História Laços do Passado - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Tags Once Upon A Time, Outlaw Queen
Visualizações 41
Palavras 5.438
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 21 - Você é minha melhor amiga


Fanfic / Fanfiction Laços do Passado - Capítulo 21 - Você é minha melhor amiga

Rebecca— Pai!

Noah— Filha que saudades.

Rebecca— Eu também.

Noah— Desculpe ter demorado tanto.

Rebecca— Foram apenas 5 dias, mas pra mim pareceu uma eternidade.

Noah— Pra mim também.

Os dois entram em casa e Rebecca serve café e biscoitos pra seu pai.

Rebecca— Como foram as vendas?

Noah— Foram muito boas, consegui vender todas as espadas.

Rebecca— Que coisa boa pai!

Noah— Eu trouxe um presente.

Rebecca— Pai, não precisava trazer nada, eu já te disse.

Noah— Estamos indo muito bem, as vendas estão ótimas, eu queria trazer um agrado.

Ele tira de sua aljava um pequeno embrulho.

Rebecca abre e encontra um colar com uma pequena pedra verde.

Rebecca— Pai, ele é lindo!( olhando pra joia)

Noah pega das mãos da garota e coloca no pescoço dela.

Rebecca se levanta, vai até o espelho e admira o presente.

Noah— Comprei pra combinar com seus olhos.

Rebecca— Pai, ele é perfeito. Muito obrigada!

Noah— Não precisa agradecer. Você é uma filha maravilhosa

Rebecca sorri e o pai se aproxima.

Noah— Você está cada vez mais parecida com ela( segurando o rosto da filha)

Rebecca— Eu sinto muito que lembre dela toda vez que olha pra mim.

Noah— Não sinta, a sua mãe me deu o maior presente que podia me dar. Ela me deu você!

Rebecca sorri e o abraça.

FLASH BACK ON

Parteira— Força minha filha, força!

Zelena— Ahhhh(grita)

Parteira— Está vindo, empurre um pouco mais!

Zelena— Você está dizendo isso há horas( fala entre os dentes)

Parteira— Todo parto é difícil minha filha, faça força!

Zelena— AHHHHH

Parteira— Isso força, empurre...Empurre!

Zelena— Eu não consigo mais.

Parteira— Consegue. Respire um pouco e concentre suas forças.

Zelena respira forte, puxa a respiração e grita mais uma vez, seu grito é tão forte que estoura a janela de vidro.

As forças de Zelena vão se esvaindo

Parteira— É uma menina minha filha.

Zelena respira forte.

Parteira— É uma linda menina.

A parteira corta o cordão umbilical, envolve a menina numa manta e se aproxima, mas para quando Zelena vira a cara.

Parteira— Você não quer nem conhece-la?

Zelena— Leve ela pra o pai.

Parteira— Tem certeza que quer...

Zelena— Leve ela pra o pai( respira forte)

A parteira olha pra o bebê e olha pra a ruiva que ainda está ofegante em cima da cama e se retira.

A parteira sai da casa, anda um pouco e entra em outra casinha humilde. Ela encontra Noah na andando de um lado pra o outro. A parteira entra com a menina nos braços.

Noah abre o sorriso.

Noah— Nasceu(ri emocionado)

Parteira— É uma menina meu filho.

Noah— Uma menina? Eu adoro meninas!

A parteira entrega o bebê a Noah que a pega com delicadeza.

Noah- Ela é linda( emocionado olha nos olhos da menina)

Noah fica ali encantado com a filha.

Noah— A Zelena está bem?

Parteira— Foi um parto muito difícil, mas ela vai ficar bem. Ela não quis nem ver a menina.

Noah— Ela não sabe amar, mas a nossa filha estará melhor ao meu lado. A Zelena possui magia e eu já aprendi a ficar longe desse tipo de coisa.Oi meu amor( fala baixo e beija a testa do bebê) eu sou o seu pai e te prometo que te darei todo o amor do mundo e você não sentirá falta de nada! Eu te prometo...Rebecca!

Noah sai com a menina nos braços, deixando pra trás Zelena que sumiu dois dias depois do parto e não quis mais chegar perto da filha. A ruiva já havia deixado claro desde o momento que descobriu que estava grávida, que o bebê ficaria com o pai.

FLASH BACK OFF

Graham- O que você está me dizendo?

Isabel— Isso mesmo meu filho, eu sou sua mãe.

Graham— Não, não pode ser.

