História Laços - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Tags Ação, Ash, Chariard, Comedia, Drama, Ecchi, Mega Shinka, Pokémon, Red, Serena
Exibições 32
Palavras 6.986
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shounen, Super Power, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


yooooooooooooooooo, Sei que querem me esganar, mas to de volta, espero que ao ler este cap me perdóem, coloquei todo meu kokoro nele, aqui começa o vamo ver de verdade então fiquem ligados, e para aqueles que são bons em charadas, guardem os canticos... (p.s, capa temporária)

Capítulo 10 - Akai Hana


Fanfic / Fanfiction Laços - Capítulo 10 - Akai Hana

 

capitulo 9

Pov One on 

 
 

Sabe aquela sensação que temos quando algo importante esta prestes a acontecer? Aquela adrenalina insana que te obriga a manter-se em movimento com uma baita vontade de gritar ao mundo quem é você? Bem é assim que eu estava, não sabia porque, até então o que estava por vir era uma batalha de ginásio como qualquer outra, certo que eu só havia tido uma até hoje, mas ainda sim, eu queria saber o porque, porque daquela adrenalina, o porque de meu sangue palpitar tanto em minhas veias, eu já havia esquecido da companhia de meus amigos a minha volta, eu parecia emanar uma aura realmente forte porque eles mantinham uma distância respeitável, até Dawn não falou comigo durante o trajeto, Ash já não estava brincando tanto e apenas coçava o queixo de pikachu enquanto andava, Serena conversava baixinho com Korina enquanto clemont vinha atrás com Bonnie, eu ouvia o bater de asas de um bando de pidgeys e alguns spearows a cima de nos, para mim eles estavam voando baixo porque eu ouvia os sons tão nitidamente, porém quando eu resolvi dar uma olhava vi que eles deveriam estar a no mínimo mil pês de altura, resolvi deixar isso de lado e voltar a me concentrar na batalha que estava por vir, o ginásio que por um acasa era um parque aquático razoavelmente grande logo ficou a vista e isso despertou Ash de seu silêncio que começou a falar da primeira vez que havia ido ao lugar, lembrou de sua batalha e de como a misty era chata. 

 
 

O hall de entrada era impressionantemente grande, muitas pessoas circulavam de um lado e pro outro falando entre si e apontando pros diversos tanques de água que continham corais coloridos e diversos pokemons como wallmers, golducks, goldens, seakings, feebas, e até mesmo um belo e majestoso miloct, isso até mesmo me tirou de meu devaneio e fez meu queixo cair em um sonoro “uaaaaaau” bem não precisei ficar envergonhado porque todos os meus amigos tiveram a mesma reação, Clemont havia tirado uma máquina digital de sua bolsa e já começava a fotografar todo o local, nós caminhávamos lentamente em meio a multidão tentando achar a entrada exata do ginásio em meio aquele lugar gigantesco, por fim tivemos que parar e pedir informação para uma funcionaria que estava vestida com roupa de luau, não aparentava ser mais velha que a gente no maximo 17 anos, com um belo sorrio, pele bronzeada e seios fartos, vai ver foi por isso que senti o rosto ficar vermelho enquanto falava e antes mesmo de terminar a primeira fala Dawn me deu um cascudo com um indignado “hunf” me jogou para trás e tomou a dianteira. 

 
 

-Desculpe o incomodo moça, o que meu namorado e todos nós queremos saber é onde fica a entrada para o ginásio, como o lugar é muito grande acabamos nos perdendo. 

 
 

-aah sim, o ginásio, bem vocês tem hora marcada? 

 
 

-temos sim, misty-chan nos convidou neste horário. 

 
 

-sendo assim sigam-me por favor. 

 
 

Depois que ela se virou tive a leve impressão de ouvir um risinho, enquanto isso Dawn havia ido para o lado de Serena se recusando a falar comigo, enquanto olhava os próprios seios e falava com a amiga, eu sinceramente ainda não havia entendido o que estava acontecendo e fui falar com Ash que olhava as exibições enquanto caminhava. 

 
 

-Ei Ash, você entendeu algo do que aconteceu a li? 

 
 

-Sério que você não? 

 
 

-é… sério. 

 
 

-Cara de que mundo você veio? Você deveria tomar cuidado antes de ficar babando pelos seios de outra garota… principalmente no segundo dia de namoro. 

 
 

-heeeeeeeeeeeeeeeen? Mas eu não tinha a intenção de olhar, vo..você viu, quando ela virou, aquelas coisas simplesmente se jogaram na minha frente, eu queria desviar os olhos. 

 
 

-hum hu sei, se você diz. 

 
 

Ao fim desta conversa nada constrangedora nos já havíamos chegado a boca de um túnel que ficava a baixo de um grande tanque de água, esse realmente grande, com diversas espécies de pokemons diferentes corais e coisas a mais que não tive tempo de olhar porque a moça meio que nos convidou meio que nos empurrou para dentro do túnel, não que ali fosse menos impressionante, porque nos estávamos caminhando de baixo de toneladas e mais toneladas de litros de água, era uma coisa impressionante, os pokemons nadavam de um lado para o outro com uma variação de cores magistrais e incríveis de se ver, eu estava achando aquilo simplesmente incrível, mas sem prévio aviso o túnel acabou desembocando num salão amplo com uma piscina em seu centro, algumas plataformas boavam em sua superfície enquanto alguns pokemons saltavam de um lado para fora da água e logo voltavam a sumir no azul da água, eu não havia percebido mas meus amigos já não estavam comigo e se encontravam numa arquibancadas de onde as pessoas normalmente veem as apresentações ou no caso as batalhas de ginásio, era algo realmente legal de se ver, continuei caminhando até me ver na plataforma do treinador olhando de um lado para o outro analisando o campo de batalha, um campo aquático seria algo realmente difícil de se encarar, certo que eu tinha pidgeotto porém não sabia se isso seria o suficiente para dissipar as águas em que se consistia a força de misty, eu queria muito colocar charmeleon nesta batalha mesmo sendo algo extremamente arriscado, já havia visto charmander na água, e isso quase o matou, bem, fui tirado dos meus devaneios sobre a luta quando do nada água espirrou em meu rosto, depois de me sacudir para espalhar a agua umas risadinhas vindas da água me chamam a atenção e quando olho dou de cara com uma garota, ela estava rindo com as mão sobre a boca e seus cabelos em tom violeta caindo levemente sobre o rosto. 

