História Lana (Fic Camren) - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Shawn Mendes
Tags Camren, Laucy, Norminah, Shawmila
Visualizações 157
Palavras 3.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, FemmeSlash, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Crazy In Love como trilha sonora.

Capítulo 29 - I'm your greatest pleasure.


Fanfic / Fanfiction Lana (Fic Camren) - Capítulo 29 - I'm your greatest pleasure.

Arregalo meus olhos observando o rosto confuso de Shawn do lado de fora. Desvio meu olhar até o rosto de Lauren e percebo um sorriso orgulhoso e malicioso em seus lábios.

Lauren rapidamente destrava a porta e abro a mesma sem esperar nem um segundo.

- Olá, amor. - falo o abraçando e sinto que seus olhos estavam cravados em outro local. Ou melhor, em outra pessoa.

- Prazer... - diz Lauren andando até nossa direção estendendo o braço rumo ao homem a minha frente

- Você deve ser a Lauren Jauregui, chefe da minha namorada... - senti uma ênfase na parte do "minha" mas apenas conseguia observar a morena a centímetros de distância.

Ela tinha um ar de superioridade em direção a Shawn, às vezes, trazia seus olhos verdes até mim escondendo um sorriso cheio de diversão por me ver naquela situação. De um lado, meu namorado que me salvou de diversas coisas e do outro... uma mulher que tirou completamente o meu juízo.

- a única - senti os olhos de Shawn em mim e engoli em seco. Rapidamente, ele juntou sua mão a de Lauren, a cumprimentando.

- Srta. Estrabão... - seu modo de dizer foi completamente diferente. Seus olhos fixados nos meus, sua língua umedecendo seus lábios, sua boca entreaberta, sua mão estendida logo para mim.

- Te vejo na segunda - fala assim que nossas mãos se encontram.

Mesmo estando fora da empresa, Lauren ainda tinha o ar de poder e a postura de chefe, a rodeando. Seu andar até seu carro, provava isso.

Mas claro, ela não sairia dali sem uma provocação, o que era a marca dela.

- Na segunda, conversaremos mais sobre aquele assunto... prometo que não vai se arrepender ! - quando ouvi aquilo, meu estômago pareceu revirar.

Entrou em seu carro e saiu às pressas. Minha respiração aos poucos, foi desacelerando e quando me virei, percebi que Shawn não tinha uma expressão tão boa no rosto.

- Aconteceu algo ? - pergunta e suspiro negando com a cabeça veementemente.

- Nada de mais. Por que a pergunta ?

- De que assunto, ela se refere ? - ele perguntou se desvencilhando de meus braços que estavam o segurando.

- Eu... é assunto de trabalho. Nada que você tenha interesse

- Eu me interesso em tudo que você faça. Essa mulher... eu senti algo diferente nela. - ouvindo aquilo, eu só queria contar a ele, tudo que havia acontecido, mas eu não conseguiria.

- O que ? - pergunto tentando deixar minha voz num tom que não iria expor meu nervosismo.

- Não consigo explicar. Mas eu sei ! Parece que ela sabe de algo que eu não sei, tem um ar de superioridade... - por um momento, ele para de falar e me encara com o cenho franzido.

- Camila... ela sabe de algo ? Ela sabe de algo, que eu não saiba ? - seus olhos estavam cravados nos meus, fazendo-me dar dois passos para trás.

- Não... claro que não. Você é meu... é meu namorado. Ela é apenas uma mulher prepotente que instintivamente, foi eleita a minha chefe ! Agora por favor, pare de falar nela ! - já estava cansada de ouvir aquele nome por hoje.

Enquanto ele falava sobre ela, na minha cabeça só vinha as lembranças dos beijos, o que me fazia ter vergonha de mim mesma.

- Ok. Eu não irei... - ganho um beijo demorado e logo entro em casa ao seu lado.

Deveria deixar tudo como estava. Shawn ao meu lado, ele é o único que eu preciso.

*****
Segunda - 13/07, 09:45 a.m


- Eu sabia ! Eu sabia ! Deus, obrigada por mostrar para a Camila que ela é apaixonada pela Lauren... - Dinah exclamava olhando para os céus como se fosse um agradecimento.

- Dinah, para agora ! Isso não é algo que se agradece. Eu namoro, ok ? - quando digo aquilo, Dinah vira o rosto em minha direção fazendo cara feia.

- Isso podemos mudar nesse exato momento... - ela disse tirando a aliança de meu dedo e jogando longe.

- Dinah ! A minha aliança... como eu vou achar dentro desse quarto enorme ? - pergunto e ela dá de ombros, nem sequer se importando.

- Você sabe que vai rolar algo hoje né ? Tô rezando para o que seja o que estou pensando... aí, você finalmente saberá se sente tesão e prazer pela Lauren ! - arregalo os olhos e a encaro.

