História Lados Opostos - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias David Luiz, Flavia Pavanelli, Lionel Messi, Neymar, Oscar Emboaba
Personagens Neymar, Oscar Emboaba, Personagens Originais
Tags Bruna Marquezine, Drama, Flavia Pavanelli, Futebol!, Neymar, Olimpíadas, Romance
Exibições 304
Palavras 2.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DEMOREI MAS CHEEEEEGUEEEEEIIII!!!!!!!! Podem comemorar porque esse capítulo tá muito DOCE! Quase que eu fico com diabete depois que acabei de ler KKKKKK :) Eu já tinha há algum tempo esse pronto, mas as minhas últimas duas semanas estavam tão corridas que eu comecei a fazer cosplay do Seninha ashuashua! Quero agradecer aos favoritos e aos comentários *---* VCS SÃO MUITO AMORECAS!

PRESTEM MUITA ATENÇÃO NA HISTÓRIA QUE VIOLETA VAI CONTAR! Pode haver muitas coisas nas entrelinhas, hein! Quero a opinião de vcs nos comentários e DUVIDO quem acerta o que realmente aconteceu com ela num passado não tão distante! Outra coisa MUITO importante: Tem um avisinho lindo nas notas finais APENAS para aqueles que tem WATTPAD! Quero TODO MUNDO LENDO, OUVIU?!

Ps_: Capítulo dedicado aos fallenatics brasileiros que esperaram por ANOS a adaptação cinematográfica de Fallen, e que chorou de emoção ~porque eu chorei, oka? ~ nos cinco primeiros minutos do filme! Quem achou o Cam tão irresistível quanto o Daniel dá um salve nos comentários com a hashtag #EstouIndecisaEntreOsDois

(Gente, to brincando. Vcs não precisam escrever isso, to apenas de zoeira mas ficaria muito feliz se encontrasse algum fã da saga aqui!)
Beijos e aproveitem o capítulo!

Capítulo 14 - Violeta - Um sentimento que queima em silêncio


Fanfic / Fanfiction Lados Opostos - Capítulo 14 - Violeta - Um sentimento que queima em silêncio


          Eu respirei fundo, esticando o lençol até o meu nariz, me cobrindo completamente. Ao meu lado, Neymar dormia tranquilamente enquanto estava agarrado à minha cintura. Olhei sutilmente para baixo, observando com as bochechas quentes e vermelhas que apenas um cobertor o cobria. Ele estava como veio ao mundo. Eu arregalei os olhos, me sentido desconfortável ao notar que o tecido fino do lençol estava grudando no meu corpo, pelas minhas pernas, as minhas coxas e... Um local bem mais obscuro. A minha respiração ficou curta, pesada e descompassada quando um flash passou na minha mente mostrando o que eu havia feito na noite passada. 
   

Conversa. Declaração. Beijo. Cozinha acabada. Gemidos. Roupas no chão. Pele quente, fervendo. Mais beijos. Mais gemidos. Mais declarações. Ápice. 
    
    — O que eu fiz? — Sussurrei para mim mesma, colocando as mãos no rosto. — Aí meu Deus. Aí meu Deus. Aí meu Deus! — Choraminguei baixo, sentindo um peso enorme cair nas minhas costas. 
    
    Um gosto agridoce preencheu a minha boca. Eu mordi a cutícula da minha unha, enrugando a minha testa ao sentir a dúvida e a confusão me engolir por inteiro. O meu peito subia e descia em uma respiração agitada, o nervosismo que eu estava sentindo fez o meu estômago dar várias voltas como uma montanha russa. Eu olhei para o lado de novo, engolindo em seco ao me deparar com a expressão serena e calma do homem irresistível que estava agarrado à mim. Neymar estava com a boca entreaberta, a cabeça deitada um pouco abaixo dos dos meus seios e sua mão direita estava na minha coxa. Sorri lentamente, levando os meus dedos com certa hesitação até o seu cabelo. Toquei em suas madeixas escuras, a maciez e o cheiro de menta me levaram a pensar qual era o shampoo que ele usava. Quer dizer, ele fazia muitos comerciais de TV e com certeza algum sobre cabelos deveria ter. 
   

