História Latin Girl - Capítulo 17


Escrita por: ~

Visualizações 185
Palavras 1.315
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - We're Back


21 de Junho de 2017 - 17h

Nicole POV

Se eu consegui assistir ou prestar atenção no filme? Nem um pouco. Enquanto isso, Justin estava vendo tudo tranquilamente, como se nada estivesse acontecendo. Assim que o filme acabou, eu acho que fui a primeira a sair da sala de cinema. Fiquei na praça de alimentação esperando os três virem. E eles vieram rindo, conversando, como se nada estivesse acontecendo, como se minha cabeça não estivesse de cabeça para baixo. 

- Você não gostou do filme? - perguntou Elisa - Praticamente saiu correndo.

- O que está acontecendo aqui? - eu perguntei.

- Justin e eu viemos conhecer esse tal de São João. - disse Ryan. 

- Minha cabeça está com um nó. - eu olhei para Justin - Você está aqui. Na minha frente, em carne e osso, mas eu não consigo reagir. 

- Eu reajo por você. - ele disse e me abraçou. 

Eu rodei meus braços no corpo dele e o apertei como se aquilo fosse um sonho que eu poderia acordar a qualquer momento. Ele está aqui, eu posso tocá-lo novamente, sentir o abraço dele. 

- Isso não é real. - eu disse quando ele me soltou. 

- Vai por mim, isso é bem real. - ele disse. 

- Onde estão Ryan e Elisa? - eu perguntei assim que notei o sumiço dos dois.

- Eu estou aqui na sua frente e você me pergunta por Ryan e Elisa? Eles estão bem, nós dois - ele apontou para ele e depois para mim - Temos muito o que conversar. 

- Eu ainda estou atordoada.

- Você podia estar no inferno, mas ainda assim iríamos conversar.

Eu segurei a mão dele e o puxei para um lugar mais calmo na praça de alimentação. Eu sentei numa cadeira e ele sentou ao meu lado. Inicialmente, ficamos nos olhando por bastante tempo, até ele resolver falar.

- Você conheceu alguém? - ele perguntou. 

- Não. Eu só... Achava que estava te fazendo infeliz. - eu respondi.

- Mas quem sentiria seria eu, não você que iria pegar sua bola de cristal e supor isso. 

- Me desculpa. Eu estava, ou melhor, estou com saudades. Saber que não poderia tocar você, sentir você perto, isso tudo me enlouqueceu e eu acabei fazendo aquilo.

- Agora eu tô aqui. Eu disse que iria vir, Nicole.

- Você disse que iria, mas disse que não sabia quando.

- Mas você sabia que estava perto.

- Você chama isso de perto?

- Nicole, eu estou nas férias de verão agora. Vou te fazer uma pergunta e dependendo da sua resposta, passarei minhas férias inteiras aqui.

- Pergunte. 

- Você quer voltar comigo? Dessa vez sem términos ou deduções loucas do que eu estou sentindo. Eu quero ficar com você independente da distância. - eu desviei meu olhar do dele - Ok, você não quer. - eu voltei a olhá-lo.

- Quem está deduzindo algo agora é você. Sem términos, desconfianças ou deduções. Eu aceito. - ele me deu um beijo rápido. 

- Espera aí. - ele me olhou - Que papo é esse de desconfiança?

- Você e aquela loirinha lá.

- Hailey? - eu afirmei com a cabeça - Você não precisa se preocupar com ela. Já tivemos um lance no passado? Sim, já tivemos. Mas você é o meu presente e ela agora é só minha amiga. Acredite em mim.

- Eu acredito. Sei que você não faria nada para me machucar. 

- Nicole. - me chamou Elisa que surgiu do nada - Sua mãe chegou. - eu olhei para Justin

- Eu estou ansioso para conhecer sua mãe. - ele disse. 

- Vamos logo. Eu deixei Ryan com ela e eles não sabem se comunicar. - eu ri, fiquei de pé e Justin entrelaçou nossos dedos assim que ficou de pé - E isso? - Elisa apontou pra nossas mãos.

- Depois eu te conto. - eu disse.

- Nada disso. - ela falou - Vão me contar agora. 

