História Lady Darkness: Herdeira das sombras - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Terror
Exibições 5
Palavras 991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Visual Novel
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpa a demora... Estava sem criatividade e a internet tambem nao ajudava...

Capítulo 18 - Alberto


Fanfic / Fanfiction Lady Darkness: Herdeira das sombras - Capítulo 18 - Alberto


Saimos da enfermaria e fomos em direção á uma sala grande, onde Alice chamava de "sala da felicidade".


A sala nada mas era que um ateliê. Grande, tinha um lustre enorme no centro da sala e varios divãs espalhados pelo recinto, em algumas partes havia manequins com vestidos e ternos enfeitados, casacos grossos e até mesmo capas.


Toquei nas roupas e me deslumbrei com os bordados.


Observei ao redor e vi que Alice estava conversando com um homem, aparentava ter uns 29 anos, ele concordou com que seja que ela falava e foi em direção à um armário. Depois de algum tempo ele veio em minha direção e disse sorrindo.


- Vamos ver suas medidas.


- O quê?- falei assustada.


- Calma.- falou Alice sorrindo.- Ele precisa de suas medidas para fazer um vestido.


- tudo bem.


Depois de alguns minutos o homem, que se chamava Maxon tirou todas as minhas medidas e havia nos liberado.


- Você esta livre esta tarde. Faça o quê quiser.- Alice falou com um aceno de mão e logo em seguida se retirou, me deixando sóreverênciaastelo que eu mal conhecia.


Andei um pouco e parei bem em frente a uma pintura de um vaso de rosas negras e observei a assinatura que era um garancho e imaginei que talvez a pessoa criadora da paisagem fosse melhor na pintura no que na escrita.


Andei por mais alguns minutos e cheguei a um local que desejava encontrar desde que cheguei no castelo, o Jardim.


Ele era enorme e cheio de rosas de todas as variedades, havia algumas árvores plantadas e isso dava um ar leve e elegante ao jardim, havia também alguns bancos e uma... Pessoa.


Senti uma grande decepção e assim que dei a volta para me retirar ouvi a mesma pessoa me chamar ao longe. Me virei e vi que a pessoa estava vindo em minha direçao e notei que se tratava de um garoto.


Assim que chegou me encarou e sorriu alegremente, porém apenas fiquei olhando com a minha famosa cara de quem não entendeu nada, ele por fim entendeu a minha cara de pateta e resolveu se apresentar.


- Desculpe-me senhora pelo incômodo, mas precisava lhe ver de perto. A senhora está bem?- falou ele fazendo uma pequena reverência e dando um sorriso largo, mostrando os dentes alinhados e brancos.


Observei por um instante o garoto e notei que era realmente belo. Tinha cabelos alourados, era alto, branco e forte, sem contar seus olhos que eram de azul esverdeado encantador.


- será que todo mundo tem que ser perfeito aqui?- murmurei pra mim mesma.


- O quê disse?- o garoto perguntou ficando serio novamente.


-perguntei seu nome!- falei rápido.


Por deus, ainda bem que não tinha ouvido.


- Ah.- ele falou voltando a sorrir.- me chamo Alberto, milady.


- Elisabeth!- falei estendendo a mão.


- eu sei. - Falou ele sorrindo, mas ainda assim segurou calorosamente minha mão.


- Sabe? - falei por instinto.


- sim, eu sei.


Ele falou pondo fim a conversa e logo se pondo a andar de volta aonde estava.


- espere!- falei me apressando para alcançá-lo, aquele garoto simplesmente nunca ouviu falar em andar calmante.


Ele por sua vez parou bruscamente, me fazendo quase esbarrar nele. Alberto me olhou estranho e sorriu.


- estou esperando, senhora.


" senhora? De novo?"- pensei. " As pessoas simplesmente nao pensam que quando chamam uma pessoa assim ela se sinta velha?"


Fiquei na frente dele e o encarei.


- como você me conhece? De onde? Desde quando?


- quantas perguntas! vou responder cada uma delas lisa não se preocupe.


concordei mas logo parei de andar e perguntei.


- Lisa?


- sim!- alberto falou sorrindo.- sei que não gosta de ser chamada de senhora.


- Finalmente, achei alguem que sabe disso.- falei levantando os braços para cima em forma de prece e fiz uma voz dramática e com isso calsei uma crise que gargalhadas em alberto.


- você é engraçada.- falou ele com dificuldade.


- não sou não.- retruquei.


- sim você é.- ele insistiu.


- não.


- é


- Não.


- mas é claro que é.


- Desisto.- falei dando a volta.


- você costuma a desistir rápido assim de um combate?


Ele falou me encarando.


- não.


- e por que desistiu tão fácil desse?- ele perguntou levantando uma sobrancelha.


- isso NÃO era um combate, apenas uma discursao infantil e que NÃO levaria a lugar nenhum. - falei sem parar de andar.


- Chata que nem o pai.


- O quê disse? - perguntei me virando subitamente sem entender o que ele disse.


- o quê disse o que? Não disse nada.- falou ele coçando a bochecha direita.


- não, você disse algo.- falei .


- não me lembro de ter dito nada.- falou ele e notei sua cara de sínico.


- diga-me. - mandei.


- só se você me mostrar o que sabe?- propôs ele sorrindo maldosamente e isso me deixou constrangida.


- Não. Isso é mais ridículo que aquela discursao primitiva.- falei friamente.


- Quer apostar?


- Onde você quer chegar com isso ? Berto.


Ele deu um sorriso malicioso e falou.


- Nada de mais...- falou ele dando um passou em minha direção.- apenas para mim ver se você sabe lutar tão bem quanto o Edward afirma.


- Hum. E o que você quer se ganhar?


- o quê eu quero?- ele fez uma pausa e colocou o dedo indicador sobre os lábios.- Depois falamos nisso.


- Onde e quando?- falei e me arrependi imediatamente, como eu era tola por ter aceitado aquele desafio.


- Aqui e agora.


- Mas sem armas?- perguntei curiosa.


- só sabe lutar com armas, milady?


" que insolente"- pensei.


- Prepare-se.- falei sorrindo e me preparando para combate. Observei Alberto se posicionar também.


Talvez isso me deixasse mais calma, esquecer em como a minha vida mudou tão derepente era aliviador


-Ahhh.


Alberto grito enquanto corria em minha direçao de modo ameaçador.


Notas Finais


Obg por lerem... Fico feliz por vcs acompanharem minha obra...
Deixem suas opiniões... Seram recebidas de todo agrado...☺😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...