— Você é um filho da mãe que tá me deixando louca.— Falei baixo ao me lembrar da declaração que ele havia feito. Envolver Jorge e Mateus foi um jogo baixo da parte dele. Estalei um beijo na sua bochecha, me desvencilhando tão lentamente para que Neymar não acordasse que tive até que prender a respiração. 
     

— Hmmm...— Ele resmungou, o que fez o meu coração ir no espaço e voltar para o local de origem. 
    
    Suspirei aliviada ao notar que não acordou. Eu comecei a caçar as minhas roupas. A maioria estava jogada pela cozinha, mas eu consegui resgatar a minha calcinha azul de renda e um blusão que eu fazia de camisola já que era comprido o suficiente para bater no meio das minhas coxas. Eu amarrei o meu cabelo bagunçado em um coque enquanto saía a passos leves do quarto, fechando a porta com cuidado para não fazer barulho. Droga. Ontem tinha sido uma das melhores noites da minha vida e eu não sabia o que fazer. Sei que gosto dele, porque apenas ele faz o meu coração acelerar rápido. Apenas ele faz com que eu comece a gaguejar. Apenas ele consegue tirar sorrisos verdadeiros de mim. 
    
    Ah, merda. Será que eu estava apaixonada? 
    
    Quando eu cheguei na cozinha, reparei o estrago que tínhamos feito ontem naquele cômodo do apartamento, fiquei completamente embasbacada. Tinha pratos quebrados, copos, objetos de culinária que mamãe geralmente usava e o pano estava todo repuxado, sobrava apenas a mesa. Eu engoli em seco, pisando na ponta dos pés para não acabar com algum caco de vidro enterrando na minha pele. Dois bilhetes me chamaram atenção já que estava pregado na porta da geladeira, o peguei com cuidado, lendo. 
        
        "Eu vi o estrago que você fez com o seu namoradinho, viu? Mamãe tá revoltada e quer que limpe tudo até ela voltar. Consegui tirar ela de casa e voltaremos só de tarde pra que você aproveite bem com o gatinho aí. Se comportem que eu não quero sobrinhos antes da hora! 
            
                                   - Vivian." 
        
       "Nunca pensei que diria isso, mas espero que tenha se divertido ontem. Acabo de descobrir que a prova da sua diversão foi o estrago da minha cozinha. Quero tudo arrumado antes de eu voltar se não terei que te colocar de castigo. Sua irmã acha que não percebi que ela quer que eu saía de casa só pra deixar vocês dois sozinhos aí. Ele parece ser um bom garoto e a família dele são uns amores, por isso ele tá aprovado por mim caso queira ter algo com ele. Se cuidem. Eu quero ter netos então podem aproveitar bastante. Volto às 14h15. 
        
            - Mamãe." 
            
      Eu arregalei os olhos ao imaginar como a Dona Veronica deve ter ficado quando chegou em casa ontem e viu a bagunça na sua cozinha. Amassei os papéis e joguei no lixo, respirando fundo e olhando ao redor com certa preguiça de ter que arrumar tudo. Abri a geladeira, tirando uma caixa de leite e colocando em cima do balcão. Despejei no copo, me apoiei na bancada de mármore e levei até os lábios a bebida, tomando um longo gole. Eu me sentia frustrada, confusa, duvidosa, sem saber o que era o certo a se fazer. Mas uma coisa estava martelando na minha cabeça, atordoando os meus pensamentos. Eu gostava do sorriso dele. Gostava da forma que seus olhos ficavam pequenos quando ele sorria. Gostava da voz calma e firme. Gostava de ouvir o som da sua risada. Gostava das suas tatuagens que eram terrivelmente maravilhosas. Gostava do seu jeito brincalhão e divertido. Gostava da maneira carinhosa que ele tratava a família e principalmente o filho. Gostava da forma como ele me olhava. Admiração, carinho, bondade,  encantamento. Ele me olhava como se eu fosse a única mulher que importava para ele. Gostava de quando ele sentia ciúmes apenas por causa das roupas que eu vestia. E eu gostei dele sussurrando palavras doces no meu ouvido ontem. Gostei de seus beijos leves e quentes pelo meu corpo. Gostei da sua pele contra a minha. Eu gosto dele. Gosto das suas perfeições e imperfeições. Gosto de como ele me tratou quando tomei um porre e agarrei ele. Eu simplesmente gosto dele. Eu não escolhi me apaixonar, mas aconteceu tão naturalmente quanto a cor dos meus olhos. 
   

