História Laços - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Como Treinar o seu Dragão, Enrolados, Valente
Personagens Jack Frost, Mérida, Rapunzel, Soluço
Tags Harry Potter, Hiccstrid, Hogwarts, Jack Frost, Jelsa, Merida, Rapunzel, Soluço, The Big Four
Visualizações 52
Palavras 1.735
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 2 - 2


Fanfic / Fanfiction Laços - Capítulo 2 - 2

Jack olhava em volta da Plataforma. Ele não fazia ideia de como funcionava tudo, já que era um nascido trouxa.

Quando uma mulher, muito parecida com uma fada, veio até sua casa dizer que ele iria estudar em uma escola de magia, tudo o que ele pensou foi: Ah, claro. Não sou tão sortudo. Mas acabou que era. A mulher o acompanhou até o Beco Diagonal, onde ele comprou várias coisas que pareciam impossíveis de existir.

Jack parou e olhou para o trem. Ainda não era hora dele partir, por isso, ele deu uma olhada em volta do local. Enquanto andava, acabou trombando com uma garota pequena, ruiva.

- Ei, olha por onde anda, ruivinha - ele reclamou. A menina se virou para ele, parecendo um dragão.

- Eu?! Você que trombou em mim!

Enquanto os dois discutiam, uma mulher alta de cabelos castanhos grisalhos apareceu, obrigando a ruiva a parar de brigar.

Jack sorriu, ao ver a menina e a mãe. Seus pais estavam em casa com sua irmã, mesmo que ele não se lembrasse de nenhum deles.

Jack sabia o porquê. Quando era mais novo um pouco, uns nove anos, ele aparentemente salvara a irmã mais nova de congelar debaixo de um lago. Infelizmente, logo após de salvar a menina, o próprio Jack fora parar no fundo do lago. Quando acordou (dois anos depois), viu três rostos preocupados o encarando, mas não reconheceu nenhum. E então, no dia marcado para o embarque no trem, Jack decidiu que iria para Londres sozinho. Os pais não discutiram.

O trem apitou. Jack seguiu correndo para embarcar, sem olhar para trás.

***

- Soluço, está me ouvindo? - Stoico perguntou. O menino levantou a cabeça para olhar para o pai.

- Sinto muito, pai - ele se desculpou. O pai suspirou.

- Você finalmente vai para Hogwarts! - Stoico o lembrou - E vai me orgulhar, caindo na mesma casa que todos da família...

- O Bocão me disse que nem todos da família eram da Grifinória - Soluço sussurrou - Ele disse que minha mãe era da Lufa-Lufa.

- Valka... - Stoico suspirou. Soluço ouvira falar de sua mãe: uma bela mulher, uma bruxa bondosa, uma pacifista em tempos de guerra. Ela morrera pelas mãos de Comensais da Morte do homem chamado "Breu", Pitch Black - Sua mãe era esplêndida, independente da casa.

Então porque isso importa?, Soluço pensou. Seu pai deu um tapinha em suas costas. O garoto engasgou. Enquanto se recuperava, o moreno percebeu uma menina loira, com cabelos enormes, abraçada a uma mulher muito alta. A menina percebeu que ele a encarava, e as duas saíram de perto.

- Pai, quem é aquela mulher com a menina loira? - Soluço perguntou. Stoico se virou para ver.

- Ah, aquela é Gothel Moore, a professora de Defesa Contra As Artes das Trevas. Eu estudei com ela. Ela acabou se tornando seguidora do Breu. - Stoico disse. Soluço estremeceu. - Não trema diante do nome dele, filho. Ele está morto.

Soluço assentiu. Infelizmente, ainda se arrepiava ao ouvir o nome do homem que fora a causa de sua mãe morrer. E olhar aquela mulher o encheu de ódio.

- Por que alguém deixaria uma Comensal trabalhar em Hogwarts? - ele perguntou ao pai.

- O quê, Gothel? - Stoico suspirou - Ela alegou estar sobre o efeito da maldição Imperius, e o pior é que foi comprovado como verdade.

- Então ela não era Comensal de verdade?

- É o que dizem - Stoico disse - E também, ela tem uma filha. Deve ser aquela menina com ela. Dizem que ela faz de tudo para protegê-la.

Soluço se perguntou como que Gothel teve uma filha, mas esqueceu isso ao ouvir o apito do trem.

- Está na hora de ir, meu filho - Stoico suspirou - Seja forte em Hogwarts.

- Até o Natal - se despediu do pai, entrando no trem.

Soluço procurou uma cabine vazia, mas a única que não estava cheia ainda tinha uma menina dentro, uma ruiva com cabelos rebeldes e uma coruja.

- Posso me sentar aqui? - Soluço perguntou. A ruiva sorriu. Ele se sentou em frente a ela.

- Meu nome é Merida DunBroch - a menina se apresentou.

- Meu nome é Soluço Haddock - ele disse.

- Seu nome é bem... original. Você já sabe para qual casa vai? - Merida perguntou.

- Não. Só espero não cair na Sonserina, meu pai ficaria muito decepcionado.

Merida assentiu. Ela deu um pulo e sacou a varinha, um objeto negro de vinte e poucos centímetros.

- Eu espero cair na Grifinória, igual ao meu pai.

De repente, alguém bateu na porta da cabine. Era a garota loira, filha de Gothel.

- Posso me sentar aqui? - ela perguntou, com a voz tímida. Ambos assentiram - Prazer, Rapunzel Moore.

- Você é tão quieta - a ruiva comentou. Rapunzel corou - Meu nome é Merida DunBroch. Esse é o Soluço Haddock.

- Prazer - o moreno falou. E mais uma vez, uma batida na porta. Agora era um garoto de cabelos castanhos.

