História Last kiss - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson
Tags Bambam, Got7, Jackson Wang, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Exibições 127
Palavras 3.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Hentai, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii gente, voltei! demorei pra postar esse capitulo sorry.
Desculpa por qualquer erro.
espero que não fiquem entediados e boa leitura s2

Capítulo 3 - Run


Fanfic / Fanfiction Last kiss - Capítulo 3 - Run

 

— O que? — minha voz saiu quase que um sussurro, eu tinha certeza que esse é o vestuário feminino! então porque tinha cinco garotos  aqui?!

—A jessi falou muito sobre você mais cedo — ele levantou do banco e se aproximou de mim. — Então pensei que tal conhecer melhor a novata.

— Hum, e quem são vocês?— na verdade eu sabia exatamente quem eram eles, mas fiz essa pergunta retórica para chegar na principal, o que eles estavam fazendo aqui e o queriam.

— Logo logo você ira saber se é que já não sabe! mas o que eu vim falar com você é que a jessi esta muito chateada e eu não quero que minha princesa vá para casa assim —

— E o que tenho a ver com isso?! — me pergunto como aquela discussão resutou nisso tudo.

— Ela não vai sair do meu pé ate que eu faça alguma coisa com você. — ele deu um sorriso meio sacastico, eu mal o conhecia mas sabia que ter problemas com eles não teria um bom resultado. — Então seja uma boa menina e peça desculpa a jessi.

— Mas eu não fiz nada, quem esta errada nessa historia é ela e não eu — estava ficando cada vez mais incrédula com aquela situação, que garota mais sem caráter.

— Você esta me fazendo perder a paciência — ele revirou os olhos e me olhou com uma cara de entediado.

— E eu não me importo com isso! agora se tiver como vocês saírem daqui, quero me trocar — olhei para os outros que não tinham falado nada ate agora.

Ate que o Jackson segurou meu braço e começou a me puxar para fora do vestuário.

— Ya, me solta! Esta louco! — tentei me desvencilhar dele mas fora tarde de mais o mesmo me jogou na piscina sem mais nem menos.

— Pronto! agora não precisa mais se trocar — ele simplesmente saiu com os outros como se nada tivesse acontecido. A raiva me dominou por completo se eu pudesse arrancaria a cabeça daquele loiro oxigenado e faria dele um espetinho.

 Enquanto eu tentava me secar pensei em todas as formas de dar o troco naquele garoto metido a marrento, só de imagina que no meu primeiro dia de aula todo esse absurdo havia acontecido não queria nem ver o que me esperava até o final do ano.

Mesmo torcendo minha roupa de todas as formas possíveis com a ajuda de uma toalha a mesma ainda continuava encharcada, sim, eu não tinha trago nenhuma roupa reserva, também quem pensaria que seria empurrada na piscina de roupa e tudo. A única coisa que me aliviava era o fato das aulas já estarem terminando, não suportaria ficar na escola molhada.
 

Fiquei no vestuário até o sinal tocar, e quando finalmente tocou todos começaram a sair de suas salas, e obvio que não pude deixar de ser notada. Uma novata andar na escola com a roupa e os cabelos molhados é supernormal claro!

— O que aconteceu? — Yu Ra surgiu do meu lado confusa.

— Um idiota me empurrou na piscina!

— Quem?!

— Deixa pra lá! Só em falar dele já ficou com raiva!

— Hum, e como você vai voltar pra casa desse jeito? — Yu Ra me olhou de cima pra baixo.

— Não sei, ate que eu pediria para minha mãe me buscar, mas ela deve estar trabalhando a essa hora — o jeito era ir para casa assim mesmo não tinha outra opção.

— Toma! — Yu Ra tirou da bolsa um casaco grande felpudo — Vai se sentir melhor usando ele.

— Obrigada Yu Ra — vesti o casaco e na mesma hora me sentir melhor, pelo menos conseguiria chegar em casa sem me tremer de frio. Eu definitivamente odeio o Jackson.

