História Lacunas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, JB, Mark, Youngjae
Tags Jackson, Jark, Lemon, Mark, Markson, Romance, Yaoi
Exibições 272
Palavras 3.747
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiiii então é meu primeiro lemon.... e minha primeira fic Markson, eu queria ter escrito sobre eles antes porque é meu otp supremooo <3 junto com Namjin( que tenho que atualizar a fic...) porém passei muito tempo sem escrever... e do nd escrevi essa, desculpem os erros :v

ESPERO MUITÍSSIMO QUE GOSTEM <3
Alguns avisos basicos...
Bom gente, posso escrever mais um capitulo caso queiram :)
A fic tem palavrão, NINGUÉM É SANTO!
A personalidade deles é bem descontraida u-u ent sem mimimi
Tentei fazer um Lemon NÃO TÃO pesado, pq adoro escrever potarias e-e mas mesmo assim não ficou levinho n KKK
Dee minha autoria total u-u
MARKSON FOREVER <3

Só isso mesmo, bjs na bunda amores

Capítulo 1 - Lacunas


Fanfic / Fanfiction Lacunas - Capítulo 1 - Lacunas

_Anda logo Mark!_A voz de Youngjae me pressionava a agilizar o processo.

_Ora cale a boca e espera cacete!_Fingi irritação enquanto terminava de arrumar o cabelo, agora platinados._Eu não reclamo quando  você demora.

_Claro que não reclama._Revirou os olhos, passei perfume e mandei um beijo a mim mesmo pelo espelho.

_Gostoso!_Brinquei, amor próprio é tudo certo?

_Vamos!_Concordei seguindo meu amigo de cabelos escuros.

Estávamos aproveitando uma noite de sábado indo a uma festa muito popular na cidade, para acordar no dia seguinte com algum estranho na cama morrendo de ressaca. E apesar do tom horrível era exatamente aquilo que eu queria, alguém na minha cama com um sexo casual. E não, eu não costumo fazer isso.

Até dias atrás eu acreditava que essas coisas deveriam ser compartilhadas apenas para os mais íntimos mas Youngjae me incentivou a tentar coisas novas e assim o fiz. Cá estou eu, um universitário gay nada sociável que curte um bom sábado em casa vendo séries, indo a uma festa cheia de gente louca e bêbada pra procurar alguém pra transar.

Eu sinceramente estava com um péssimo pressentimento pois acreditem eu tenho motivos pra te lo, minhas últimas experiências nunca eram realmente satisfatórias. Eu disse que não costumava fazer isso, porém não é como se nunca tivesse feito. E a maioria não valia meu conforto do sofá e nem meu balde de pipoca.

_Animado?_Youngjae sorriu enquanto dava partida no carro, a cada festa decidimos no par ou ímpar quem dirigia. 

_Tá mais pra preparado._Murmurei ajeitando as mangas da camiseta jeans que eu vestia.

Eu adorava roupas e portanto mesmo pobre fazia o maior esforço pra andar arrumado, vestia uma calça jeans preta bem colada com uma camiseta branca por dentro, um vans vermelho e a camiseta por cima.

_Pra que tanta vaidade?_Vi meu melhor amigo rindo ao meu lado, ignorei e comecei a cantarolar uma música qualquer. A festa era bem próxima de casa de carro, então não demorou a chegar._Vamos aproveitar porque segunda o inferno começa de novo!_Youngjae gritou, foi impossível não sorrir junto.

Entregamos o ingresso e entramos, mal coloquei o pé dentro e o cheiro de bebida e vários perfumes se misturavam, as luzes coloridas era a única coisa que iluminava o lugar além do bar bem destacado no canto, uma música alta resultava aquela vibração de gente louca. Não demorou pra Youngjae entrar na mesma vibe e me puxar para beber.
_Toma!_Me deu um  copo com o que eu julguei ser vodka com morango._Que Barman gostoso não é?_Jae trocava olhares com o barman.

_Ele parece gay._Murmurei._E não para de te olhar.

_Acha que devo falar com ele?

_Vá em frente._Indiquei, eu não queria ficar sozinho  mas seria ainda pior segurar vela, então o deixei ir.

