História Last Chance - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Beth Greene, Daryl Dixon
Tags Bethyl
Visualizações 82
Palavras 1.076
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Capítulo 10


Fanfic / Fanfiction Last Chance - Capítulo 10 - Capítulo 10

 

Capítulo 10

Despedida

“Conservar algo que possa recordar-te seria admitir que eu pudesse esquecer-te.”

William Shakespeare

Beth acorda, Daryl estava em seus braços, eles ainda estavam no esconderijo dele, deitados num porta-malas de um carro antigo. Os pensamentos de Beth ainda estavam voltados às palavras de Daryl e de algum modo ela sabia que ele esperaria por ela.

-Quando se gosta de alguém se machucar faz parte do pacote. –Sussurra, beijado os cabelos dele.

-Você é fofinha. –Resmunga, apertando-a contra o seu peito.  –Vou sentir sua falta. –Sussurra, abrindo os seus olhos e bocejando.

-E se eu tivesse consciência também sentiria a sua falta. –Confessa, sussurrando, beijando a testa dele e suspirando.

-Jura? –Pergunta, ajeitando-a sem seus braços.

-Eu juro. –Responde, encostando à sua testa na dele, fechando os seus olhos e sentindo a respiração de Daryl contra a dela.

-Promete que quando você acordar nada vai mudar? –Implora, alisando o rosto dela, com a ponta dos seus dedos.  –A minha vida foi um inferno sem você, eu sempre consegui lidar com tudo, mas agora eu não conseguiria se eu soubesse que você não seria exatamente como é. –Afirma, embrenhando os seus dedos nos cabelos dela.

-Vai ser como se eu fosse dormi, só que essa noite seria de vinte anos. Eu só vou sonhar, provavelmente, sonhar muito com você. –Revela, despreocupada. –Por isso que só você terá a senha, copia dos projetos e não deixa que os outros vejam os meus sonhos praticando coito. –Confessa e ele sorri maliciosamente.

-É por isso a senha? –Pergunta, malicioso, apertando a sua coxa, escorregando a sua mão em direção a bunda da garota, apertando-a com força.

-E porque eu sei que você tem mais habilidades do que parece. –Responde, segura.

Carl estava indisposto, ele sabia que daqui a poucas horas ele iria hibernar e quase todos os seus amigos, quando ele acordar, não seriam mais os mesmos, não seriam mais crianças.

É assim que Enid estaria, ela estava ali, a poucos passos dele, olhando-o e suspirando, enquanto aproxima-se dele.

-Acho que isso é um adeus. –Comenta, desconfortável.

-Nós ainda vamos nos ver. –Garante, seguro.

-Só que você vai continuar com dez e eu vou ter trinta anos. –Revela, dando de ombros. –Não vamos ser mais os mesmos e não vamos fingir que não vamos ser. Ok? –Pede, suspirando.

-Então, não vai mais ser minha amiga? –Pergunta, confuso.

-Eu não sei. –Responde, negando com a cabeça. –Eu não tenho ideia se eu vou ficar viva até lá. –Comenta, suspirando e aproximando-se dele. –Adeus. –Sussurra, beijando a bochecha do garoto e saindo da sua frente logo em seguida.

Carl seca as lágrimas que ele nem sabia que estavam rolando dos seus olhos, quando percebe que está sendo observado.

-Você também perdeu alguém? –Pergunta Sophia, ofegando.

-É, eu perdi. –Responde, aproximando-se dela.

-Pode me abraçar? –Pede, desconcertada e Carl abraça-a.

Maggie observa Annette e Shawn lado à lado, arrumando a cozinha, a mais velha Greene sabia que os dois estavam lidando muito bem com a possibilidade de nunca mais ver nenhum dos seus parentes.

-Tudo bem? –Pergunta, encostando-se à porta.

-Eu confio, que nós ainda vamos nos encontrar um dia. –Responde Shawn, encarando a irmã. –Eu sei disso. –Afirma, sorrindo.

Maggie prende o choro, seguindo em direção a sala e encontrando Hershel e Beth, os dois estavam abraçados, confortando-se, eles sabiam que tinham mais a perder do que qualquer um da Air, os dois iriam perder esposa, irmão e namorado, mãe, filho e cunhado.

E mesmo que ela não quisesse admitir e mesmo que Annette e Shawn fossem importantes na família, para ela, não fazia tanta diferença assim tê-los ou não na família, no entanto, ela sentia falta da sua mãe, muita falta dela.

-Vem aqui. –Chama Hershel, estendendo a mão em direção a Maggie.

-Nós vamos ter um ao outro. –Garante Maggie, alisando o rosto de Beth, que concorda com a cabeça.

Deanna está terminando de arrumar alguns problemas de última hora, quando Rick aparece, com uma expressão preocupada.

-Acho que nós deveríamos adiar. –Começa e ela nega com a cabeça.

-A revolta vai existir, não tem como impedir, Rick. –Sussurra, negando com a cabeça. –Já estava nos nossos planos. Nem um segundo de adiamento. –Garante, segura. –Coloque os policiais e os soldados que não estarão na lista, para tomarem conta das famílias que ficaram. –Manda, olhando-o nos olhos de Rick.

-Ok. –Sussurra, concordando com a cabeça.

-Rick, eu sei sobre o Carl. –Começa, séria, deixando-o tenso. –Ele não vai estar na lista. Estamos entendidos? –Pergunta e ele concorda com a cabeça.

-Estamos, como a senhora quiser. –Responde, seguindo para a fora da sala de Deanna.

-Ele está bastante inquieto. –Comenta Reg, lendo um livro.

-Ele sempre está inquieto e isso, como dizia a minha avó, sempre quer dizer tempestade. –Revela, olhando-o nos olhos.

O tempo havia se esgotado, ele sabia que logo um novo relógio estava começando a rodar, e uma angustia começa a surgir em seu peito, ele voltaria a não ter sentido na vida, a não ter luz, a não ter esperança.

-A putinha já virou picolé? –Pergunta, sarcástico.

-Ainda não. –Responde, irritado.

-Quando virar você pode parar de fingir que vai ficar amarrado. –Comenta, irônico.

-Eu não vou fingir, eu estou amarrado. –Revela, limpando a sua mão da graxa, quando ouve uma confusão do lado de fora. –O que está havendo? –Pergunta, seguindo para fora da oficina.

-Sabia não? Já estão separando os importantes da rale. –Afirma, fazendo Daryl correr em direção a sala de criogenia, assim que ele se aproxima dos criotanques, ele é barrado.

-Não passa. –Afirma um segurança, barrando-o.

-Eu tenho que passar a minha namorada está. –Começa, fazendo-o rir.

-Como se uma QI alto iria querer ficar com um mediano, medíocre como você. –Afirma o segurança, batendo em Daryl, Daryl engole em seco, mas ele sabe que se ele não o enfrentar, ele não iria se despedir de Beth, então, ele empurra-o e segue em direção a seleção do cultivo, mas quando estava perto de Beth, ele é imobilizado. –Você vai ver o que. –Começa, sendo parado por Hershel.

-Vai lá, meu jovem. –Manda, fazendo Daryl soltar-se e seguir em direção a Beth, que já estava seguindo em direção ao seu criotanque, ele percebeu a tristeza na fase da loura, principalmente, quando ela se vira e encontra o olhar dele, fazendo-a suspirar.

-Eu te amo. –Sussurra, entrando no criotanque, deixando o coração de Daryl disparado.

Nunca ninguém havia dito que o amava...

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...