História Laços Eternos - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Tags Drama, Romance, Saint Seiya, Yaoi
Exibições 78
Palavras 1.859
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Meus serumaninhos <3
Não demorei não néee???
Mais um lemon pra vocês ( mas está fofíneo <3 )
Espero que gostem, boa leitura!!

Capítulo 31 - Nosso amor. Nosso lugar.


Fanfic / Fanfiction Laços Eternos - Capítulo 31 - Nosso amor. Nosso lugar.

Passaram o dia na piscina, além de caminhadas para conhecer as praias e a extensão de todo aquele paraíso. Passaram pelo lugar que estava sendo organizado para o luau do dia seguinte. Havia um caminho de tochas até a areia, onde estavam mesas com velas por cima e almofadas e um palco montado na beira da praia. Era um cenário lindíssimo.

 

Estavam todos cansados pela andança, e logo após o jantar, se dirigiram para seus quartos.

 

_Acho que o luau vai ser incrível... - disse Hyoga a Shun. Estavam sentados na sacada, sentiam a brisa tocar-lhes suave, sentados no chão, acenderam o lampião que era um enfeite, mas ainda assim, funcionava. Shun estava entre as pernas de Hyoga.

 

_E eu tenho certeza - respondeu e encostou a cabeça no peito do namorado, sentiu seu coração acelerado - Estou muito feliz por ter vindo com vocês... - olhou para o loiro, que mantinha os olhos fechados e um fio de sorriso nos lábios - Está me ouvindo?

 

_Claro que estou... - conduziu a cabeça de Shun ao seu peito novamente - Estou sentindo você... - deu um beijo nos cabelos esverdeados - O que eu sinto por você é tão diferente de tudo que já senti na vida - voltou a beijá-lo - Você é a última pessoa que eu esperava merecer ganhar na vida... Tão perfeito. Tão lindo. Tão maravilhoso - sua boca se dirigiu ao pescoço de Shun, que se contraiu ao receber o toque, mesmo que tenha gostado - O que foi, amor? Não gostou?

 

_Não, não é isso - sorriu, apesar de estar planejando sua primeira vez com Hyoga, ainda tinha um pouco de receio de ser tocado - É claro que eu gostei - virou-se e o beijou em sua boca, teve sua cintura enlaçada pelas mãos de Hyoga. Não resistiu, precisava se habituar às carícias, afinal - Vamos dormir? Amanhã temos um longo dia... E uma longa noite - falou no ouvido de Hyoga, que concordou com a cabeça e foram se deitar. 

 

Shun se aconchegou nos braços do amado e assim adormeceram. 

 

O dia amanheceu, logo os cinco foram ao restaurante juntos para tomar o café-da-manhã. Camus e Saga puderam admirar a vista do restaurante à luz do dia, já que ontem não tomaram café e almoçaram no quiosque da piscina.

 

_Vocês vão ao luau hoje à noite? - perguntou Saga aos menores, bebendo um gole do suco de abacaxi - Estamos pensando em ir só para ver como é... Não vamos ficar por muito tempo - reparou sua fala, ao ver a expressão surpresa do enteado ao dizer que iriam. Provavelmente estaria planejando ficar à sós com Shun.

 

_Vamos sim! - respondeu Shun - Ficou muito lindo o lugar! Imagina à noite! 

 

Permaneceram conversando, depois foram à praia, onde havia mais quiosques com comidas e bebidas variadas. Passaram quase o dia inteiro lá. 

 

Logo que a tarde caiu, voltaram aos quartos para se arrumarem para o luau. Foram todos juntos até a praia, onde já havia algumas pessoas ocupando o lugar, foram recepcionados por mulheres que lhes deram colares havaianos. Se sentaram em uma das mesas e logo puderam escutar uma música acústica misturada ao som das ondas.

Já era onze e meia da noite, Camus e Saga foram embora e levaram Jacob. No meio da madrugada, Hyoga, sob a ajuda de algumas doses de bebida, pediu licença ao cantor, que cedeu gentilmente o palco e o violão para o loiro. 