 
 

-Ola, hihi, então você é o One-kun que vai batalhar contra minha irmã? 

 
 

-ah aah hai, acho que sim… 

 
 

-que gracinha, realmente a misty não mentiu. 

 
 

-mentiu sobre o que? 

 
 

-que você é lindinho, bem, meu nome é Violet, te vejo depois da sua batalha One-kun. 

 
 

E assim ela se despediu com um beijo soprado e um mortal de volta para a água que me deixou completamente encharcado, mas isso nem me incomodou, o que me incomodou é, desde quando as garoptas me acham bonitinho? Só não fiquei ali parado pensando nisso porque os protestos de charmeleon me chamaram a atenção, o coitado estava ensopado, mas logo a água e seu corpo estava evaporando e subindo em fiapos, quando voltei a olhar para frente na outra extremidade da piscina, o local do treinador antes vazio agora estava ocupado por uma ruiva que eu conhecia bem, sem perceber um leve sorriso se formou em meu lábio e eu a cumprimentei com um casual. 

 
 

-yooo 

 
 

-yoo One-kun, desculpe o atraso, mas depois dessa batalha tenho uma apresentação então tinha que já ficar caracterizada para. 

 
 

-sem problemas. 

 
 

De fato não tinha problema, até porque misty estava linda com o tope com “escamas” multicoloridas e a saia longa que aparentava ser uma calda de sereia com as mesmas escamas, seus cabelos continuavam ruivos só que agora lhe caiam em belas cascatas sobre os ombros, bem… nada que me desconcentre na batalha. 

 
 

-Então está pronto? Esperei ansiosa por esta batalha então não me decepcione, nem você charmeleon. 

 
 

-pode deixar, pois já deixo avisado que não temos a mínima intenção de perder, nesse momento… estamos com uma baita fome de vitória. 

 
 

-hahaha eu pensei que você fosse uma cópia exata do Ash, mas me enganei, tai uma frase que ele não diria, então me surpreenda. 

 
 

E assim com um sorriso no rosto eu lancei minha poke-bola, e como sempre pidgeotto cortou as águas em um rasante molhando ate meus amigos que observavam o embate, em uma segunda volta e ele para batendo as asas ao meu lado, misty não fica para trás e faz seu movimento, só que ela não joga uma poke-bola, ela apenas joga o braço direito para cima com o dedo apontando e fala algo que para mim estava inaudível, sem prévio aviso uma torrente de agua explodiu e em seu lugar um grande milotic emergiu graciosamente, o pokemon aquático por um momento pareceu reluzir com a luminosidade do ambiente, misty pareceu esperar eu fazer meu movimento e eu não tinha intensão de faze-la esperar. 

 
 

-oot wing atack. 

 
 

Por um momento vi surpresa nos olhos de misty e logo após uma pontada de decepção, ao me olhar era como se falasse "só isso? que decepção" não sei porque isso me deixou nervoso e a vontade de vencer cresceu, quase que com pena ela ordena. 

 
 

-milotic protect e depois dragon tail 

 
 

De relance nas arquibancadas pude ouvir meus amigos sussurrarem que aquilo era um "ataque suicida" em uma fração de segundos tudo ocorreu, vi Dawn e Ash apenas observando com expressões confiantes, Ash de braços cruzados como se falasse, "esse é o cara que me deu trabalho, se acalmem" nao sei se isso me irritou ou impulsionou, só sei que me vi sorrindo e antes de oot se chocar com milotic. 

 
 

-oot, como simulamos, agora. 

 
 

E assim que ouviu minha voz oot nao diminuiu a velocidade, pelo contrario ele a dobrou e antes de bater com o escudo de milotic ele subiu, rápido como um raio girou no ar e adentrou a agua, todos estavam tão atônitos que só se deram conta do que iria acontecer quando oot emergiu em baixo de milotic e o atingiu a toda, sem reação o pokemon serpente voou para cima enquanto o meu rodeava 

 
 

o campo, e atingindo uma velocidade quase surreal ele atinge milotic várias vezes consecutivas e assim que termina plana para a barra de segurança na minha frente enquanto milotic cai desacordado na água. 

 
 

-ei... misty-chan poderia não nos olhar novamente daquela forma novamente? 

 
 

-e.eu, acho que devo me desculpar, eu realmente não esperava isso. era um movimento tão iniciante... bem, gomen, isso não se repetirá. 

 
 

-...oot, voe 

 
 

E assim ele fez, se ergueu ao alto em todo seu esplendor, meu amigo estava pronto, Misty agora com um olhar diferente, centrado, sério, convicto, o olhar que eu desejava ver desde o inicio, sacou sua poke-bola e a jogou. 

 
 

-dewgong venha em meu amparo (N/A sacou? amparo, amparus huehuehuehue) 

 
 

Oot começou a rondar o campo de batalha analisando o oponente, porem desta vez a iniciativa de batalha foi de misty que ordenou. 

 
 

-Dewgong, ice bean nas placas... 