Meus pés batiam de leve enquanto via meu amigo ir paquerar com um estranho, que era exatamente o que eu deveria estar fazendo. Levei a bebida até a boca enquanto percorri meus olhos por todo lugar, ninguém interessante aparecia. Suspirei já sentido o arrependimento de estar ali e pensando que deveria ter continuado sozinho. Eu e minha bad a bad e eu.

Acabei me acomodando em um canto da festa observando a pista de dança lotada, ora ou outra passando a mão no cabelo, pegando o celular, trocando o peso nos pés e bebericando a bebida, até que claro, ela acabasse.

Foi aí que senti um olhar sobre mim  mesmo naquele breu onde só se via corpos pra lá e pra cá. Eu caminhava pro bar ainda sentindo alguém me observando e por deuses eu queria muito achar quem era.Tentei, vulgo no tentei, procurar disfarçadamente. Até que encontrei....

Por favor não me digam que é aquele homem...digam sim, em uma mesa, rodeado de outros caras e mulheres que quis acreditar serem amigos, estava um deus Grego me encarando, eu não o via a ponto de dizer qual a cor de seus olhos mas via seu porte, muito gostoso, seus cabelos perfeitamente alinhados  de um loiro bem claro, e o formato perfeito do seu rosto. Mas o que de fato me fez ofegar, foi ter a certeza de seus olhares eram direcionados pra mim junto aquele sorriso repleto de segundas intenções visíveis.Sorriso muito lindo por sinal.

No meio daquele escuro todo eu conseguia manter o contato visual com muito custo, não tinha coragem o suficiente para ir até ele, nem mesmo conseguia andar direito de nervosismo quem dirá flertar com o cara, mas os olhares era inevitáveis. Quando finalmente tomei coragem de chegar ao bar, pedi ao outro barman - pois o de antes tava muito ocupado aproveitando do Jae- a mesma bebida que tinha tomado antes.

A ardência na garganta não era nada perto do nervosismo que eu sentia, o que aumentou gradativamente quando vi o tal cara perfeito se levantar e vir em minha direção.

Porra Mark, te aquieta! Eu só podia estar nervoso por causa daquele homem com cara de hétero ficar me secando com aquele sorriso provocativo e muito sexy.

Eu quis sorrir ao ver como ele se vestia bem, tive a certeza que ele sabia muito bem os dotes que deveria realçar, a calça jeans azul clara apertava suas coxas trabalhadas, uma camisa azul marinho de botões aberta deixava a regata branca mostrar o lindo peitoral e marcar o tanquinho.

Foi inevitável não pensar como minha boca trabalharia bem ali. E porra como eu queria que isso acontecesse.

Até o andar do cara é sexy!

Só tive um choque de realidade quando o vi sentar ao meu lado e começar a falar com o Barman. 

_Qual vai ser Jackson?_Era óbvio que se conheciam, ou o tal cara, que descobrir ter um nome exótico,vinha frequentemente aqui ou era algum sócio. Porque cara de rico ele tem...
Eu estava virado pra pista olhando de soslaio pra Jackson e provavelmente, corando feito um idiota.

_Você sabe qual Bambam._Um sorriso maliciosa pousava em sua boca, cacete! Que cara lindo._Você parece perdido._Se virou pra mim.

_Esta tão na cara assim?_Tentei sorri de canto, não mantendo muito contanto visual. Ou morreria de parada cardíaca.

_Um pouco._Riu anasalado._Primeira vez aqui certo?_Seus olhos alegres transmitiam diversão.

_Você fala como se sempre viesse._Murmurei.

_Eu estou sempre aqui. Me lembraria de você._Ele mordeu os lábios de uma forma sexy. Respirei profundamente antes de prosseguir.

_Então você não faz mais nada da vida?_Juro que não quis soar grosseiro e me arrependi amargamente pelo tom, mas convenhamos se ele estava sempre ali era porque tinha tempo a perder, ou apenas dinheiro demais pra se preocupar com a vida alheia.

Temi a reação de Jackson com minha pergunta, porém ele apenas gargalhou com vontade junto ao Barman que de abusado, escutava a conversa interessado.

_Não preciso sair daqui._O olhei confuso._Pra que sair do lugar que eu mesmo criei ?_Perguntou rindo da minha cara de espanto.

Porra o cara era dono da boate!

_Você é o dono daqui?_Perguntei obviamente sabendo que sim. Ele confirmou com a cabeça e tive de continuar com o meu questionário._Quantos anos você tem?

