História Lady sacerdotisa - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kaede, Kagome, Kagura, Kikyou, Kirara, Kohaku, Kouga, Miroku, Naraku, Sango, Sesshoumaru, Toutousai
Tags Kagome, Romance Sesshoumaru
Visualizações 43
Palavras 2.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Fantasia
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Inuyasha decisão frustrada


De repente Shippou caiu na frente delas. Ambas franziram o cenho e olharam para cima. Todos do grupo lutavam para manterem-se na macieira que ficava justamente em cima do local onde as duas garotas estavam conversando.

–Ora mais que curiosos!- gritaram as duas rindo depois que todos, enfim, desabaram da arvore.

A alegria foi tomada novamente por um vasto silencio ao verem Inuyasha entrar na clareira e caminhar até o grupo.

–Kagome precisamos conversar - sério o hanyou fez sinal para que a morena o seguisse

–Concordo- a sacerdotisa se levantou para depois seguir o individuo que queria falar-lhe. Seria uma longa e árdua conversa...

OOooooooOoooo

Era incrível como tudo tinha acontecido tão rápido... Quero dizer... Em um dia queria morrer, em outro estava perdidamente apaixonada por um yokai que de antemão julgava frio e insensível.

Insensível...

Começava e se perguntar quem era realmente o insensível em toda aquela maldita confusão. Sesshoumaru pode até não entender sentimentos humanos, ser orgulhoso, ou até mesmo indiferente em varias ocasiões. Entretanto foi ele que a salvou, foi ele que abriu seus olhos para ver que Inuyasha não a merecia e que toda aquela encenação para morrer não fazia o menor sentido.

O amor que tinha pelo hanyou também não fazia o menor sentido. Amava alguém que a sucumbia a lamentações todas as noites, tudo em sua vida se baseava em Inuyasha e estava farta disso há muito tempo. Agora só desejava encontrar o yokai com a meia lua na testa novamente.

Sesshoumaru é famoso por não possuir coração... creio que estejam errados. Esta bem ele odeia os humanos, mas alguém já perguntou por quê? Certamente seria por causa de seu pai... Bem seria apenas isso? Kagome supunha que aqueles olhos caramelados viam algo muito além do que a morte do pai e uma espada como herança. Os humanos não são santos, esta era a verdade. Verdade, que por ninguém ter a ousadia de declara-la acaba por nos coagir a culpar os mais fortes, no caso os yokais. Dizemos que são cruéis, violentos, frios, que não tem coração. E nos somos diferentes disso? Não, não somos... Essa é a verdadeira explicação para o ódio do yokai branco, ele não suporta os humanos por que nos fazemos de mocinhos quando na verdade somos os vilões, cometemos delitos e culpamos aqueles que não têm nenhuma culpa no ocorrido.

Então por que ele salvou Rin?

Rin era alvo dessa sociedade cruel e desonesta. A garotinha havia contado à sacerdotisa o quão violentos os aldeões eram com ela mesmo que a órfão estivesse apenas garantindo sua sobrevivência. Ao ver da morena, aqueles aldeões mereceram serem mortos pelos yokais lobos. Sesshoumaru a ressuscitou porque aquela pequenina merecia viver, ainda não havia se apegado aos costumes individualistas dos humanos, era e ainda é inocente a todas essas atrocidades, devido a isso acabou por se apegar a menina como uma filha. O ser humano nasce bom, mas é corrompido pela sociedade hipócrita em que vive...

A garota esbarrou no hanyou que andava na frente, porém havia parado de caminhar. Os dois estavam longe o bastante para que o grupo não se intrometesse na conversa. Respirou fundo... Era hora de resolver aquela confusão.

