História Later baby. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Exibições 71
Palavras 1.543
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Fraquezas.


Fanfic / Fanfiction Later baby. - Capítulo 5 - Fraquezas.

5- Later Baby


O tal John me arrastou a força pelos braços,onde fui levada a conhecer o interior da moradia de Jeon.

Quando os pés  tocaram pela primeira vez aquele piso branco,meus olhos  varreram por todos os lados,mas o lugar parecia ser infinito pela tamanha grandeza.

Inúmeras portas por todos os lados,corredores amplos,gigantes janelas de vidros,detalhes amadeirados..era uma casa bonita demais para alguém tão frio. 


              — Suba aquelas escadas ali e vá para a primeira porta. Aquele é o quarto que senhor Jeon mandou ir.


John largou me repentinamente e sumiu pelas vastas e inacabáveis entradas deste lugar.

Agora sozinha,cogitei na ideia de tentar fugir..porque não? 

Subi as escadas percorrendo pelos corredores do segundo andar até achar uma pequena escada que parecia dar ao telhado da casa,mas antes mesmo que pudesse pensar em chegar ali,Jeon surgiu sorrindo de lado como se estivesse presenciando algo engraçado. 
 

             — Não ouviu quando John disse para você ir ao quarto? Não é aqui.

              — Mas eu não quero..


              — Tudo bem,fuja o quanto quiser. É impossível,essa casa está cheia de guardas por todo lado e estamos rodeados de gramados e mais gramados..ninguém vai vir te salvar.


              — P-por favor Jeon..me deixe ir embora.


              — Você vai por conta própria ou será que terei que te levar pelos cabelos?

               
Permaneci parada em sua frente..
Não  queria receber outras punições do mesmo,mas não poderia ficar ali como uma prisioneira..instantes depois, sem paciência alguma fui puxada com força por Jeon que literalmente jogou me no chão daquele quarto,chorei de dor ao sentir meu corpo mole,meus joelhos permaneciam roxos assim como meus pulsos.

Suspirei cansada..levantando com certa dificuldade cheguei a cama ao lado quando meus olhos já não conseguiam conter as lágrimas e eu não entendia o porque de tudo isto estar acontecendo exatamente comigo.

Ouvi duas batidas na porta,então uma jovem de longos cabelos escuros adentrou ao quarto trajando um avental,típico de antigas serviçais.


         — Senhora vo..


A mesma parou sua frase ao constatar que meus olhos vermelhos entregavam o estado que me encontrava.

 
          — Por favor não chore..


Ela se aproximou da cama e delicadamente pousou suas mãos sobre as minhas em um ato de solidariedade,massageando levemente  meus fios bagunçados.


           — B-bem nem nos conhecemos mas..vai tudo ficar bem.. Sou apenas uma serviçal mas estou a olhos e ouvidos abertos para a senhorita..


Sorri fraco como se agradecesse apenas com os olhos sua tentativa de acalmar me.


          — Eu quero ir embora para casa..só i-isso..quero ficar longe desse monstro.


           — Vou cuidar dos seus machucados senhora..


A mesma abriu um armário branco ao lado da cama,voltando com algodão e um líquido branco em mãos.


            — Ah..e-está ardendo muito..


            — Acho melhor fazermos isso mais tarde,o machucado está muito aberto..


             — O-obrigada por tentar me ajudar..mas eu só queria ir para minha casa..

              — Sabe..sei que senhor Jeon está sendo horrível..mas acredite ou não,ele não é toda essa pessoa amarga que demonstra ser.


               — Desculpe..mas..seu nome?


               — É Mayara senhora.


               — Pode me chamar de Hazel,Mayara..pois bem..Dificilmente vou conseguir enxergar esse lado bom de Jeon,ele se mostrou alguém muito frio desde nosso primeiro contato.


                — É resultado do meio no qual ele foi criado senho..Hazel. Numa família travando batalhas entre gangues,muita ambição,dinheiro,mulheres,trabalhos sujos..

  
                 — Sei como é Mayara..mas seu irmão Jackson é tão diferente. 


                 — Ele foi criado longe disso tudo,pois sua mãe era totalmente contra colocar seus filhos no meio dos negócios de gangue da família Jeon..mas o pai insistia que precisaria de um herdeiro para tudo isto..Jeon foi criado no meio dos negócios do Pai,e Jackson não.


                — Entendo bem melhor agora Mayara..mas ainda assim me dói o coração ver alguém conseguindo ser tão frio..alguém tão bonito por fora,mas sem coração..ou com o coração gelado como um pedra de gelo.


               — Um dia a senhora irá entender,Senhor Jeon no fundo é alguém amável..


               — Mas porque quer que eu entenda tanto que Jeon não é desse jeito?


               — Sabe faz anos que não recebemos visitas além dos homens de negócios,ou dos amigos problemáticos de Jeon,que só sabem trazer mulheres e bebidas para esta casa..sei que está aqui contra vontade,mas você pode ser a salvação. 


                — Não entendo muito bem como posso salvá-lo Mayara..mas..você disse,mulheres? Sinceramente não consigo imaginar uma mulher nos braços de um ser como ele..


                 — Isto é porque ainda não conheceu nem metade da face de senhor Jeon..que na verdade possui várias,e nem mesmo nós que trabalhamos aqui a tanto tempo  o conhecemos 100% verdadeiramente..também por hoje ser 
sexta-feira,logo vai entender do que estou falando.


