História League of Legends - (Hentai Games) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Akali, Caitlyn, Cassiopeia, Darius, Draven, Garen, Irelia, Jayce, Karma, Katarina, Kennen, LeBlanc, Lux, Miss Fortune, Nidalee, Poppy, Rengar, Shen, Singed, Swain, Syndra, Talon, Twisted Fate, Vel'Koz, Vi, Zed
Tags Caitlyn, Hentai, Hentai Games, Ionia, Katarina, League Of Legends, Lol, Noxus, Piltover, Shen, Tentaculos, Zed
Visualizações 335
Palavras 3.794
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Capítulo 76

Rakan e Xayah
Pedido por
@CiprianoP
@Yui_Kawasaki
@Hoele

Capítulo 16 - A Dança dos Vastaya (76)


Fanfic / Fanfiction League of Legends - (Hentai Games) - Capítulo 16 - A Dança dos Vastaya (76)

Ele era tão bonito. Pensava Draven passando a mão em seu cabelo, puxando para trás. Tãaaao bonito. Era difícil se focar, mas ele sabia que era necessário. Empurrando para longe os servos Ionianos que alisavam suas roupas, ele abriu seu caminho para o corredor. Com estilo, Draven pegou seus machados que se apoiavam na parede. Brilhantes, percebeu ao checar seu sorriso na lâmina. O antigo executor de Noxus apreciava sua vida como o todo poderoso irmão do ditador local. Dia após dia ele tinha cada uma de suas míseras vontades atendidas. Nada muito absurdo, claro. Draven jamaaaais pediria algo absurdo.

Andando pelos amplos corredores daquele palácio, ele ainda se impressionava pela vista. Erguido no topo das montanhas, aquele alto monastério era dono de uma vista maravilhosa. Quase tão maravilhoso quanto ele mesmo. Vendo lá de cima, a destruição na capital não parecia ser tão ruim, mas ele sabia que era. Eles lentamente reconstruíam a cidade, mas o processo era demorado. Pelo menos Zaun saíra dali, o que facilitava as coisas. Aquele pessoal, por mais úteis que fossem, tendiam a deixar uma bagunça.

Ele continuou a avançar por aqueles elevados corredores, seguindo para a “sala do trono”, de seu irmão. Quem diria, Darius governando alguma coisa. Ele não sabia o quão inteligente era tomar Ionia para si, mas sabia que o exército amava seu irmão. E o exército simplesmente odiava Swain. O homem fedia a política e tramoias, se cercando de feiticeiras e concubinas, traindo todos os princípios de sua nação. Em Noxus, os fortes e capazes deveriam governar. E Darius era forte o suficiente, heroico, inspirando confiança de todos seus soldados. Já ele, o irmão menor, era quem inspirava suspiros nas damas. Não havia mulher que não quisesse um pedaço dele. Tinha certeza.

Junto a Darius, não havia muito apoio, exceto o grande exército Noxiano ali contido com ele. Singed e seus subordinados haviam partido, e não entrado em contato novamente. Mas eles ainda ouviam relatos de Zaunitas andando pelo interior da nação. Acreditavam que o químico louco ainda mantinha sua aliança com Swain. Syndra se mantinha ao lado de seu irmão, mas ela era tão instável quanto seus poderes, e a população definitivamente não confiava nela. A morte de Zed causara com que os ninjas das sombras praticamente se dissolvessem, e Katarina ainda não tinha mandado notícias do traidor Talon. Mas bem no fundo, ele estava confiante. Alguém precisa derrubar aquele ditador maldito do poder, e definitivamente seriam eles.

Adentrou na sala do trono, piscando para algumas das nobres Ionianas que ali se reuniam. Vazia, suspirou. Ele gostava mais quando usavam a sala do trono. Passando pela esquerda, atravessando o que parecia uma infinidade de cortinas, ele alcançou o amplo salão onde Darius encarava um mapa do continente. Ao seu lado, Syndra se sentava em uma confortável poltrona, aparentemente desligada. Em pé, ereto, ao lado de Darius, havia um homem que ele nunca vira antes. Alto, ofensivamente vestido, com seu forte peitoral exposto, sua mão branca firmemente apertando o cabo de uma ridícula foice, seu cabelo negro preso em uma única longa trança. Draven achava que podia vomitar só de ver aquela completa falta de estilo.

- Irmão, esse é Kayn. O novo líder da ordem das sombras.