Isabel— Meu filho, por favor, acredita em mim,

Graham— Por mais que eu queira que isso seja verdade. Como eu posso acreditar nessa loucura? Como posso saber que você é realmente a minha mãe?

Isabel— Você tem um sinal.

Graham— Que tipo de sinal?

Isabel— Um sinal intimo! Só uma pessoa muito intima de você saberia da existência dele. É pequenininho, redondo avermelhado perto do seu pê...

Graham— Já entendi!

Isabel— A Cora me transformou num animal, eu não pude fazer nada meu filho.

Graham— Eu cresci com os lobos, não conheci nada além deles até a minha adolescência, até que uma senhora de uma aldeia me achou e me ensinou a ser um ser humano.

Isabel— Eu sei disso, eu vi tudo. Eu sinto muito por tudo que passou.

Graham—Não sinta, foi culpa daquela maldita bruxa!

Graham vai do outro lado da sala.

Isabel— Eu estive ao seu lado cada momento da sua vida!

Graham— Eu não consigo acreditar é tudo tão...

Ele olha pra mãe que está emocionada e ele se emociona também.

Graham—Mãe!

Os dois se abraçam emocionados!

Isabel— Finalmente eu posso te abraçar meu querido.

Na casa dos encantado Snow está deitada em sua cama, observando seu filho dormir.

Snow— Ah meu pequeno, eu sei que é pra ele aprender, mas já estou com saudades.

Alguém bate a porta.

Snow olha pra o relógio e estranha. Veste o robe e vai atender.

Quando ela dá de cara com um enorme buquê de rosas vermelhas, segundos depois David surge atrás das rosas. Ele entrega as rosa a esposa que as cheira.

Snow— O que faz aqui? Achei que eu tinha deixado claro que devia passar a noite na delegacia.

David— Eu sei e vou passar a noite lá. Só vim deixar isso aqui pra você e dá um beijo no Neal.

Snow abre espaço e David entra e beija o bebê.

David— Eu pedi desculpas ao Hook e queria pedir desculpas a você.

Snow— Pediu de coração ao Hook?

David— Por que acha que eu não pediria de coração?

Snow— Por que eu te conheço e você poderia muito bem estar pedindo desculpas só pra o Hook contar pra Emma e ela desculpar você.

David— Foram desculpas sinceras. Preciso que me perdoe por ter usado aquele rótulo ridículo e ter te magoado. Eu sei por que você precisou se tornar uma ladra, não foi uma opção sua, mesmo se fosse eu não me importaria, por que eu me apaixonei por você exatamente pelo que você me mostrou: Uma ladra de joias.

Snow tenta, mas não consegue segurar o sorriso.

David— Está sorrindo! É um bom sinal.

Snow— Estou sorrindo, mas ainda estou com raiva de você.

Os dois se olham e encaram o chão.

Snow— David, quando a Regina lançou a maldição e eu descobri que apenas uma pessoa podiam escapar eu me desesperei pensando em te perder e quando eu entrei em trabalho de parto, eu me perguntava o que seria dela e...Quando eu coloquei ela nos seus braços pra que a colocasse naquele portal eu senti a maior dor da minha vida David.

David— Eu sei Snow.

Snow— Não, você não sabe. Você tem ideia de como pode ser, mas não sentiu ela crescer dentro de mim e senti-la chutar...É um amor tão imenso que não se pode calcular. Amo você, mas amor de mãe para com o filho é maior que qualquer coisa nesse mundo, é um amor incondicional. Quando ela chegou a essa cidade eu senti uma forte ligação com ela. Quando a maldição foi quebrada eu já a amava sem entender por quê. A Emma é uma das razões da minha vida.

David— Eu sei meu amor.

Snow— Nunca mais faça nada que possa afastar a minha filha de mim.

David— Eu não tive essa intenção meu amor.

Snow— Com ou sem intenção a Emma ficou magoada com você.

David— Eu sei disso e estou tentando concertar.

Snow— Ela sente que não tem privacidade aqui e essa sua critica mexeu tanto com ela que...

David— Ela o quê?

Snow— Ela decidiu se mudar.

David— O quê? Não!
Snow— Ela já decidiu e mesmo que ela diga que não é pelo o que aconteceu, eu sinto que ela se sente sufocada David...Precisamos parar de trata-la como criança e enxerga-la como ela é: uma adulta.

David fica calado.

Snow— Eu não vou suportar se ela se afastar de nós e se tornar uma estranha como quando ela chegou aqui.

David— Eu prometo a você que não deixarei isso acontecer.