 
 

"Placas? que placas?" Bem quando notei era tarde, em cima, dos lados, a mostra e escondidas, placas refletoras, Dewgong as atingiu com seu ice bean fazendo ele ricochetear de uma para outra, fazendo os ataques ricochetearem por todo o lugar. 

 
 

-Oot desvie agora, atrás!!! 

 
 

"certo, certo, um, desviamos de boa, dois, mole, três, sem problemas, mas 15 raios simultâneos? dá um tempo" Oot fazia um bom trabalho nos desvios, mas seu cansaço já estava ficando evidente junto de das pontas de suas asas congeladas, não tínhamos tempo, não agora. 

 
 

-OOOOOOOOOT!!!! esta comigo? 

 
 

Eu não ouvi nada, porem por um momento nossos olhos se cruzaram e eu pude entender, nós iriamos com tudo até o final. 

 
 

-Vai !!!! de tudo de si. 

 
 

-kyyyaaaaaaaaa 

 
 

Em seu ultimo grito de guerra meu amigo dobra sua velocidade e no meio de seu vou chamas azuis bruxuleiam envolvendo o seu corpo, todos ficaram sem reação, afinal ele foi para cima 1, 2, 3, 4 perdi a conta ali, os ice beans o atingiam mas mesmo assim ele seguia até que no segundo seguinte estava cara a cara com seu alvo, no segundo seguinte, o vapor se ergueu cegando a todos, mesmo assim eu sabia, meu amigo estava fora de combate, aos poucos a poeira ia abaixando e por fim revelou, tanto oot quanto dewgong estavam fora de combate. 

 
 

-m.mas como? Que tipo de ataque era aquele? 

 
 

-dois pokemons, um atrás do outro? 

 
 

Meus amigos pareciam atônitos nas arquibancadas menos Ash que se limitou dizer. 

 
 

-brave bird, é um ataque de kalos, por isso não conhece misty, mas agora One, estou curioso, como seu pidgeote aprendeu um ataque tão poderoso sem nem estar em seu estágio final? 

 
 

-Ash, essa é a nossa convicção, apenas isso... 

 
 

Sem esperar uma resposta, pulei a amurada e fui atrás do meu amigo enquanto misty colocava seu dewgong na poke-bola, com algumas braçadas rápidas cheguei a oot e o amparei em meus braços. 

 
 

-ei amigão... você foi o melhor, estou orgulhoso. 

 
 

Após voltar ao meu lugar, deixei oot descansando ao meu lado e olhei para charmeleon. 

 
 

-pronto parceiro? 

 
 

-char charmeleon char!! 

 
 

Em dois pulos charmeleon para na plataforma central. 

 
 

-Desculpe a demora misty, estamos prontos... 

 
 

-Isso é bom, gyara... deixo o resto contigo. 

 
 

Apos jogar a poke-bola para o auto, dela cai um gyarados enorme que encara charmeleon com uma voracidade monstruosa "que beleza, natureza intimidate" Os dois pokemons se analisaram por um longo tempo, então eu vi a brecha, gyara desviou os olhos por um segundo, mas estava ali, sem esperar comando chariz avançou, mais rápido do que o tamanho de gyara o permitia reagir ele chegou, pulando sobre as águas e ficando de frente a lateral do enorme corpo azul da serpente, seu ponto cego, "dragon claw" 

 
 

esse é o ataque que eu imaginei que seria mais efetivo e como se lesse minha mente as garras de chariz brilharam, foram 5 golpes antes do pokemon se virar. 

 
 

-gyara, o afaste com dragon tail. 

 
 

-defenda com Dragon claw e aumente as chamas da sua calda. 

 
 

"Exploda chariz" a calda de Gyara veio como a marreta verde mais pesada do mundo arremessando meu amigo de encontro a parede, porem ele fez o que eu pedi, absorveu parte do impacto com suas garras e antes de bater na parede a impulsão das chamas de sua calda diminuíram o dano causado pela rocha durante o impacto. 

 
 

-Ei quando você deu o comando para ele? eu só o vi quando já estava em cima de gyara. 

 
 

-irritante, não é misty? esses dois, o elo deles, não precisão de comandos, é como se dividissem uma só mente. 

 
 

-eeeeh? isso, nao pode ser sério. 

 
 

Eu arfava, não sei porque meu peito doia, chariz se erguia das rochas ofegante e com a pata agarrando o peito assim como eu estava fazendo, mas por mais que doesse, eu não podia parar de sorrir, precisávamos de mais. 

 
 

-Chaaaaaarizzzzz!!!! 

 
 

-CHAAAAARMEEEEEEEELEEEEEEEEONN!!!!!! 

 
 

E explodiu, o solo, ou se despedaçou ou derreteu, a água próxima evaporou enquanto o Blaze de chariz reagia a nossas emoções "destrua, use uma marreta com dragon claw" E ele fez, correndo sobre a água ele escalou pelas costas de gyara e com um giro no final, suas patas se iluminaram de um verde intenso e um vermelho incendiário, desceu impiedosamente sobre crânio do grande pokemon o jogando direto no concreto, sim concreto, a pressão do golpe foi tamanha que fez a agua recuar encharcando a todos e por um momento deixando o fundo da piscina a mostra, depois de acertar o golpe chariz pulou para a plataforma mais próxima que ondulava junto da água, ele ofegava e estava curvado, caiu de joelhos, a esse ponto meu coração parecia que ia explodir e eu estava com uma dor monstruosa nos braços. 

 
 

-isso foi incrível One-kun, mas não posso me permitir perder assim.... VENHA GYARA, OUÇA MEU CORAÇAO. 

 
 

Levantando o braço para cima pude ver, a pulseira adornada de conchas de misty possuía uma pedra brilhante que brilhava cada vez mais. 

 
 

-e.ei, perai ai misty, este é o segundo ginásio dele, usar uma coisa dessas não deveria ser contra as regras? 

