História Laços Eternos - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Tags Drama, Romance, Saint Seiya, Yaoi
Exibições 77
Palavras 1.553
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente amada, eu não falei que não ia demorar!!!
Tá aí o primeiro lemon!! Espero que curtam, amados <3

Capítulo 30 - Paradise


Fanfic / Fanfiction Laços Eternos - Capítulo 30 - Paradise

O dia chegou. Hyoga e Shun organizaram seus armários com pressa, estavam loucos para aproveitar aquele lugar maravilhoso. Eram nove horas da manhã, bateram na porta do quarto vizinho para descerem juntos para a piscina. Camus atendeu.

 

_Oi meu filho, olá Shun - deu passagem para os meninos, que entraram e se sentaram. Viram que Jacob já estava animado para passear, mas o quarto ainda estava um pouco desorganizado - Acho melhor descerem com Jacob e nos encontramos na piscina aqui da frente, pode ser? Ainda preciso terminar de arrumar essa bagunça! 

 

_Ah, papai! Depois você arruma isso! Vamos pra piscina de uma vez! - Jacob falava, olhava incessantemente para a incrível vista da grande sacada. O mar com as típicas ondas fartas do Hawai, as palmeiras balançando com o soprar do vento e a enorme extensão daquele lindo céu azul. Nunca havia visto nada parecido, na Rússia fazia mais frio que em qualquer outro lugar que já fora - Quero ir logo!

 

_Eu sei, meu filho, vá com seu irmão! Ah, Hyoga, tome café-da-manhã antes e ajude Jacob. E nada de comer bobagens, hein! Shun, vigia seu amigo para mim? - disse o francês, ainda pendeurando uma camisa azul no cabide.

 

_Claro que sim! Vamos, Jacob? - disse Shun sorrindo.

 

_Mas... - a criança tentou relutar.

 

_Vamos logo Jacob! Você vai querer ficar dentro do quarto? Olha que dia lindo! Vamos aproveitar, anda - Hyoga notou que Saga parecia nervoso, estava sério desde ontem e sabia que seu pai queria conversar à sós com ele, então insistiu com o irmão - Vamos! - conduziu-o pela mão e saíram os três, fechando a porta em seguida.

 

Camus se sentou ao lado de Saga na cama. Ele realmente estava chateado com algo.

 

_Vai ficar com essa cara até quando? - perguntou sério.

 

_Camus, eu... Eu estou com medo de parecer louco, neurótico... Não queria, mas não consigo me controlar tanto assim. Não gostei de te ver junto do Milo ontem - suspirou.

 

_Saga -uniu as mãos - Deixa eu te dizer uma coisa. Primeiramente, eu e Milo não temos absolutamente nada a ver um com o outro, ele está com Geisty e eu com você. Em segundo lugar, se estou com você, não é para curar feridas ou coisas do tipo - o fez virar para si - Estou com você por que me faz bem, me faz feliz... Eu gosto de você, Saga. E me conhecendo como conhece, eu não fico bem por estar desconfiando da minha fidelidade - se fez sério, fechando o fino sorriso que continha nos lábios. Saga se levantou e andou de um lado para o outro.

 

_Não é nada disso, Camyu... Eu ponho minhas mãos no fogo por você... Eu tenho medo de que você se envolva por ele novamente - permanecia andando pelo quarto. Nunca havia confessado a profundidade de seus sentimentos a Camus - Tenho medo de que me deixe... Tenho medo de perder você.

 

Camus também se levantou e encarou o geminiano. Não seria possível que depois do que viveram, Saga estaria se tornando um "segundo Milo".

 

_Saga, eu acho que...- se sentiu abraçado fortemente por Saga, que o encostou na parede, ficando em silêncio absoluto, apenas o apertando em seus braços.

 

_Não fala nada - beijou-o com fome, abrindo passagem pela boca macia de Camus - Eu amo você - disse em seu ouvido, mordendo-o logo em seguida, o pressionando na parede - Eu não posso perder você - falou no outro ouvido, intercalando as mordidas, sentindo a respiração ofegante de Camus unir-se à sua expressão de surpresa - Diz que não vai me deixar - arrancou com brutalidade a blusa do outro, expondo o belo peitoral, que foi chupado e sugado, sentiu Camus passar a mão por seus cabelos e puxá-los, soltando um gemido de prazer ao sentir sua língua atingi-lo em seu baixo-ventre. Saga se colocou de joelhos e retirou o membro do outro vagarosamente de dentro da calça. Mordeu os lábios e engoliu-o por inteiro.Percebeu a bambeza do corpo de Camus e continuou sugando-o com gosto, o colocando e retirando de dentro de sua boca com velocidade, sentindo-o quase gozar. Se levantou - Ainda não, delícia - segurou-o pelos cabelos e o fez ficar de quatro sobre a cama.

 

_Saga... Ah...- sentiu dois dedos o penetrarem de forma abrupta, sem qualquer preparação. Amou aquilo. Passou a se movimentar e rebolar nos dedos de Saga, que os introduziu com mais força após a investida de Camus. Massageava o interior do outro com firmeza, vendo-o arquear o corpo ao receber um terceiro dedo - Quero... Você...