Snow— Não quero ela longe de mim.

David— Ela não vai ficar longe de nós. Eu prometo.

Ele a beija e a abraça.

Snow para o beijo e vai o empurrando pra fora do apartamento.

David— Ainda estou de castigo?

Snow— Volte pra delegacia.

Quando David está fora ela fecha a porta e sorri.

De volta a delegacia Isabel ainda conversa com Graham.

Graham— O quê?( fala entre os dentes)

Isabel— Graham.

Graham— Eu tenho o mesmo sangue que aquele ladrão?

Isabel— Meu filho, por favor, o seu irmão é uma boa pessoa.

Graham— Ele e eu somos inimigos.

Isabel— Inimigos?

Graham— Ele á a pessoa que está impedindo a minha felicidade ao lado da mulher que eu amo.

Isabel— Você ama Marian?(arregala os olhos)

Graham— Marian? Não, eu amo a Regina.

Isabel— Regina? A rainha Regina?

Graham— É a minha rainha( fala baixo)

Graham começa a contar sobre tudo o que viveu com Regina e tudo o que aconteceu depois da chegada de Robin, contado uma versão distorcida, deixando o ladrão como infiel.

Isabel— Eu sabia que havia algo errado, mas eu não imaginava que ele traía a esposa.

Graham— Ele atrapalha a minha vida com ela.

Isabel— Eu prometo que vou conversar com ele. Como uma família podemos resolver isso.

Graham— Obrigado...Mãe.

Os dois se abraçam mais uma vez.

No outro dia.

Regina desperta feliz, ela respira forte, se espreguiça devagar ,abre os olhos e seus olhos encontram um certo ladrão sentado na ponta da cama com uma bandeja de café da manhã no colo.

Regina— Que susto Robin!( sorrindo se senta)

Robin— Bom dia majestade.

Ele se levanta, coloca a bandeja no colo da morena.

Robin— Com fome?

Regina— Muita( pega logo uma torrada e morde um pedaço generoso)

Robin— É tão bom te ver dormindo.

Regina— Há quanto tempo está aí me observando?

Robin— Nem sei dizer. Você não tem ideia do que eu senti quando eu acordei e dei de cara com o seu rosto sereno.

Regina— E o que seria?

Ele se aproxima e dá um selinho nela.

Robin— Felicidade nem começa a descrever meu amor.

Regina—Obrigado pela noite maravilhosa que você me deu.

Robin— Acredite o prazer foi todo meu. Agradar você é minha satisfação! Agora coma e alimenta a nossa princesa.

Regina— Princesa? Talvez seja um príncipe!( morde outro pedaço da torrada) Ah meu Deus, você tem preferencia?( fica com o semblante preocupado)

Robin— Um príncipe ou uma princesa eu vou amar do mesmo jeito.

Regina— E se forem gêmeos?

Robin— Eu vou amar ainda mais! Não importa a quantidade ou o sexo( alisa a barriga de Regina) o que importa é que eu terei outro filho com a mulher mais maravilhosa que possa existir.

Regina abre um sorriso enorme ao ouvir as palavras de Robin.

O ladrão se afasta.

Robin— Regina, posso te perguntar uma coisa?

Regina— Claro( bebe um pouco de suco)

Robin— Acha que a Amy vai gostar de mim?

Regina tomba a cabeça de lado e observa o ladrão.

Regina— Robin, é claro que ela vai gostar. Ela vai amar o pai maravilhoso que ela tem. Agora vamos tomar nosso café, daqui a pouco eles chegam pra irmos ao haras.

Robin— Eu acho melhor nos encontrarmos lá, eu pego o Roland e vou com ele pra o haras.

Regina— Tudo bem.

Algum tempo depois Emma e Hook estão próximo ao haras.

Hook— Eles não podem nos ver aqui?

Emma— Não, eu lancei um feitiço pra eles não nos vissem.

Hook— Me diz de novo o que estamos fazendo aqui.

Emma— Hook, a Regina e o Robin se amam, eles formam uma bela família, por vários e vários anos eles foram impedidos de se amar, agora eles tem a oportunidade de serem felizes.

Hook— Certo, mas isso não responde a minha pergunta.

Emma— Eles passaram por muita coisa, hoje vão ter a oportunidade de passarem o dia juntos. Vai ser um dia único, um dia de revelações e de bons momentos. É a primeira vez que eles vão se reunir como uma família de verdade.

Hook— Ainda não respondeu.

