História Laços do Passado - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Tags Once Upon A Time, Outlaw Queen
Visualizações 34
Palavras 3.802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - Rebecca


Na casa de Snow.

A morena observa a filha balançando o pequeno Neal.

Emma—Neal(olha bem nos olhos do irmão) Quando você crescer mais um pouco, eu vou te ensinar a usar qualquer tipo de arma. O Henry já sabe usar espada, você quer aprender a usar espada?( ergue o garoto e o traz pra perto de seu rosto, fazendo o garoto gargalhar)

Snow— Seu irmão adora você sabia?

Emma— Como não adorar uma loiraça com lindos olhos verdes, super inteligente e que sabe usar qualquer tipo de arma?( olhando pra o bebê)

Snow— Sim, tudo isso e modesta.

Emma— E isso também!

Snow— Ele gosta de você por que você é uma boa pessoa!

Emma— Sei(estreita os olhos)

Snow—Uma salvadora adorável e compreensível.

Emma— Mãe, por favor!(coloca o menino no berço)

Snow—Emma, ele não quis te aborrecer.

Emma— Quis sim e aborreceu. Se continuar com essa historia eu vou me aborrecer com você também.

Snow— Eu sei o quanto o David pode ser irritante, mas...Emma não tivemos a chance de ver você crescer e de sermos pais. Ele não teve a oportunidade de te proteger dos rapazes na sua adolescência.

Emma— Esse tempo já passou, eu me protegi como eu pude! Não se trata só de me proteger. Eu até entendo essa necessidade de ser pai, mas ele se mostra até grosseiro com o Hook e o Hook só quer a amizade dele. O Neal era um ladrão e me abandou grávida, mesmo assim o meu pai o admirava, me empurrava pra ele quando podia. Com o Hook ele...

Snow— Com o Hook ele sente ciúmes.

Emma se cala.

Snow— O David se sente ameaçado pelo Hook, por que seu pai sabe que por ele você tem sentimentos e que ele pode vir a levar você pra longe de nós.

Emma— Eu não vou a lugar nenhum. Atacar o Hook não é a resposta!

Snow— Procura entender.

Emma— Eu sempre entendo! Além do mais já tá na hora de procurar um lugar pra mim.

Snow— O quê?( é pega de surpresa) Não Emma, aqui tem espaço suficiente pra você e pra o Henry.

Emma— Esse garoto (aponta pra o berço de Neal)vai crescer mais rápido do que imagina, daqui a pouco ele vai tá correndo pra todo lado, o Henry vai namorar muito em breve, tenho certeza que ele não vai querer a namorada na casa dos avós( pega uma lata de refrigerante na geladeira)

Snow— Quando ele vier pra cá, nós podemos sair pra dar uma volta com o Neal, sem contar que é uma situação hipotética, não sabemos quando o Henry vai namorar e...E tem a casa da Regina também, ele pode levar a namorada lá.

Emma— Daqui a pouco aquela casa também vai estar cheia.

Snow— O quê? Como assim?

Toma um pouco do refrigerante.

Emma— Além da Regina e do Henry, agora tem a Amy, que mesmo sem ainda ter aceitado o pedido da Regina, mais cedo ou mais tarde ela vai morar com a mãe. Tem também o Robin, com o sumiço temporário da Marian da vida deles, se a rainha se acertar com o ladrão, o Roland também entra no pacote.

Snow— Tem razão, mas e se...

Emma— Para de arrumar soluções mãe( sorrindo)

Snow— Emma, eu não quero que vá embora.

Emma— Eu não vô embora da cidade, eu só preciso de privacidade, sou acostumada a ter meu cantinho e acima de tudo, estou cansada de transar numa casa flutuante que balança o tempo todo.

Snow—Emma!( arregala os olhos)

Emma— No começo, transar no navio era excitante, mas...

Snow— Tá bom, eu já entendi, evite os detalhes.

Emma— Larga de ser puritana, ainda me lembro das nossas conversas picantes.

Snow— Mas eu não sabia que estava falando com a minha filha sobre sexo.

Emma ri.

Snow— Eu só não quero que a gente se afaste.

