História Laço Vital - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Konan, Madara Uchiha, Matsuri, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Pain, Personagens Originais, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shion, Tayuya, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Amor, Bebê, Casamento, Disputa, Drama, Gaaino, Gravidez, Inveja, Itahina, Itakonan, Madahina, Naruhina, Saiino, Sasuhina, Sasusaku
Exibições 195
Palavras 2.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiie meus amorecos U.u
Estão bem? Espero que sim!
Bom vamos ao capítulo, será a continuação da história os primeiros capítulos que postei, mas com edição.

Capítulo 7 - Capítulo 6


“Eu estava destruída tanto fisicamente como mentalmente"...

Hinata:

Dias atuais....

      A claridade fez com que eu abrisse meus olhos lentamente fazendo com que eles se acostumassem. Me lembrei do pesadelo horrível que tive, mas a realidade me atingiu como uma flecha quando senti o gelado do chão, e me vi num beco sozinha e jogada feito lixo. Me sentei com dificuldade meu corpo doía, mas a minha dor interior era ainda pior. As lágrimas descontroladas caiam pelos meus olhos me cegando, meu choro era tão forte e desesperador que eu já estava soluçando.

    Quando consegui me acalmar olhei ao meu redor e vi meu vestido jogado em um canto. Na verdade o que restou dele, ao seu lado estava minha calcinha em trapos e minha bolsa intacta.

    A rua estava pouco movimenta por ser muito cedo além do céu estar meio fechado. Me levantei com muita dificuldade e vesti o resto do meu vestido, tentando inutilmente cobrir o meu corpo. As lágrimas teimavam em cair, me sentia com raiva e confusa um turbilhão de sentimentos passavam no meu peito. A vergonha de ser vista por alguém me fazia recusar a possibilidade de pedir ajuda de alguém na rua ou de ligar para alguém. Mais o que eu podia fazer nessa situação? Fica nesse beco até alguém me encontrar?

    Suspiro tomando coragem e saindo meio insegura, caminhei apressadamente pela calçada com poucas pessoas caminhando por ela, sentia olhares curiosos sobre mim, mas ignoro assim que a visto uma cabine de telefone público.
O primeiro número que me veio a cabeça foi o de Ino.

— Alô.
Disse uma Ino com a voz sonolenta do outro lado da linha.

— Ino.
Falei tentando segurar o choro.

— Hinata? Está tudo bem?
Podia sentir a preocupação em sua voz.

— Não Ino. Poderia vir me buscar?
Perguntei desabando em choro.

— Claro Hina, mas onde você está? 

— Estou numa rua próxima a casa do Kiba.

— Tudo bem Hinata. Se acalme já estou indo.
Disse Ino desligando.

      Sentei na calçada sem forças para sustentar meu corpo, os flash de memória vinha a cada segundo, tudo que eles me fizeram estava registrado em minha cabeça me assombrando cada vez que eu fechava os olhos...

     Novamente estava chorando agora abraçada aos meus joelhos, só percebi a presença de Ino quando a loira se pronunciou.

— Hina o que houve com você? Perguntou assustada, olhei para ela e a mesma me encarava preocupada.

— Eu fui violentada Ino.
Falei chorando feito criança, Ino parecia sem palavras suas íris azuis me encaravam arregalados e cheios de água.

— Eu sinto muito Hina, se eu tivesse vindo com você a essa festa nada disso teria acontecido. Diz enquanto tirava sua blusa de moletom e colocava sobre os meus ombros. Senti seus braços me envolverem em um abraço apertado e podia ouvir seu choro baixinho.
 
  Ino me ajudou a levantar e me levou em direção ao carro, onde abriu porta pra mim entrar, e foi para o banco do motorista.

— Te levo para minha ou para sua casa?
Perguntou me olhando.

— Para a sua Ino por favor. Não quero ver meu pai.
Falei e a mesma sabia o que eu queria dizer com aquilo.

— Hinata me conte como tudo aconteceu.
Disse Ino prestando atenção na estrada.

— Não quero fala sobre isso agora Ino. Falei e a mesma ficou quieta pensando em algo. Não queria dizer pois sentia tanta vergonha do que me fizeram não sabia se teria coragem de falar até mesmo para o meu pai.

— Só uma pergunta Hinata. Diz Ino e eu fico intrigada. — Onde o Naruto estava?
Perguntou.

— Eu não sei Ino, como sempre ele sumiu com os amigos e me deixo lá sentada sozinha, mais dessa vez nem ao menos apareceu para me levar embora.
Respondi e minha vontade de chora retorno novamente. Naruto que devia estar ao meu lado e me protegendo estava bêbado por ai.