- Oh. Eu imaginei que eles tinham sumido com a morte do líder.

- Eu os reuni novamente. – Sua voz era rouca, lenta, como se ele estivesse lutando um conflito interno o tempo todo. – E eles vão lutar ao lado de Noxus. Nós mantemos nossa aliança.

- E em troca...?

- Nós já temos todo o acordo entre nós definido, irmão. – Darius falou, a irritação perceptível por debaixo de sua voz – Por isso que nós marcamos a reunião as seis horas. Discutir nosso novo acordo com a ordem das sombras.

- Oh. Eu não acordo tão cedo. Vocês me entendem, certo? Em geral eu tenho companhia pela madrugada. – Syndra riu. Draven sorriu, piscando para ela. Adoraria saber o que a soberana sombria era capaz na cama, mas ao ouvir o grunhido de desaprovação de seu irmão, rapidamente desviou a atenção da mulher. Os dois estavam juntos. Ou algo assim. – Enfim, depois você me resume então.

Revirando os olhos, Darius pegou as correspondências que se acumulavam sobre a mesa. Ele possuía dezenas de informantes espalhados por Ionia e Noxus, alimentando-o com informações. Ele abriu as cartas, passando rápido entre elas, até um audível suspiro escapar entre seus lábios. De novo. Toda mísera sessão. Todo dia aquele nome infernal fazia algo para desregular seu promissor governo. Com um lampejo de ódio em seu olhar, suas palavras saíram afiadas de sua boca como a lâmina de seu machado, e igualmente sedentas por sangue. – Quem é Rakan?

...

Eles riam. Aquele homem levemente acima do peso conduzia a caravana, sua lustrosa careca brilhando com a luz do sol, aquele machado horrendo preso na lateral de sua cintura. Quando ele sorria, um dente de ouro era visto em sua boca, contrastante com os outros, levemente amarelados. Ao seu lado, outro par de soldados cavalgava, entretidos com suas piadas. Detrás deles, uma mulher se debatia dentro de uma jaula. Mas não, não era uma mulher comum. Uma grande asa saia de suas costas, suas feições mais animalescas aproximavam-na de um elegante pássaro. O grande e gordo homem, que guiava a caravana, mexia uma das penas da prisioneira entre seus dedos.

Darius queria que eles causassem o mínimo de problemas naquela regiam, deixando a população, tanto humana quanto Vastaya, seguir seus assuntos pessoais. Ele dizia que deveriam se inserir naquela sociedade, não simplesmente destruir tudo. Mas é claro que a ganância falava mais alto para alguns. Um dos homens, que cavalgava mais atrás, lia um grande contrato Zaunita, assinado pelo próprio Singed, que prometia pagar muito bem por qualquer um daqueles bizarros homens pombo que viviam naquela região. E com tanto dinheiro na linha, eles pouco podiam se importar com o que Darius queria. O lucro era prioridade em suas mentes.

Eles podiam ver o medo nos olhos daquela pomba, cujas penas amarelas se escondiam, tímidas. Um dos homens arremessou restos de uma manga que chupava na prisioneira, rindo ao atingi-la em cheio. Gargalhadas ecoaram pela trupe.

Ao leste, eles podiam ver fumaça se elevando de um vilarejo saqueado. Ao sul, o céu brilhava alaranjado, o por do sol tingindo o mundo com aquele belo tom quente, como se o próprio céu sangrasse. Ionia era apenas um parque de diversão para a maioria dos vencedores, uma terra sem leis, sem regras, sem defensores, onde Noxus podia impor seus caminhos, onde Zaun podia agir sem repercussões. Ao menos em teoria.

- O que vocês vão fazer com a recompensa? – Ruidosamente pergunta o homem que acabara de arremessar os restos na mulher, cavalgando despreocupado – Porque eu devo arranjar um bordel de qualidade e gastar grande parte imediatamente.

- Você é um idiota, Hobb. Pra que um bordel? Tem tanta puta por aqui em Ionia pedindo para ser tomada. É burrice gastar dinheiro com mulher. Eu vou é guardar, quem sabe comprar algum lugar legal quando voltar pra Noxus.

- Guardar, sempre guardar com você. Dinheiro foi feito pra ser gasto, seu filho da puta. - O riso ecoou novamente entre os soldados. – E você, Farih?