Emma— Isso não vai acontecer.

Snow— Essa sua vontade de se mudar não tem nada haver com o que o David disse não né? Por que se foi isso, eu juro que eu o faço ele beijar os pés do Hook.

Emma— Apesar de parecer tentador assistir essa cena, não tem nada haver com o que ele disse, eu já havia decidido isso há muito tempo.

Snow— Tudo bem.

Emma— Agora me deixa ir, vou ver a Amy , trazer o Henry e depois vou fazer uma ronda, com a Zelena a solta ,precisamos estar preparados.

Snow— Que bom que os poderes da Regina voltaram.

Emma— É verdade, mas ela ainda não está cem por cento. Por enquanto vamos deixar ela fora de combate.

Emma vai saindo.

Snow— Sabe o que me tranquiliza um pouco?

Emma— O quê?( fala da porta)

Snow— Ela não tem o que mais queria aqui.

Emma— Como assim?

Snow— O que a Zelena mais queria, era o fruto do amor verdadeiro, puro e recém nascido. Isso ela não pode ter!( sorri)

Emma prende a respiração ao se lembrar da gravidez de Regina.

Emma— É verdade( dá um meio sorriso e sai)

Emma entra no seu fusca.

Emma— Ah meu Deus... O bebê da Regina( fala sozinha)

Na mansão Mills, os dois amantes ofegantes conversam no sofá.

Robin— Não acredito que fizemos isso em cima da sua mesa( ofegante)

Regina- Não foi só na mesa(ofegante) foi na parede, no chão e agora( respira forte) no sofá.

Os dois riem.

Regina—Acabou sendo uma ótima ideia ter comprado esse sofá-cama( ainda ofegante sussurra perto do ouvido do ladrão)

Robin- Foi mesmo uma ideia maravilhosa( dá um selinho nela)

Regina—Eu não parei de pensar em nós nenhum momento!

Robin- Eu também meu amor! Eu estava morrendo de saudades de ter você em meus braços, de amar...Saudades desse teu cheiro.

Fazem carinho um no outro.

Robin- Não tinha ideia que você poderia ser tão insaciável.

Regina—Isso se chama hormônio.

Robin- E esse hormônio vai durar a gravidez toda?

Regina— Eu não sei cada gestação é diferente, por quê? Está com medo de não dar conta?

Robin— Isso não me preocupa( ergue uma sobrancelha e beija o ombro da morena)

Regina— Que ótimo saber disso, por que se for como quando eu estava grávida da Amy, você vai estar bem ocupado nesses próximos meses.

Robin- Vou começar a tomar umas vitaminas.

Regina dá uma gargalhada.

Robin—Eu senti muita falta desse som (beija o pescoço dela)

Regina—Eu tô louca de desejo e muito excitada, mas eu tô morrendo de fome, se continuar me tocando desse jeito vamos fazer amor e dessa vez eu vou desmaiar.

Robin— Então vamos até a sua cozinha, eu preciso alimentar a grávida mais linda do mundo.

Regina sorri e ele a beija.

Na loja Gold , ele procura nos livros uma fraqueza de Zelena. Termina de ler outro livro e o joga na parede.

Gold— Desgraçada( grita e dá um soco numa mesa). Essa maldita família sempre esteve atrapalhando os meus planos, mas nem que seja a ultima coisa que eu faça, eu vou pegar o pergaminho Mills e depois acabarei com todas as descentes.

Na mansão do feiticeiro , Emma e a madre superiora conversam.

Madre— Emma eu sinto muito, como eu podia imaginar que era a bruxa má?

Emma— Tudo bem madre, quem poderia imaginar?

Madre— O que podemos fazer?

Emma— Precisamos achar um jeito de bloquear ela outra vez.

Madre— Eu vou começar a pesquisar um modo preciso e que a surpreenda.

Emma— É, eu sei! O que será que está naquela cabeça ruiva? O que ela pretende dessa vez?

Madre— Não sei, mas dá ultima vez ela pretendia algo grande.

As duas se olham apreensivas.

Na delegacia Graham e David conversam.