— Só em pensar na praga, olha quem ainda esta aqui! — falei para mim mesma ao ver o Jackson perto do portão de saída da escola.

— Quem?! — Yu Ra perguntou olhando em volta tentando achar a pessoa a qual falei.

—Ele ali, Yu Ra pode me empresta sua garrafinha d´água — peguei a garrafinha de sua mão que outrora estava cheia e agora pela metade, mas seria o suficiente.

— O que você vai fazer? Por que estamos indo em direção do Jackson? Liza? — a garota não parava de me fazer perguntas, mas nem tive tempo de respondê-las, em menos de segundos toda a água da garrafinha já tinha sido jogada no Jackson.
E um perfeito ‘’O’’ se encontrava na boca de todos que estavam ao seu redor.

— ficou maluca?! — Jackson falou incrédulo.

— Agora estamos quites — continuai andando sem virar para tras.

— Ate amanha Yu Ra!
                                                                                             
     [...]
 
 

Além de ter um dia perturbado outra coisa me amedrontava, eu ainda não sabia o caminho para minha casa ao certo. Mudei-me recentemente, e hoje foi meu primeiro dia indo para escola então não gravei totalmente o caminho de voltar, durava pelo menos uns trinta minutos até la, sim, uma longa caminhada, mas não me resta outra escolha minha mãe passa praticamente o dia todo no trabalho e como não conheço Seul, não me arriscaria pegar ônibus. A melhor opção é ir andando.
 

Nessa hora o sol já tinha ido embora só deixava uma pequena faísca vindo do oeste  dando uma fraca luz indicando que já estava anoitecendo.

Meu caminho seguiu por uma rua bem movimentada assim fiquei mais aliviada, mas logo depois entrei em uma das ruelas  tão silenciosa que se podia ouvir os sons dos meus passos. Estava  distraída até ter uma sensação estranha de alguém me seguindo. Olhei para trás e vi um carro preto, continuei caminhado ate o carro diminuir a velocidade e sem pensar comecei a caminhar rápido e mais rápido e o carro continuava me seguindo, até que o meu pensamento era só um ‘to fudida’.

 Corri sem parar a falta de ar já se fazia presente, mas por medo continuei, eu já tinha visto esse carro! só não lembro a onde, mas porque estava me seguindo?!  Acabei de chegar na cidade ainda não conhecia ninguém fora da escola.
Nesse estado perdi completamente meu senso de direção, não fazia ideia para onde eu estava indo só queria despistar o carro. Mas acabei entrando em um beco, dei de cara com uma parede imensa, droga! Não tem saída! Vi o carro parar bloqueando a única saída, definitivamente não tinha para onde fugir.

 Uma figura que eu reconheci bem mesmo de longe saiu do carro,  por um momento me sentir aliviada mas por outro lado eu não fazia ideia do que ele estava prestes a fazer. O que esse lunático tem na cabeça? Duas vezes em um dia já era de mais.
Ele estava com um sorriso enorme estampado no rosto quase caindo na gargalhada, e eu estava rígida tentando me manter em uma pose de ‘’durona’’ mas na verdade estava quase desmaiando de medo Yu Ra falou para mim ter cuidado mas depois de enfrenta-lo passei dos limites. Tudo que eu queria fazer era sair correndo dali, eu realmente me sentia muito assustada. Jackson viu meu estado e isso o fez rir mais ainda.

—Parece que esta assustada — disse ele se divertindo com a situação. —nem parece com a garota que vi mais cedo.

— O-o que você que?! — falei com dificuldade tentando me acalmar.

—Você jogou água em mim, vim cobrar suas desculpas.

— Ah ta de brincadeira né?! E você me jogou na piscina, quem deve desculpas aqui é você! — falei com raiva, mas na mesma hora ele fez uma expressão nada agradável  seu rosto agora estava escuro e sério ele realmente tinha ficado com raiva. O que me fez tremer por dentro.