Inuyasha–Kagome quer se explicar?-começou Inuyasha aparentemente calmo

Kagome–Não a nada para explicar

inuyasha–COMO NÃO?-alterou-se “levemente”- NÃO QUER EXPLCAR QUE VOCÊS ESTAVAM DE GRACINHA NA CAVERNA?QUE ELE ESTAVA COM VOCÊ NAQUELE MALDITO CAMPO DE SAKURAS E MENTIU PARA MIM SOBRE ISSO? QUE SAIU PARA SE ENCONTRAR COM ELE? OU QUE SE ENTREGOU PARA AQUELE INVEJOSO?

kagome–Acho que você já explicou tudo Inuyasha... - A morena deu um sorriso sarcástico caminhando despreocupadamente pelo lugar.

inuyasha– KAGOME O QUE DIABOS ACONTECEU COM VOCÊ?

kagome –Abri meus olhos a dois anos ...

inuyasha–ISSO NÃO RESPONDE A MINHA PERGUNTA!

kagome–Espernear e não me deixar dar fim ao que falo também não vai responder a sua pergunta

O meio yokai se acalmou, para depois encostar-se a uma das arvores.

inuyasha–Então responda: você fugiu ou foi raptada na ocasião em que te encontrei na caverna?

kagome–a dois anos que  eu fugi de você e me formei sacerdotisa e quando voutei peguei uma briga com iokay fiquei ferida E sesshoumaru me salvou?

inuyasha–Por quê fugio de me ?

Kagome–Vi algo que não devia

inuyasha–Chega de rodeios Kagome! O que você viu?

,Kagome:- CALI-SE quem devia estar questionando não era você e sim eu.

Inuyasha franziu o cenho

inuyasha–O que?

kagome–Quem é você para pedir satisfações Inuyasha? Se nunca as deu pra mim?

inuyasha–Satisfações sobre o que?

kagome –Você achou mesmo que poderia esconder seu relacionamento com Kikyou não é?

O meio yokai surpreso arregalou os olhos, como ela sabia?

kagome–Inuyasha como você é burro! Aprenda que não se deve sair todas as noites sem avisar, voltando com se nada tivesse acontecido, porque depois de um tempo começa a ficar suspeito, ou melhor começa a ficar obvio, dolorosamente obvio.

Inuyasha–Kagome do você esta...

kagome–Ora! Não se faça de inocente... Quer saber o que eu vi naquela noite? Eu vi o que você faz todas as noites! O motivo pelo qual eu tentava ser tão ignorante!

inuyasha–Kagome...

kahome–Eu vi você se entregando para aquele conjunto de ossos e barro!- a elevação de voz da morena era notória desde o inicio da conversa- E você ainda tem a ousadia de esfregar na minha cara que me entreguei para o único que me estendeu a mão quando eu mais precisava de ajuda enquanto senhor Inuyasha estava em sua noite de amor com uma sacerdotisa que esta morta há 50 anos!

Inuyasha –kagome eu...

kagome–Isso não me importa! Eu corri floresta adentro querendo morrer por sua causa quando saverdoti kuro me ajudou e depois de dois anos treinando peguei uma briga com iokay e fiquei machucada e , Sesshoumaru me encontro e cuido ele cuidou de mim, por mais indiferente que fosse comigo. E agora que encontrei outra pessoa você chega e me diz que não posso ser feliz?

inuyasha–Kagome não é isso! Entenda que eu não sei se amo você ou Kikyou

Kagome–POIS EU CANSEI DE ESPERAR UMA DECISÃO SUA INUYASHA! AGORA VOU CER FELIZ E SUJIRO QUE FAÇA O MESMO COM KIKYOU.

Silêncio. O hanyou refletia sobre as palavras da morena. Definitivamente o feitiço tinha virado contra o feiticeiro. Não esperava tudo isso. Pensava que era ele quem iria ditar as regras naquela briga. Porém Kagome tinha mais argumentos e muitos ele nem imaginava que ela tinha conhecimento. Havia perdido kagome para o irmão e se era para ser assim queria vê-la feliz para poder ficar com sua amada Kikyou.

kagome–Mais alguma pergunta?- a sacerdotisa perguntou sem mais delongas

inuyasha–Não, não tenho mais perguntas Kagome.

kagome–Então se não se importa voltarei para o acampamento- a moça começou a caminhar refazendo a trilha que a levou até aquele lugar.