 

O francês se virou e puxou Saga pela blusa, fazendo-o cair por cima de si, voltando a beijá-lo com voracidade, retirando a camisa do outro por cima dos braços. Tocou seu membro absurdamente desperto por cima da calça, ouvindo um suspiro lento de Saga. 

 

Voltou a se deitar, e sob o olhar feroz do geminiano, abriu sensualmente as pernas, expondo o buraquinho rosado, que piscava incessantemente.

 

_Não faz isso comigo - retirou seu  mastro de dentro da calça e o introduziu bruscamente em Camus, que cravou as unhas em suas costas, contraindo o pênis de Saga dentro de si - AH... Faz isso... De novo - o outro deu um sorriso safado e se contraiu novamente, e mais algumas vezes, levando Saga ao delírio. Enlaçou a cintura dele com suas pernas, o permitindo penetrar mais fundo, enquanto este lhe dizia obscenidades ao pé do ouvido.

 

Os movimentos de Saga o estava enlouquecendo, e num movimento brusco, inverteu as posições e passou a cavalgá-lo freneticamente, sentando com velocidade sobre Saga, que segurava com força suas nádegas, o marcando e deixando arranhões profundos na região.

 

_Gostoso - deu uma sequência de tapas estalados nas nádegas que outrora apertava, fazendo com que o outro aumentasse o ritmo - Continua assim, meu puto - trouxe Camus para perto num abraço bruto, puxando seus cabelos com força, vendo-o sorrir e morder os lábios com prazer. Seus olhos se encontraram. Havia um brilho animal em cada um deles. Seus corpos estavam completamente encharcados pelo suor.

 

_Saga... Vou gozar - disse em seu ouvido, permitindo que o geminiano o estocasse com mais força e mais profundamente. Não resistiu àquela dura investida e gozou com um grito mudo na mão direita de Saga, que o masturbava, porém permaneceu cavalgando e rebolando para que o outro também o fizesse. 

 

_Camyu... AH  - conseguiu estocá-lo por uma última vez e explodiu de prazer dentro de Camus, que se atirou na cama, sem forças. 

 

_Eu não vou... Te deixar...- sorriu para Saga, que sentiu seu coração se acelerar. Estava certo de que seu destino era Camus. O abraçou e aguardou que suas respirações voltassem ao ritmo normal.

 

Foram tomar banho juntos, mesmo que fossem para a piscina, não podiam se apresentar daquela forma descompensada.

 

___xx___

 

Piscina do Hotel

 

Os três já haviam tomado o café-da-manhã no restaurante, que era um lugar bem tradicional à moda havaiana. Comeram frutas tropicais numa bandeja de madeira bem adornada, assim como a mesa e as cadeiras, que mesmo rústicos, não perdiam a sofisticação. A vista do restaurante era perfeita: o mar azul, as belas piscinas que continham em suas bordas quiosques que se assemelhavam a bares polinésios.

 

Hyoga acompanhou Jacob pra dentro da piscina, enquanto Shun se sentou em uma das espreguiçadeiras vagas e fitou o mar à sua frente. Estava absolutamente agradecido por tudo o que estava acontecendo em sua vida. Hyoga havia sido curado, seus amigos estavam felizes, aliás, todos estavam. Ele se julgava o mais feliz de todos, estava no paraíso com o amor de sua vida. Aquele era o cenário mais lindo para selarem de uma vez por todas o seu amor.

 

_Aloha! - uma moça bonita com o uniforme do resort veio cumprimentar Shun, que por sorte, falava inglês e pediu para que a garota se comunicasse nesta língua - Você está sozinho? Qual o seu nome?

 

_Não, estou com a minha família! Prazer, Shun!

 

_Muito prazer, Shun! Estou avisando a todos os jovens de que amanhã terá um luau na praia aqui da frente, se quiser ir - estava visivelmente atraída por Shun, o que fez Hyoga sair da piscina e andar até eles e se sentar ao lado do namorado na cadeira - Ah, pelo visto vocês estão juntos! Estava falando com Shun a respeito de um luau que haverá amanhã na praia daqui, considerem-se convidados!

 

_Ok, nós iremos - disse Shun com simpatia, vendo a mulher acenar com a cabeça e andar na direção oposta.

 

_Até posso ir, mas depois quero ficar só com você na praia... Cantar pra você... - acariciou a face de Shun com leveza, já que não era muito do feitio dele demonstrar carinho em público. Ouviu uma resposta doce de Shun e voltou a se atirar na água gelada da grande piscina.

 

Viram Camus e Saga se aproximarem e se dirigir ao quiosque, voltando cada um com um coco nas mãos. Se sentaram ao lado de Shun e conversaram sobre amenidades.

 

Ele não via a hora de chegar a noite de amanhã!

 

Continua 


Notas Finais


Olha eu aqui na madruga boladona ><
Amores, no próximo Cap o tão aguardado Shuny x Hyoga, só tenho uma coisa a declarar:
Vai ser LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO <3 #shunyehyoga
Espero que tenham gostado desse cap !!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...