehyung começou a fazer carinho em sua cabeça. “Eu nunca estive tão bem em séculos.”

Com os dedos correndo entre os fios escuros, agora umedecido pelo vapor, Taehyung teve uma lembrança feliz. O primeiro dia que encontrara Jungkook. Ali, naquela mesma banheira, ele já tinha o banhado antes. Era engraçado, pois naquele ponto ele nem mesmo sabia que era um mago, nem o que sua vida se tornaria, também, não imaginava que o pequeno filhote na verdade era um deus egípcio e um muito bonito, muito menos que ele seria seu namorado! Sorriu para si mesmo lembrando-se da imagem do pequeno filhote que não via a muito tempo, agora, observando o que tinha dentro daquela hidromassagem, um garoto lindo e nu. Bem...talvez ele não saiu perdendo afinal.

“Que bom, estava com medo de ter te machucado.” soltou um suspiro de alívio pelo nariz, enquanto dava um beijo carinhoso na testa de Jungkook.

“Só...dói um pouco.” disse envergonhado; suas bochechas corando enquanto fazia uma careta de dor, ao mesmo tempo divertida, fazendo com que Taehyung soltasse um riso. “Você sabe...lá atrás, mas logo passa.”

“Me desculpe eu-”

“Não tem problema.” Jungkook o interrompeu. Com a cabeça encostada sobre seu peito, ele observava, sereno, as pequenas gotas de água escorrendo pelo ombro de pele acobreada de Taehyung, caindo lentamente, uma por uma. “Eu nunca estive tão feliz, de verdade, mesmo com tudo que a gente está enfrentando agora, o que ocorreu hoje foi a melhor coisa que podia ter acontecido. Obrigado por estar comigo, eu amo muito você.” completou fechando seus olhos, se concentrando nas batidas do coração do mago.

Entendia completamente o que ele dizia, pois Taehyung sentia o mesmo. E riu de como ele conseguia fazer um momento constrangedor virar algo fofo, mas também sério e significativo. Só conseguiu responder o mesmo para ele, um “eu também te amo” saiu de seus lábios com um tom tão verdadeiro quanto a primeira vez. E assim eles acabaram aquele dia, se banhando e logo depois indo dormir na cama ainda bagunçada pela noite de amor.

•••       

A vantagem de ter um apartamento à cinquenta andares do chão, era que nas manhãs o barulho dos pássaros não era tão alto quanto os de quem moravam mais em baixo. No entanto, a desvantagem era que, logo bem cedo, quando o sol raiava, ele apontava sobre os prédios no horizonte, fazendo com que um feixe de luz brilhante batesse sobre os olhos de Taehyung, o acordando.

Se espreguiçou, um pouco estressado por ter acordado tão cedo, afinal, ainda estava cansado da noite agitada que tivera e tinha ido dormir tarde. Porém, quando observou o peso que sentia sobre seu braço, encontrando ali Jungkook, dormindo tranquilamente, com os cabelos bagunçados, a boca um pouco aberta — destacando seu lábio inferior mais tortinho — e as mãos fechadas em punhos jogadas sobre seu torso, o deixando completamente adorável, o stress se esvaíra completamente.

Soltou um leve riso pelo nariz, fazendo com que a franja escura se mexesse e Jungkook despertasse com o balançar de seu peito. Ele o lançou um olhar um pouco confuso antes de despertar completamente, “ele deve ter sono pesado” pensou Taehyung. Tinha os olhos semicerrados, e o nariz um pouco inchado, o deixando ainda mais fofo.

“Vamos, acorde bela adormecida.” Taehyung chamou.

“Hã?” Jungkook coçou os olhos, sentando-se sobre as próprias pernas em cima da cama. Tão adorável. “Quem é bela adormecida?”

“Deixa pra lá.” riu novamente. “Dormiu bem?”

“Como um shabti!” Jungkook exclamou e Taehyung franziu as sobrancelhas igualmente curioso.

“O quê?!” perguntou.

“Deixa pra lá.” Jungkook retrucou, rindo logo depois e deixando Taehyung com uma cara debochada que dizia “então o deus da morte sabe fazer piadas?”. “Estou brincando. Shabti, é uma estatueta funerária egípcia. E o que é uma bela adormecida?”

“Bem, seu engraçadinho, bela adormecida é uma princesa dos contos de fadas que acaba entrando em sono profundo depois de furar o dedo.” Taehyung respondeu vendo ele tombar a cabeça para o lado, também estranhando a informação.

“Furar o dedo? Isso é estranho.”

“É, eu também acho.”

Se olharam sérios por alguns segundos, logo depois caindo na gargalhada juntos. Taehyung achava que esses eram os melhores momentos que eles podiam ter entre si, quando descobriam mais de cada um.

“Bem.” Jungkook finalmente disse, parando de rir alto, mas ainda com um sorriso, sempre lindo, em seu rosto. Jogou-se sobre a cama de barriga para cima e Taehyung gostou do que vira. Seu belo corpo que agora só era tampado pela sua roupa íntima. “Vamos nos arrumar, talvez Sejin apareça e estamos pelados.”

“Tem razão, vamos levantar e ir tomar café naquele lugar aqui perto do prédio?” Taehyung questionou Jungkook, que fez uma careta duvidosa, mordendo os próprios lábios.

“Eu não sei...Sejin disse para nos escondermos. E provavelmente Hoseok já está tramando algo por aí para nos encontrar.”

“Tudo bem então.” respondeu tranquilamente, até que percebera o que tinha acabado de ouvir do moreno, que já levantava da cama.

Ele por acaso tinha dito, Hoseok?


Notas Finais


Hoje é um dia especial para a humanidade! ~mentira
Mas é muito para mim, sério, neste momento que estou postando a fanfic estou nervousa kskksks

Esse foi o meu primeiro lemon, então me dêem um desconto, tá? >.< Mas espero que tenham gostado, eu me esforcei bastante pra fazer esse capítulo. E também tive ajuda da Milly (@gukkiev), amorzinho meu, muito obrigado eu te amo mto ❤️

Me digam pelo amor dos deuses o que acharam lskskksk <333 QUERO MUITOS COMENTÁRIOS POR FAVOR

Se quiserem falar comigo: https://twitter.com/vkoxk

Meu curiouscat: http://curiouscat.me/vgguk

Até mais! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...