- Pode entrar - Merida disse, antes de saber quem era. Quando os dois se viram, a ruiva se irritou - Ah, não, você não!

- Ih, ruivinha, águas passadas - o novato bocejou - Meu nome é Jackson, mas podem me chamar de Jack.

- Prazer - Rapunzel disse, e apresentou-os a ele.

- Como vocês receberam suas cartas? - Jack perguntou. Soluço parou para pensar.

- Foi logo após uma apresentação de luta. O campeão veio falar com o meu pai, ameaçando-o. E eu sem querer mandei ele para longe. No dia seguinte​, uma carta apareceu. Meu pai nunca ficou tão feliz.

- A minha foi diferente - a ruiva falou - Minha mãe e eu estávamos discutindo, quando uma coruja marrom apareceu com um envelope branco e azul. Dentro, dizia que eu era bem vinda em Beauxbatons. Acabou que eu quase fui para lá, mas recebi a carta de Hogwarts no mesmo dia, podendo escolher vir para cá.

- Minha mãe é professora de Hogwarts - Rapunzel disse, com a voz mais confiante - Eu recebi a carta pouco depois dela dizer que se eu não fosse aceita, se demitiria para me criar em paz. Ela ficou calada por muito tempo, mas deixou eu vir.

- Por que ela não deixaria? - Jack perguntou.

- Sou a única família que ela tem - a loira explicou. Soluço se sentiu mal. Havia poucos minutos, o menino estava pensando mal sobre a mãe de Rapunzel, e agora percebia que a vida dela não era fácil.

- E você, Jackson? - Merida perguntou - Como recebeu a sua carta?

- Me chame de Jack - o garoto disse, entre dentes - E eu recebi logo depois de acordar de um coma.

- Coma?! - os três perguntaram. Jack assentiu.

- Eu entrei em coma após cair em um lago congelado no meio do inverno, alguns anos atrás.

- E só acordou agora? Por que não usaram um feitiço que desperta em você? - Merida questionou.

- Meus pais não são bruxos - o garoto respondeu. Merida assentiu.

- Mas você está bem, afinal. Alguma sequela desse coma?

- Minhas memórias foram "para a vala" - Jack respondeu - Fora isso, estou bem.

Soluço percebeu Merida murchando. Talvez ela também tenha tido sua dose de culpa. Uma senhora bateu na porta.

- Doces, crianças? - ela perguntou. Jack comprou um sapo de chocolate, Rapunzel uma varinha de alcaçuz e Merida comprou feijõezinhos de todos os sabores. Soluço comprou um bolo de caldeirão.

- Tome cuidado ao abrir seu sapo - Merida avisou a Jack - Ele salta quando você abre a caixa.

Jack abriu a caixa com cuidado, agarrando o sapo. O chocolate se contorceu, para o horror do menino, antes de ficar imóvel.

- Calma - Soluço riu, ao ver a expressão horrorizada do garoto - Ele é enfeitiçado para se mexer, não está vivo de verdade. - Jack assentiu e deu uma mordida cautelosa no chocolate.

- Qual é a sua figurinha? - Rapunzel perguntou.

- Figurinha? - o menino perguntou, a boca cheia de chocolate.

- Aqui - Merida pegou a caixa do sapo, tirando uma figurinha com uma mulher élfica se mexendo.

- Ah, ela foi até lá em casa me contar que eu era um bruxo - Jack comentou. Soluço leu o nome na carta:  Toothiana Hummingbird (Tooth Fairy).

- Ela é a vice-diretora de Hogwarts - Rapunzel disse - Minha mãe diz que ela parece um passarinho, tem uma voz melodiosa e parece flutuar quando anda.

- Ela é bem bonita pessoalmente - comentou Jack - E é bastante paciente.

- Lê a descrição da figurinha - pediu Soluço.

"Toothiana Hummingbird, também apelidada de Tooth Fairy, descobriu 108 usos de dentes de dragão, além de criar dezenas de antídotos para venenos famosos, como o de basilisco. É famosa por lutar ao lado do grupo 'Guardiões' para derrotar Pitch Black, junto de Nicholas St. North, Sanderson Mansnoozie, E. Aster Bunnymund e outros nomes famosos"

Card #701

- Existem mais de setecentas cartas dessas? - perguntou Rapunzel. Merida assentiu.

- Você não conhecia as cartas?

- Minha mãe só me ensinou o essencial sobre o mundo bruxo - Rapunzel respondeu - Ela me disse que as pessoas são más, e que usam os outros para o próprio bem.

- Nem todos são assim - Soluço disse - Os Guardiões, por exemplo.

- Guardiões? - Jack perguntou. Merida assentiu.

- Um grupo de bruxos liderados por North, um dos maiores magos conhecidos! - Merida disse, e ficou de pé, sacudindo o cabelo - Meu pai lutou ao lado dele. Mas isso foi há onze anos.

- Contra quem eles lutavam? - Jack perguntou. Soluço deu de ombros.

- Contra o bruxo das trevas mais poderoso de todos os tempos. - ele respondeu - Pitch Black.

Soluço viu Rapunzel estremecer. Merida a encarou.

- Você tem medo do nome dele mesmo nascendo após a morte dele? - ela perguntou.

- Minha mãe me disse que ele era a prova da maldade dos homens - a loira respondeu - E eu li tudo sobre ele. Tudo.

O trem começou a desacelerar.

- Vamos nos arrumar rápido, está quase na hora de chegarmos em Hogwarts! - Merida disse, animada.

Todos vestiram as vestes negras de Hogwarts, esperando ansiosamente


Notas Finais


Não sei se está bom, mas está aí. Vou melhorando com o tempo, prometo.

(12/08/2017) - Corrigi alguns erros desse capítulo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...