O homem parou, olhando ao céu, pensando suas opções. Ele nunca tinha parado para decidir o futuro de seus lucros. Sua família ia gostar de receber um pouco mais de moeda, pelo menos. Seu pai já envelhecia, seria bom dar a ele uma velhice mais tranquila. Claro, ele sabia que seus companheiros iam zoar dele. Sempre cavalgando para frente, Farih abriu a boca para responder. E caiu morto.

Os homens se viraram ao ouvir o baque do cadáver colidindo contra o chão, uma única pena roxa enfincada em sua garganta, sangue espirrando na terra, fluindo como uma cascata. Gritando, todos sacaram suas armas.

- EU GOSTARIA DE UM POUCO DE SILÊNCIO AGORA! – A voz os pegou de surpresa, aquele vulto rapidamente surgindo em frente deles na estrada. – Porque é hora do show.

Oh, como ele se empolgava ao se apresentar. Um de seus mais calorosos fãs veio cavalgando em sua direção, enlouquecido, gritando, provavelmente em adoração a sua entrada magnífica. Aquele homem estava tão empolgado que o dançarino não podia deixar de sentir seu coração disparar. Respirando fundo, ele levantou voo. Sua brilhante asa majestosa o fazia cruzar os céus em um piscar de olhos, seu pé tocando a cabeça do cavalo, seu corpo girando graciosamente para desviar daquele feio machado, suas mãos apertando aquela careca deforme, arremessando o homem aos céus, vendo se ele voava tão bem quanto esperava. Gritando, o gordo soldado ascendeu, refletindo o brilho do por do sol. Os outros cavalheiros sacaram suas armas, também querendo dançar com ele.

Baixos sons cortantes detrás dele sinalizavam que sua amada havia transformado aquele homem em um porco espinho. Já morto, seu corpo caiu ao chão, escorrendo de sangue. Sem olhar para trás, Rakan avançou sobre os outros, sorrindo. Era uma pena que sua Xayah não apreciava danças tão longas, mas ele faria valer com o tempo que tinha antes de ela matar todos.

Com firulas e giros, com seu corpo brilhando em graça, Rakan era intocável entre os soldados, saltando e esquivando de seus desajeitados golpes. E, sem mesmo saber de onde vinham os projéteis, os pobres idiotas, que paravam pasmos com a dança do Vastaya, caiam, seus corpos rasgados pelas penas do corvo violeta. A dança foi mais rápida do que ele gostaria. Quando Rakan parou de se mover, tudo que restava eram cadáveres no chão, a terra molhada de sangue, assim como o céu. Assim como toda Ionia.

Sua mente vagava, perdendo-se nas cores dos céus. Tão bonito. Quase como sua brilhante plumagem. Ele nem percebia enquanto sua amada deixava seu esconderijo, resgatando aquela aprisionada Vastaya, quebrando sua prisão, a soltando para libertada. Rakan se sentou ao chão, ao lado de um cadáver, sorrindo para o céu, para as fofas nuvens. Ele não percebia quanto tempo passava enquanto sua amada conversava com a recém liberada mulher, coletando informações. Ele via as nuvens. Tão bonitas. Aquela parecia um castelo, lentamente se afastando...

- Rakan – A voz de sua amada era tão cortante quanto as suas penas – Você está bem?

- Maravilhoso, minha linda flor – O homem se levantou em um rápido movimento, circulando a garota, passando os braços pela cintura dela – Radiante como o belo por do sol, encantando ao sentir teu doce aroma...

- Tá, tá... – A mulher empurrava ele, escapando de seus braços. – Eu conversei com a pobre garota, ela estava sendo levada para Zaun.

- Quando?

- Agora, seu bobalhão. Você estava perdido olhando para o céu de novo.

- Você me desculpa então, minha querida?

- Por favor, não é como se você fosse realmente guardar as informações. Não tem nada nessa sua cabecinha de vento – Ela sorri, próxima a ele, peito contra peito. Rakan era bem mais alto que ela, mas seus olhos se alinhavam diagonalmente, com nada além da mais sincera admiração. – E nós vamos para Zaun.

- Mas é claro... Espera o que? – Ele se afasta, segurando a mulher pelos ombros – Por quê?

- Talvez não necessariamente para Zaun, mas eles são a causa de todos os problemas. Esse Darius que governa não é diferente dos antigos, envolto em seus problemas humanos, pouco se importando para nós Vestaya. Mas são os Zaunitas que corrompem nossos vilarejos, matam-nos para estudo, tudo mais. Aqueles homens iam levar a pobre garota para alguns desses nojentos.