- Eu não vou transar com ela ! - exclamo e ela sorri maliciosa.

- Isso é o que veremos... duvido que você aguente dez minutos fazendo sexo com aquela mulher. - ela diz me provocando e começo a jogar os travesseiros que estavam na cama, em seu rosto.

Ela ria e batalhava comigo, começando uma guerra de travesseiros. Quando me deparei, estávamos uma em cima da outra na cama, brigando parecendo duas crianças.

- Olha a sujeira que você fez, Dinah ! - exclamo vendo que a cama estava repleta por penas brancas

- Foi você que começou... - logo Normani entra no quarto e vê o estado deplorável do quarto.

- Meu Deus... Alguém morreu aqui ? - disse brincando e fechando a porta enquanto segurava duas xícaras de café.

- Tome. - disse entregando uma xícara para mim e outra, para Dinah.

- Viu ? Seja como a Mani. Me trate com respeito ! - Dinah disse jogando um travesseiro em Camila novamente.

- Ela só ficou assim depois do beijo que você deu nela... - falo sem pensar, e vejo que Mani e Dinah se encaram e desviam o olhar rapidamente.

- É... acho que eu falei demais ! - a porta novamente é aberta e dessa vez era minha mãe.

- Filha, um carro está te esperando para ir ao trabalho... - ouço e esfrego as têmporas, já imaginando que era o motorista de Lauren que havia me buscado novamente.

- É hoje, Camilinha... é hoje ! - naquele momento, tive certeza que aquele dia não terminaria sem uma provocação de Lauren. Ou até mais.

Havia colocado uma calça preta, uma blusa num tom esverdeado e uma bota nos pés. Já estávamos chegando na empresa e Dinah continuava com seu sorriso enorme no rosto.

- Chegamos Srta. Cabello... - disse Alfred abrindo a porta para nós duas e eu assinto com a cabeça, o agradecendo.

- Cuidado que logo, logo ele vai estar te chamando de Sra. Jauregui... - sussurrou Dinah e eu dou um tapa em seu braço.

Logo entramos na empresa e vamos direto para o elevador. Mas logo, que vi quem estava ali, quis sumir.

- Bom dia, Estrabão... - Lauren estava encostada na parede do elevador e não me contive em descer meu olhar até seu enorme decote no meio de seu vestido que ia até suas coxas.

Dinah logo entrou no elevador e me encarou.

- Não vai entrar não ? - disse e observo Lauren que me olhava com um sorriso cínico no rosto.

- Claro que vou... - digo entrando e me viro ficando de frente para a porta que logo é fechada.

Mesmo estando de costas para ela sentia seu olhar sobre mim. Sobre meu corpo. Era como uma conexão, eu sentia tudo que vinha daquela mulher.

Olhei para o lado vendo que Dinah fingia mexer no celular tentando mostrar que nem ali estava. Minha atenção foi interrompida com o corpo de Lauren se encostando no meu.

Ela esticou os braços para apertar o botão que tinha no painel, ordenando que a porta fosse aberta. Assim que o fez, virou seu rosto bem em cima de meu pescoço, me fazendo fechar os olhos.

- Oh, me desculpe... não foi a minha intenção. - suas mãos passearam por minhas pernas e ela logo saiu quando a porta se abriu.
Me deixando completamente furiosa por ter feito aquilo, mas meu interior pegava fogo por conta da provocação.

- Boa sorte, Mila... - exclamou a loira saindo do elevador logo em seguida e suspiro profundamente tentando voltar ao normal.

Saio do elevador e vejo o mesmo homem que um dia havia ido buscar Lana, entrar na sala de Lauren.

- Que bom, me livrei... - sento em minha mesa, logo arrumando minhas coisas. Estavam bagunçadas, cada coisa para um lado e eu tinha uma espécie de toque com aquilo.

De longe, vejo uma silhueta pequena e conhecida acompanhada por uma mulher.

- Camila ! - ouço seu grito e sorrio. Ela vem até mim, correndo e me dá um forte abraço.

- O que está fazendo aqui, pequena ? - pergunto a colocando em meu colo e vejo Ally se aproximar sorrindo vendo nós duas tão próximas.

- Vim ver a Mama... não sabia que você trabalhava aqui, Camila. - falou e olho para Ally tentando pensar no que eu iria dizer a mesma.

- É... eu trabalho para Lauren, aqui na empresa. E nos finais de semana, dou aulas para você e suas amigas do colégio. Funciona assim ! - explico e ela balança a cabeça lentamente parecendo pensativa.

- Então era por isso, que Vero disse que você e a Mama combinavam... - arregalo os olhos, negando com a cabeça rapidamente.

- Não ! Nós duas não temos nada...

