História Laços (Im)Perfeitos - Interativa - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz"
Tags Baby, Bebê, Diabolik Lovers, Família, Romance
Visualizações 54
Palavras 720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Prólogo - Abelone


Fanfic / Fanfiction Laços (Im)Perfeitos - Interativa - Capítulo 3 - Prólogo - Abelone

Abelone, apesar de pouco dinheiro e das enormes dívidas para pagar, era feliz com seus dois pais.

 

    Ambos pais de Abelone eram extremamente carinhosos com a jovem filha, e se esforçavam para dar a mesma uma infância feliz. Mesmo que não conseguissem isso algumas vezes

 

    “― Mamãe! ― Chamou a jovem Gunhild, olhando a mulher ― Compra esse doce para mim?!

 

    ― Ah, meu bem… ― Olhou para o marido, preocupada ― Eu não sei se temos dinheiro...

 

    ― Por favor! ― Abb realmente queria aquele doce, só comia doces do tipo em aniversários ou comemorações.

 

    ― Semana que vem, certo, meu bem?

 

    ― Okay… ― Resmungou de cabeça baixa”

 

    Porém, a miséria era cada vez mais recente. Muitas vezes o casal não conseguia alimentar direito a garota, o que fazia com que ela ficasse fraca. Por esses motivos, os dois Gunhild mandaram a pobre garota, com apenas 10 anos para um orfanato. Ao menos ela não iria passar fome e frio no local.

 

Abelone viveu em tal orfanato até seus 18 anos, quando completou a maioridade e teve que sair do local. Ela foi até sua antiga casa, onde morava com seus pais, mas uma visão assustadora a fez sair correndo

 

    “― Mamãe? Papai? Sou eu, Abelone! ― Disse entrando na casa, olhando em volta. O cheiro de carniça ardia seu nariz ― Alguém em casa?

 

    Foi então que ela viu. Em seu antigo quarto, na sua antiga cama, um corpo se deteriorando. Aparentemente, era de sua mãe. Abb ficou horrorizada. Não conseguia falar, não conseguia gritar, apenas saiu correndo, em desespero.”

 

    Abb não lembra exatamente o que aconteceu, mas se lembra de estar em uma cama macia e quentinha, e quando despertar, estar em uma casa desconhecida.

 

    Karl Heinz era o proprietário da casa ― Ou melhor, mansão ―, e ele deixou a garota ficar no local, até se estabilizar. Mas é claro, precisaria de algo em troca. E esse preço era ir morar com seus seis filhos, os irmãos Sakamakis. Se vendo em dívida com o homem, ela aceitou, e passou a morar na mansão.

 

    Dentre todos os irmãos, Reiji foi o que Abelone, claramente mais se aproximou. Reiji era como um livro de mistério, cada ato seu era imprevisível, e era isso que atraia Abb. Ela queria saber como Reiji era verdadeiramente, ela queria saber o final do livro.

 

    A relação dos dois foi-se aprofundando, até o momento de Abelone descobrir que esperava um filho do rapaz. Assim como Faith (Que fora mostrada no capítulo anterior!), um misto de emoções invadiu o coração e a mente de Abb. Medo e preocupação, afinal ela só tinha 20 anos! E ainda, como explicar a Reiji que esperava uma criança dele?! Mas ela estava feliz, muito feliz! Via crianças como bençãos, um presente concedido as mulheres! Por que não ficaria feliz?

 

    Mesmo assim... Ela estava com tanto medo de Reiji não aceitar a criança, mesmo que ele estivesse mais dócil com a garota, o que passaria na cabeça dele? Certo, ela tinha muitas opções, mas só conseguiu pensar em uma.

 

Karl Heinz havia a ajudado uma vez, ele poderia ajuda-la de novo, certo?!

 

Foi então que Abelone passou a morar em uma pousada na estrada. Uma velha senhora, deu um grande desconto a garota ao saber de sua situação.

 

Abelone, no nascimento de seu filho, viu que teria uma lembrança de Reiji para sempre. Se não fossem os grandes olhos azuis, Kevin ― Como o bebê foi batizado ― seria uma cópia idêntica de Reiji.

 

Não posso deixar de citar, ao saber que teria que voltar para a grande e fria mansão, Abelone não reagiu bem.

 

“― Karl Heinz! Você está maluco por acaso? Voltar a mansão?

 

― Exatamente isso... Qual o problema? São só seis garotos... E você não estará sozinha! Haverá outras meninas na mesma situação que você, Abelone!

 

― Acontece, que um desses seis garotos é pai do meu filho, acho que esqueceu... E... Eu fui embora... Voltar depois de dois anos sem dar notícia... O que Reiji pensaria? E se ele tentar me machucar ou machucar Kevin?!

 

― Eu já avisei os meus filhos, eles não podem tocar em você... Muito menos no pequeno Kevin!”

 

E, se perguntando como foi parar naquela situação, Abelone desceu do carro, olhando a casa com Kevin adormecido no colo.

 


Notas Finais


Hey... Hehe! Não, eu não morri! Estou vivinha da silva!

Demorei um pouco com esse capítulo (Um pouco?!) pois a falta de criatividade me afetou! Li e reli a ficha da Abb, mas não conseguia escrever, por sorte, aos poucos o capítulo se formou!

Parabéns a @uwsirk, que teve sua ficha aceita na fanfic!

Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...