 
 

-Ash, não interfira. 

 
 

As águas se tornaram turvas e de lá Gyara saiu, só que sua forma estava mudada, duas vezes maior, mais inchado e com barbatanas saindo dos dois lados das costas. 

 
 

-mas que diabos... hahahaha incrível. 

 
 

-grrrrrrrrrrrrrrrraaaaaar 

 
 

Chariz se pós de pé, e assim como eu, mesmo com aquela pontada de medo, não podemos deixar de sorrir, ele olhou para trás, bem nos meus olhos, a dor no coração se tornou mais intensa, intensamente agradável e silenciosamente eu disse "vá". 

 
 

-Gyara hiper beam 

 
 

"Divida com DRAGON CLAW" e assim ele fez, o ataque nos arrastou um pouco mas o dividimos em dois, os braços de chariz estavam queimados assim como os meus, nos sorriamos, nos atacávamos, o tempo pareceu parar de andar porem, não podíamos manter esse ritmo para sempre, os nossos ataques quase não causavam dano e nossa velocidade já se deteriorava, por fim estávamos de volta ao ponto de inicio, nos encarando, chariz ofegava mas no fim sabíamos o que fazer, se for para cair, que seja lutando, gyara preparou seu hydro canon, chariz inspirou e soltou o ar, o golpe vinha se aproximando, mas não era a hora, mais perto, mais perto, "flamethower !!!" as chamas saltaram de suas presas porem não seguiram para frente e sim envolveram seu corpo, em um impulso de seus poderosos músculos tensionados a plataforma se despedaçou e a água recuou, chariz começou a transpassar as águas do hidro canon de gyara, rapidamente se aproximando, por fim estava frente a frente e segundos antes do ataque atingir veio a explosão, cobri o rosto e prendi os pés na plataforma para não ser arrastado, com o canto dos olhos vi chariz ser arremessado em minha direção, em um movimento instintivo abri os braços e o recebi sendo arremessado para trás, o impacto fez com que eu fica-se desnorteado por alguns momentos, quando minha visão voltou a foco a fumaça já havia ido, chariz estava desacordado e gyara estava em pé com uma grande e 

 
 

vermelha queimadura no lado esquerdo do rosto, coloquei chariz recostado do lado agradecendo-o por aquele embate incrível e me levantei voltando ao meu lugar para encarar meus oponentes. 

 
 

-parece que ganhei, mas estou impressionada, seu charmeleon foi muito bem treinado, conseguir queimar a pele de gyara... bem mais ac... 

 
 

-não!!! ainda podemos lutar, venha, deixo o resto com você. 

 
 

Sem olhar para a cara de surpresa de todos que acharam que para mim havia acabado, peguei a poke-bola que Ash havia me dado e a arremessei com todas as minhas esperanças, ela se abriu no meio do ar e dela veio com um baque surdo na agua uma bela lapras que aos poucos erguia a cabeça enquanto abria os olhos lentamente. 

 
 

-pruuiiiiiiirrr 

 
 

-bem vinda a familia... lapri 

 
 

-Uma lapras? Desde quando você tem uma lapras? 

 
 

-aaanh, bem, desde hoje de manha. 

 
 

-pretende vencer a mim ea gyara com um pokemon sem experiência e recém adquirido ? 

 
 

-Sim, a única coisa que precisamos agora é convicção. 

 
 

-Gyara, hiper raio!! 

 
 

-Lapri, blizzard. 

 
 

E com um estridente grito da minha nova amiga a tempestade de neve se formou segando a todos e fazendo com que gyera errasse o golpe. 

 
 

-lapri nade para o lado esquerdo e use o ice bean. 

 
 

E mais rápido do que gyara poderia reagir naquele cenário ela alcançou, a chave da vitória, o presente de chariz, a enorme queimadura fragilizou de mais a defesa de gyara então quando ice bean atingiu não teve escapatória, o imenso pokemon despencou pesadamente na agua congelada, vi gyaradus cair enquanto sua mega evoluçao se desfazia, o grande pokemon começou a flutuar pela 

 
 

água, o silencio era absoluto pois ninguém ainda estava crendo no que havia acontecido, misty colocou gyara na poke-bola quase que automaticamente, andei até a ponta para receber lapri que vinha alegremente, ela jogou o rosto contra o meu e começou a esfregar alegremente. 

 
 

-yoshi yoshi, você foi a melhor garota.. 

 
 

-prrrriiiiiiiirrr. 

 
 

Ela ainda comemorava alegremente enquanto eu a punha de volta a sua poke-bola, me levantei e comecei a me dirigir a misty que vinha em minha direção (p.s, chariz e oot por estarem em estado grave foram levados ao centro por funcionários) paramos a cerca de meio metro um do outro, ela me encarava diretamente nos olhos, não com desprezo ou raiva por perder, mas sim com uma grande curiosidade, como uma criança que acaba de ganhar um brinquedo e quer saber como funciona, reparei que ela segurava a insígnia sem saber se entregava ou não. 

 
 

-brock havia me falado, mas eu me recusei a acreditar que um treinador novato pudesse ter tamanha pericia… quem diabos é você? 

 
 

Me aproximei dela caminhando confiante, e de fato não sei de onde tirei tamanha confiança, gentilmente peguei a insígnia de sua mão e enquanto passava por ela falei. 

 
 

-você sabe… sou One. 

 
 

POV One off 

 
 

POV Ash on 

 
 

Vi One saindo e não pude evitar de sorrir, por um momento até eu havia imaginado que tudo havia acabado mas ele ainda tinha aquela carta na manga, agora faz sentido aquela sumida durante a manha, ele deveria estar instruindo seus pokemons e conhecendo sua nova parceira, ouvi Dawn e Serena darem alguns gritos atrás de mim enquanto Clemont fazia alguns cálculos, Bonnie batia palma empolgada. 