Levantou alguns galhos de arvore e antes de desaparecer entre eles o hanyou chamou-a. Ela parou e virou-se para ele.

inuyasha–Kagome se não se importa não a quero mais andando conosco, quero você com Sesshoumaru que ele que você ama Não se preocupe com a joia Kikyou entrará no grupo

Ela apenas maneou a cabeça em sinal de afirmação e falou.

Kagome :- claro inuyasha ainda bem que você intendeu.

inuyasha–E mais uma coisa... -ele pronunciou antes dela dar continuidade a caminhada

inuyasha –Seria melhor que se dissesse a todos que vai pois não quero niguem com raiva .

kagome–Tudo bem Inuyasha- a morena a contragosto concordou.

Não queria ficar longe de seus amigos, mas Inuyasha tinha razão eles precisavam encontrar Naraku e a ajuda de Inuyasha era indispensável para tal, não iria estragar a felicidade deles.

OoooOoooOooo

Miroku–Kouga você faz alguma ideia do que Sesshoumaru quis dizer com a mudança no cheiro de Kagome?-o monge decidiu perguntar antes de mexer na ligeira chama que se formava entre a madeira que havia recolhido para a fogueira

kouga–Sim, Kagome não possui seu cheiro original.

Sango–Como assim?-perguntou a exterminadora que acabara de chegar com uma grande cesta, cheia de frutas. Mas ela ja sabia so queria te sertesa 

kouga –Isso quer dizer que Kagome pertence a alguém. Que ela não é mais pura

Miroku–E vocês conseguem saber disto apenas pelo cheiro?- Miroku perguntou antes de dar uma mordida na maça que pegou da cesta.

kouga–É claro que conseguimos. É uma maneira de alertar que a fêmea não é mais pura. Com os dias esse cheiro se dissipa, ele só continua se o yokai marca-la. Assim a toma como sua propriedade e todos os outros saberão que não devem tocar nela.

Miroku–E como sabem quem é o yokai que a marcou?

kouga–Pelo cheiro dele oras.

Sango–Então você consegue sentir o cheiro de Sesshoumaru em Kagome? Ele a marcou?-perguntou Sango

Kouga–Os cheiros se mesclam, portanto também consigo sentir o cheiro de Sesshoumaru e de Kagome numa só pessoa. Mas isso  quer dizer que ele a marcou.

Miroku–Serio mesmo ?- perguntou o monge

kouga–claro miroku ela agora e dele veja amarca de meia lua nela perdi minha doce kagome.

shipoo–Kouga você não esta triste por perder Kagome? Você parece não estar muito preocupado com isso-Shippou apareceu dentro da cesta de frutas.

Sango–Shippou que coisa ouvindo a conversa dos outros!-repreendeu a exterminadora, mesmo assim o lobo não se importou em responder a pergunta do pequeno yokai raposa.

kouga–Por mais inconsolável que eu esteja, vejo que Kagome esta muito mais feliz agora do que antes quando amava aquele baka do Inuyasha. Se ela esta contente, arranjarei um jeito de ficar também.

Sango–Que bom –Sango sorriu para o lobo- pelo menos alguém aqui pensa dessa maneira!

kouga–Mas não creio que o cara de cachorro vá facilitar as coisas para Kagome

Miroku–Você tem razão Kouga. Ele nunca facilita as coisas- comentou o monge

–É mesmo um baka!-falaram Shippou e Sango simultaneamente.