     Quando finalmente chegamos na casa de Ino, fomos direto para seu quarto a mesma me deu roupas limpas e uma toalha para que eu tomasse um banho enquanto ia fala com seus pais.

     Fui para o banheiro e retirei aqueles trapos que havia se tornando o meu vestido ao me olhar no espelho meu choro começou novamente, meu corpo estava todo marcado, com roxos e mordidas.

     Liguei o chuveiro e fui pra de baixo da água a deixando cair pelo meu corpo por um tempo, até pegar a bucha e começar a esfregar com força meu corpo era como se eu estivesse suja de uma formar sobrenatural.

    Quando terminei o banho me vesti e sai do banheiro no quarto de Ino estava a mãe dela me esperando.

— Ino me contou que te violentaram Hinata. Disse me olhando e seu olhar transmitia pena. — Se quiser podemos ir a delegacia agora dar queixa.
Diz ainda me encarando.

— Eu não quero dar queixa.
Falei abaixando a cabeça.

— Porque querida? Tem medo deles voltarem e te fizerem algo pior? Perguntou se aproximando de mim.

— Não. É porque eu tenho tanta vergonha do que me fizeram que não quero que ninguém saiba.
Falei chorando e Kirochi me abraçou alisando meus cabelos.

— Não precisa ter vergonha minha querida. Você não fez nada. A culpa não foi sua Hinata.
Diz me abraçando com força.

— Eu sei, mas eu não quero.
Falei chorando em seus braços.

     Naquela noite tive um pesadelo horrível, acordei com Ino me abraçando e me olhando assustada enquanto me abraçava dizia: “vai ficar tudo bem, eu estou aqui com você”.

     Não consegui mais dormi, sempre que fechava meus olhos, me vinha os flash de memória, o estupro, a humilhação, a violência física. Ainda teria que voltar pra casa e dar uma boa desculpa para o meu pai.

— Hinata está acordada?
Perguntou Ino sonolenta.

— Sim. Respondi me sentando na cama.

— Vamos descer pra tomar café.
Diz se levantando e indo até o banheiro.

— Não estou com fome Ino.
Falei voltando a me deitar.

— Hinata você não comeu nada desde ontem.
Disse retornando ao quarto e me encarando.

— Me deixa Ino por favor. Falei chorosa.

— Não Hinata você vai fica doente se não se alimentar.
Disse me olhando preocupada.

— Não quero sair daqui.
Falei virando as costas pra ela e me cobrindo.

— Olha Hinata, eu sei que deve ser difícil mais você tem que ser forte.
Diz puxando a coberta.

— Eu não sei como Ino. Eu não sei. Falei chorando e a mesma me abraçou.

— Eu estou aqui com você. Irei te ajuda mais por favor venha comer alguma coisa.
Diz alisando meus cabelos.

    Ino sempre ficava do meu lado e agora não foi diferente, não era atoa que a considerava uma irmã.
Acabei comendo depois de tanto Ino ficar insistindo, e voltei para seu quarto só queria ir me deitar e tentar dormi, mais parecia algo difícil toda vez que fechava os olhos me vinha os flash de memória. Não era só aquilo que não me deixava dormi, mais também o fato do meu namorado Naruto não ter ligado para Ino para pergunta sobre mim. Será que ele não percebeu que eu sumi? Ou prefere ignorar e fica com seus amigos?
Ainda tinha meu pai, ele deveria estar furioso por mim não ter dormido em casa e pra piorar nem ao menos ligar para dizer que estou bem. Mais isso não era nenhum problema ele nunca se importou comigo, porque agora séria diferente?
 
     Teria que arrumar uma boa desculpa ou ficaria de castigo! Virei na cama puxando ainda mais o cobertor e fechando meus olhos na tentativa de dormi.

— Hinata?
Chamou Ino, não movi um músculo queria que ela achasse que eu estava dormindo. Não queria conversa sobre o "aquilo" com Ino.

— Hinata sei que está acordada. Não irei pergunta nada sobre o que houve, apenas quero que se levante dessa cama.
Diz se sentando na cama.

— Ino estou cansada quero dormir um pouco.
Falei sem olha-lá.

— Hinata vamos dar uma volta o tempo está bem agradável, não quero você passando o dia todo aqui sozinha.
Diz e pude ver a preocupação em sua voz.

— Ino não estou afim de sair.
Falei e a mesma suspirou ainda me encarando, sei que ela estava preocupada e querendo o meu bem, mas eu não me sinto em condições de sair hoje.

— Tudo bem Hinata. Diz se levantando da cama. — Qualquer coisa que precisar estarei na cozinha ajudando minha mãe.
Completou indo até a porta.