 

_Eu queria dedicar essa música ao amor da minha vida - sorriu para Shun, que o olhava quase chorando. Recebeu aplausos das pocuas pessoas que ainda estavam lá. Iniciou a dedilhar o violão e cantou com sua voz suave e melodiosa.

 

"Loving you like I never have before

I'm needing you just to open up that door

If begging you might somehow turn the tides

Then tell me too I've got to get this off my mind

 

I never thought I'd be speaking these words

I never thought I'd need to say

Another day alone is more than I can take

 

Won't you save me?

Saving is what I need

I just wanna be by your side

Won't you save me?

I don't wanna to be

Just drifting through the sea of life

 

Won't you...

Listen please baby don't walk out that door

I'm on my knees you're all I'm living for

 

I never thought I'd be speaking these words

Haven't thought I'd find a way

Another day alone is more than I can take

 

Won't you save me?

Saving is what I need

I just wanna be by your side

Won't you save me?

But I don't wanna to be

Just drifting through the sea of life

 

Suddenly the sky is falling

Could it be it's too late for me?

If I never said "I'm sorry"

Then I'm wrong, yes I'm wrong

Then I hear my spirit calling

Wondering if she's longing for me

And then I know that I can't live without her

 

Won't you save me?

Saving is what I need

I just wanna be by your side

Won't you save me?

I don't wanna to be

Just drifting through the sea of life

Won't you save me?

Won't you save me?

Won't you save me?

Save-Me"

 

Após terminar, recebeu ainda mais aplausos e um pedido de "bis" mas se desculpou com a "plateia" com simpatia e conduziu Shun pelas areias até uma praia distante daquela, onde certamente não havia mais ninguém além deles. Shun ainda estava com lágrimas nos olhos. Se sentaram à beira-mar.

 

_Não quero que chore mais... Cantei para você por que te quero sorrindo.

 

_Mas eu estou feliz... Muito feliz! Estou chorando pela felicidade... - sorriu para o loiro - Eu te amo, Hyoga... Muito, muito! - beijou os lábios do namorado antes que pudesse receber qualquer resposta.

 

_Eu também te amo, Shun... Você foi o maior presente que os Deuses poderiam me dar - abraçou-o - Eu queria que você soubesse disso... Eu queria que soubesse que eu nunca vou te magoar - olhava profundamente nos olhos de Shun - Eu juro!

 

_Eu sei que não... Eu tenho sorte por você ser meu... E eu quero ser seu - se aproximou do outro - Completamente seu - disse em seu ouvido.

 

_Eu... Você? Mas... - gaguejou. Não conseguia acreditar que Shun queria se entregar a ele.

 

_É isso mesmo - sorriu de forma doce - Quero fazer amor com você... Nunca imaginei um lugar melhor...

 

_Ah, Shun, eu te amo! - se ajoelhou na frente do mais novo e beijou seus lábios com calma e doçura, aprofundando lentamente o beijo, pedindo espaço na boca do outro. Acariciou a face angelical e o deitou vagarosamente na areia. Se deitou sobre ele e permaneceu com os beijos lentos, que se tornavam urgentes em pouco tempo. Não deixavam de se olhar nos olhos um segundo sequer.

 

 Shun desceu suas mãos para a cintura de Hyoga e subiu sua blusa, retirando-a logo em seguida. Pousou as mãos pequenas no tórax do loiro, que sorria para si, o incentivando a continuar, desceu-as para o abdômen definido e fez o caminho inverso novamente. Voltou a se deitar sobre Shun, retirou também sua blusa e tomou seu pescoço com os lábios, dando leves chupadas e mordidas, sentindo o corpo pequeno se arrepiar e arfar com o toque. Distribuiu beijos leves até atingir um dos mamilos pequenos, depois o outro. Seguiu com os beijos até o cós da calça branca de Shun, que foi retirada com o mesmo carinho. Notou o membro rosado timidamente ereto, via o prazer misturado com o temor nos olhos do outro.