- Mas você não trabalha para a Mama ? Então você tem algo com ela... - suspiro de alívio e a encaro sorrindo.

- Então quer dizer que você vai passar a tarde aqui com a gente ? - pergunto e ela faz biquinho.

- Não, Mila. Ainda temos que ir pra casa para a pestinha almoçar e depois tomar um longo banho... - Lana aperta os braços se segurando em mim.

- Mama está aí ? Quero falar com ela, antes de ir... - a pequena, pergunta e afirmo com a cabeça apontando para a porta ao meu lado.

- Está bem ali... - digo e a pequena dá um salto de meu colo logo batendo na porta da sala de Lauren.

- Entre... - sua voz é ouvida e Lana toda sorridente abre a porta

- Lana ?! - Lauren corre até a pequena logo a puxando para um abraço.

- Mama... vim te ver ! - Lauren sorriu dando beijos em seu rosto e logo que parou, olhou para mim que acabei sorrindo com o quão fofo era o relacionamento das duas.

Afinal, era mãe e filha.

- Ally. Obrigada por tê-la trazido até aqui ! - agradece Lauren e a loira baixinha apenas balança a cabeça.

- Tio Brady ! - a menina era um grude com a família. O que a deixava mais graciosa ainda.

- Hora de ir, pestinha... - disse Ally e Lana logo veio para meu colo novamente.

- Tchau, Camila ! - o abraço da pequena era tão bom. Fecho os olhos por alguns segundos e acabo imaginando como seria se minha filha estivesse ali, no lugar de Lana, em meu colo, me abraçando.

Lana puxa Lauren para um abraço triplo e nossos olhos se encontram agora tão próximos. Suas íris escuras, pareciam ser uma galáxia que eu com certeza, me perderia. Ela olhava para cada centímetro de meu rosto. Olhos, nariz, boca...

Até que Lana nos soltou e desceu de meu colo saindo da empresa ao lado de Ally. Logo, Brad falou que cuidaria de outros assuntos e as acompanhou.

Só restava nós duas.

- Venha comigo, Cabello. - ela disse apontando para a sala e eu nego com a cabeça.

- Tenho papeladas para faz...

- Srta. Estrabão. Não estou pedindo... - seus olhos escuros me intimidavam. Eles exibiam o desejo que tinha naquele momento.

Me levanto da cadeira e entro na sala logo ouvindo o forte estrondo da porta ser fechada. Seus lábios encostaram em meu pescoço me fazendo suspirar.



- Lauren...
- Sinta. Sinta tudo. Mostre o desejo que tem ! - suas mãos puxaram meus cabelos para o lado direito deixando a parte mais sensível a mostra.

- Eu sinto a tentação... você sente ? - ela distribuía beijos e mordidas por todo meu pescoço e nuca. Aquilo estava me deixando maluca.

- Shawn... ele é meu namorado.

- Se você estiver pensando nele nesse momento, eu te deixo sair daqui e prometo... - ela dizia passando suas mãos por meu abdômen até chegar em meus seios, enquanto chupava meu pescoço - te deixar sair daqui sem nenhum arranhão. Mas se não, eu vou fazer você ter o melhor orgasmo que já teve ! - ela sussurrou dizendo ao pé de meu ouvido.

Eu não iria aguentar. Eu não ia resistir.

- Me diz, Camila... você quer sair daqui ilesa ou fazer essa volúpia queimar fudendo comigo ? - suas mãos começaram a massagear meus seios ainda por cima da blusa me fazendo suspender a cabeça em seu ombro.

- Eu quero... eu quero tudo, eu quero que você me foda. - meu sexo já estava úmido por conta de seus toques e provocações.

Aquilo foi o que ela precisava ouvir. Seu desejo pareceu ter aumentado e ela logo me empurrou para sua mesa, fazendo com que tudo caísse ao chão. Sua boca perseguiu meu pescoço até chegar a minha boca.

Nossos lábios já não tão desconhecidos assim, se transformaram em dois vulcões em erupção. Suas mãos passeavam por toda a extensão de meu corpo.

Abri os olhos vendo que as persianas estavam abertas.

- Lauren... as persianas ! - a aviso, mas ela nem sequer dá ouvidos.
- Lauren - eu não conseguia falar, o clima estava realmente quente ali.



Seus lábios desceram até minha clavícula, onde beijava e lambia furiosamente, com a mão esquerda levantou parte de minha blusa e com a outra começou a massagear meu seio direito apertando meu mamilo que já estava rígido.

- Você é tão boa. Estou louca pra te provar... - ela disse em voz baixa, indo até meus seios os devorando, como uma leoa faminta.



- Ô... Lauren...

Chupava fortemente e me olhava com um olhar tomado por malícia e tentação.