 
 

-impossivel, impossível, como? não havia como, que tipo de força absurda foi aquela? 

 
 

-ei ei, calma clemont, é perca de tempo tentar achar lógica quando se fala de One e seus pokemons, depois de três semanas já deveria ter se acostumado, aquele viado não é normal. 

 
 

-voces viram, viram neh? aquele era meu namorado, hahahah eu que ensinei. 

 
 

-ta falando do que Dawn? você tava ai até agora roendo as unhas enquanto sussurrava, "ele vai vencer neh? vai neh? ah não ele vai perder!! não vai perder aaaaaahhhh" 

 
 

Serena fez essa cena de uma forma tao chegay que nao deu para segurar a risada. 

 
 

-Minna, vamos? One esta nos esperando. 

 
 

-haaaaaaaaaai !!!! 

 
 

---------quebra de tempo--------- 

 
 

Chegamos no centro pokemon pouco tempo depois, One estava sobre a bancada mexendo os dedos freneticamente, seus braços estavam enfaixados, todo este tempo estive tentando me convencer de que não deveria ser aquilo, porem agora estava claro para mim o "laço" do One era mais forte que o meu, não sabia se isso era bom ou ruim, porem o dano que ele recebe... Bem não posso ficar tirando conclusões. Me apoiei na bancada ao seu lado e suspirei. 

 
 

-Da para se acalmar? eles vão ficar bem. 

 
 

-aaaaah Ash, eu sou muito irresponsável, olha a situação que os deixei... 

 
 

-já olhou a situação em que "se" deixou? descanse, chariz e oot não são os únicos feridos que eu possa ver. 

 
 

-OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOONEEEEEEEEEEEEEEEEEE, sai dai Ash 

 
 

Dawn pulou em cima dele enquanto me jogava no chão com toda a violência, começou a abraça-lo e a falar de como sua vitória foi incrível. 

 
 

-ooooh cavala, não ta vendo que ele ta machucado? pare de aperta-lo. 

 
 

Senti o galo inchando enquanto passava a mão na cabeça, Dawn me olhou feio mas depois suavizou o olhar ao ver as bandagens nos braços de One. 

 
 

-como se machucou. 

 
 

-o hiper raio de gyara... em chariz está pior, sou um péssimo amigo. 

 
 

-não fale isso, vocês foram incríveis, ferimentos são a consequência, e para isso temos o centro. 

 
 

De fato devo admitir, tem horas que a Dawn consegue ser linda, fofa e convincente ao mesmo tempo, tem até que um sorriso caloroso, ecaaa, devo ter feito uma careta bem estranha porque todo mundo olhou para mim e caíram na gargalhada. 

 
 

-não riaaaaaam. 

 
 

-yare yare Ash, para que essa cara? 

 
 

Serena se aproximou e me deu um beijo, dessa vez foi a hora dos outros fazerem careta enquanto eu meio beijava meio ria. 

 
 

-etto, não queria atrapalhar, mas One-kun seus pokemons estão curados, será que poderia me acompanhar até a ala para humanos para tratarmos seus ferimentos? 

 
 

-ah hai hai 

 
 

-Eu vou juntooo!!!! 

 
 

-Ok, nao ha problema Dawn-chan. 

 
 

E assim eles se foram seguindo atrás da Joy-san, dos outros que restavam logo começaram a se dispersar para seus quartos. 

 
 

----------quebra de tempo----------- 

 
 

pov Ash off 

 
 

pov One on 

 
 

Eu não conseguia dormir, tinha medo dos sonhos, desde que comecei minha jornada, quase toda noite eles vem me aterrorizar, fantasmas do passado incompreendidos, sempre os mesmos, a guerra, as trevas, aqueles olhos de luz, a ideia de veloz novamente me atormentava, mas esse era um medo que não podia dividir, pois então, ali estava naquela pequena colina observando a noite, havia deixado todos no centro descansando até chariz, pensar em chariz e nos outros me fez sorrir, a batalha de hoje cedo havia sido maravilhosa, sem querer me vi olhando para as bandagens em meus braços e imaginei o que aquilo queria dizer "um sou eu... e um somos nos" a riacho ao sopé do morro corria silenciosamente a minha esquerda, em segredo do mundo, sussurrando as rochas, sem uma explicação aparente ao observar o correr da agua me vi levantando e descendo a elevação, em silencio ouvindo o vento palpitar junto ao meu coração eu o segui, corri lado a lado com o rio enquanto a lua me seguia como se brincássemos de pega-pega, não sei porque eu sentia que havia algo me aguardando "Lá" a questão é onde é lá? eu não sabia porem meu corpo revigorado pela noite sabia onde ir, é como se cada célula do meu corpo soubesse o caminho, era como se eu estivesse voltando para casa, movido por um êxtase absoluto, uma vontade ardente de rever quem quer que estivesse me esperando. Aos poucos a vegetação rala foi se modificando e a frente eu vi as grandes arvores se erguerem, gigantescos carvalhos que se uniam a vastidão negra do céu, suas copas esvoaçavam ao vento como se anunciasem minha chegada, logo eu estava a seus pés adentando a floresta gigante, as raízes grossas e poderosas das arvores se entrelaçavam por sobre a terra escondidos apenas pelas folhas secas que caiam de seus altos galhos, o local era gigantesco e qualquer um se perderia facil em meio ao labirinto de troncos, folhas e galhos, as sombras produziam efeitos perturbadores porem nada disso me incomodava, era como se o tempo tivesse parado e apenas eu me movesse, via as folhas caindo, as lufadas de ar gélido que minha respiração produzia, meus sentidos estavam tilintando e a cada passo que dava parecia que iam explodir, meu coração palpitava no peito e aos poucos eu ia me jogando na escuridão a minha frente, e então se abriu, eu havia chegado ao centro e a luz da lua cheia me cegou por um momento, eu ouvia as folhas e as flores farfalharem ao vento, flores vermelhas de um escarlate intenso, no centro eu pude ver, agachada sobre as flores estava uma garota de vestido longo, um vestido tão vermelho quanto as flores de sangue que nos cercavam, as flores emanavam um aroma adocicado e ao mesmo tempo forte que parecia cercar a garota, uma lufada repentina de vento fez com que seus longos cabelos brancos como a neve se espalhassem ao vento, e sim desta vez, pela primeira vez eu pude ver seu rosto claramente, a pele suave e moldada, os olhos negros e profundos como obsidiana e os labios cálidos e levemente avermelhados, pela primeira vez eu vi aqueles olhos que me encaravam profundamente me imbuindo a me aproximar, meus pés iam se movendo e assim logo estávamos de frente, ela estava sentada sobre as flores apoiada em um braço e mantendo o outro ao lado do corpo, mantinha seu corpo esguio esticado em minha direção enquanto olhava em meus olhos, assim como eu parecia descrente, como se visse algo que amava mas que a muito havia escapado de suas mãos, aos poucos um chuva leve foi se derramando sobre nos e sem perceber vi meus lábios se movendo. 