_Quantos daria pra mim?_Levou o copo a boca o analisei tentadoramente.

_26?

_22._Sorriu e mais uma vez fiquei surpreso eu era mais velho que Jackson._Dou 20 pra você...?_ele prolongou a pergunta, e notei que não tinha falado meu nome.

_ Mark. E eu devo levar isso como algo bom ou não?_Sorri me perguntando mentalmente como eu conseguia conversar normalmente com o suposto deus grego a minha frente.

_Pode ter certeza que bom, muito bom._Ele percorreu descaradamente meu corpo, minhas bochechas esquentaram de vergonha.

_Saiba que sou mais velho que você._Tentei aliviar sorrindo._Tenho 23.

_Tenho certeza que de experiência sou mil vezes mais velho._Sorriu de canto, mesmo querendo negar ele tinha razão.

Jackson era dono de uma boate, todos que passavam ao nosso lado o olhava, não importando se fossem homens ou mulheres. O cara era fodidamente gostoso e estava ali apreciando a companhia de um universitário mais perdido que agulha no palheiro. Ele já poderia ser considerado o rei daquele jogo, que pra ele deveria ser típico.

Porque eu estava tão incomodado com a hipótese de ser apenas mais uma transa? Era exatamente por isso que eu estava aqui.

E sim eu queria muito beijar  esse cara, mais vezes do que eu planejava.

_Concordo._Murmurei rindo levemente, voltei meus olhos para a pista já sentindo um pouco do efeito do álcool agir no corpo.

_Quer dançar Mark?_O timbre da voz de Jackson  em meu ouvido causou um arrepio por minha coluna. Nem mesmo o som da música alta atrapalhava aquela voz.

_Quero._Respondi involuntariamente, eu não sabia dançar, mas o que mal faria?


Confesso que rimos bastante no jeito desprovido que dançávamos, pulamos, gritamos assim como todos faziam, eu me sentia estranhamente em paz ali... Esta que passou voando quando a música mudou e Jackson agarrou minha cintura colando meu corpo com seu. Éramos da mesma altura, porém o corpo mais trabalhado que o meu o fazia parecer maior do que realmente era. A música era o contraste e momento perfeito.

Com certeza ele sabia o que fazer! E eu estava implorando para que o fizesse!

Antes que eu pedisse verbalmente que me beijasse o puxei pela camisa azul marinho e colei sua boca na minha. Jackson sorriu  aprofundando o beijo, sua língua atrevida adentrou minha boca, explorando minimamente cada canto. Agarrei sua nuca repuxando os fios do seu cabelo querendo ainda mais daquilo.

Ele beijava perfeitamente bem!

Sem dúvida de longe aquele era o melhor beijo e o mais prolongado que eu havia experimentado, Jackson mordia constantemente meu lábio inferior me incitando, e o retribui sugando antes de nos separarmos pela falta de ar. E ainda dançando no ritmo da música, seus lábios pairavam no pescoço sugando a pele me fazendo ofegar ao pé do seu ouvido.

_Vamos sair daqui?_Murmurou rouco, não precisei pensar duas vezes e concordei com o aceno, por algum motivo, tímido.

Ele me conduziu até uma escada, meus olhos fixavam nas nossas mãos dadas e mesmo que fosse um desconhecido eu gostei daquilo. Passamos por gente se beijando, quartos em uso com as portas abertas -nada a declarar- até chegarmos a uma no final do corredor, ele sorriu roubando mais um beijo antes de abrir a porta. O lugar deveria ser pessoal apenas pra ele, era um quarto completo, com mini bar no canto e uma porta que provavelmente era o banheiro, tudo bem decorado e rebuscado.

_É o primeiro que trago aqui._Ele me abraçou por trás, não compreendi porque diabos Jackson quis deixar aquilo claro, mais a informação tinha me agradado.

Soltei um quase gemido ao sentir suas mãos percorrem minha cintura por debaixo da camiseta, seus dedos frios em contato com minha pele causou calafrios. Jackson fazia questão de mostrar sua semi ereção, tocando na minha bunda.Porra ele era mesmo bem dotado.