Graham— Quer dizer que ela te proibiu de ir pra casa hoje a noite?( fala entre risadas)

David— Não ria Graham, mulheres são temperamentais e se contrariarmos elas, temos que sofrer as consequências.

Graham— Achei que depois de tanto tempo conhecia a sua filha.

David— O que quer dizer?

Graham— Ela é como uma cebola, deve ser retirada camada por camada. Você não pode pressioná-la, achando que ela vai ceder. Ela cresceu sozinha e isso a tornou defensiva.

David— Eu sei, passei dos limites.

David pensa um pouco.

David— Pode se virar sozinho por uma hora?

Graham— Claro.

David sai da delegacia e alguns minutos depois dirigindo chega ao navio de Hook.

Hook— Já vai!( responde ao ouvir uma batida no casco do seu navio).

Ele acende algumas velas.

David—Boa noite.

Hook— Parceiro o que faz aqui? Aconteceu alguma coisa com a Emma?( se preocupa)

David— Não, eu vim aqui conversar com você.

Hook— Essa hora?

David— Sim. É importante!

Hook— Tudo bem, entre!

David acompanha Hook e ao entrar se depara com uma mesa posta, enfeitada por duas velas e algumas pétalas. David se dá conta que Hook realmente quer agradar a sua filha sendo atencioso e romântico.

Hook— Deixa eu apagar isso, daqui a pouco a Emma tá chegando e eu não quero que ela tenha uma impressão errada de nós dois.

O pirata dá uma risada, mas David se mantem sério.

Hook— Quer se sentar?(fecha o sorriso)

David— Eu serei breve.

Hook— Tudo bem.

David— Não fui com a sua cara desde o principio, nunca suportei ladrões principalmente piratas,mas a minha esposa me fez enxergar algo importante hoje, ela me disse que rótulos são apenas rótulos. Fui grosseiro e injusto com você e com minha filha, você está se esforçando pra ter a minha aprovação e eu tenho sido cético em relação as suas intenções com ela.

Hook— Eu só quero fazer a Emma feliz.

David— Que bom, por que eu decidi que daqui pra frente não vou interferir na relação de vocês dois.

Hook— Obrigado parceiro.

David— Você salvou a minha vida. Ajudou a salvar o meu neto, nos ajudou com o Pan...Eu tinha esquecido tudo isso e foi preciso que minha filha me lembrasse de tudo isso.

Hook fica calado.

David— Obrigado por tudo Hook.

Hook— Não precisa agradecer.

David— Preciso sim, mesmo com o rotulo de pirata você foi um herói e é disso que a minha filha precisa. De alguém que esteja disposto a se arriscar para protege-la. Eu vejo que ela fica feliz quando está ao seu lado e a alegria de um pai é ver seus filhos felizes. Se você for a felicidade dela eu não estarei mais no caminho.

Hook— Fico feliz que pense assim.

David— Eu já vou indo, não quero que a Emma me veja aqui. Até mais.

Hook— Até mais.

David dá a mão a Hook e selam o pacto de paz.

Na pensão da vovó, Amy está pegando algumas roupas dentro do guarda-roupa.

Amy— Que roupa eu levo? A vovó comprou essas roupas pra mim e...

Ruby— Foi a sua mãe.

Amy— Como assim?

Ruby— A Regina veio aqui há alguns dias, chegou aqui com várias sacolas enquanto você estava na prefeitura.

Amy— Mas por que me ela me deixou acreditar que foi a vovó?

Ruby- Ela sabia que você não aceitaria.

Amy sorri e toca nas roupas.

Ruby— E sobre seu pai?

Amy— Eu estou super ansiosa pra abraçar ele,sei que o conheço, mas agora é diferente! Ele é meu pai.

Ruby— O Robin vai pirar quando descobrir.

Amy— Espero que de uma boa forma.

Ruby— Claro que sim! Quem não adoraria ser seu pai? Você é uma menina incrível.

Amy— Obrigada( sorrindo)

Ruby— Tô super animada com o passeio de amanhã.