- Se esse é seu plano, eu dançarei glorioso ao seu lado!

- Chega Rakan – Ela tenta parecer séria, empurrando ele para longe – A situação não está bonita em Ionia. Para de se comportar desse jeito.

- E como eu deveria me comportar?

- Em silêncio, por enquanto. – Sem conseguir conter seu sorriso, ela entrou novamente na floresta, ouvindo os delicados passos de seu companheiro lhe seguindo.

...

Era noite. O fogo crepitava à frente dele, uma quase transparente fumaça subindo aos céus. Xayah se aninhava no peito nu de Rakan, sentindo o calor de seu corpo, aconchegada sob a asa dourada do homem, que cobria seu pequeno corpo. Ele cantarolava para ela, em um monótono, mas familiar, tom. Não havia nada melhor que se aninhar com seu parceiro depois de um longo e agitado dia. Xayah bocejou, cansada. A lua já brilhava redonda no céu, o sangrento por do sol deixado para trás. Com um movimento desleixado, ela deixou que sua mão entrasse nas calças do homem, sentindo aquele objeto firme, enorme para sua pequena mãozinha. Enquanto ele continuava com seu relaxante ritmo, ela começou a mover a mão, sentindo ele se endurecer com seu toque.

Rakan não falou nada, seus olhos perdidos nas brasas da fogueira, passando sua asa nos cabelos e orelhas peludas da mulher. Aquela mãozinha dentro de suas calças coloca um sorriso em seu rosto, apreciando cada segundo. Meio cercado por todo aquele caos, toda aquela guerra, ele não tinha do que reclamar. Enquanto ele permanecesse ao lado de sua pequenina, tudo estaria bem para o homem. Ele não queria luxo, glória, nada. Certo, talvez um pouco de fama. Mas mesmo que não tivesse nada, ele estava feliz com Xayah.

A garota era ousada, e ele sabia muito bem disso. Não passou-se um mísero minuto antes do largo pênis de Rakan estar para fora de suas calças, envolto entre os dedos brancos dela, com a língua da menina massageando sua cabeça, entrando por baixo da camada de pele, fazendo-o gemer baixinho. Não é como se Rakan tivesse tido poucas mulheres. Humanas, Vastayas, Yordles. Sua presença hipnótica fazia com que todas as damas caíssem por ele. Mas desde Xayah, ele não sentia necessidade de mais ninguém.

- Quer mesmo isso hoje, minha Xayah?

- Mas que porra, é claro que sim – Ela exclama rapidamente, tirando o pau dele da boca – Senão eu não estaria te tentando tanto assim. – O homem sorriu, segurando o queixo dela com delicadeza. Que rostinho delicado, com brilhantes olhos amarelos, pequenas tatuagens abaixo daqueles olhos, um delicado piercing no nariz. Ele sempre tinha medo que ela fosse machucar aquele rostinho perfeito em algum combate imprudente. – Você não precisa de tantas palavras... – E ele tomou a boca dela como sua.

O beijo foi longo, carinhoso, demorado. Quase totalmente no controle dele, suas línguas ditando os movimentos, por mais que os dentes rápidos dela quisessem tascar uma mordidinha em seus lábios. As mãos dela o abraçavam, apalpando suas costas, sentindo seus músculos firmes. E mesmo durante aquele estendido beijo, Rakan sentia que a mão dela não deixava seu pau, sempre focada no objetivo.

Dali, eles avançaram fugazes. Peças de roupas voavam para distância enquanto Rakan as arrancava no modo mais glorioso, seus movimentos transbordando de graça. Xayah era mais tímida, mas ria com os gestos espalhafatosos de seus amados. E como ele adorava aquela atenção, o riso contido que se mostrava no rosto dela quando ele arremessava uma cueca para o topo da árvore.

Os seios dela eram tão pequeninos, empinados, com um mamilo violeta quase desaparecendo na auréola. No esquerdo, havia um pequeno piercing prateado, que brilhava com a lua. Ele sabia que ela era sensível, mas Rakan não resistia a levar sua boca aqueles belos peitinhos, chupando com vontade, sentindo os mamilos endurecerem entre seus dentes. A mão dela se envolveu em sua grande orelha, apertando enquanto ele se deliciava, seus curtos gemidos mais agradáveis que a música de qualquer bardo.