Antes que eu pensasse na ideia de toca- lo ele me jogou na cama, uma das pernas entre a minha, ficando de joelhos e com um sorriso extremamente safado ele tirou a camiseta de fora deixando seus braços bem trabalhados a mostra, um beijo avassalador iniciou e com muito custo tentei tatear a barra da sua regata branca, a tirando e quase gemendo de tanta tesão ao ver o quanto ele era gostoso. A pele levemente bronzeada era quente e o senti se arrepiar quando toquei meus dedos gelados sobre si.

_Isso é injusto._Sussurrou em meu ouvido, tirando com demasiada pressa as blusas que usava._Bem melhor.

Confesso que senti uma leve vergonha, eu não tinha um corpo tão atlético quanto ele, eu era magro, branco igual papel, desprovido de massa muscular, o pouco que eu tinha me fazia  agradecer pelas poucas caminhadas pra chegar a faculdade que eu fazia. Minha pele ficava avermelhada com imensa facilidade. E provavelmente eu estava agora, com as mãos de Jackson passando por meu tórax.

_Você é muito gostoso Mark._Ele sorriu de uma maneira tão sexy que me passou uma tranquilidade sem igual. Sua boca tocou meu pescoço, com chupões desde da clavícula aproximando dos mamilos eu so fazia arfar baixinho._Cheiroso._Seus olhos fixavam no meu enquanto sua língua ameaçava tocar o bico esquerdo.

Porra! Sexy ... muito sexy!

Finalmente ele me tocava, uma das mãos torturando e a boca trabalhando com maestria, por céus, ele parecia saber perfeitamente o que estava fazendo, sua boca voltou de encontro a minha, iniciando um beijo afoito enquanto minhas coxas eram apertadas por cima do jeans. 

Levei umas das mãos a sua calça e com uma ousadia que eu não sabia que tinha apertei seu membro ouvindo o melhor som daquela noite, aquele gemido rouco só me incentivou a enfiar as mãos por dentro da sua cueca e envolver seu pau entre minhas mãos, iniciando uma masturbação lenta.
Passei meu polegar em sua glande sentindo o pré gozo e Jackson gemia rouco. Eu alternava no vai e vem e suas mãos passeavam pelo meu corpo.

Não tinha como eu ficar mais duro. Céus!

_Ainda não._falou ofegante retirando minhas mãos de dentro da sua calça._Se for pra gozar, vai ser bem fundo dentro de você._ Ditou com sua boca a milímetros da minha. Agarrei seus cabelos e juntei nossas bocas. Sua língua travava uma batalha gostosa com a minha e o calor do seu corpo só me fazia se esfregar mais em si. Causando uma fricção gostosa entre a minha ereção e a sua.

Ele quebrou o beijo traçando uma trilha de saliva por todo meu abdômen junto a chupões que tomavam uma coloração avermelhada  a medida que ele prolongava a tortura. Minhas calças se tornaram  extremamente apertadas no centro e eu chamava por atenção o que foi atendido prontamente por Jackson.

A pressa era inimiga da perfeição, ambos rimos da tentava falha de tirar minha roupa e nossos sapatos com pressa, eu já não me importava em estar nu, o olhar de Jackson era faminto e ansiado e era aquilo que fazia eu me sentir melhor do que era. Ele distribuiu beijos na parte interna das minhas coxas.

_Vai querer que eu peça?_Perguntei irônico com sua demora e ofegante, porra, como eu queria que ele me tocasse, ainda sim, meu orgulho era maior.

_Peça o que?_Riu fingindo uma inocência que eu sabia que não tinha.

_Que você me chupe?_Perguntei descaradamente, aquela enrola estava me matando.

_Não é uma má ideia._Ele se aproximava cada vez mais, distribuindo mordidas fracas e rindo, provavelmente da minha cara necessitada.

_Me chupa Jackson!_Ordenei em combustão, ele deu seu sorriso mais bonito da noite antes de cair de boca no meu pênis._Caralho!_Eu murmurei palavrões enquanto agarrava seus cabelos macios e jogava a cabeça pra trás de tão bom que era a sensação da boca úmida e quente envolvendo meu membro.

Eu sabia que ele não me faria gozar ali, e soltei um resmungo quando o vi levantar quando estava quase lá. Suas mãos desceram os restos de suas roupas de uma forma lenta, torturante e provocativa. E um preservativo apareceu em sua mão esquerda.