Amy—Passar o dia no haras, que coisa maravilhosa. O lugar é tão lindo e Regina disse que eu posso ir lá sempre que eu quiser(animada)

Ruby— Ainda não consigo acreditar que a Regina...A rainha é sua mãe.

Amy— Eu sei.

Ruby— Como está se sentindo como tudo isso?

Amy olha pra Ruby, sorri e senta-se perto da loba.

Amy— Eu nunca estive tão feliz Ruby, a Regina é uma pessoa maravilhosa.

Ruby— Você merece ser feliz Amy, aliás vocês duas merecem. A Regina passou por mal bocados e recentemente apanhou muito da própria irmã.

Amy— O quê?( surpresa)

Ruby— Você não soube desse detalhe?

Amy— Ela apanhou?(com os olhos semicerrados)

Ruby— Elas brigaram feio, no dia do enterro do pai biológico do Henry, a Zelena revelou a todos que ela e Regina são irmãs e a desafiou, disse que elas se enfrentariam. A Regina podia nem ter aparecido, podia ter se escondido, mas ela enfrentou a irmã , por que sabia que se não aparecesse , todos nós sofreríamos. Ela jogou a Regina em cima do carro com toda a força, mas a sua mãe não recuou. A sua mãe é forte Amy, com certeza não tem medo de briga!

Amy se sente orgulhosa.

Na mansão Mills Regina está sentada em cima do balcão enquanto come um sanduíche feito pelo ladrão.

Robin sorri a observando.

Robin— Tá bom?

Regina— Muito gostoso.

Robin— Não é tão gostoso quanto o seu corpo.

Regina— Para com isso (dá uma tapinha no braço dele)

Robin— Regina deixa eu te perguntar uma coisa.

Regina— O que é?( come um pedaço de torta)

Robin— Isso não faz mal ao bebê?

Regina—O quê?

Robin— O que fizemos!

Regina— Robin, claro que não, muito pelo contrário.

Robin—Nunca vive essa situação, quer dizer eu não me lembro de estar nessa situação.

Regina— Mas e o Roland?

Robin— Eu saí por meses numa das minhas viagens, quando voltei a Marian já estava num estagio bem avançado da gravidez, eu nem sabia que ela estava grávida quando viajei . Ela teve o Roland poucas semanas depois que eu voltei. Nós não...Não fizemos nada enquanto ela estava grávida.

Regina— Entendi.

Robin— Não machuca a cabeça do bebê?

Regina ri.

Regina—Robin, pelos meus cálculos, o bebê nesse momento, tá com uns dois ou três centímetros, tem ideia do que isso significa?

Robin— Eu sei que ele tá pequeninho.

Regina—Ele não tem nem o tamanho da metade do meu dedo mindinho.

Ele olha pra ela ainda confuso.

Regina— Robin, vem cá vem( o chama com o dedo indicador)

Robin se aproxima devagar e fica entre as pernas dela.

Regina— O que você precisa saber agora( alisa o rosto do moreno) é que o bebê sente tudo que eu sinto, se eu fico feliz ele sente! Entendeu?

O ladrão passeia as mãos na pernas da rainha.

Robin— Ainda tenho muito o que aprender.

Regina- Quando estamos fazendo amor eu me sinto maravilhosamente bem.

Robin— Maravilhosamente?

Regina sorri de forma maliciosa.

Eles se beijam muito. Ele se afasta um pouco pra analisar a sua rainha.

Robin— Você fica divina assim, vestida apenas com a minha camisa( olha pras pernas da morena)

Regina sobe um pouco a camisa e Robin fica hipnotizado com a visão do corpo da amada.

Robin— O que eu posso fazer nesse momento pra deixar o nosso bebê feliz?( fala bem perto de Regina)

Regina— Me levar pra cama agora( sussurra).

Robin pega rapidamente a rainha nos braços e a morena sorri.

Robin— Eu sou seu súdito minha rainha, teu desejo é uma ordem.

Na delegacia Graham está catalogando alguns documento quando Isabel chega.

Graham— Pois não?

Isabel— Graham não é?

Graham— Sou sim! O que deseja?

Isabel apenas se aproxima e o abraça, o caçador mesmo sendo pego de surpresa devolve o abraço.