Descendo, ela era ainda mais tentadora entre as pernas. Rakan segurava firme em suas coxas, sua língua explorando o interior dela. Sentiu as mãozinhas da garota apertaram mais forte seus cabelos, puxando sua cabeça mais para perto. Abrindo a leve pelugem violeta, ele encontrou uma abertura molhada e cheirosa, colando sua língua no interior rosado, atiçando-a com os dentes, buscando os maiores pontos de prazer. A Vastaya fechou os olhos, sentada na relva, sentindo tudo com amplitude, concentrada no prazer.

Quando Rakan levantou a boca de sua intimidade, saliva pingava de seu queixo. Ela respirava profundamente, ainda se recuperando da sensação. Não importava quantas vezes, ela jamais se acostumava aquilo. Rakan era o único homem que ela jamais tivera, e ela sabia que não precisava de mais ninguém.

Ele a pegou no colo, gentilmente. Rakan estava focado, centrado. Geralmente tão disperso, nenhum som podia tirar a atenção do homem, cujo único objetivo era dar prazer a sua garota, fazer com que ela se esquecesse das desgraças da guerra se envolvida naquele abraço carnal. Guiando-a com facilidade, ele começou a raspar a cabeça de seu firme membro na pequena boceta de Xayah.

- Para de frescura e me fode logo, seu maravilhosamente lindo filho de uma puta. – Ela tinha uma língua tão suja. Mas ela se calou imediatamente quando Rakan a puxou ainda mais para perto, deslizando seu pau para dentro dela, só a pontinha. Mas foi o suficiente. Xayah jogou suas costas para trás, mordendo com força seu beiço, gemendo baixinho. Uma guerreira tão decidida em combate, e uma garota que derretia ao primeiro toque na cama. Sua asa batia levemente, não aguentando ficar parada de prazer. Rakan sorriu, bem mais contido que ela nessas horas, mas sentindo um calor mágico passar por todo seu corpo, não só do prazer de sentir a avermelhada cabecinha de seu pau apertada dentro dela, mas, mais importante, o calor em seu coração ao ver o prazer tomar o rosto dela.

Xayah voltou para ele tão rápido quanto tinha recuado, tocando seus rostos, beijando-o em deleite. Seus lábios passavam por todo seu rosto, lábios e bochechas, pescoço e nariz; beijando e chupando, acariciando onde tocasse. Lentamente, ele deslizava mais e mais para dentro dela, o corpinho feminino em seus braços tremendo em luxúria. Mesmo pequena e inexperiente, Xayah não se deixava comandar, começando a se recuperar da onda de prazer, subindo e descendo seu magro quadril, forçando-se cada vez mais para baixo. Seus tão pequenos peitinhos mal balançavam, mas os dedos de Rakan ainda assim puxavam seus mamilos, excitando-a.

Ele sorriu, sentindo os dentes dela puxando sua orelha. Seu corpo tremia. Ele queria dançar.

Xayah gritou quando Rakan se jogou para frente, envolvendo-a com sua asa em uma pirueta aérea. Ele deslizou seu pau para fora dela, gotinhas de gozo ficando no ar como um rastro de orvalho por onde eles passavam. Ele logo se levantou, sentindo o calor morno da fogueira perto de seus pés.

- Rakan, eu já te disse pra... – E ela gritou quando ela a jogou para os céus. Voava tão bem. Agarrou sua amada na volta com perfeição, sem nunca ter um toque bruto, sua pele macia sempre acariciando a dela. Xayah riu ao se perceber de ponta cabeça, aquele firme pau cutucando seu rosto. E ela gemeu ao sentir a língua de Rakan entrar em sua bocetinha.

Balançou a cabeça, em desaprovação. Ela sabia o quão energético e impulsivo era seu parceiro. Mas aqueles movimentos sempre a pegavam de surpresa, desprevenida. Ele passava do oito para o oitenta, bem rápido. Mas é claro, aquela surpresa não a impedia de abrir bem sua pequena boca e tentar colocar o máximo possível daquele pau para dentro. Seu cabelo desgrenhado balançava abaixo de sua cabeça, sua franja completamente desfeita. Sempre que ela se afastava para respirar, sua própria saliva escorria para sua testa graças à gravidade, melando seu belo rostinho. E lá encima, Rakan a chupava como um campeão.