Emma— Eu não vou permitir que ninguém atrapalhe esse momento. Assim que todos estiverem juntos eu vou criar uma proteção pra que ninguém se aproxime.

Hook— Agora eu entendi!

Emma— Demorou pra entender!

Hook— Eu sou um pouco lento, mas compenso em outro departamento.

Emma— Não posso discordar.

Os dois se abraçam e se beijam.

Regina chega ao haras com Henry e com Amy e os dois observam a cena.

Os três descem do veículo e vão se encaminhando pra o casarão do haras.

Regina para.

Henry— Mãe?

Regina— Eu preciso contar uma coisa pra vocês.

Amy— Tá tudo bem?

Os três ficam ali parados se encarando.

Amy— Regina o que há?

Regina— Eu...Vocês sabem que há dias eu venho me sentindo mal.

Amy— Sei.

Henry— Fala mãe eu tô ficando nervoso.

Regina— Eu descobri o por que de tanto enjôo e tonturas.

Henry— E o que é?

Amy— É algo de ruim?

Regina respira forte.

Henry—É algo grave mãe? Por estamos juntos e...

Regina— Eu tô grávida!

Henry fica de boca aberta enquanto o grito de Amy ecoa.

Amy— Ahhh...Eu não acredito.

Amy abraça Regina com força que devolve o abraço feliz.

Henry está parado como se estivesse em choque.

Amy— Que noticia maravilhosa, eu não acredito que vou ganhar outro irmão.

Regina— Ou irmã!

Amy— Ah meu Deus eu tô tão feliz( emocionada) Parabéns!

Regina—Henry?

As duas olham e o garoto ainda tá em choque.

Henry— Ahm..(não consegue forma uma palavra)

Regina— Você está bem querido?

Henry— Uau...Nossa!

Regina— É muita novidade eu sei, mas...

Henry— Pode me fazer um favor?

Regina— Qualquer coisa.

Henry— Será que dava pra vir um menino?( abre um sorriso)

Regina— Eu vou ver o que posso fazer( sorri emocionada e aliviada)

Os três se abraçam.

Minutos depois Regina está perto de seu carro quando avista Robin chegando com Roland.

A morena adianta os passos e Roland corre e pula nos braços da morena.

Regina— Meu pequeno( o aperta nos braços)

Roland— Saudades.

Regina— Meu querido, eu também( beija a testa do garoto)

Roland— Papa disse que hoje vamos passar o dia brincando é verdade?

Regina— É sim, vamos brincar muito e tomar soverte o que acha?

Roland— De chocolate?

Robin chega perto e observa a inteiração entre sua amada e seu filho.

Regina— Chocolate(sorrindo)

Roland— Obaaa!(abraça ainda mais a morena). Cadê o Henry?

Regina— Ele tá lá nos estábulos vai lá ver ele.

Roland desce e sai correndo.

Robin— Não devia ter feito isso.

Regina— O quê?(franze as sobrancelhas)

Robin— Pegar no Roland.

Regina— Não posso pegar no Roland?(confusa coloca as mãos na cintura)

Robin— Ele é pesado minha rainha( a segura pela cintura)

Regina— Mas...

Robin— Mas nada Regina, não pode pegar em peso e ponto final. Muito menos cavalgar.

Regina— Ah não Robin, você...

Robin se abaixa e se ajoelha na frente de Regina, se aproxima e conversa com o bebê.

Robin— Oi meu amor, é o papai, olha só eu sei que você ainda é pequenininho ou pequenininha, mas acho que pode me ouvir, então presta bem atenção. O papai vai te proteger sempre, prometo que darei a minha vida no mesmo segundo pra proteger você e sua mãe. Seus irmãos, você e sua mãe são a razão da minha vida.

O ladrão beija a barriga de Regina e ao levantar a cabeça ele a vê emocionada.

Regina— Meu amor.

Robin se levanta.

Robin—Regina, você é a razão da minha vida, você e meus filhos completam a minha vida. Eu amo você.

A rainha escuta àquelas três palavras quase sem acreditar.

Regina— Foram as palavras mais lindas que eu já ouvi.

Ele a abraça e a beija.

Regina— Eu também te amo meu amor!

Os dois ficam abraçados por um tempo, até que Regina para o abraço.

Regina— Quer conhecer a sua filha?

Robin olha nos olhos de Regina e sente amor em seus olhos, quando ele se vira ele vê Amy um pouco afastada olhando pra os pais.

Ainda receoso ele dá alguns passos em direção a Amy que não aguenta a emoção e corre a seu encontro.

