História Lanna Sparks - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Acampamento, Bissexualidade, Drama, Festas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intrigas, Musica, Originais, Problemas, Rock, Romance, Sexo, Vicios
Exibições 14
Palavras 855
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Já aviso: não estou fazendo apologia a nada, muito pelo contrário, no descorrer da história vou mostrar as consequências dessas atitudes. Por favor! Não estraguem suas vidas...

Um beijo e um queijo! *-*

Capítulo 2 - Papaizinho...


Fanfic / Fanfiction Lanna Sparks - Capítulo 2 - Papaizinho...

6 anos depois...

LANNA SPARKS

E mais uma vez meu pai me liga, para mais uma vez ser ignorado por mim. É o que eu tenho feito em relação a ele, ignorado, mas está ficando cada vez mais difícil fazer isso, já que ele conseguiu amolecer o coração da minha mãe, me fazendo ter que aguentar a vontade de arrancar meus ouvidos sempre que ele é mencionado. Não que eu odeie meu pai, na verdade eu o amo, amo quando ele está bem longe e se fingindo de morto. Ele perdeu o espaço no meu coração ao me abandonar, não me importa qual desculpa ele use, na minha opinião, família é família. Não se abandona a família. Para mim, todo o esforço dele é em vão, ele pode até ter conseguido minha mãe de volta, mas eu sou diferente dela, jamais irei perdoa-lo. Minha mãe é o meu pai, só ela sabe o que eu senti e o que eu passei, era ela que estava nas festas escolares de dia dos pais, foi ela que me ensinou a andar de bicicleta e foi ela que esteve comigo em todos os momentos. Louis Morgan perdeu a oportunidade de ser meu pai no momento em que decidiu abandonar sua mulher e filha para seguir turner com sua banda e nunca mais mandar notícias, até meus 10 anos, quando voltou com o papo de nos querer de volta, de volta é o caralho, quero é distância.

Se fosse antes, eu estaria triste, hoje eu sinto raiva, rancor, talvez um pouco de mágoa, ou muito, não importa, o que interessa é que tudo que sinto por ele não é menos do que desprezo. E para completar a desgraça, ele passou a noite em casa, agora que reatou com minha mãe, dá sempre um jeito de fugir da sua rotina corriqueira para vê-la, o que é péssimo para mim. Eu é que não iria ficar em casa para assistir ao vivo e em cores toda aquela cena diabética, preferi passar a noite fora, fazendo coisas mais produtivas com uma "amiga" minha. Wendy pode ser uma ótima companhia quando quer, digo, quando não está em uma de suas crises de tarada compulsiva, bom, exagero de minha parte, mas ela sabe ser bem tarada quando quer, principalmente se você tiver seios. Chego em casa, em pleno domingo vou ter que ver a cara de pós-foda daqueles dois. Eu mereço! Pff! Passo pela porta e sigo rumo à escada, mas antes, vou na cozinha pegar uma maçã e retorno para meu caminho, mas como a vida me ama, me deparo com os dois descendo as escadas, com aquela cara...

-Onde você estava? - ele pergunta.

-Não é da sua conta... - cantarolo.

-Mas é da minha... - minha mãe faz o mesmo, me fazendo revirar os olhos.

-Dormi na casa de alguém! - cruzo os braços e a olho, não gosto de ficar assim com ela, mas ela sabe que quando ele estiver por perto é assim que agirei.

-Fazendo o que? - ela sorri. Os dois seguem até a cozinha e eu vou junto, devolver a maçã, já que perdi a fome.

-O mesmo que vocês! - dou de ombros, Louis se engasga com a água que estava bebendo.

-Usou camisinha pelo menos? - ele pergunta ainda se recuperando do susto.

-Não se preocupe, papaizinho... - digo cínica a ultima palavra vendo-o formar uma carranca - Dois iguais não reproduzem...

Dou as costas ouvindo ele resmungar e minha mãe rir, ela sabia o que eu estava fazendo e com quem, não escondo nada da minha mãe. Vejo que Wendy me mandou um SMS de Bom dia, respondo e sigo para um banho. Me animo ao lembrar que está é a última semana de aula e logo depois, férias de verão, já começo a pensar no que farei e com quem farei. Saio do banho e visto um vestido preto até os joelhos, com mangas de retalhos e algumas tiras de couro no tronco, calço um par de coturnos, passo um batom preto e rímel, meus cabelos está todo trançado em mechas finas, meio que estilo rastafári, prendo em um coque no alto da cabeça só com a parte de cima do cabelo, deixando a parte de trás solta, que bate no quadril. Desço as escadas e passo por eles na sala, vou até a cozinha e ponho leite com cereal em um tijela, termino de comer, pego minha mochila do Scorpions com tudo que preciso e sigo para a porta de entrada/saída.

-Mãe, vou saindo... - aviso.

Não espero ela responder, sigo a pé para uma quadra abandonada que fica atrás do parque da cidade, chegando lá encontro minha galera. Sento junto a roda de pessoas, onde ficamos ali conversando. Pedimos comida japonesa para o almoço e a tarde abrimos uma garrafa de vinho e algumas mini garrafas de vodka. Quando era umas sete da noite, então resolvi voltar para casa, eu sabia que meu pai já teria ido embora. No trajeto de casa, retiro de minha bolsa um maço de cigarro, abro e pego um, ascendo e sigo até em casa.


Notas Finais


Até o próximo capítulo. Beijinhos e queijinhos! *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...