_Eu coloco._ Naquela altura do campeonato, ainda jazia timidez em mim, porém não me impediu de voltar a tocar seu pênis e colocar de uma vez a camisinha. Ouvindo um suspiro profundo de sua parte.

Seus dedos levantaram meu queixo e mais um beijo afoito iniciou, Jackson quebrou o mesmo mordendo meu lábio inferior e me virou de bruços, um arrepio caloroso percorreu minha coluna na medida que ele distribua beijos na mesma.
Ele conseguia ser cuidadoso e safado ao mesmo tempo.

_Porra._Ele xingou distribuindo um tapa na minha bunda eu gemi rouco._Porque tão gostoso?_Murmurou no pé do meu ouvido passando as pontas dos dedos entre minhas nádegas. Os toques de Jackson desapareceram por um estante e rapidamente voltaram, um líquido frio tocou minha pele e eu sabia que o lubrificante me prepararia para o que viria a seguir.

E eu queria aquilo.

Ambas as mãos de Jackson  puxaram meu quadril pra cima, forçando a ficar totalmente exposto pra si, afundei minha cabeça entre o travesseiro e a sensação de estar a mercê era vergonhosa e excitante, minha cabeça rodava levemente, imerso no álcool e ansiedade.
Senti a glande do seu pênis coberto pelo preservativo e lubrificante forçar a entrada, era claro que eu não era virgem, porém jazia um bom tempo que eu não  fazia sexo com alguém, muito menos tão bem disposto como Jackson era.

Um gemido profundo escapou pela minha garganta com a estocada única e bruta que Jackson fizera, uma mistura de dor e prazer preenchia meu corpo e agradeci mentalmente por Jackson ser tão cuidadoso a ponto de esperar que eu me acostumasse com aquela invasão repentina.  Seus dedos apertavam com força meu quadril suportando a sensação de estar ali parado, e aquele esforço foi muito significativo, sua respiração era alta e eu sabia que ele queria mais do que tudo minha permissão.

Rebolei levemente dando meu sinal, logo, o quarto era preenchido por gemidos, xingamentos, e palavras desconexas na  medida que ele  estocava alternando no devagar a brutalidade.

Ali não me importava se eu estava fazendo uma loucura, se eu estava transando com um desconhecido, se seria mais uma experiência adicional na minha medíocre vida, porque eu sabia que não me arrependeria e que iria querer aquilo de novo, pois Jackson era lindamente intrigante e preservado, sua safadeza junto ao cuidado me encantou e ali era a prova, eu estava seguro o suficiente pra me sentir satisfeito e realizado.

Não havia um pingo de arrependimento ali, e nenhum sinal de que aquilo era errado, aos meus olhos não era, e isso já era o suficiente.

Eu não sei em qual momento trocamos de posição, porém agora ele me virará novamente, abracei seu corpo gemendo intensamente enquanto era preenchido mais uma vez, os gemidos roucos de Jackson estava logo ao pé do meu ouvido me incitando ainda mais.

O calor junto ao barulho de corpos se chocando, suas mãos trabalhando em me tocar, os beijos sufocados  eram mais adicionais de que o clímax logo chegaria. Observei rapidamente como ele estava lindo, sua boca entreaberta, os cabelos grudados a testa pelo suor e não evitei em distribuir um chupão forte em seu pescoço quando ele revirou a cabeça pra trás em deleite.

Em algum momento, eu arqueei minhas costas e gemi alto, Jackson havia acertado em um ponto especial, e sorrindo safado ele fora de novo e de novo, eu estava quase lá e ele também. Suas penetrações foram mais fortes e uma de suas mãos incentivou meu membro  e instantaneamente apertei os lençóis ofegante, um formigamento agoniante se apossou do meu corpo e em uma certa estocada, eu gemi alto e cheguei ao clímax, sujando parte do meu abdômen e o dele.

Segundos depois Jackson também, em uma cena que eu jamais esqueceria da cabeça, seus músculos ficaram tensos e sua boca soltou um grave, rouco  gemido que seria capaz de me acordar de novo, sua cabeça foi pra trás e o cabelo antes alinhados, estavam completamente bagunçados por minhas remexidas nele. 

Só o som das nossas respirações eram ouvidas, a música alta de baixo não era escutada dali, o cheiro de sexo preenchia o quarto e Jackson selou nossos lábios antes de se levantar e retirar a camisinha. Acompanhei com o olhar enquanto ele ia ao banheiro, suas costa lindas e bem desenhadas estavam marcadas por minhas unhas curtas e eu sorri lembrando de minutos antes.