Em câmera lenta pai e filha se abraçam com força e emociona todos ao redor.

Robin— Minha filha( fala com a voz embargada)

Amy— Pai( chorando)

Robin a aperta em seus braços e a gira no ar, como se estivesse pegando em sua filha a primeira vez.

Regina se aproxima com o rosto banhado de lagrimas. Os três se unem e uma luz forte azul e roxa se misturam no ar e Robin olha fixamente pra Regina. Em sua cabeça tem um flash com várias cenas.

Queda de cavalo- Maças- Escada- Encontro- Sexo- Gravidez- Cora.

Regina o olha, ele devolve olhar sorrindo e as abraça ainda mais forte em seus braços.

Roland e Henry vem chegando e o abraço em grupo é inevitável.

Regina parece não acredita em tanto amor que está ao seu redor.

Depois de tanto sofrimento e solidão, os laços do passado foram refeitos e depois que se conectaram, a energia e a magia se encontraram, as vidas comungaram e os corações bateram num só sentimento: Amor. Robin e Regina amargaram a dor da separação, os horrores das perdas de outros amores, mas ao se reencontrarem eles comprovaram que podem haver outros amores, mas apenas um é verdadeiro, apenas um é completo...Apenas um amor se torna eterno!

A salvadora e o pirata observam a cena emocionados.

Emma— Eu não acredito que estou assistindo essa cena, eu consegui refazer o laço( emocionada). Eu consegui completar a minha missão, eles merecem mesmo a felicidade e...Hook?

Hook— O que é?( enxugando o rosto)

Emma— O que houve?( pergunta sabendo a resposta)

Hook— Não foi nada, meu olho tá ardendo, acho que é alergia.

Emma— Alergia a quê? Ao delineador?

Hook— Eu vou vigiar o outro lado( ainda emocionado)

Hook vai saindo.

Emma— Vai fracote!

Hook— Cala a boca.

Emma— Eles merecem esse dia só pra eles.

Emma ergue as mãos e cria um campo de força protegendo todo o terreno do haras.

A família Mills-Hood aproveita o dia da melhor forma. Caminhada, piquenique, brincadeiras divertidas, passeio a cavalo, depois de muito insistir Regina convence Robin a sair a cavalo, mas o ladrão só permite depois que a rainha aceita ir na companhia dele. Passeio de charrete, banho no rio e muito amor envolvido.

Ao entardecer Robin está sentado encostado numa arvore e sua rainha deitada com a cabeça em seu colo.

Robin— Está feliz meu amor?

Regina— Completamente, foi o dia perfeito.

Eles observam Amy, Henry e Roland brincando.

Regina— Nunca estive tão feliz em toda a minha vida.

Robin— Eu também.

Roland vai pra o colo de Amy e depois pra o de Henry.

Regina— Ainda não acredito que você tá ensinando ela usar arco e flecha.

Robin ri.

Regina— Você estava ensinando pelas minhas costas seu ladrão.

Robin dá uma gargalhada.

Regina— Não ria.

Robin— Ela precisa saber se defender.

Regina— Ela já herdou a minha magia.

Robin— E o talento em arco e flecha do pai. Ela me viu usar, ficou impressionada com a boa mira que o pai tem e eu me ofereci pra ensiná-la.

Regina— Boa mira? Se eu bem me lembro você acertou a fera e ela voltou.

Robin— Era outra fera.

Agora Regina dá uma gargalhada.

Robin— Eu adoro o som da sua risada.

Regina olha pra o amado e ele alisa o cabelo curto da morena.

Robin- Quando eu te vi pela primeira vez, eu achei que estava vendo uma visão. Os cabelos longos e negros se movimentando com o vento.

Regina o encara.

Robin—Em pensar que derrubar uma rainha de um cavalo resultaria em minha felicidade.

Regina se senta.

Regina— Você lembrou?

Robin— Quando estávamos abraçados...Eu , você e a Amy eu senti uma energia forte, de repente um flash veio na minha cabeça e no segundo seguinte eu lembrei de tudo.

Regina— Meu amor.

Os dois se abraçam.

Robin— Além de vários momentos especiais, eu lembrei de uma coisa em particular.

Regina— Do quê?

Robin— Quando eu disse que estava apaixonado por você e a nossa primeira noite de amor.

Regina— Foi a primeira vez que senti alguém me amar com calma, sem pressa. Foi a primeira vez que eu fiz amor.

Robin— Você é uma mulher maravilhosa e só merece um homem que te faça carinho e te ame do jeito que você merece.