— Porcaria! — Reclamei, sentido uma incrível vontade de chorar. Não acredito que estava de TPM. — Droga! Porque isso tá acontecendo comigo?  — Eu tentei engolir um soluço que apareceu do nada, mas não consegui. Senti o meu coração apertar no meu peito enquanto os meus olhos ficavam úmidos. Lágrimas começaram a descer pelo meu rosto, a minha respiração se tornou falha e curta. 
   

Não. Não. Não! Não era possível que eu tenha me apaixonado! Não por ele. 
    
    — Porque a ideia de gostar de mim é tão ruim? — Eu me assustei com a voz de Neymar atrás de mim. Dei um pulo, ficando de frente para ele e percebendo que estávamos há poucos centímetros de distância. Merda. Eu havia dito em voz alta. — Hein, Violeta? Porque se apaixonar por mim é tão ruim? 
   

— E-eu...— Respirei fundo, tentando buscar oxigênio para os meus pulmões. Por baixo da camada de lágrimas que escorriam pelo meu rosto e que atrapalhavam a minha visão, observei que seus olhos estavam fixos em mim. Firmes, corajosos, ansiando por um argumento válido. — E-eu não sei. — Respondi simplesmente. 
    
    — Não sabe ou não quer admitir? Porque quando eu vim pra cá ontem, quando eu me declarei pra você e quando a gente transou naquela mesa ali, — Neymar apontou para o móvel perto de nós. — Parecia que você sabia muito bem o que tava fazendo! — Ele exclamou, uma veia na lateral do seu pescoço saltando. 
    
    — Eu não sei lidar com esse tanto de sentimental, tá bom? — Encarei ele, esperando que as minhas emoções estivessem cintilando na minha expressão. — Esse... Esse... Tanto de sentimentos que me sufocam, tiram o meu ar e me deixam maluca! Eu não sei lidar com a vontade incontrolável de ver você, de ver o seu maldito sorriso perfeito! Eu não sei lidar com esse meu coração que começa a bater tão rápido quando você tá perto de mim que eu penso que vou acabar tendo uma taquicardia! — Vociferei como um leão dando um rugido: Alto.  Forte. Libertador. — Eu não sei lidar com o meu próprio corpo quando você tá próximo de mim. Ele ganha vida própria. A minha pele fica quente, os meus dedos formigam para tocar em você, eu fico rebobinando o som da sua voz na minha mente só pra lembrar de como ela é completamente estarrecedora pra mim! 
       

Eu engoli um soluço que subiu pela minha garganta. Eu não sabia do meu estado precário até sentir que a blusa que eu vestia estava úmida. O meu choro era baixo e controlado, mas de alguma forma eu sentia um alívio profundo. Pela primeira vez, eu estava falando sobre os meus sentimentos. Nunca fui o tipo de garota que gostar de demonstrar afeto. Carinho, amor, compaixão, dor. Talvez isso seja de família, ou pode estar relacionado ao meu signo. Uma leonina chora no escuro para não pensaram que é fraca. Nunca acreditei em horóscopo até agora. Tudo o que dizia nas revistar de moda de Vivian sobre o Leão estava certo. Orgulho, generosidade, coragem, força. 
    "Leoninos conseguem tudo o que querem," pensei. 
    