 

Iniciou uma masturbação lenta no membro do outro, que permanecia gemendo baixinho. Após tocá-lo por um tempo, visando quebrar a timidez de Shun, colocou o pênis, agora rígido na boca, fazendo movimentos de vai e vem, intercalando entre veloz e devagar. Foi estimulado a continuar quando sentiu um toque sutil de Shun em seus cabelos. Chupou as coxas, dando-lhes leves mordiscadas na parte interna. Abriu pouco mais suas pernas e encontrou seu alvo. Introduziu sua língua no interior de Shun, o qual se permitiu gemer alta e profundamente.

 

_Hyoga! - movimentava seu corpo desesperadamente, sentindo suas nádegas serem apertadas e afastadas, a língua do loiro o invadir cada vez mais - AH! - abria mais as pernas, cedendo passagem para a boca do outro, que sorria em meio às lambidas. Introduziu com calma um dedo em Shun, que sentiu um pouco de dor a princípio.

 

_Assim está bom? - perguntou em seu ouvido, tendo como resposta apenas um aceno de cabeça. Colocava e retirava o dedo com cuidado. Tudo o que não queria era frustar a primeira vez de seu amor - Te quero tanto, Shun - ele mesmo já não se aguentava. Seu membro parecia que explodiria dentro da calça, porém não podia apressar as coisas.

 

_Hyoga... - puxou os cabelos loiros num pedido mudo para que lhe penetrasse. Terminou de retirar sua roupa e direcionou seu membro rígido e avermelhado à entradinha molhada. Iniciou a penetração, que pela expressão de Shun, foi um pouco dolorosa - Calma, anjo - Introduziu-se um pouco mais, se sentindo extremamente apertado dentro dele - Não vou te machucar - beijou-o nos lábios novamente, tentando fazê-lo esquecer da dor. Aos poucos sentiu que Shun cedeu ao seu tamanho, fazendo com que o estocasse com mais urgência.

 

_Isso... É maravilhoso... - dizia entre gemidos - Está muito gostoso - ajudava Hyoga a penetrá-lo, se movimentando em círculos. Já não sentia mais dor. Apenas um prazer indescritível.

 

_Ah, Shun... Você é delicioso - se enfiava com mais força em Shun, via que ele gostava daquilo - Te amo tanto - continuou as estocadas por um tempo, até que sentiu alguns espasmos de prazer em Shun, passou então à masturbá-lo no mesmo ritmo em que o estocava - Goza pra mim, vai - com um gemido demorado, Shun encharcou a mão do loiro com seu prazer e logo também o sentiu preenchê-lo. 

 

Hyoga se jogou ao lado de Shun na areia e o abraçou. Viraram-se um para o outro, o loiro acariciou com as costas da mão a face de seu amado. Alguns fios verdes estavam grudados em sua testa devido ao suor.

 

_Está feliz? - perguntou sorrindo.

 

_Mais que isso é impossível... Um dos meus maiores sonhos era amar com você - devolveu o sorriso - Você me fez sentir exatamente o que eu sempre imaginei que sentiria - pegou a mão de Hyoga e a direcionou ao seu peito, seu coração estava acelerado.

 

_Eu também estou... Parece até que... Nada, essa foi a noite mais perfeita de toda a minha vida... Eu também te amo, meu amor... - voltaram a se beijar com paixão.

 

Com o dia quase amanhecendo, se vestiram e assistiram juntos o maravilhoso nascer do sol. Não queriam sair daquele abraço nunca mais.

 

Continua

 


Notas Finais


Oi meus amores!!
Pra quem tiver curiosidade: o nome desta música é "Save me" da banda "Hanson" e eu escolhi esta por que acho que ela demonstra perfeitamente tudo o que o Hyoga viveu e está vivendo com Shun
Enfim, é isso, espero que tenham gostado desse amorzíneo lindo <3
Beijos no kokoro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...