Ele voltou com o que eu julguei ser algum lenço, passou com cuidado na minha barriga e observei aquela cena corado pois Jackson tinha um sorriso largo na boca. Assim que ele terminou  se deitou ao meu lado, eu olhava pro teto e ele também o sono batia com tudo.

_Foi incrível._Falou, rindo com minha timidez._Você consegue ter vergonha depois de tudo isso, de tudo que você fez?_Ele perguntou sacana destacando o você, bati de leve em seu braço.

_Fique quieto._Murmurei baixo virando de lado pra dormir, amanhã eu cairia na realidade, então tratei de aproveitar o presente._Estou morto._Comentei quase dormindo.

_Realmente, deixa eu fazer você dormir melhor._Ele contornou minha cintura, beijando o topo da minha cabeça.

Porque aquilo parecia tão íntimo se éramos apenas completos estranhos? 

Foi impossível não dormir com  o cansaço  eminente e os selos gentis que Jackson distribuía cuidadosamente.
  

                                                                                                       

                                                                                   -----MJ-----



_Mas o que?_Murmurei com a luz forte que pegava em meus olhos,  virei de barriga pra cima visualizado um teto que não era da quitinete que eu morava.

A primeira coisa que eu lembrei era que YoungJae iria me matar, ou então, estava na mesma situação que eu.

Minha cabeça doía e eu estava meio zonzo, procurei um ponto em especial e foquei nele até que aquela tontura horrível passasse, notei que eu estava nu e rapidamente flash da madrugada invadiram minha mente.

E ao contrário do que imaginei eu não estava me arrependendo, me sentindo um puto ou algo do tipo, muito menos discriminando minha ação, eu estava sorrindo, e em minha cabeça eu sabia que Jackson era sim um problema.

Um problema bom.

Um Problema delicioso de lidar.

  E mesmo que fazer aquilo não fosse do meu feitio, eu faria de novo.  

Parei de pensar e tomei coragem para encarar o resto do ambiente e confirmei que eu estava sozinho.

Ele não estava ali.

Ao lado da cama havia um copo com água, um bilhete e dois comprimidos. Sentei me e peguei o bilhete com um enorme frio na barriga esperando que no bilhete não houvesse uma despedida.

  " Bom dia Mark!
Tomei a providência de pegar esse remédio pra ressaca e suas roupas estão dobradas, tive que sair para resolver alguns assuntos pois como você mesmo viu eu faço sim mais alguma coisa da vida! "


Eu ri por sua indireta na hora do bar.

" E caso acorde antes de eu voltar, quero deixar claro que ontem foi maravilhoso, você é puto de um gostoso e adorei  descobrir que de santo você só tem a cara. Eu quero repetir mais vezes, então tratei de gravar meu número no seu celular e eu espero que volte a boate ;) 

Ass:Jackson Wang" 


Quase tive um ataque de sorrisos com aquele pedaço de papel. O peguei pra mim tomando o comprimido e eu conseguia imaginar perfeitamente Jackson falando aquilo com o seu tom sacana que já sabia ser sua maior arma.

A surpresa pra mim é que ele, tão perfeito como era, malhado, gostoso e sexy, queria reencontrar um universitário sem nada como eu, e a prova estava bem ali.

Eu sabia através daquele bilhete que aquela não seria a última vez que nos encontraríamos.

E eu, bom... 

Estava louco pelo reencontro.
 


Notas Finais


É isso... espero que gostem >-< criticas construtivas, dicas e pah são super bem vindas<3 não vou negar que eu gostei dessa one.... farei uma long assim que terminar de atualizar no minimo a Namjin kkj pq depois que viciei nesses casais Gays não quero mais escrever sobre outra coisa KKKKKK Adoro <3 é isso amorecos, mais uma vez desculpe qualquer erro, sempre escapa um, e durante o tempo a fic pode ter algumas alterações aqui e ali...

VOU VER SE FAÇO UMA 2JAE PORQUE O BARMAN ERA O JB MUHAHAHAHA surgiu uma ideia aq... que tal mais um capitulo contando como foi a noite do nosso Youngjae? e-e

Bjs na bunda :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...