— E você me humilhou na frente de todo mundo, não vou deixar que uma novata faça isso comigo — ele se aproximou mais apertando meus ombros, era evidente sua raiva quando ele falava entre dentes.

— M-me desculpe! — falei baixo, o certo era ele se desculpar primeiro, mas acabei ficando com medo e não queria que esta situação se prolongasse mais.

— Muito bem! Não quero que esse mal intendido se repita novamente, então fique longe de mim e da Jessi antes que o pior aconteça com você! — falou ele perto do meu ouvido.

 Balancei a cabeça fazendo o sinal de sim, Jackson foi se distanciando e ao mesmo tempo meu coração ia se acalmando até o desgraçado parar.

— Ah! e essa conversa fica só entre a gente, ok? Ninguém da escola precisa saber, não quero que suje minha reputação! — falou sorrindo.

—E se eu contar? — o encarei esperando a resposta, mas logo depois me arrependi, eu e minha mania de enfrentar as pessoas.

— Você nem vai querer saber do que sou capaz pra infernizar sua vida! — disse ele sério.
 A onde foi que me meti?! Definitivamente esse é o meu pior dia, ele entrou no carro preto e baixou o vidro para dar uma piscadela depois começou a rir, e saiu disparado com o carro. Um sorriso brotou dos meus lábios só de pensar que fiquei com medo de um ‘’mimadinho’’ e o quanto isso me fazia parecer trouxa. Peguei minha bolsa que estava no chão e sai do beco, tentei fazer o todo o percurso que havia corrido para voltar na rua que eu estava.

 Depois de um tempo e já cansada e com muito frio achei a rua de antes, pela minha falha lembrança faltava pouco para chegar em casa só mais um bairro, estamos quase la! Pensei comigo mesma tentando usar as ultimas forças que me restava.

Cheguei em casa e as luzes já estavam ligadas o que era uma raridade, já que minha mãe voltava muito tarde do trabalho.

— Hum que cheirinho bom! — falei entrando na cozinha.

— Está quase pronto! — ela deu um beijo na minha testa enquanto arrumava os pratos na mesa.

— Por que chegou tão tarde? Fiquei preocupada....e  a onde esteve menina porque esta molhada?! — falou espantada percebendo que parte da mina roupa ainda estava molhada.

— É uma tradição dos alunos novatos mergulhar na piscina no primeiro dia — falei em um tom de brincadeira a fazendo rir.

— Esses adolescentes de hoje em dia, e então por que chegou tarde?

— Me perdi no meio do caminho — menti sobre tudo que aconteceu hoje, não queria que ela ficasse preocupada logo no primeiro dia.

— Por que não me ligou filha?

— Pensei que estivesse no trabalho, porque chegou mais cedo?

— Eu queria preparar o jantar para você, e saber como foi seu primeiro dia de aula, está gostando da nova escola?

—Claro! La é um lugar incrível e tem ótimas pessoas — menti e novo sobre ‘ótimas pessoas’.

— Que bom que está gostando! Agora vá se trocar a comida já esta na mesa. 
 Me troquei e desci para jantar, enquanto eu comia minha mãe examinava alguns papeis que estavam sobre a mesa. Sempre fora assim mesmo em dias de folga ela continuava trabalhando ate me acostumei, olhei para os papeis e não fazia ideia do que se tratava.

 Minha mãe é comandante do serviço especial das forças armadas da coreia, por isso quase não ficava em casa. E seu trabalho era o motivo de termos nos mudado de Busan para Seul, ela recebeu no mês passado uma missão importante em que precisava frequentar a Casa Azul ( a casa do presidente) onde ocorreria às reuniões sobre a segurança do estado, e era apenas disso que sabja. Ela nunca podia me dar mais informações sobre o seu trabalho, mas como sou curiosa sempre dou olhada nos papeis que ela deixa espalhado pela casa, o que me faz pensar as vezes que minha mãe faz parte de um filme de ação.
 