    Ergui o meu olhar calmamente para ele, respirando tão fundo que imaginei que o oxigênio do ambiente iria se dissipar. Enxuguei com a manga do moletom que eu estava usando o meu nariz, as minhas bochechas e finalmente os meus olhos. Suspirei. Uma. Duas. Três vezes. Senti o seu olhar penetrando na minha pele, queimando-a. Eu precisava de coragem. Precisava ter a confiança que sempre tive, mas que nesse momento parecia ter corrido de mim. 
    
    — Violeta...
    
    — Quando eu vim pra Barcelona, — O interrompi, lançando um olhar para que ele ficasse calado. O que eu iria dizer era importante demais. Passei meses guardando isso só pra mim. E mesmo que seja apenas nas entrelinhas o que eu iria dizer, precisava desabafar do mesmo jeito. — Eu só queria cuidar da minha irmã, queria arrumar um emprego e a minha atenção seria completamente e unicamente para o bebê que estava a caminho. Fui eu que pedi pra vir no lugar da minha mãe porque imaginei que o que eu precisava pra espairecer era uma viagem pra outro lugar, outro país. Eu tava tentando esquecer o que tinha acontecido, eu tava tentando seguir a minha vida mas todas as vezes que eu olhava pra barriga da Vivian... Eu enxergava o que eu nunca iria ter. 
    
    — Violeta...— Ele me olhou aflito, como se pedisse silenciosamente para que eu parasse. 
    
    — Não! Eu preciso falar sobre isso. — Pedi, mas soou como uma ordem. — Foi quando, em uma das minhas saídas pra conseguir um emprego, a sua irmã me atropelou sem querer. — Soltei uma risadinha sem humor quando lembrei. 
    
    — O que?! Ela nunca me falou sobre isso! — Ele parecia revoltado. Pegou na minha mão e especionou o meu rosto. Achei engraçado e fofo, ele estava procurando algo que já saiu dali há muito tempo. 
    
    — Ela pediu desculpas várias vezes, ficou desesperada e me ofereceu uma carona. Eu, folgada que sou, aceitei. Nós começamos a conversar, acabei contando sobre a minha vida e que precisava de um emprego. Foi quando, indiretamente, a Rafa me ofereceu um como babá. — Respirei fundo, contendo os soluços.  — Eu precisava trabalhar, então eu aceitei. Só não imaginava que eu iria cuidar do filho do camisa dez da seleção brasileira. — Sorri de lado, tentando parecer pomposa em meio a cachoeira que saía dos meus olhos, o que fez ele rir. 
   

— E como foi? — Neymar questionou, tocando na minha bochecha. 
    
    — No instante em que eu vi o Davi correndo, sentando no sofá perto de mim e perguntando porque eu tenho 'nome de cor, — Abaixei a cabeça, voltando a sorrir. — Sabia que iria me apaixonar por ele. Mas jamais imaginei que eu fosse me apaixonar pelo pai dele. Eu nunca conheci ninguém que realmente acreditasse que eu era suficiente, até te conhecer e você me fazer acreditar também. — Falei de uma só vez, enquanto eu sentia os meus pulmões despejarem todo o ar que até então estavam segurando. 
    
    — O quê? — Ele perguntou atônito, parecendo surpreso pela minha confissão. — Violeta, o que você falou? — Neymar levantou o meu queixo, me obrigando a olhá-lo nos olhos. 
    
    — Eu falei que eu sou completamente, perdidamente, enlouquecidamente apaixonada por você.  — Eu abri um sorriso como o do Cheshire, rindo entre as lágrimas que escorriam abundante pelo meu rosto. — E eu me sinto tão, tão aliviada de poder dizer que isso que não consigo explicar a sensação! Eu não tinha em mente gostar do meu próprio chefe, o menino de ouro do Brasil, mas eu gosto e tenho orgulho de anunciar isso. 
    
    — Eu não sei o que falar, Violeta. — Ele murmurou com um sorriso tão profundo quanto o meu, me puxando pela cintura, me obrigando a ficar nas pontas dos meus pés. 
    
    — Deixei você sem palavras? — Brinquei, mordendo o meu lábio inferior. 
    