- E Ryan? - perguntou Justin 

- Ele que se vire e aprenda a falar português. - disse Elisa fazendo Justin e eu rirmos. 

- Bom, Justin e eu decidimos nos dar mais uma chance - eu falei. 

- Parabéns pro casal. - ela disse e nos abraçou simultaneamente.

- Obrigada.

- E como vão fazer? Justin vai embora em alguns dias. - ela perguntou.

- Na verdade... - disse Justin - ...Eu vou ficar até o fim das férias de verão. 

- Mentira? - disse Elisa. 

- É bem sério. - eu falei.

- Que bela notícia. - ela nos abraçou novamente e foi quando meu celular tocou.

- É a minha mãe - eu disse e atendi a chamada - Oi mãe.

- Nicole, sua amiga me deixou aqui com um garoto e eu não entendo nada do que ele fala. Venham logo por favor. - ela disse e eu ri.

- Calma, estamos descendo. Beijos. - encerrei a chamada e pus o celular na bolsa - Vamos logo, minha mãe está enlouquecendo sem entender nada do que Ryan diz. 

[...]

20h

- Então ele vai ficar aqui por dois meses? - perguntou minha mãe.

- Sim. O amigo dele, vai embora depois do São João.  - eu respondi. 

- Nicole, ele tem muitas tatuagens - eu ri

- Eu gosto dele, mãe.

- Se eu entendesse algo do que ele fala, eu poderia dizer se ele é um menino bom ou não.

- Talvez tenha um jeito de vocês se entenderem.

Puxei a minha mãe de volta para sala, pedi o celular do Justin e abri no Google tradutor. Ensinei para ela como se mexia e disse ao Justin que todas as vezes que eles fossem conversar, falassem para o aplicativo e depois o fizesse reproduzir para o outro idioma. Feito isso, segui para o banheiro para tomar meu banho, rezando para que minha ideia desse certo. 

[...]

22h

- Shiiiiu! - eu disse assim que Justin falou um pouco mais alto.

- Desculpa. - ele falou. 

- Você sabe que a gente não pode nem acordar o Ryan muito menos os meus pais. 

- Eu sei, eu sei, desculpa. - ele beijou minha bochecha. - Sua mãe é bem carrancuda mesmo. - eu ri fraco. - Mas acho que a gente se deu bem. 

- Ela não gosta das suas tatuagens.

- Eu percebi. Mas com o tempo, quando ela for me conhecendo melhor, as tatuagens não serão nada. Porque um dia ela vai ter que se acostumar comigo, já que vamos ficar juntos pra sempre. - eu o olhei.

- Oi? Juntos pra sempre?

- É. Nós vamos casar, Nicole.

- E eu aceitei?

- Ainda não, mas vai. 

- Eu não quero criar planos. - ele me olhou sem entender. - Você mora em outro país, pode conhecer outra pesso... - ele me interrompeu com um beijo.

- Nicole, eu podia ter escolhido qualquer lugar do mundo para visitar. Eu dei a ideia para vir ao Brasil mesmo sabendo que estávamos separados. Inicialmente eu e Ryan iríamos para o Rio e depois pra cá, mas aí aconteceram umas coisas que até agora eu não entendi e eu vim parar aqui antes do combinado. É o destino, eu tenho certeza. - eu sorri.

- Então, amanhã mesmo tratarei de dizer a minha mãe que era terá que engolir você, porque vamos casar e viver juntos até que a morte nos separe.

- Aí sim. - eu ri e ele tampou minha boca - Sem barulhos. 

- Desculpa. - eu falei baixo - Eu amo você.

- Também te amo, Nic. 

Estávamos numa rede que tem na varanda da minha casa, então ficamos até tarde conversando. Eu sabia que pela manhã estaria pior que um zumbi e com vontade zero de ir a aula, mas valeria a pena, porque eu estava com ele. 


Notas Finais


Três capítulos para o fim. Desculpa se o cap ficou pequeno, o problema é que eu realmente não estou conseguindo mais ter ideias para essa história. Espero que entendam.
Nos vemos no próximo capítulo.
Beijos de Luz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...