Isabel— Meu filho( emocionada)

Graham franze a testa estranhando a atitude daquela senhora.

Numa casa abandonada Zelena anda de um lado pra o outro.

Zelena— Ah Rumplestiltskin, eu vou te destruir! A sua dor será motivo de meu sorriso( gargalha) Começarei atacando a sua adorada Belle, vou fazer ela enxergar o monstro que você é, vou transformar você num farrapo, vou tirar seus poderes e ver você definhar bem devagar.

A ruiva faz surgir em sua mão e mesma flor que Roland a entregou. Ela se senta e fica pensativa.

FLASH BACK.

Zelena está praticando magia numa floresta quando sente a presença de alguém.

Zelena— Apareça fada desencantada!.

Glinda- Olá Zelena.

Zelena— O que está fazendo aqui?(nervosa)

Glinda- Vim lhe impedir de fazer outra loucura querida. Isso tem que acabar!

Zelena— Não me chame de querida.

Glinda- Atacar a sua irmã não vai lhe trazer nenhuma felicidade.

Zelena— Aí é que você se engana, eu vou tirar dela cada gota de felicidade que foi tirada de mim e isso vai com certeza me fazer feliz.

Glinda- Será possível que você não enxerga que você pode ter a sua felicidade esquecendo essa vingança? Por que não pode esquecer a sua irmã e ser feliz sem fazer outras pessoas sofrerem? Você pode ser feliz Zelena.

Zelena— Não, eu não posso! Vou seguir em frente com meu plano e não recuarei.

Glinda- Várias vidas estão em jogo Zelena, eu sei que você tem sentimentos pelo Noah. Por que não se dá essa chance de ser feliz ao lado dele.

Zelena— Eu não tenho sentimentos( grita)

Glinda- Sei que tem. Sei que arrancou o seu coração e teve a ilusão que enterrando ele, conseguiria enterrar junto os seus sentimentos.

Zelena— Eu os enterrei sim. Meu coração, aqueles sentimentos ridículos que eu experimentei e enterrei também aquele homem que não era digno de mim.

Glinda- Você está cega por essa vingança. Você estava em conflito ao deixar o Noah pra trás. O que sente pelo Noah é amor.

Zelena— Amor? Amor é apenas um sentimento. Você sente o amor até o dia que o deixa de sentir.

Glinda- Você deixou a sua inveja lhe consumir Zelena. O Noah representa a sua felicidade, a sua chance de ter alguém ao seu lado que lhe dê amor e segurança. Você o ama!

Zelena— E por que acha que eu enterrei meu coração?( grita) Esse maldito sentimento que você chama de amor, estava deixando os meus planos em segundo lugar e isso eu não podia permitir.

Glinda- Zelena, coloque o seu coração de volta! Só aí você sentirá o que realmente vale a pena.

Zelena— Nunca, eu o enterrei com um feitiço tão poderoso que nem mesmo eu poderei desenterra-lo.

Glenda solta a respiração derrotada.

Glinda- Eu tentei Zelena, tentei mesmo te fazer enxergar o que você se recusa. Temo que seja tarde demais. Daqui a pouco tempo você vai descobrir um motivo de...Eu me enganei em vir aqui tentar te persuadir.

Zelena— O que ia falando? Motivo?( confusa)

Glinda- Não adianta te contar agora Zelena, mais tarde você vai descobrir e nem a chegada de outra pessoa em sua vida será capaz de tirar essa maldade toda que existe em você.

Zelena— O que isso quer dizer?

Glinda- Quer dizer que você não merece carregar nada de bom consigo, mesmo tendo conseguido conceber essa dádiva e eu sinto muito que você não perceba isso agora.

Glinda vai saindo.

Zelena— O que vai acontecer? Que coisa boa é essa que eu carrego comigo?

Glenda— A única coisa que eu posso dizer é que você não a merece.

Zelena— Não me fará recuar com esses seus enigmas.

Glinda— Muito bem, esteja preparada pra seu destino sem amor, continue com essa obsessão por sua irmã, deixe a inveja e a ganancia falarem por você. Mas eu te garanto Zelena, chegará o dia em que você olhará pra trás e não enxergará nada além de decisões erradas e consequências que não poderá serem revertidas.