Oooooooooooooooooooooooooo

Não muito longe dali por entre as nuvens, o yokai cão junto de seu servo, sua protegida e Arurun voavam para um destino qualquer. Os dois pequenos em cima do yokai de duas cabeças trocavam argumentos sem um assunto pendente, enquanto seu mestre mais a frente mostrava-se ignorante a conversa, todavia, um momento em especial fez com que Sesshoumaru redobrasse seus sentidos auditivos para ouvir o que se falava.

rin– O Sesshoumaru-sama e a Senhorita Kagome formariam um casal muito bonito não acha Jaken-sama? Quero que eles fiquem juntos!

jakem–Pirralha, não penssse asneirasss! Aquela humana não passssa de alguém sssem importância,

rin–Não fale assim dela Jaken! Senhor Sesshoumaru não vai gostar da maneira como fala!-repreendeu Rin.

Jakem–Nosso mestre não se importa com ela Rin!

Rin–Mentiroso!

jakem–Garota tola! Sr. Sesshoumaru não quer como companheira uma idiota, apaixonada por alguém que a trocou, uma meretri...

O yokai sapo foi detido antes de terminar a palavra ofensiva e um tanto precipitada. Seu mestre o havia pegado pelo pescoço em pleno voo, com olhos estavam vermelhos e presas salientes, Sesshoumaru o encarava muito irritado.

Sessgoumaru–Nunca mais... Fale assim de Kagome... Ouviu-me Jaken ela e sua senhora femia desse sesshoumaru em temdeu jakem?-

O yokai se debatia a procura de ar.

Sesshoumaru–Este Sesshoumaru lhe fez uma pergunta, portanto, responda!

jakem–Sssim... Sssssesshoumaru-ssssama... essste Jaken se dessculpa- falou com dificuldade o pequeno yokai, que foi solto logo depois em cima de Arurun.

A pequenina ria baixinho do yokai verde que tremia ao seu lado.

jakem–Qual é a graça?-perguntou ele agora irritado

rin–Eu avisei que ele iria se zangar... -continuou a menina rindo baixinho da situação junto ao yokai dragão de duas cabeças.

Rin não se assustou, já esperava essa reação, podia ser apenas uma menininha, mas conhecia o seu mestre como ninguém já conheceu e por mais frio que ele fosse, ele tinha um coração e vendo-o como um pai torcia para que a dona do mesmo fosse a gentil sacerdotisa de olhos azuis com quem pode conversar um dia.

Rin–Sesshoumaru-sama?

Sesshoumaru–O que foi Rin?

rin–Acho que o senhor deveria ir atrás dela.

OooooOooooOooooOoooOooo

A morena chegou a passos lentos no acampamento, a verdade era que não queria ir embora. Mas tinha que ir, também não iria suportar ver Inuyasha todos os dias.

sango–Kagome!-saudou Sango- Como foi a conversa?

kagome–Não vou mais ficar com vocês vou atras de meu marido.

Sango–Como assim  vai em embora atras de seu marido?

Kagome –eu que quero ir pos não comsigo me ver sem ele .

Sango–Então vou com você- a exterminadora ia pegar suas coisas, mas a sacerdotisa a detem e fala 

Kagome –Não Quero ir sozinha. você tem que continuar procurando Naraku com Inuyasha e os outrosda

Sango–Mas Kagome...

kagome–Sem “mas” Sango, fique, por favor.

A exterminadora maneou a cabeça em afirmação, seguidamente Kagome pegou sua mochila e despediu-se de todos. Saindo do acampamento antes que Inuyasha chegasse com a nova integrante.

Miroku–Não acredito que tenha sido ela que planejou ir embora- comentou o monge

Saango –Todos sabem que não. Só fiquei por que ela me pediu- retrucou Sango

–Nós também- o restante falou

Alguns minutos depois Inuyasha chegava com a sacerdotisa de cabelos negros e pele pálida.

Shipoo–Inuyasha o que ela esta fazendo aqui?-perguntou o pequeno yokai raposa

inuyasha –Kikyou entrará no lugar de Kagome ela vai nos ajudar a encontrar a joia.

–O QUE?-gritaram todos, olhando para Inuyasha, surpresos com aquela notícia, que realmente ninguém esperava.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...