 
 

-Akai... 

 
 

Lentamente ela coloca as mãos sobre o rosto e as lagrimas começam a rolar por seu rosto, era triste, eu não queria a ver chorando, me ajoelhei a sua frente e sequei suas lagrimas. 

-não chore... 

-isso... não é possível, que brincadeira de mal gosto é essa. 

-eu... 

Ela se afasta de mim lentamente com espanto e até um pouco de medo... 

-não cansou de brincar comigo ?ARCEUUSSS!!!! 

-Espere !!!  quem é você? eu te conheço? sei que sim... 

-você... não pode ser, e pensar que o veria de novo... 

 
 

Ela se aproximou de novo e dessa vez tocou o meu rosto, o toque de sua palma contra a pele, foi caloroso, agradável, familiar, mas eu não sabia porque. 

-meu valente... senti tanto sua falta... mas, arceus é cruel, esta se repetindo... 

-do que esta falando? não entendo. 

-Agora não, mas em breve compreendera, agora durma... meu valente... 

 
 

Então tudo começo a se dissolver e girar ao mesmo tempo, tentei toca-la, mas ela não estava mais lá, antes de dormir ouvi sua voz, um leve cântico: 

 
 

Da luz se anuncia as trevas, 

do cântico da vida a alma do guerreiro se vai, 

da salvação veio a dor, trazida das placas, 

doze infortúnios no seu cântico se estrai... 

 
 

-------------------- quebra de tempo--------------------- 

 
 

Acordei na minha cama sem saber como cheguei ali e com uma desagradável dor de cabeça, porem os versos da canção ecoava nos meus ouvidos, me sentei a ponta da cama fazendo o fino lençol cair em cascatas no chão, senti uma leveza desnecessária na parte de baixo e percebi que me encontrava completamente nu, até mesmo minhas bandagens haviam sido retiradas, não que isso fosse um problema pois agora meus braços estavam completamente curados, podia ver apenas algumas pequenas ciares que seguiam o contorno da pele, voltei a mim quando senti mais uma pontada de dor quando alguém bateu na porta. 

-One posso entrar? 

-Dawn? Ah claro, só um minuto... 

Me levantei desajeitadamente e fui até minha bolsa que estava em cima de uma cadeira acolchoada de costas para a janela aberta do quarto,  peguei minha roupa intima e a coloquei rápida voltei a cama para pegar minha celsa que se encontrava ~jogada sobre o ventilador, a vesti desajeitadamente quase caindo algumas vezes 

-Pode entrar. 

Dawn não esperou um segundo aviso, logo vi a maçaneta girar e seu pequeno corpo passar pela fresta revelada, ela estava linda como sempre, a roupa de sempre, isso se não contar a pequena tulipa que se encontrava em seu cabelo. 

-Fiquei preocupada, não desceu para o café da manha, já estão todos se preparando para partir. 

-o que ? Mas já? Que horas são? 

Ela se aproximou de mim lentamente e logo senti seus braços me envolvendo e sua cabeça se acomodando ao meu peito perfeitamente, seus cabelos cheiravam a rosas, ela deveria estar nos jardins, ouvia sua respiração contra meu peito descoberto e assim sentia uma estranha segurança, isso quase me fazia esquecer do ocorrido da noite passada, quase, outra pontada de dor me fez fazer uma careta de dor e isso fez Dawn perceber a contorção do meu tórax. 

-você esta bem? Ainda dói?  

-Eu estou bem.... apenas com um pouco de dor de cabeça, vamos conversar no caminho, os outros estão espero caminho, os outros estão esperando. 

Me afastei lhe dando um beijo na testa, sua pele estava quente, me separar do contato era mais difícil do que eu me deixava admitir, mas não podia ficar ali me questionando se "l ou não, ainda havia muito caminho pela frente e todos estavam me esperando. Fui terminar de me vestir. 