Apoio minha cabeça em meu ombro direito pregando aos céus, que ninguém entrasse naquele momento. Aquela sala parecia o inferno. O inferno que eu mais desejava.

Ela, lentamente, levou suas mãos até o zíper de minha calça o abrindo. Me suspendi colocando meus ombros na mesa, mas meus olhos estavam fixados nela. Não conseguia tirar meus olhos daquela mulher.

Em um impulso a puxo para mim. Quando finalmente seus olhos encontram os meus, naquele momento, eu percebi. Era mais do que um simples desejo.

- Eu odeio... odeio te querer tanto ! - exclamo e vejo seu sorriso se formar em seu rosto.

- Eu também... - nossos lábios se juntaram novamente e logo, puxo as mangas de seu vestido, fazendo a peça cair no chão, deixando meus olhos percorrerem cada centímetro de seu corpo.

Era tudo tão perfeito. Seus seios fartos, sua boca vermelha, seus olhos verdes, eu poderia me perder naquele mundo. Naquele corpo.

Suas mãos macias e quentes passavam por meu abdômen e seios, fazendo minha cabeça girar com tanto prazer. Rapidamente, abro o fecho de seu sutiã, encarando os mamilos rosados de Lauren. Enquanto a morena tentava tirar minha calça o mais rápido possível, minhas pequenas mãos agarravam seus seios com anseio.

Sua respiração descompassada e seus suspiros pesados me mostraram que ela sentia o mesmo que eu. Quando dei conta, minhas botas e minha calça já estavam longe.

A única peca que nos impedia era minha calcinha. Lauren leva seus dedos a meu sexo, me fazendo entreabrir a boca em surpresa.

- Já ? Nem toquei na parte mais sensível... - ela disse num tom completamente malicioso e começou a deslizar seus dedos em cima de meu sexo, me fazendo erguer minha cabeça, gemendo.

- Lauren... - gemia seu nome, fazendo seu sorriso só aumentar e os movimentos circulares que estavam lentos, começaram a acelerar pouco a pouco.

- Oh, Deus... - espalmei minhas mãos na mesa, segurando com força suas laterais, tentando transmitir o que estava sentindo.

Logo senti seus beijos que começaram de minhas pernas subirem até chegarem em minha virilha.

Ela deu um chupão violento naquela parte e mordi os lábios em tesão. Meus lábios estavam tão secos, estavam no estado oposto de meu sexo, que já deveria estar encharcado.

- Vou te mostrar, o poder... o meu poder ! - exclamou me olhando nos olhos e segurou as laterais de minha calcinha, logo a puxando completamente.

Minhas pernas foram abertas, seus olhos desceram até meu sexo e seus olhos cheios de malícia me comprovaram que ela iria acabar comigo ali, na mesa de seu escritório, com todos da empresa podendo escutar ou até ver.

- Srta. Estrabão... eu vou acabar com você. - ela se ajoelhou a minha frente e sua língua úmida entrou em contato com meu sexo.

Minhas pernas tremeram com aquilo e minha boca não conseguiu segurar alguns gemidos.

Sua língua percorreu todo meu sexo, me fazendo revirar em cima da mesa querendo gritar aos quatro cantos do mundo, como estava em êxtase com aqueles toques.

Seus dedos massageavam meu clitóris enquanto a mesma lambia a vulva toda, o que estava me deixando maluca de prazer.

- Por favor... me foda. Lauren, me foda ! - exclamo, meu útero parecia que iria explodir com tanto prazer, eu não aguentaria tanto tempo.

Ela levantou lentamente e me puxou devorando meus lábios. Meu gosto estava encharcado em seus lábios, eu podia sentir.

- Um pedido é uma ordem, Estrabão... - sua voz rouca me alertou e logo senti seus dois dedos penetrarem me fazendo arfar em seus ouvidos.

Ela movimentava seus dedos com facilidade, eu estava completamente molhada e ela sorria enquanto puxava meus cabelos e me fazia encarar seu rosto.

- Geme pra mim... - ela disse acelerando os movimentos e suspiro engolindo em seco.

- Oh... Lauren, por favor... Deus... - minha respiração estava acelerada, meu sexo dava sinais que a qualquer momento não iria mais "segurar".



Lauren logo percebeu e tirou seus dedos de dentro de mim, voltando a chupar meu clitóris, me fazendo gozar em sua boca, minutos depois, arrancando um sorriso de seu rosto.

- Oh... o que você fez comigo ? - soltei meu último gemido, respirando fundo enquanto a morena a minha frente passava os dedos por seus lábios os limpando.

Seus olhos procuraram os meus e assim que eles se encontraram, tive minha resposta.

Mergulhei nos fundos daqueles olhos verdes tão intensos e aí, percebi que aquilo não era um simples desejo, ali começava uma nova largada. Uma nova paixão.


Notas Finais


Goodbye.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...