Terminei minha refeição e ajudei minha mãe a arrumar as coisas, depois fui tomar banho quente bem relaxante para tentar esquecer o meu dia, coloquei meu pijama e adormeci rápido de tão cansada que estava.
                                                              
  [...]
 
 Acordei com o despertado que indicava seis horas, levantei ainda sonolenta minha vontade de sair da cama era nenhuma, o cansaço me dominava  e só de imaginar em ir para escola e dar de cara com certas pessoas minha vontade diminuía mais ainda. E com um ultimo apelo reunir minhas forças e me arrumei logo depois descendo para tomar café da manha.

 E como de costume minha mãe já havia saído para o trabalho, fiz meu café da manha simples depois de toma-lo peguei minhas coisas e sai de casa, em alguns minutos cheguei na escola e com o coração na mão com medo de encontrar Jessi ou o Jackson qualquer um do seu grupinho fui procurar Yu Ra a ultima coisa que eu queria era ficar sozinha e ser ameaçada de novo. Mas antes que eu começasse o sinal bateu, entrei na sala com os outros alunos, sentei no meu lugar, me acalmei quando percebi que o Jackson não estava ao meu lado, ele não veio! Ainda bem! Mas infelizmente meu alivio foi por água a baixo quando vi ele entrar pela porta logo depois sentando do meu lado com um pequeno sorriso.

— Bom dia... qual é o seu nome mesmo? —ele falou com um tom animado.
 Senti um misto de sentimentos estava com medo de respondê-lo e desconfiada ao mesmo tempo,  o que esse garoto tinha na cabeça?ontem mesmo mandou que eu ficasse longe dele agora está falando comigo.

— Eliza — falei abaixando a cabeça.

— Hm... Eliza, gostei! A proposito o meu é Jackson, mas acho que você já deve saber não é?! — ele falou rindo.
 Um pressentimento ruim correu dentro de mim, porque ele estava sendo legal comigo? Na primeira vez o mesmo nem ao menos tinha percebido minha presença. Para esta falando comigo coisa boa não deveria ser.

— Ainda está com medo? — ele me encarou se divertindo, e por intuito baixei mais ainda a cabeça.
Se eu estava com medo? Claro que não! Adoro quando as pessoas me perseguem de carro preto a noite e depois me ameaça.  

— E-eu tenho que copiar — falei pegando meu caderno, e vendo o quadro cheio de deveres.

—copie para mim também! — falou ele passando o caderno para mim.
 

O restante da aula foi assim enquanto ele não calava a boca do meu lado, o tempo todo conversando com alguém eu tentava me concentrar nos deveres ate finalmente chegar a hora do almoço.

— Hey Liza! — Yu Ra me chamou para que me juntasse a ela.

— Oi Yu Ra! Eu não te vi hoje na aula — falei sentando junto com ela

— Acordei tarde então resolvi vim só depois, perdi alguma coisa?

—Vai ter um trabalho em grupo, mas fora isso nada de mais.

— Trabalho de que?

— História, se não se importa estou sem grupo então vou fazer com você tudo bem?

— Claro! podemos começar hoje?

— Na sua casa então!

—Sem problemas.
 Terminamos de almoçar e voltamos para a sala e diferente de ontem optei em assistir as mesmas aulas que Yu Ra, a tarde passou rápido e em piscar de olhos o sinal bateu e todos os alunos começaram a sair, mas antes de sair ligue para minha mãe avisando-a que iria fazer um trabalho na casa de uma amiga e que voltaria logo para casa, a mesma concordou e pediu para que eu tomasse cuidado. A casa de Yu Ra não ficava longe da escola e logo chegamos, não era uma casa e sim um apartamento no decimo andar, um lugar espaçoso e com uma decorações simples e aconchegante.