 

-----------------quebra de tempo------------------- 

 

Todos já estavam na frente do centro parecendo entediados, Bonnie estava sentada nas costas de luxray por isso parecia entretida, até mesmo meus pokemons já estavam ali, exceto lapri que estava na poke-bola no meu sinto, Ash e Serena estavam de mãos dadas enquanto Clomont falava com alguém pelo telefone, fui me aproximando com Dawn ao meu lado, ela sorria, seu sorriso era lindo, e isso me fez sorrir também mesmo não estando com animo nenhum para isso hoje, ao chegar perto o suficiente uvi parte da conversa de Clemont: 

-... OK amor eu sei, sim, eu estou comendo bem... também estou me exercitando como você pediu, claro, claro... tudo bem Korrina eu digo para eles, ah.. Quando irei voltar? Bem eu não sei, provavelmente daqui alguns meses, não não, claro que iremos nos ver, não abandonaria meu docinho sozinha por tanto tempo  neh? Ok amor, tenho que desligar, até depois e não esqueça de passar no ginásio para ver como vai o neo citroid, beijo. 

-E ele já começa o dia assim?, ei voce não vai ficar assim não neh? 

Falei apontando para Clemont com uma cara preocupada, Dawn sem nenhuma explicação aparente apertou minha mão até eu me contorcer de dor. 

-não...claro AMOR, eu não serei uma coruja preocupada... 

-ah... ok, ei Ash, Serena, esperem. 

-eai, resolveu acordar bela adormecida?  

-não me julgue.....tive uma noite conturbada, preciso conversar com você depois ketchum. 

-iiiiih já ta com esses problemas? Sem problema, deixa que o pai ensina como se faz. 

Ele já tinha colado no me pescoço enquanto as garotas conversavam e nos olhavam desconfiadas. 

-Para começar você tem que chu... 

-NAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAO É ISSO SEU PERVERTIDO DE MERDA!!!!!  

-eh? Então é o que? A deixa, depois você me fala, temo que eu vá apanhar agora. 

-keeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeetchummmmm, oque você esta ensinando para o One? 

E ai estava, uma Serena em fúria atrás de um Ash realmente desesperado. 

-eh parece que tudo continua igual, hehe. 

-Sim,  se bem que acho que a cada dia o Ash acorda com um neurônio a menos, então, como passou a noite? As feridas incomodaram muito?  

-Não... não as feridas. 

-Sabia que tinha algo te incomodando, quer conversar? 

-Eu... Tive uma noite conturbada, acho que não devo esconder isso de você, tinha uma garota... 

Vi Dawn apertar o punho e o no de seus dedos ficarem brancos, e suas mãos tremiam um pouco, mas tirando isso ela se manteve bem controlada. 

-E? O que tem essa garota? 

-Eu estava na elevação, ai tinha a floresta, as flores, a garota, ela me conhecia, sinto que eu também a conhecia, só que toda vez que tentava lembrar doia, ai tudo ficou preto e eu ouvi os versos... sei que não foi um sonho, a musica ainda gira na minha cabeça... 

-Posso ouvir? 

Parece que o ciúmes haviam sumido e agora ela estava realmente preocupada. 

 

-Da luz se anuncia as trevas, 

do cântico da vida a alma do guerreiro se vai, 

da salvação veio a dor, trazida das placas, 

doze infortúnios no seu cântico se estrai... 

 

-... Nunca ouvi nada assim antes, olha One, você tem certeza de que não conhecia a garota? Quem sabe, talvez tenha sido um sonho... 

-não foi um sonho... mas tudo bem, talvez seja coisa da minha cabeça, deixe. 

Continuamos caminhando por um tempo até encontrarmos uma clareira sombreada por algumas macieiras, ninguém reclamou quando Serena sugeriu que descansássemos um pouco, e todos já estavam cansados de tanto andar, charmeleon se arrastava causando pequenos incêndios com as chamas de sua cauda serpenteando pelo chão, Ash tirou uma bola de sua bolsa depois de arrancar sua bicicleta retrátil e verde de lá de dentro (N/A entendedores entenderão) jogou a bola no campo e chamou com um sinal a mim e clemont. 

-aaaah não ketchum, quer tomar outra surra? 

-haaaa vem se puder quatro-olhos. 

Clemont jogou a mochila de lado e foi para cima do moreno que lhe deu uma bela por de baixo das pernas, quando clemont voltou ele girou e chutou a bola no gol improvisado que tinha no fim do descampado. 

-E ai garoto acanhado, não vai vir? Vamos lá, as garotas também? Deixa o pai mostrar como se joga. 

-Ah é o que Ash? 

Vi Serena levantar estralando e comecei a rir do coitado. 

-Ei Ash, não devia cutucar gyaradus com vara curta cara. 

-do que você ta falando amor? Voe também vai jogar, vamos lá, garotas contra garotos e sem choro. 

 

---------------quebra de  tempo------------------ 

 

 

Me fizeram colocar um short, o sol estava me fritando, mas ver as garotas naqueles shortinhos e blusinhas apertadas valeu a pena, tive que resistir ao impulso de ver se meu nariz estava sangrando, por falar nisso já tem um bom tempo que não tenho uma hemorragia nasal, bem isso é mole neh, a parte ruim, elas estavam nos encarando com expreções sedentas e assassinas, koaaai. Estávamos eu Ash e Clemont de um lado, contra Serena, Dawn e a pequena Bonnie, não via como poderíamos perder, como eu estava enganado, foi só dizer que o jogo começou que senti uma leve pontada de dor na canela e vi uma Dawn irreconhecível na minha frente, ela tirou a bola do meu pé e me jogou pro chão. 

-Lance normal, segue ai. 

-queeeeee? Como assim? 

Porque eu fui reclamar? Ela já estava do outro lado acertando um chapeuzinho no Ash e enchendo a bomba na rede, me levantei rápido e corri para a área para receber o toque, não podia deixar barato assim, eu e Ash ficamos de tabelinha até Serena em sua "marcação" dar uma cotovelada na cara do coitado. 

-ops, foi sem querer, continua. 

Por pouco consegui tirar a bola dela e revidar o gol tomado (esse foi o jogo mais doloroso da minha vida). 