- Para, para! – A garota exclamou, sentindo-se perto de explodir, seu coração disparado, um aperto em suas áreas íntimas. Rakan a deixou no chão, mas Rakan não lhe deu tempo de respirar, enfiando a cara entre suas pernas, levando a língua ainda mais fundo, raspando seu clitóris, levando um dedo para dentro daquela caverna rosada, massageando-a  e masturbando-a, arrancado gemidos cada vez mais agudos da Vastaya. E ela gemeu ainda mais alto, não conseguindo se separar mais. Ele ouviu aquele som lamuriante enquanto sentia ela soltar aquele doce saber em sua deliciosa boceta, o doce gosto do orgasmo. Ele recuou, lambendo os lábios.

- SEU FILHO DA PUTA! – Ele riu, enquanto ela arremessava um galho em sua direção – NÃO ERA PRA EU GOZAR TÂO CEDO!

- Sossega mina. Estamos só começando.

E ele não mentia. Quando Rakan começava, era difícil saciá-lo. Xayah teve orgasmo seguido de orgasmo, enquanto aquele homem impiedosamente a fodia, trocando rapidamente de posições, na insana dança de acasalamento Vastaya. Qualquer homem observando aquilo se atordoaria com as rápidas mudanças de posição, com o bater das asas, com o furacão de cores e penas. E para aqueles no meio da dança, era ainda melhor. Xayah babava extasiada, suas pernas tremendo, sua boceta inchada, lutando para acompanha-lo, tendo cada orgasmo mais forte que o anterior, não resistindo aquele incrível pau que a fodia até o talo.

Eles ascendiam aos céus, seu pau bem profundo entre as pernas dela enquanto ambos giravam em direção as estrelas. Aquela dança esgotante e magnífica continuou por longos momentos, Rakan guiando cada passo, seus corpos nus sempre entrelaçados.

Eles terminaram de pé, abraçados, a perna dela envolta no corpo de Rakan, puxando mais pra perto, aquele piercing gelado em seu mamilo raspando no peito magro do homem. Eles olham um nos olhos do outro, o corpo de Rakan implorando por descanso. Eles se beijam, lenta e apaixonadamente. E, apenas naquele momento, no final da dança, ele deixa seu esperma explodir para dentro dela, levando sua semente sagrada, enchendo aquela bocetinha rosada de seu sêmen glorioso. Ela treme inteira ao ser cheia daquela pasta branca, nem uma mísera gota escorrendo para fora de seu ventre.

- Você sempre tem que fazer isso não é? Nunca existe sexo normal com você...

- Eu sou um dançarino Vastaya, minha querida. Você sabe que eu gosto da dança.

- Puta merda, eu to quebrada. - Ela se afasta do abraço dela, andando em direção a seus sacos de dormir – Se alguém nos atacasse agora, nós mal teríamos como nos defender.

- Ninguém atacaria um casal apaixonado. – Ela apenas ri, se deitando, sabendo que a realidade era muito diferente daquilo. Mas tinha observado bem os arredores, tinha certeza que não havia ninguém na região. Deitou-se, sentindo aquele calor dentro de seu corpo, o aconchegante prazer da semente de Rakan dentro de si. Logo esse calor foi complementado por aquele do corpo de seu homem, que se aninhou ao seu lado. Os olhos dele se fecharam, rapidamente caindo no sono. Mas ela não dormiu rápido. Sua agitada mente estava sempre preocupada. Ionia queimava, e ela sinceramente não se importava muito. Mas todos os Vastaya sofriam, suas terras cada vez ocupadas por Noxianos, e por Ionianos antes deles. A situação precisa melhorar, e ela sabia exatamente quem eram os principais agressores atuais. Zaun deixaria aquelas terras. Ela teria prazer nisso.


Notas Finais


"Espera, esse não era o primeiro capítulo na lista!" Realmente, meu astuto leitor. Eu to trabalhando com um time agora, caso ainda não tenham percebido, e nós dividimos os capítulos do top 5 entre nós. A velocidade de saída deles meio que vai depender da velocidade com quem formos terminando, e eu for revisando as coisas. Lembrando, capítulos no TOP 5 ou estão sendo trabalhados, ou vamos começar a mexer neles muito em breve. Não se desesperem, nem precisam pedir para eles subirem mais ;)

Mas de resto, peçam a vontade!
LEMBRANDO: Aceitamos Yaoi e Undertale agora também!