—Entao é aqui onde moro, se quiser me visitar pode vim Liza! Minha porta sempre vai esta aberta para você — ela falou sentando no sofá.

— uhum, Cadê seus pais? — me sentei junto a ela.

— Daqui a pouco eles vão chagar, mas voltando ao trabalho o que é para fazer?

— Preparar uma apresentação.

— Vou pegar meu computador volto já — ela entrou no quarto logo depois saiu trazendo o notebook.

— Hum você ainda não me contou o porquê jogou água no Jackson ontem, tenho admitir adorei todo mundo ficou espantado ninguém até hoje teve coragem de fazer algo como aquilo.

— É agora me arrependo profundamente de ter feito isso, mas aquele garoto bem que mereceu, lembra que eu estava molhada? — ela assentiu com a cabeça — ele tinha me jogado na piscina tudo por causa daquela namoradinha estúpida dele.

—Não entendo o porquê ele defende tanto aquela louca se ele ao menos soubesse o que ela já fez — enquanto ‘’fofocavamos’’ pesquisamos tudo que era preciso para o trabalho.

— Isso tem a ver com aquela cena da biblioteca? — perguntei lembrando da Jessi acusando Yu Ra de esta espionando ela.

—Sim, a uns dias atrás acabei vendo algo que não deveria...

— Se quiser não precisa contar — falei percebendo hesitação da parte dela.

— Não, vou falar sim! Não tem nada de mais. Bem eu estava em uma festa que é sempre dada antes das aulas começarem mas  para minha infelicidade acabei vendo a cena em que a Jessi estava aos beijos com o JB, amigo do Jackson, eles estavam praticamente escondidos  do lado de fora da casa onde ocorria a festa. E por ironia do destino quem flagrou eles foi eu, pensei em sair dali como se não tivesse visto nada, mas a Jessi percebeu minha presença então a parti desse dia ela começou a infernizar minha vida.

Parte de mim ficou chocada em saber que a Jessi traia o Jackson, mas não liguei muito, deve ser assim a vida de ‘’popular’’. Passaram-se algumas horas depois de termina o trabalho, os pais de Yu Ra já haviam chegado eles pediram para que ficasse e jantasse com eles, mas neguei ao lembrar que já estava tarde e tinha que voltar pra casa.
 

Olhei para o relógio do meu celular que mostrava umas sete e meia me senti mais aliviada, não estava tão tarde assim então segui meu caminho para casa com calma, quando estava faltando algumas ruas para chegar em casa, distraída sentir alguém puxar o meu braço bruscamente, olhei para ver quem era pensando ser o Jackson novamente, mas não!

— Fica quieta anjinha se não a sua situação só vai piorar — um homem escroto tapou minha boca me arrastando até um beco vazio.

— ME S-SOLTA! — tentei gritar para que alguém me ouvisse, comecei a me debater para que me soltasse, mas foi em vão ele era bem maior e mais forte do que eu, e antes que eu pudesse fazer mais alguma coisa fui jogada contra a parede com força sentido minha cabeça latejar de dor, instantes depois minha visão estava começando a ficar turva tentei ao máximo ficar consciente, e com dificuldade me levantei e encarei o velho nojento. É novamente antes que eu pudesse fazer alguma coisa como sai correndo dali ele agarrou meu uniforme tendo tira-lo. O impedi de todas formas possível e sem pensar duas vezes mordi sua mão e com uma brecha de milésimos de segundo sai correndo disparada para rua a procura de ajuda.

—Volta aqui sua cadela! Seu te pegar vai ser pior! — em nenhum momento olhei para trás mas sabia que ele estava perto, e no meio do desespero acabei caído, logo me levantei e continuei correndo mesmo sentindo uma dor infernal nos joelhos, o ar já se fazia falta nos meus pulmões não iria aguentar por muito tempo.
 E por sorte ou não, avistei um carro se aproximando e mesmo de longe o conhecia bem.
 


Notas Finais


espero que tenham gostado *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...