Os dois se beijam muito.

Regina— Você quem me ajudou a trazer a Amy ao mundo.

Robin— Foi eu quem a pegou no colo pela primeira vez...Foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida meu amor. Ela era tão pequenininha, tão frágil e hoje...Se é uma garota forte e bela igualzinha a mãe. Você me faz o homem mais feliz do mundo.

Regina— E eu a mais feliz.

Ele a beija mais uma vez.

Regina— Vamos entrar, tô morrendo de fome.

Robin— Vamos sim, vou preparar um lanche bem gostoso pra minha morena.

Os dois saem abraçados pra o casarão.

O dia terminou da mesma forma que começou, com muito amor e perfeição.

No outro dia no corredor do hospital Robin anda de uma lado pra o outro.

Regina— Robin, eu estou ficando tonta( sentada)

Robin— Eu vou chamar um médico.

Regina— Não, eu estou ficando tonta de te ver andando de um lado pra o outro.

Robin— Me desculpa, mas é que eu tô nervoso.

Regina— Por favor se senta.

Robin se senta.

Robin— Me diz uma coisa.

Regina— O quê?

Robin— Não é o Whale que vai te examinar não né?

Regina— Porquê?

Robin— Eu não quero homem nenhum te tocando.

Regina dá uma gargalhada.

Regina— Que bobagem Robin, ele é médico.

Robin— Mesmo assim.

Regina abre a boca pra responder, mas é interrompida pela enfermeira.

Enfermeira— Prefeita, a doutora Megan já vai lhe atendê-la.

Regina— Satisfeito?( se levantando)

Robin— Muito.

Regina— Robin, eu esqueci a minha agenda no carro, pode pegar por favor?( entrega as chaves a Robin)

Robin— Claro, mas não entra sem mim.

Regina— Prometo.

Robin sai e a enfermeira fica observando o ladrão se distanciar e solta um suspiro.

Regina— Perdeu alguma coisa minha filha?( com as mãos na cintura)

Enfermeira— Não prefeita eu..Eu só...

Regina— Cobiçando o que não é do seu alcance?

A enfermeira não sabe o que fazer.

Regina— Aquele que acabou de sair é pai dos meus filhos, estou esperando um filho dele...E ainda me lembro como transformar gente em anão de jardim, não me provoque.

A enfermeira fica pálida e engole seco.

Quando Robin volta a enfermeira passa por ele apressada e com a cabeça baixa.

Robin— Vamos entrar?( entrega a bolsa)

Regina— Vamos( sorri)

Os dois entram na sala de mãos dadas.

Megan— Prefeita que prazer.

Regina— Como vai doutora?

Megan— Muito bem. Como vai Robin?

Robin— Nunca estive tão feliz( sorrindo pra Regina)

Megan— Que ótimo. Então vamos começar. Qual o motivo da consulta prefeita?

Regina— Bom, eu estou grávida. Quero ter o acompanhamento, o pré-natal...Quero fazer todos exames e seguir todas as recomendações.

Megan— Sabe de quanto tempo está?

Regina— Não.

Megan— Quando fez o exame de sangue?

Regina— Eu não fiz.

Megan— E como sabe que está grávida?

Regina— Eu fiz um teste caseiro.

Megan— Muito bem. Então vamos ter a certeza não é? O que tem sentido?

Regina— Enjoos, tonturas, desmaios, muito apetite e os hormônios estão descontrolados.

Robin ri.

Regina— Robin.

Megan— É normal, totalmente normal. Na gravidez o apetite sexual aumenta e muito. O importante é ter um parceiro que compreenda que esse apetite pode acontecer durante a gestação toda ou não. A gestação não é só da futura mamãe, mas também do papai.

Os dois se olham e se dão as mãos.

Megan— Regina, entre nessa sala do lado, tire a sua roupa e vista a bata.

Regina se levanta e vai até a sala do lado.

Megan— Robin, eu preciso dizer que estou muito satisfeita com a sua vinda com ela. O acompanhamento é importantíssimo pra que a gestação seja saudável.

Robin— Eu estarei ao lado dela sempre.

Megan- Haverá o dia em que ela estará normal, mas haverá o dia que os hormônios vão perturbá-la.

Robin— Como assim?

Megan— Uma gravidez mexe com todo o corpo da mulher. Os hormônios são os principais vilões numa gestação. Um dia a Regina vai acordar normal, outro dia ela vai chorar atoa e um dia ela vai acordar com raiva, mesmo que você não tem feito nada a ela.