Listcha Sagrada dos Infernos:

Bayonetta x Simon Belmont
Cloud x Tifa x Yuffie
D.Va x Tracer
Homem de Ferro x Ms. Marvel
Branca de Neve x Mulan
--------------------------
Ahri x Kayn
Riven x Yasuo
Marinett x Andrien x Nathaniel
Vincent x Tifa
Luna x Noctis
Tidus x Yuna
Kanato x Yui
Elsa x Jack Frost
Elena Fisher x Sully
Ashe x Sejuani
Max x Warren
Blanche x Candela
Steven x Lusamine
Red x Yellow x Blue x Green x Ruby x Sapphire x Gold x Crystal X Silver x Diamond x Pearl x Platinum x Black x White
Brock x Enfermeira Joy
Connor x Aveline
Ezra x Sabine
Chris x Jill
Jake x Sherry
Docete x Leigh
Mutano x Terra x Ravena
Norman x Flannery
Vincent x Yuffie Pt.2
Genji x Mercy
Cloud x Tifa Pt.3
Sephiroth x Aerith
Castiel x Rosa x Docete X Alexi X Kentin x Nath
Leon x Jill
Docete x Dimitry x Lysandre
Dake x Docete
Qrow x Winter
Ahri x Thresh
Dandellion x Calloneta
Bayonetta x Kid Icarus
Kitana x Milena x Sonya
Batman x Catwoman
Chun-li x Guile
Sun x Blake
Alfred x Arlequina x Catwoman x Hera
Tracer x Widow x d.va x Symetra x Mercy x Mei x Pharah x Sombra
Daken x X-23
Lee Sin x Sona
Percy Jackson x Thalia
M. Bison x Cammy
Nozomi x Yuka x Nyuu
Ekko x Jinx
Ezarel x Guardiã
Rony x Hermione
Tracer x Zarya
Jake Muller x Sherry Birkin
Dante x Lady
Blake x Yang
Ignis X Prompto X Iris
Darius x Syndra x Irelia
Max x May
Nathaniel x Ambre
Katarina x Garen pt.2
Zed x Syndra
John Connor x Sarah Connor
Bayoneta x Dante Pt.2
Phara x Mercy
Ruby x Jaune
Ahri x Rengar x Nidalee
Wallace x Misty x Roxanne
Widowmaker x Tracer Pt.2
Cynthia x Diantha x Goodra x Lucario
Rachael Foley x Hunk
Marty McFly x Lorraine
Raiden x Mistral
Mulher Gavião x Aquamen
Lance x Lorelei
Excella x Jessica Sherawat
Rin x Sesshoumaru
Luke x Leia
Teemo x Tristana
Red x Misty x Cynthia
Karlheinz x Yui
Ash x Hinata x Mydoria
Deadpool x Jean Grey x Tempestade
Ash x Délia x Misty
Shiryu x Ikki x Saori
Serena x Lance
Zarya x Roadhog
Clemont x Serena
Balthier x Fran
Elena x Chloe
Anna x Kristoff
Katarina x Talon
Zarya x Mercy
Jacob x Evie Frye
Docete x Rosa x Castiel
Sun x Lillie
Ciborgue x Jinx
Docete x Dimitry
Ruby x Jaune
Doc Brown x Lorraine
Lux x Zed
Docete x Dimitry x Rosa
Jaune x Pyrrah
Kevin x Jillian x Erin
Sun x Mallow x Lillie x Lusamine x Iris
Weiss x Ruby
Coraline x Wybie
Biff x Lorraine
Docete x Armim
Misty x May x Iris
Kirk x Janice
Tracer x Widowmaker x Mercy
Misty x Flannery
Green x Clair
Homem Aranha x Feiticeira Escarlate
Claire x Sherry
Red x Lusamine
Estelar x Mutano
Lysander x Violet
Spock x Uhura
Blue x Silver
Draven x Darius x Syndra
Docete x Melody x Bia x Iris X Rosalya x Violette
Ahri x Ashe × Kayn
Docete x Alexy
Red x Misty x May x Dawn x Cynthia x Lusamine x Diantha x Flannery x Gladion
T-800 x Sarah Connor
Gladion x Plumeria
Zach x Claire
Red x Arlequina
Misty x Aquaman
Feiticeira Escarlate x Visão
Dom x Letty
Ezreal x Lux
Dom x Mia
Brian x Letty
Ahri x Yasuo
Brian x Mia
Ruby x Torchwick