                 — Vários lados? ..isso me dá um certo medo..hoje tem de algo de especial?

   
                  — Bem,para nos empregados não há nada de tão diferente além de termos mais tempo de descanso..mas logo irá ver..enfim,me desculpe mas preciso ir preparar o jantar,se precisar de algo me chame por aquele telefone branco da parede.
      

Ainda sentindo meu corpo pesar,deitei me na cama tentando processar tudo o que Mayara havia me dito em poucos minutos,era muito coisa..mas nada que me ajudasse a sair desse lugar..mil e um pensamentos..E Park? Será que se dera conta de minha ausência? ou disseram a ele que me demiti e ele acreditará?..

Por uns instantes pude imaginar senhor Jimin  destruindo as janela desta casa para resgatar-me,tão impossível quando minhas bobas ilusões..

Suspirei pela última vez,sendo vencida pelo cansaço.


------ • ---------- •

Quando meus olhos abriram,pude perceber que já era tarde da noite onde  a janela refletia um céu escuro e o relógio de parede marcava meia noite e vinte.

Ainda um pouco zonza,destranquei a porta e constatei um som extremamente alto vindo do andar de baixo,pessoas falando alto,agitação,barulho para todos os lados,ambiente iluminado apenas por luzes fracas.

Dei poucos passos para fora do quarto,encontrando a sala repleta de "convidados" .. almofadas esparramadas e móveis fora do lugar,garrafas de bebida por todos os cantos,forte cheio de álcool e cigarro..homens riam enquanto mulheres semi nuas dançavam a suas frentes. 

Desci alguns degraus a baixo e para minha surpresa inesperada me encontrei Jeon sem camisa,com uma garota loira em seu colo,enquanto trocavam carícias e beijos nada delicados.

Fora impossível não revirar os olhos com aquilo acontecendo ao vivo de frente a mim..mas ao mesmo tempo despertava me a curiosidade de ver alguém como Jeon saber conduzir tão bem uma garota em seus braços..a observação durou pouco,até que o mesmo perceberá minha presença com um riso de canto em minha direção.

Dei longos passos de volta a escada querendo manter distância,mas logo Jeon segurava com força um de meus braços.

            — Acordou e vejo estragar minha diversão agora?


            — Saia de perto de mim,você está cheirando a álcool puro Jeon.
    

             — Me poupe Hazel,até parece que nunca viu uma garrafa de vodka.


              — Não..não sou sujo como você que se diverte a custas de rasgar dinheiro com álcool e se lambuzar com essas garotas. 


               — Vê se me respeita Hazel..já sabe o que acontece quando altera seu tom comigo.


Respirei com dificuldade ao sentir suas mãos apertarem com força meu corpo ainda machucado e dolorido. 

 

                 — Por favor,pare..está doendo..


O mesmo empurrou me pela milésima vez com força nas escadas,e sem pensar duas vezes corri ao máximo até estar longe de sua presença,novamente trancada e com medo naquele quarto.

Toda a festança do outro lado da porta continuou até altas horas,com os olhos semi abertos permaneci enrolada nos cobertores,com frio,cansada,machucada e faminta. 

---- • --------- • --------

 

               — Os convidados foram embora e a faxineira por problemas não veio hoje. Quero que limpe a sala.


Meu coração disparou quando após acabar adormecendo por instantes ,constatei a presença de Jeon de frente a mim na cama,como quem me observava adormecer.


                — Eu não quero,estou machucada!


Outra vez..  Fui de encontro ao chão sem delicadeza alguma,lágrimas escorriam de dor mas sem escolhas me levantei pronta para ter de se submeter a suas ordens,até ter meu corpo puxado pelas grandes mãos de Jeon,que se pousaram por minha cintura.

Em silêncio olhei para baixo sem entender nenhuma de suas atitudes,e seus dedos continuaram por minha silhueta enquanto os olhos me observavam sem desviar um segundo quaisquer.


              — Porque continua machucando a si mesma?


Perguntou com a voz rouca e baixa..enquanto seus finos dedos passeavam por minhas coxas roxas e avermelhadas.


              — Mas quem me machucou foi você Jeon..


              — Você Hazel,que me faz agir assim. 


Estremeci ao sentir o toque quente dos lábios de Jeon,que beijava calmamente cada parte machucada de meu corpo...tão irônico,como se quisesse consertar com carinho o estrago que o próprio havia feito.


              — O-o que você pensa que está fazendo? você está bêbado Jeon,está fora de si.. 


Quem era o pior? aquele que consumia álcool  para depois tentar consertar seu próprio erro,ou aquela que com a voz já falha demonstrava se entregar aos toques de quem havia a tratado tão mal horas atrás? 

" Fracos. No fundo nos humanos todos possuímos nossas fraquezas,ninguém é forte o tempo todo. "


              — Bêbados são sempre sinceros Hazel.. (risos) então vou te dizer uma verdade agora..estou louco para beijar cada parte de seu corpo desde a primeira vez que te vi.


               — Por isso me trouxe aqui?


              — Não..(risos)


              — E o que Jeon? Vai me usar para seu próprio prazer,depois me bater e me deixar trancada aqui de novo? 


               — Depois é depois Hazel..não importa,viva o presente como dizem por aí (risos)
  

Ele riu num tom pouco rouco,antes de jogar me contra a cama com força,impendido de mexer me com ambas de suas mãos sobre meus pulsos.


              — Vamos nos divertir um pouco,depois na manhã seguinte eu irei esquecer tudo..



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...