Robin— Eu já passei por essa situação com ela e com muita convicção eu estou ciente e preparado pra qualquer situação.

Megan— Isso é muito bom.

Robin— Como eu devo agir nessas situações?

Megan— Quando ela começar a chorar do nada...E vai acontecer! Só deixe claro que está ao lado dela. Só segura a mão dela, converse e procure saber se pode resolver algum problema que está incomodando ela.

Robin— Eu vou precisar de aulas, ela já tem o gênio forte!

Megan— Quando tiver alguma dúvida me procure.

Robin— Muito obrigado doutora.

Regina volta.

Megan— Venha Regina, deite aqui.

Robin a ajuda e Regina se deita devagar na maca.

Robin fica de lado.

Megan— Dobre as pernas.

Regina obedece. A medica se posiciona em frente a Regina.

Megan— Relaxe tudo bem?

Regina— Tudo bem.

Ela realiza o exame de toque. Alguns minutos depois a doutora se afasta, tira a luva e as joga no lixo.

Megan— Você disse que fez um exame caseiro?( coloca outra luva)

Regina—Sim.

Megan- Quando foi a sua ultima menstruação?

Regina— Há 3 meses. Por quê?

Megan— Eu não consegui sentir nada.

Regina— O quê?( nervosa)

Robin fica apreensivo.

Megan— Eu...

Regina—Ah meu Deus, não pode ser, eu não posso ter me enganado desse jeito!( começa a ficar nervosa e Robin aperta a mão dela)

Megan— Fique calma Regina, vamos ver o que está acontecendo.

Megan liga um monitor ao lado da maca.

Megan— Eu vou passar esse gel geladinho e depois passar esse aparelho tá bem?

Regina agora nem responde mais, só balança a cabeça.

Megan espalha o gel no ventre da morena.

Robin— Fica calma meu amor.

Regina— Robin, eu estava tão feliz com essa gestação e...

Os três se calam ao ouvir um barulho rápido ecoando pela sala.

Megan— Regina, está ouvindo esse barulho?( sorrindo)

Regina— Estou( surpresa)

Megan— É o som dos batimentos do seu bebê.

Regina— Eu...Ah meu Deus(coloca a mão na boca)...Então está mesmo acontecendo? Eu estou mesmo grávida?( emocionadíssima)

Megan— Está sim e é um bebê forte.

Robin— Que alegria!

Megan— Olhem pra esse pequeno ponto aqui.

Os dois olham hipnotizados.

Megan— Esse ponto é o bebê.

Robin beija a testa da rainha que se esvai em lágrimas.

Regina— É tão pequeno.

Megan— Eu sei que é tudo novo pra vocês. Na floresta encantada não tinha como ver ou ouvir e acreditem pra mim também é emocionante.

Regina não aguenta de tanta alegria.

Megan— Tudo bem( limpa a barriga de Regina), vamos pesar você e farei alguns cálculos.

Os dois ajudam Regina a se levantar e ela sobe na balança.

A médica anota o peso de Regina, colhe sangue e faz mais alguns exames.

Megan— Pode se trocar.

Regina vai pra sala ao lado.

Megan faz algumas anotações sobre o olhar atento de Robin.

Instantes depois Regina retorna.

Regina— Tá tudo bem com ele?

Megan— Está sim, você está num bom peso, pelos exames que eu fiz você está com 5 semanas. Basicamente 2 meses e meio.

Regina sorri e Robin também.

Megan— Vou verificar o seu exame de sangue, mas logo de cara vou receitar umas vitaminas pra futura mamãe.

Entrega a Regina a receita.

Regina— Doutora e quanto ao sexo?

Robin empalidece e encara Regina.

Megan— Não há nenhuma contraindicação, desde que a mãe fique confortável, eu aconselho que depois do segundo trimestres evitem posições mais complexas.

Regina— Eu agradeço a explicação, mas eu queria dizer quando poderemos saber o sexo.

Megan— Ah( sorri), bom, depende! As vezes conseguimos identificar o sexo depois do quarto mês, outros só com seis meses. Isso varia muito! A cada vez faremos uma tentativa tá bem?

Regina— Obrigada doutora( aperta a mão da doutora)

Megan— Foi um prazer. Comece a tomar as vitaminas imediatamente. Volte aqui a cada 30 dias. E lembre-se: O bebê sente o que você sente, então tente evitar stress e se alimente bem.

