História Le Petit Secret - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug), Seraph of the End (Owari no Seraph)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Ferid Bathory, Guren Ichinose, Hawk Moth, Krul Tepes, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mikaela Hyakuya, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Plagg, Sabrina, Shinoa Hiiragi, Shinya Hiiragi, Tikki, Yuuichirou Hyakuya
Tags Drama, Gurenxshinya, Gureshin, Luta, Mikayuu, Miraculous, Mistério, Otp, Revelaçoes
Exibições 167
Palavras 1.256
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Fluffy, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OLÁ
olha eu de novo~

Como andei meio livre nesses dias, decidi escrever esse capitulo!
Algumas partes foram o que aconteceu antes, então qualquer duvida, pergunte-me!

Mamãe ama ocês'

Capítulo 13 - Quick est la folie, est longue repentance.


Fanfic / Fanfiction Le Petit Secret - Capítulo 13 - Quick est la folie, est longue repentance.

 

- Então...  – O loiro encarou Nino, com certa hesitação. – Eu gosto de duas pessoas.

 

- Uma delas é o Yuichiro, não é? – O moreno interrompeu, encarando seu melhor amigo com um olhar de “eu te conheço.”

 

- ..É... Bem.. Eu já gostava dessa outra, que vou chamar ela de LB, okay? Então,  eu gostava do LB, mas Yuichiro do nada apareceu e atropelou os sentimentos que eu certamente tinha, e agora estou confuso.

 

Para Mika, Ladybug era como se fosse um trem em alta velocidade, e o loiro guiava para onde esse trem ia, mas por um descuido seu, um novo trem surgiu, que seria o Yuu, e então foi para a mesma direção do seu amor de Ladybug... Então eles se chocaram, quebrando em milhares de pedacinhos.

Mika tentou reconstruir, mas apenas misturou as peças, resultando sua paixão dupla.

 

- Olha cara... – Suspirou, levando uma das mãos até o pescoço – Nunca soube muito sobre esses negócios de romance. Mas você deve ficar com aquele que faz seu coração se sentir bem.

 

O loiro refletiu um pouco, perto de sua Lady, sentia-se calmo e protegido, adorava quando via ele sorrir, e chamá-lo de “gatinho” , aquilo deixava seu dia mais feliz.

 

Mas... Com Yuichiro era diferente, sentia-se nervoso, seu coração palpitava, controlava-se para suas bochechas não ficarem rubras, e quando ele sorria.. Deixava o Agreste derretido.

 

- Obrigado, Nino, me ajudou muito. – Agradeceu ao amigo, se virando.

 

- E-Espere...! – Já era tarde de mais, Mika já havia entrado numa das salas, o moreno bufou, - Droga... Espero que ele não faça nada de errado...

 

...

 

Já acabara a aula, o garoto loiro procurara Yuu, entretanto  não encontrara, agora, estava na limousine, indo em direção á um prédio onde teria uma entrevista.

 

Teria que contar, porém na forma de Chat Noir.

 

...

 

Yuichiro estava no balanço, olhando para a areia, enquanto Nathanael, estava ao lado dele.

 

- O que queria falar comigo? – Perguntou o menino de olhos  verdes.

 

- Você... Parecia um pouco estranho, então queria te animar um pouco...

 

Yuu sorriu, encarando a mão do ruivo.

 

- Nath... Mesmo sendo tão tímido.. – Segurou a mão do outro, medindo o tamanho das mãos, – Suas mãos são fortes e maiores que as minhas.. –Entrelaçou as mãos, dando leves apertadas. – Até parecem mãos de homem...

 

O ruivo que ouvia tudo atentamente, sentindo suas bochechas queimarem, quando ouviu a última parte, encarou Yuu, e puxou ele, com certa força.

 

Seus rostos estavam poucos centímetros de distância. O moreno não acreditar que o ruivo havia feito isso, pensou que foi rude, queria desculpar-se, entretanto, estava hipnotizado pelas orbes azuis. Nathanael se direcionou até o ouvido do Dupain-Cheng, e sussurrou;

 

- Yuu... Eu sou um homem... E posso muito bem ser mais forte que você.

 

Arrepiou por inteiro, apenas com uma frase dita pelo ruivo, sua voz era rouca porém calma, onde estava aquele menino fofo que se escondia nas costas do Yuichiro, com vergonha dos outros?

 

Ele tinha razão, era um homem.

 

- Eu preciso que vá para minha casa hoje às 20:00h, preciso de você. – Falou novamente próximo do ouvido do menor, causando-lhe um frio na barriga. Sua voz estava mais rouca que o normal, sentia seu hálito quente em seu pescoço, causando uma vermelhidão pelo rosto inteiro.

E Nath, achava graça nisso, Yuu parecia um pequeno coelhinho desprotegido, e pela primeira vez, não se sentiu frágil.

