História Lances da vida - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Família, Originais, Palmadas, Revelaçoes, Spanking
Visualizações 102
Palavras 1.379
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá amores, como o prometido aqui está o capítulo!
A imagem de capa eu peguei do google, é o Liam Payne jovem, e é assim que eu imagino o Lorenzo...Caso alguém quiser saber kkkk
Espero que gostem do capítulo :)

Capítulo 4 - Castigo


Fanfic / Fanfiction Lances da vida - Capítulo 4 - Castigo

POV Lorenzo

 

   Me jogo na cama mais irritado do que nunca. Àquele garoto mal chegou e já colocou o meu pai contra mim!

   Isso é tão injusto... Soco o travesseiro pouco antes de ouvir passos no corredor, estou tão ferrado! Não sei por que tive que abrir minha boca na frente de papai. Ele já havia me advertido...

   Sou tirado de meus pensamentos quando Louis invade meu quarto.

  — Lorenzo, você tem noção de como foi infantil agindo daquela forma?!

   Ok, ele mal entrou e já veio gritando comigo... As coisas definitivamente não estão nem um pouco boas para o meu lado.

  — Infantil? Eu fui o único nessa casa que teve coragem de falar o que estava pensando, vocês ficam fazendo teatrinho, agindo com naturalidade... Isso não é verdade, ele é um completo estranho! – Indago com raiva.

   Papai não perde tempo, simplesmente me agarra pelo braço e se senta na cama, me puxando para o seu colo.

  — Não!! Isso não é justo papai! – Começo a me debater para sair, mas ele é mais rápido e mais forte que eu. Consegue facilmente abaixar minha calça junto a minha boxers, deixando minha bunda exposta e inclinada, a mercê dessas palmadas idiotas!

   E não me engano, segundos depois sinto um forte tapa, que me faz soltar um gemido baixo:

 

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

 

   Começo a chorar, Louis não diz uma palavra, o que torna tudo ainda pior. Está doendo muito, e eu tenho quase certeza que nesse ritmo meu traseiro vai literalmente pegar fogo daqui alguns segundos!

   Sei que pareço meio dramático, mas não estou sendo! Meu pai é realmente duro quando se trata de castigos, embora ele não tenha cara de alguém severo... Bom, as aparências enganam!

 

 

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

 

 

  — Para... Está me machucando! – Choro escondendo o rosto entre os braços. A única coisa que se ouve no cômodo é o som alto e estalado das palmadas na pele desnuda, e o claro som das minhas queixas e soluços. O que torna a cena muito mais dramática do que realmente é. Fato que só piora tudo...

  — Seu castigo ainda nem começou Lorenzo, então pode parar com o draminha todo!

   Solto um soluço ao ouvi-lo. Draminha? Meu traseiro está doendo mais do que ele pode imaginar, mas claro que como é comigo ele nem se importa! Louis não se importa comigo ou com o que estou sentindo! Se fosse com Thomas ele não diria isso, e nem com o outro filhinho dele... Agora como sou eu, doa a quem doer... Choro mais com esse pensamento.

 

 

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT SWAT

 

 

   Tento me levantar, porque a dor realmente está sendo difícil de suportar, por quê eu fui falar aquela merda toda para aquele idiota?! Papai vai me matar hoje... E a culpa nem é inteiramente minha!

  — Nunca mais diga coisas como àquela para o James, ele acabou de perder o “pai”, o homem que o criou a vida toda, acha mesmo que se ele tivesse escolha não escolheria ter o pai de volta Lorenzo? Nem todo mundo é mesquinho como essa turma que você está acostumado a andar! Dinheiro não é tudo na vida!

   Ele me levanta e faz com que eu me deite na cama. Não acredito que ele vai me bater ainda mais...

  — Papai, chega... Eu... Eu já entendi... – Tento, mesmo sabendo que se ele já tomou a decisão de me castigar mais, não voltará atrás.

   Movo-me um pouco tentando controlar o choro e vejo como ele tira o cinto de couro que prende sua calça. Não acredito que ele vai me castigar com essa coisa só porque eu disse umas palavrinhas para aquele imbecil... Nem foi para tanto...

   Sinto uma dor ardida em minha coxa, como isso dói!! O primeiro golpe vem seguido de muitos outros, dessa vez dirigidos especificamente às minhas nádegas.

 

 

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

 

 

  — Nunca mais fale coisas como essa para o James filho, machuca... Tente se colocar no lugar dele um minuto! – Fala ele, com a voz levemente alterada.

  — Machuca? Machuca o que você está fazendo comigo agora! – Choro, depois dessa surra tenho quase certeza que não irei conseguir me sentar comodamente por pelo menos uns três dias... Louis está utilizando muito força nos golpes desferidos.

 

 

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

 

 

   Ele finalmente para, soltando o cinto e se aproximando devagar. Me afasto, puxando minha roupa no processo.

  — Enzo...

  — Eu quero ficar sozinho...

  — Filho, entenda que eu fiz isso porque foi necessário... Você disse tudo àquilo ao seu irmão, e eu não poderia ficar de braços cruzados. – Responde ele, com a voz suave.

  — Pai eu realmente não quero ouvir sermão agora... O senhor já me castigou... Está doendo e eu só quero chorar... – Admito, com certa dificuldade por conta das lágrimas.

   Vejo ele se sentar na cama e me puxar suavemente para o seu colo, me envolvendo em seus braços.

   Choro ao sentir o contato da minha pele castigada direto no colchão... Como isso incomoda.

   Louis acaricia minhas costas, tentando me acalmar. Ele sempre age assim depois de um castigo, é impressionante como ele muda de uma situação para outra. Porque meu pai sabe ser bem severo quando necessário, mas também sabe ser bem carinhoso quando quer.

   O abraço forte, escondendo o rosto em seu peito:

  — Desculpa papai... – Choramingo, sentindo-o apertar mais o abraço.

  — Não é comigo que você deve se desculpar amor... Jimmy ficará conosco, e acho melhor você aceitar isso o quanto antes...

    Faço uma careta, ele quer que eu me desculpe com aquele garoto? O causador da minha desgraça??

   Respiro fundo, não quero mais confusões por hoje...

  — Isso realmente é necessário papai?

  — É sim Enzo, você foi cruel com o Jimmy, e isso não se faz... Muito menos com um irmão. – Diz Louis, acariciando meu cabelo.

   Concordo devagar com a cabeça, vou fazer isso para ficar de bem com meu pai... Mas não será algo sincero. Agora eu gosto menos ainda daquele moleque.

   Demoro um pouco para parar de chorar, e papai fica comigo nesse tempo todo. Quando finalmente me acalmo de vez, lavo o rosto e digo que estou pronto para me desculpar.

   Louis sorri de forma orgulhosa, eu gosto de ver esse sorriso dirigido a mim... Sorrio de volta, e o acompanho até o quarto de James.

   Grande foi a nossa surpresa ao não encontra-lo lá... Papai começou a procura-lo pelo resto da mansão e adivinhem só? Isso mesmo, o idiota desapareceu!

   Menos mal, acho que ele finalmente se tocou que não é e nunca será bem vindo aqui... Ao ver o desespero do meu pai, me sinto um pouco mau de pensar assim... Mas não posso evitar, estávamos muito bem antes desse menino aparecer, agora só espero que ele não volte mais!


Notas Finais


O que acharam? gostaram? Odiaram? Comentem a opinião de vocês e o que acham que irá acontecer no próximo :D
Desculpem qualquer erro ortográfico, terminei o capítulo agora e revisei bem por cima mesmo...
Abraços!!
Domingo que vem tem mais :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...