Robin—Pode deixar doutora, vou cuidar muito bem dela.

Megan— Ótimo.

Os dois saem do hospital felizes.

Algum tempo depois Regina está na prefeitura.

Robin está ensacando a blusa dentro da calça e, Regina está fechando o zíper da saia.

Regina—Vai embora, a nossa filha daqui a pouco chega aqui.

Robin— Que bom que fui rápido.

Os dois se aproximam e se beijam.

Robin—Foi uma ótima ideia passar aqui.

Regina— Não devia, jogou baixo, tá se aproveitando de mim e dos meus hormônios.

Robin— Só um pouco. A culpa é sua, cada vez que eu me aproximo de você, mas eu quero estar.

Amy e Emma chegam e todos na sala ficam constrangidos.

Regina—Por que demoraram?

Amy— Eu estava procurando aquele doce que você adora.

Regina sorri.

Robin— Eu já vou indo. Vamos Amy?

Regina— Por favor, tomem cuidado.

Amy— Eu prometo.

Todos se abraçam e se despedem.

Emma— Então como foi a consulta?

Regina— Ótima, dois meses e meio.

Emma— O bebê está bem?

Regina— Está, foi incrível ouvir os batimentos...Nunca ouvi nada igual.

Emma— É mesmo emocionante. Estou feliz por vocês Regina.

Regina— Obrigada.

Emma— O que vocês dois estavam fazendo aqui sozinhos?

Regina— Nada demais.

Emma— A sua saia está ao contrário e a sua blusa amassada. Quer mesmo manter essa versão?

Regina— O que você...Ah não!( olha pra mesa vazia)

Emma— O que foi?

Regina— Eu esqueci de pegar as minhas vitaminas no carro.

As duas descem até o carro de Regina.

Emma se despede da morena e sai.

Robin vem voltando com Amy.

Regina— O que foi?

Robin— Ela esqueceu o celular.

Amy vai pra prefeitura enquanto Regina conversa com Robin. Ele alisa a barriga da morena com carinho.

De longe Graham vê a cena. Gold presencia tudo!

Gold— Ela tá grávida( furioso)

Graham se aproxima sorrateiramente.

Robin— Eu vou pegar um café e já volto.

Robin atravessa a rua.

Graham— Então é isso Regina?

Regina— Graham( nervosa e surpresa)

Graham— Foi por isso que você nem quis considerar a minha proposta...Você tá com esse ladrão?( fala com nojo)

Regina— Graham, eu ia conversar com você eu...

Graham— Não tem mais nada pra conversar Regina( segura o braço da rainha)

Regina— Você tá me machucando. Me solta!

Robin— Você tá ficando louco.

Robin empurra Graham com tudo.

Robin— Como tem coragem de tocar na minha mulher desse jeito?

Graham— Regina, você me deve uma explicação.

Robin— Ela não deve satisfação nenhuma a você Graham, deixe ela em paz.

Graham— A conversa é entre mim e ela ladrão.

Regina fica nervosa com toda a situação.

Robin— Não há conversa nenhuma. Regina e eu estamos juntos e teremos um bebê.

Graham— Você...Você tá grávida!( com fúria nos olhos)

Graham tenta avançar, mas David chega perto.

David— Vamos embora Graham.

Graham— Me solta.

David— Vai por bem ou por mal.

Graham— Isso não vai ficar assim.

David vai arrastando Graham pra longe dos dois.

Robin— Você está bem?

Regina— Estou.

Gold vê de longe.

Gold— Ela não pode ter esse bebê.

Ele faz um movimento com as mãos e lança um feitiço que atinge Graham.

O caçador puxa a arma de David. Se vira e atira.

O estampido do disparo é ouvido.

Em fração de segundos Regina sente seu corpo ser jogado no chão. Quando ela consegue se virar ela vê Emma estirada ao seu lado, com um ferimento de bala no abdômen)

Regina— Emmaaaaa( grita desesperada)

Todos correm pra perto.

Regina— Emma( coloca a cabeça da loira no seu colo e a mancha de sangue aumenta)...Emma fala comigo( dá tapinhas em seu rosto)

Emma— Regina( sussurra)

Regina— Chamem uma ambulância( grita)...Por favor, não fecha os olhos( chorando)

Emma— Cuida...Cuida do nosso filho( fala baixo)

Regina— Por favor não me deixa Swan...!(Alisando o rosto de Emma)...Você é minha melhor amiga.

Emma lentamente fecha os olhos.

Regina- Emmaaa( grita em desespero total)



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...