 

--------------------quebra de tempo------------------- 

 

Depois de muito jogo, suor e dor, principalmente dor, essa teve em excesso, fiquei estirado na grama com meu peito subindo e descendo em uma velocidade não muito rítmica, bem, acho que estávamos todos assim, até as "gorilas", epa, quero dizer as garotas, A única que ainda parecia ter energia para correr era Bonnie que corria atrás de pikachu e Dedene que não pareciam nenhum pouco contentes por isso, me sentei encharcado de suor e falei. 

-Cara eu não vou andar mais por hoje não. 

-ah genio, então onde vamos dormir? Temos que chegar em vermileon antes de anoitecer. 

-ah fique quieto ketchum, minha família tem uma casa aqui por perto, vamos dormir lá. 

-você tem uma casa de verão e nunca nos contou nada? Que tipo de amigo é você? Já esqueceu tudo que fiz por você. 

Em seu excesso de drama ele me sacudia para frente e para trás desesperadamente. 

-etto, só tem um mês que nos conhecemos, e.e, e o que diabos você fez por mim? 

-ooooooh não, já ta negando? Jogando tudo que fiz fora como se não fosse nada? Ah que mundo cruel? 

Ele se ajoelhou no chão e começou a socar o gramado se sentindo injustiçado, fui me afastando até chegar ao lado de Serena. 

-Ele foi sempre assim? 

-não, hoje ele ta até controlado, mas saudades de quando ele tinha dez anos e era inocente, era tão fofinho. 

-entendo... meus pêsames, mas vamos? 

-vamos? Estou com fome mesmo. 

-vem Dawn, Bonnie, Clemont, a gente ta indo oh. 

 

---------------quebra de tempo---------------- 

 

Estava do jeito que eu me lembrava, as colunas que erguiam o teto da varanda ainda com aquela leve relva, o cheiro de rosas que sempre predominou o ar por ali, o gramado por outro lado havia crescido descontroladamente dando um ar um tanto apavorante para a fachada escura no entardecer, os vasos de plantas estavam largados a entrada com um pouco de pó e as plantas que ali estavam secas, já fazia tempo mas eu lembrava de onde ficava a chave reserva, fui a frente e me agachei a frente do vaso da esquerda, o ergui um pouco de lado e ali estava ela brilhando palidamente a luz refletida no metal, peguei a chave e abri a porta que se mexeu com um rangido indignado, dentro do recinto estava escuro mas pude reconhecer as familiares sombras dos moveis da sala, a cortina se mexia preguiçosamente atrás do sofa deixando alguns raios solares entrarem, dava para ver o pó circulando pelo ar, deixei as lembranças de lado e fui até o interruptor q chiou antes das luzes se acenderem. 

-cara ! Esse lugar não mudou nada, só ta com um pouquinho a mais de pó. 

-uooooooou que casa grande, onde eu vou dormir? 

-Tem quartos a vontade no andar de cima, fiquem a vontade, essa era a casa da família antes da minha mãe se mudar, por isso é grande, no fundo tem um onsem, a casa foi construída de baixo de uma fonte termal, aproveitem. 

-Eeeeeeeeeeeeeeeh? 

-eeeeeeeeeeeeeeeh? 

-eeeeeeeeeeeeeeeh? 

-eeeeeeeeeeeeeeeh? 

(todos em uni solo) sua família é rica? 

-etto, o meu avo sim, mas minha mãe abdicou. 

-Eeeeeh? Por que? 

-ela nunca me contou. Mas bem, isso não tem importância agora, podem escolher os quartos que eu vou tomar um banho. 

A agua estava agradável, e o vapor deixava uma nevoa densa que me impedia de ver dois palmos a frente, em resumo, o local estava perfeito, sem barulho algum além do balançar da água e do krikri dos grilos nas folhagens, fiquei absorto em meus pensamentos ate sentir alguma coisa macia tocar minhas costas. 

-eeeeh?  o que é isso. 

-Sem enxergar nada no vapor me virei e apalpei a coisa fofa e notei que eram duas coisas fofas... arredondadas... com biquinhos? 

-oppppaaaaaaaaaaaaaaaai. 

Virei para trás com uma torrente de sangue vasando de meu nariz (tava demorando pra ter esta hemorragia), boiando na água. 

-yare yare One, pra que tudo isso, até parece que você nunca pego.. Kawaii 

-D-Da. Dawn, pelo amor de Arceus não faça isso, quer me matar ? 
-hehehe quando você esta com vergonha fica uma gracinha sabia? 

 

-Gracinha? Aonde voce viu isso? Eu sou virilidade, isso, virilidade pura!! 

Levantei batendo no peito e com sangue escorrendo do nariz enquanto Dawn caia na em gargalhadas. 

-eeh? Não ria sua namorada desnaturada. 

-haha, a cala boca cabeça de fogo. 

E assim nossos lábios se cruzaram meio em um beijo meio rindo, sentir o corpo dela colado ao meu é algo realmente maravilhoso, fomos nos beijando e andando no meio da terma até eu encostala na parede de madeira, a pressionei com meu corpo só para ouvir seus suspiros e gemidos, até que... 

-Então neh, temos quartos lá em cima para isso. 

-aaah Vai se foder Dawn, sai dai sua vaca, se eu não posso você também não. 

E assim um balde foi parar na minha cabeça, mais uma para a lista, não beijar na frente da Serena. Cai na agua feito um aco de batatas, é garotas são assustadoras. (N/A, nem me diga meu caro amigo, masx ainda assim, se fode ai otário, huehuehue huehuehue huehuehue.)


Notas Finais


eai do que acharam? to perdoado? eai como ta a votação, ficou um cap bom? One esta morto? Serena vai ser presa? Dawn é uma pervertida? tudo isso e muito mais no próximo cap de Laços. gambare minnaaaaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...