Sona x Katarina
Batgirl x Joker
Ruby x Blake
Weiss x Neptune
Soluço x Astrid x Cabeçaquente
Weiss x Yang
Superman x Mulher gavião
Rosalia x Leigh x Castiel x Docete
Summer x Qrow
Robin x Ravena Pt.2
Raven x Summer
Ruby x Mercury x Emerald
Yang x Melanie x Miltia
Cinder x Ruby
Jinx x Caitlyn
Cinder x Pyrrha
Asriel x Frisk (garota) x Chara (garoto)
Homem-Aranha X Estelar
Deadpool X Arlequina
Capitão-América x Mulher Maravilha
War (Darksiders) X Bayonetta
Ironwood x Glynda x Oz
Deadpool x Viúva Negra
Oscar x Ruby
Evelynn x Caitlyn
Sai x Ino
T-1000 x Sarah Connor
Wallace x Elesa
Abelha x Ciborgue
Dr. Venkman x Dana
Quiet x Boss
Red x Clair
Red x May x Dawn
Link x Zelda x Midna
Warwick x Xayah
Hancock x Ravena
LeBlanc x Caitlyn
Jasmine x Mulan
Ash x Sabrina
Viktor x Lee x Sona
Dr. Mccoy x Uhura x Janica
Asgore x Toriel
Sans x Chara
Asriel x Chara
Raiden x Rose
Obi-Wan x Ventress
Red x Blue
Misty x May
Egon x Dana
Gladion x Cynthia
Max x Bonnie
Widowmaker x Tracer x Emily
Motoqueiro Fantasma x Zatanna x Etrigan
Rapunzel x Flynn
Owen x Claire
Prompto x Cindy
Batman x Mulher Maravilha
Docete x Dakota
Lillie x Gladion
Ravena x Estelar
Castiel x Rosalya x Mia x Kin x Violette x Ambre
Cynthia x Wallace
Alan x Ellie
Malcom x Ellie
Egon x Janine
Kirito x Asuna x Leafa
Rin x Len x Hatsune Miku x Luka x Kaito x Mikuo
Lance x Delia
Shauna x Serena x Gladion
Docete x Charli
Lady x Dante
Hilbert x Hilda
Dake x Violette x Docete
Gladion x Hilda
Ash x Iris
Alphys x Undyne
Chara x Frisk
Sans x Toriel
Asriel x Frisk
Cilan x Iris
Roxas x Xion
Bellatrix x Voldemort
Arlequina x Coringa
Grimsley x Diantha
Veigar x Lulu
Ash x Erika
Docete x Jade
Red x Lorelei
X-23 x Capuz Vermelho
Yasuo x Taliyah
Red x Withney
Alain x Serena
Draven x Draven
Red x Lillie
Juvia x Gray
Brock x Flannery
Norman x Roxanne
Cilan x Hilda
Nathan x Elena Pt.3
Ana x Reinhardt
Mulan x Shang
Ahri x Kayn
Castiel x Ambre x Li x charlotte x Docete
Red x Lorraine x Cynthia
Armim x Castiel x Alexy x Mia x Kin
Cait x Vi Pt.4
Docete x Wenka
Riven x Ahri
Steven x Iris
Tony Stark × Feiticeira Escarlate
Kayrollyn x Reji
Riven x Ahri
Papyrus x Undyne
Sans x Alphys
Chara x Undyne
Asgore x Sans x Toriel
Yuuki Rito x Lala x Yami
Homem-Aranha X Estelar
Alain x Diantha
Clemont x Miette
Lillie x Hilbert
Red x Sarah Connor
Shinigami x Donatello
Sun x Lusamine
Gladion x Lillie x Wickie
Guzma x Lusamine
Castiel × Rosa × Docete × Alexy
Red x Cynthia x Wickie
Gladion x Harley Quinn
Misty x Wallace
Link x Twilight Princess
Red x Roxanne
Mutano x Ciborgue x Terra
Zim x Tak
Akira x Amon
Juuzou x touka
Eto x Kaneki
Sun X Moon
Brago x Sherry
Seiya+Saori+Hyoga+Shiryu
Hau X Moon
War X Uriel X Watcher
Death X Lilith
Vergil x Bayonneta
Nathan Drake x Lara Croft
Ambre x Docete
Naruto x Mei x Tsunade
Priya x Docete
John Snow x Daenerys
Capuz Vermelho x Estelar
Docete X Castiel X Charlotte


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...