    Me virei novamente tentando dormir, mas me lembrei que amanhã teria que ir pra escola e mesmo se eu quisesse faltar Ino não deixaria.
Passei a tarde toda no quarto de Ino e não consegui dormir, minhas olheiras eram bem evidentes, então a Kirochi resolveu me dar um calmante para que eu dormisse um pouco.

    Acordei assustada havia tido um pesadelo ainda pior, olhei para o lado da cama e Ino dormia tranquilamente seus longos cabelos loiros estavam espalhados pelo travesseiro. Voltei meu olhar para o relógio em cima da pequena cômoda ao lado da cama e marcava cinco da manhã pelo visto o calmante havia tido efeito. Resolvi me levantar e ir tomar um banho, querendo ou não teria que ir para a escola.

    Entrei no banho e me despi, olhando meu reflexo no espelho me vi chorando novamente. Como iria contar isso para o Naruto? Como ele reagiria? Ele podia não ser o melhor namorado do mundo, mais sempre me apoiava e ficava do meu lado. Desde o 1° ano eu era apaixonada por ele, mas ele nunca me deu bola, até o começo desse ano ele finalmente me perceber, logo passamos a ser amigos e quando ele me pediu em namoro me senti a garota mais feliz do mundo.

— Hina? Está tudo bem?
Perguntou Ino do lado de fora do banheiro.

— Está sim Ino, já vou sair. Respondi, nem percebi que havia passado quase 40 minutos no banho, minha cabeça estava cheia.

      Logo que sai Ino entrou no banheiro e tomou um banho de 30 minutos, nos arrumamos e descemos para tomar café, Ino me obrigou a comer mesmo sem fome.

— Está tudo bem?
Perguntou Ino assim que saímos de sua casa.

— Está sim.
Falei distraída.

— Parece que algo te incomoda.
Diz me encarando.

— Não sei como contar ao Naruto e muito menos sei como ele irá reagir. Falei desabafando.

— Fique tranquila, tudo irá acabar bem.
Diz me confortando, e era o que eu queria.

    Finalmente chegamos na escola e fui a procura de Naruto enquanto Ino ia para sala, procurei e procurei até finalmente ver uma cabeleira loira e olhos azuis que eu conhecia muito bem. Naruto estava numa rodinha com outros garotos que eu conhecia bem.

— Naruto. Chamei meio insegura, e alguns garotos da rodinha me olharam estranho, até mesmo Naruto me olhava de um jeito estranho. — Posso falar com você? A sós? Completei e o mesmo fez um positivo com a cabeça e saiu me seguindo para um lado mais afastado do pátio.

— Estava mesmo precisando falar com você Hinata.
Disse ele me encarando.

— Tudo bem, diga primeiro.
Falei ansiosa pelo que ele poderia dizer.

— Quero termina.
Disse desviando seu olhar.

— Como?
Perguntei surpresa e sem acreditar no que ouvir.

— Isso que você ouviu Hinata. Eu não sinto mais nada por você.
Disse ainda sem me encarar.

— Como não me ama mais? Fiz algo de errado? Se fiz me diga como reparar isso.
Falei com a voz embargada pelas lágrimas, meu coração estava ficando em pedaços.

— Hinata você não fez nada, o problema sou eu.
Disse me olhando no fundo dos olhos.

     Meu mundo estava desabando em frente aos meus olhos, sai dali correndo, não queria falar com ninguém, não queria ver ninguém, queria apenas ficar sozinha.

Ino:

     Estava  preocupada com Hinata, ela não veio para a sala ainda, logo a aula começou e nada dela, a cada aula eu ficava ainda mais preocupada.

     Naruto estava na sala e me ignorava, nunca gostei dele mesmo, mais será que ele fez algo com Hinata? Porque ela não entro ainda na sala?

      Quando o intervalo chegou, sai a procura de Hinata pela escola inteira até encontra-lá, nos fundo da escola, ela estava encolhida, abraçada aos joelhos, chorando.

— Hina o que  houve?
Perguntei  indo até ela e a abraçando.

— Ele terminou comigo Ino.
Disse chorando desesperadamente.

— Porque? Você contou pra ele? Perguntei sem entender.

— Não tive tempo de contar, ele não me ama mais. Ele não me ama Ino. Disse chorando ainda mais.

— Calma Hina, eu estou aqui! Vai ficar tudo bem.
Falei a abraçando mais forte, eu sabia que o Naruto era um idiota. Mais nunca me meti no namoro deles, pois Hinata o amava demais e não queria mágoa ela.


Notas Finais


Não garanto que postarei outro ainda essa semana, mas talvez no final de semana eu atualize!
Até o próximo *-*
Beijinhos :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...