Gostou dessa sensação. Queria sentir novamente.

 

...

 

- E então? – Shinoa acompanhava Yuu, enquanto procurava ele, decidiu verificar o parquinho perto da escola, e pegou os dois no flagra.

 

Puxou o amigo para fora, dizendo que o mesmo prometeu pra ela que eles iam comprar tecidos. Despediram de Nath e foram embora.  

 

- Yuu-san, você é um safado! ~

 

- Calada, Shitnoa!

 

- Ahh! Que malvado!

 

Entraram numa loja e observaram os tecidos, tinha de várias cores, desenhos, era incrível.

 

...

 

Yuu comprou três tecidos, um azul escuro, outro cinza, o terceiro comprara porque lembrava o Nathanael, era azul claro, como a cor de seus olhos. Olhou o relógio e viu que era próximo da hora marcada, desceu e se despediu de seus pais, falando que tinha marcado de encontrar um amigo.

 

...

 

Bateu a porta da casa branca, estava ansioso, queria saber o que Nath queria.

 

A porta se abriu, revelando o ruivo que usava uma gravata e camisa social branca.

 

- Ah! Yuu, você chegou. Então... eu te chamei aqui, porque... As provas estão próximas... Pensei que poderíamos estudar, tenho algumas dificuldades em física... – Omitiu, na verdade, queria contar seu segredo para o moreno, dizendo que era o novo herói que aparecera recentemente..

 

- Ah! Claro! – Em resposta, o moreno sorriu, Nathanael deu passagem, para que o outro entrasse, e assim foi feito.

 

...

 

- O que está dizendo, Chat? – O moreno de orbes esmeralda estava confuso.

 

- O que eu fiz foi um erro... Sinto que trai minha lealdade.

 

- ... Saia daqui. – Seu tom era autoritário, não queria ver o herói.

 

Sem uma resposta para a ordem, Chat Noir se virou e foi embora.

 

Sua consciência dizia que era o correto, que havia escolhido o caminho certo, mas seu coração doía, e queria chorar, sentia o frio. O frio do pior caminho, o caminho que mudaria seu destino.

 

 

...

 

O moreno, abruptamente saiu do quarto, chovia sem parar. Precisava de alguém, algum refúgio, onde poderia chorar e se lamentar.

 

Falou para os pais que seu amigo havia lhe chamado para dormir em casa, esforçava-se para não chorar, seus pais aceitaram, e então saiu.

 

Eram seus pais, sabiam quando ele mentia, sabia que ele estava mal, porém não queria piorar os sentimentos do garoto.

 

- Ele vai ficar bem, Adrien..? – Marinette perguntou, preocupada com seu “filhote”.

 

- Está em fase de crescimento... É normal... – Não queria falar, mas estava mais preocupado do que a esposa.

 

O que aconteceu para que seu filho sorridente ficasse assim?

 

...

 

Batia desesperadamente na porta da casa branca, suas lágrimas misturavam-se com a chuva, tremia de frio. Quando a porta finalmente abriu, pulei nos braços do ruivo, chorando.

 

- Y-Yuu...! O que aconteceu...?!     

 

O moreno nada respondia, apenas queria sentir o cheiro de melancia que o outro tinha.

 

Nathanael era emancipado, ou seja, morava sozinho, seus pais viajavam muito.

 

O ruivo levou o outro para seu quarto, e deu-lhe um pouco de água para se acalmar.

 

Na cabeça de Yuu, sentia-se traído, novamente perdera para Ladybug. Sentia-se um completo idiota, queria contar para Chat que era a heroína o tempo todo, mas tinha medo de sua reação. Seus nervos estavam à flor da pele.

 

Então, depois de toda a tristeza, veio a raiva.

 

Chat era um completo idiota! Se podia fazer isso com ele, por que Yuu não poderia fazer igual?!

 

Encarou as orbes azuis do ruivo, segurou a mão dele, e deitou-o na cama. Segurou as mãos fortes dele, entrelaçando, e subiu elas, até que fiquem acima da cabeça. Então, acariciou seu rosto, passando o polegar pelo lábios levemente rosados, e cheios.

 

Nath estava assustado, o que tinha acontecido para que ele ficassem desse jeito?!

 

Yuu puxou ele para um beijo, pressionando seus lábios com os dele.

 

Naquele momento toda a vergonha se esvaiu, se o Dupain-Cheng estava fazendo isso, por que não aproveitar?

 

Trocou de posição ficando por cima do dono dos olhos verdes, se afastou, afrouxando a gravata e beijando-o. Introduziu sua língua na boca do outro, sem ao menos pedir permissão.

 

E depois da raiva, vem o arrependimento.

 

...

 

ARREPENDIMENTO

substantivo masculino

1. pesar ou lamentação pelo mal cometido; compunção, contrição.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...