História Lágrimas de Sangue - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Laito Sakamaki, Yui Komori
Tags Ayato, Diabolik Lovers, Drama, Revelaçoes, Sakamaki, Yui
Exibições 182
Palavras 725
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Konichua Lindos do meu Kokoro. Estou de volta com a continuação do sofrimento da nossa pobre Yui. Espero que gostem <3

Capítulo 8 - "-Me beija"


Fanfic / Fanfiction Lágrimas de Sangue - Capítulo 8 - "-Me beija"


    POV Yui 
    Aquelas palavras me destruíram por completo. Eu não consegui respondê-lo; eu apenas sai correndo entre lágrimas sem olhar para trás. Pelo menos agora eu sabia que ele não era capaz de me amar como eu o amo. Mas, eu realmente o amo? Talvez eu só esteja confusa porque ele foi o primeiro a me tocar.
    POV Ayato
    Estamos todos sentados na mesa fingindo estar prestando atenção no que Reiji diz sobre a festa que acontecerá na noite de um dia no mês que vem. A Panqueca está sentada bem longe de mim, ao lado de Raito. Que cena patética! Os dois rindo baixinho e cochicando um com outro como se fossem um casalzinho feliz. Ela não olhou pra mim nem uma vez; parecia distraída e FELIZ demais para perceber que eu estava ali. 
    Em meio aos risos baixinhos deles, Raito segurou a mão dela e depositou ali um beijo, com um olhar tão sexy que se eu não estivesse muito puto, provavelmente teria ficado excitado. Ela corou e fechou os olhos e então ele deu um selinho rápido nos lábios da garota.
    - O QUE VOCÊ PENSA QUE ESTÁ FAZENDO?- levantei abruptamente da cadeira, não aguentando ver aquela cena patética. Quem ele pensa que é? Ela pertence a mim.
    -Ayato, pode, por obséquio, deixar de ser um ignaro e sentar-se novamente?- Reiji falou entre os dentes, tentando manter a formalidade, quando era óbvio que ele queria me mandar ir à merda.
    O casalzinho riu baixinho debochando de mim, o que me deixou ainda mais puto, mas eu não estava com saco para discutir com Reiji hoje, então apenas sentei e fiquei quieto. Ele estava falando sobre como deveríamos nos comportar durante a festa, a qual eu não queria que acontecesse, e revisando algumas regras de etiqueta. Me forcei a prestar atenção nele até a reunião acabar.
    Finalmente ele calou a boca e nós levantamos indo cada um para seu caminho, exceto por Yui e Raito, que saíram juntos.
    Ambos entraram no quarto da Panqueca. Eu os segui.
    Meus olhos vacilaram quando vi Raito com as mãos na nuca de Yui e os lábios no pescoço da mesma, e para minha surpresa ele não estava chupando o sangue dela e sim depositando beijos delicados na pele clarinha, enquanto ela gemia de olhos fechados.
    
    *FLASHBACK ON*
    POV-Yui
    Corri chorando de volta pro meu quarto e tive uma surpresa desagradável. Eu queria muito ficar sozinha, mas o ruivo de chapéu estava esparramado pela minha cama. Ele levantou-se quando eu entrei e eu enxuguei minhas lágrimas, tentando não despencar na frente de mais um sádico. 
    - O que houve, Bitch-chan? -Ele perguntou com o olhar afetado. Até parece que esse idiota se importa. 
    - Não é da sua conta, baka! -Respondi asperamente. Cansei de ser boazinha e sempre me magoar no fim. Ele arregalou os olhos, surpreso com minha atitude e depois deu um sorriso.
    - Rude desse jeito vou acabar me apaixonando por você -Disse com a mesma malícia de sempre.
    - Vocês não são capazes de amar! -Que merda. meus olhos lacrimejaram e minha voz saiu trêmula, fazendo o sorriso pervertido do rosto dele desaparecer.
    Ele não disse nada; apenas bateu na cama à sua frente, fazendo sinal para que eu me sentasse ali e eu o fiz. O ruivo segurou minhas mãos e olhou no fundo dos meus olhos com intensidade.
    - O que eu posso fazer por você, Bitch-chan? -Ele perguntou, sem interromper o contato. Seu olhar é sincero, mas eu não consigo acreditar no que está havendo, afinal eles são 100% cruéis, não são?
    Tirei minhas mãos das dele e ri com escárnio.
    -Não brinca comigo. Eu não quero me machucar mais hoje. -Respondi sem forças para argumentar.
    -Ayato tem a ver com isso?- Ele perguntou, fazendo meu coração gelar ao ouvir aquele nome. Eu apenas acenei positivamente com a cabeça.
    
    Foi aí que eu tive uma ideia. Mesmo Raito sendo um grande baka cruel como os outros, ele estava disposto a me ajudar e, já que envolvia Ayato ele o faria com ainda mais vontade.
    -Raito-kun? -O chamei tocando em suas coxas descansadas na cama.
    -Hm? -Ele perguntou, olhando um pouco surpreso para minha mão sobre sua perna.
    -Preciso que faça um favor para mim.
    -O que é, Bitch-chan? -Ele perguntou, retomando o olhar malicioso e cheio de desejo
    -Me beija 
 


Notas Finais


A Yui deixou de ser tão trouxa!!! Até "xingou" o Raito. Só pra deixar bem claro ela não é uma puta que pretende passar o rodo nos irmãos Sakamaki. Pelo amor do santo Yoongi, já estava na hora de ela machucar o Ayato um pouquinho.
O que acharam dessa ideia dela? O que será que o Ayato vai fazer quando sair do transe de "não to acreditando nisso"?
Não se sintam com vergonha de comentar.. adoro ler todos e ter um envolvimento com os leitores assim como com a historia...
vcs estao no meu kokoro, ate o proximo cap
~kissus de chocolate ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...