Glinda some e deixa Zelena tonta com aquela conversa.

FLASH BACK OFF.

No navio pirata.

Um bom tempo depois Emma está conversando com Hook.

Emma— E ele pediu desculpas?

Hook— Sim.

Emma— Ele devia ter feito isso há muito tempo.

Hook— Esqueça isso.

Emma— Tem razão. A Regina tá resolvendo os assuntos pendentes com o Robin, o Henry vai dormir na casa da minha mãe, a Amy tá na pensão da vovó.A noite é nossa.

Hook se aproxima da loira.

Emma— Então? Leu o livro que eu deixei aqui mais cedo?

Hook— Da capa a contra capa, na verdade eu o li e estudei em pouco mais de uma hora.

Emma— É mesmo? E o que achou?

Hook— Que pra cada ensinamento é necessário um numero intensivo de aulas práticas.

Emma— Eu concordo.

Os dois se beijam muito, mas são interrompidos.

Belle— Emmmaaa!

Hook— Quem é?

Emma— Eu acho que é a Belle!

Os dois sobem.

Emma— Belle, o que houve?

Belle- Eu pre...Eu preci...

Emma— Respira forte.

Belle inspira e expira algumas vezes.

Emma— O que você...

Belle— Ela está sem coração( respirando forte)

Emma— Quem? A Regina?

Belle— A Zelena. A Bruxa má está sem o coração.

Belle mostra o livro que vem trazendo.

Emma— O quê? Como descobriu isso?

Belle— Nesse livro conta a história de uma bruxa que enterrou o coração perto de um pé de maças verdes.

Hook— Mas como podemos saber que se trata da Zelena?

Emma— Faz muito sentido, quando ela e Regina se encontraram hoje cedo, a Zelena chegou a mencionar que já “teve” um coração!

Hook- Por isso ela é descontrolada desse jeito?

Belle— Provavelmente.Nesse livro tem a história do amor verdadeiro da Zelena.

Hook— A Zelena teve um amor verdadeiro?(surpreso)

Belle— Ao que parece, ela abriu mão dele pra poder seguir com a vingança.

Emma— Ela fez o mesmo que a mãe. Tirou o próprio coração pra não ser impedida pelo amor, já que segundo a mamãe Cora, o amor é uma fraqueza.

Hook— Quem puxa aos seus não degenera. A Zelena tá se tornando a Cora. Que família!

Emma— Ela tá se tornando cada vez mais cruel e vingativa como a mãe. Se era isso que ela queria tá fazendo um ótimo trabalho. Belle essa informação não pode chegar aos ouvidos do seu marido.

Belle— EX- marido e por mim ele não saberá.

Emma— Precisamos deter a Zelena e essa é a arma surpresa que precisávamos. É uma esperança.

Hook— Já sabem o que ela pretende?

Emma— Ela foi derrotada pela irmã, então o alvo principal dela é a Regina, até imagino como ela vai querer atingi-la.

Belle—Creio que ela vá atacar o Rumple também.

Emma— Então temos que nos adiantar e tentar ataca-la com essa nova chance.

Hook— E o que podemos fazer com essa informação?

Belle- Pelo o que diz no livro, o coração dela está enterrado em algum lugar de Oz.

Emma—Então é em Oz que devemos começar a jornada.

Hook— Como faremos isso love? Como chegaremos a Oz? Não podemos entrar em outro reino sem o auxilio de uma nova maldição.

Emma— Ainda não tenho ideia, mas precisamos entrar naquele reino e devolver o coração da Zelena.

Os três ficam apreensivos.

ENQUANTO ISSO NO REINO DE OZ.

Noah vem chegando em sua casa e vê de longe uma bela jovem com uma cesta de frutas. Ele se aproxima!

Noah— Rebecca?( sorri)

Rebecca se vira e dá de cara com o pai.

A jovem ruiva solta a cesta no chão e corre sorrindo de encontro ao homem.

Rebecca- Pai(sussurra feliz)



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...