    — Deixou. E sabe porque? 
    
    — Porque? — Quis saber. 
    
    — Porque eu me apaixonei exatamente por essa mulher. A garota extrovertida, engraçada, carinhosa, muito, muito sensual — Eu ri alto, abraçando pelo pescoço. — Nossa! Eu não acredito que eu tenho uma namorada tão sensual! Sério, vou poder dizer pros meus amigos: "Olhem, aquela mulher sensual e de olhos azuis bem ali, é minha!". 
    
    — Namorada? Desde quando te dei essa intimidade, rapaz? — Arqueei uma sobrancelha. 
    
    — No instante em que você deixou eu te fazer minha. 
    
 
    
    
    
    
 


Notas Finais


Hmmmmm... O que será que deixou a Violeta tão triste enquanto conversava com o nosso menino de ouro, heinnnn???? Qual será o acontecimento que fez ela perder o chão e destroçar o coraçaumzinho da nossa protagonista V1d4 l0uc4??
ADOROOOOO ESSE SUSPENSE, HAHAHAHA!!!!! Quero a opinião de vcs sobre isso! BRASEEELLLL, o que vai ser aquelas retrospetiva dos nossos meninos da seleção no PLIN PLIN?! To LOUCA pra assistir, e vcs? AVISO LOGO QUE SÓ VOU POSTAR O PRÓXIMO CAPÍTULO DEPOIS DESSA REPORTAGEM!!!! Porque sim ~alerta like a boss~

AVISO SOBRE O WATTPAD_:

Pra quem não está informado, eu tenho uma conta no Wattpad (um app muito massa que deixa as pessoas louconas kkkkkkk! Caso vc não tenha uma conta, crie uma porque vc não vai se arrepender! ~Olha eu fazendo propaganda~) e ACABEI de publicar uma história MUUUUITOOO delícia, que tenho certeza que vcs vão amar! Não é nada parecida com Lados Opostos ou WWC, mas é tão boa quanto! Por isso, peço encarecidamente que vcs tenham a humildade de dar uma olhadinha lá :) ACABEI DE ATUALIZAR!!!!! YEEAAA!!!!! Vamos interagir pelo Wattpad, conversar, expressem suas opiniões e não se esqueçam de apertar na estrelinha no final de cada capítulo que me ajuda MUITOOOO!!!

// Olha eu de novo fazendo propaganda// FIM DE AVISO E COMEÇO DE OUTRA INFORMAÇÃO!

Para aqueles que acompanham When We Collide, eu não tenho ideia de quando irei postar o próximo capítulo :/ #ÑChorem Tenho razões convincentes: Apesar de eu já estar de férias (Grito de comemoração e dancinha da vitória) o meu tempo anda MUITOO apertado e também é um C* postar pelo celular, porque sempre parece que o universo tá conspirando contra mim e do nada o capítulo APAGAAA!!! Fico com muita raiva mas fazer o que né? Por isso, peço (nossa to pedindo muita coisa ultimamente) que vcs entendam, fãs da Amélia, do bebezinho ruivinho dela e do pai Toni Kroos que nem sabe que vai ser pai ainda! O bom é que eu tenho outros DOIS capítulos prontos! EBAAAAAAAAA!!!!


Enfim, era só isso! Desculpe o transtorno, a demora e o suspense que vcs vão ficar depois desse maravilhoso capítulo! Bom natal a todas vcs, que vcs comam muuitaaas gostosuras e se divirtam bastante! Espero que o bom velhinho vá visitar vcs porque ele ainda não me visitou :/ PAPAI NOEL CADÊ VC????

User do meu Wattpad: @BlakeFall
(Tem a Kat McNamara e o Harry no perfil, caso vc não saiba quem são (ALERTA NÃO FÃS DE SHADOWHUNTERS!) é uma garota linda e ruiva, oka?

Meu insta pra vcs acompanharem as minhas fotos ridículas mas que são tiradas com muito amor: @ariadnefranca


BEIJOOOOSSSS!!!!!! AMO MUITO VCSSS ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...