História Lealdade ao rei - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Confiança, Romance, Traição
Visualizações 8
Palavras 665
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


sinceramente já venho trabalhando nisso ha um tempo, tenho me dedicado mais e mais pra escrever está história e eu quero fazer-la curta, sem muita embromação, porem parece que vai ter alguns diversos capítulos sauhushuhsa, se eu conseguir explicar tudo em cinco, ta de boas.

Capítulo 1 - Prólogo


Lealdade ao rei

Prólogo:

 

Prólogo. Uma luta está sendo travada. O campo de batalha esta opaco pelas nuvens cinza que pairam nos céus e só há dois únicos homens lutando no meio do caos e ruínas de uma antiga civilização.

-Por quê? Quais vossos princípios a se opor de lado, Lion? -fala o guerreiro deferindo um golpe na espada de Lion.

-Vós nunca entendereis Lucardio! Nunca passara na sua cabeça tão fiel ao rei assim. Ele tomou o lugar de vosso pai! Não percebe tal atrocidade? - fala Lion desviando do golpe de espada que vem ao seu encontro.

 -Se não entendo. Eu poderia ao menos uma chance ter? Temos crescido juntos Lion! Não me diga que vais mudar de lado por consequência de uma dama!

-Viu?! Ai esta o seu entendimento! Sacrificaria tudo pelo reino até sua própria felicidade! Eu pensei que me apoiaria como um irmão. Como um amigo que seu pai Eragon foi!

-Cale a boca! -Urra Lucardio cortando Lion no peito - Nunca mencione o nome de Eragon em vão! Como ousa! Ele morreu por você! - Lucardio mira na cabeça de Lion agora no chão, mas desvia o corte- Suma da minha frente - Lucardio abaixa a cabeça, algumas lagrimas o fazem afundar em pensamentos - Nunca mais volte traidor! Suma da minha frente!

Lion olha para o amigo e guarda a espada. Vira e sai correndo. Lucardio cai de joelhos derrotado.

-Maldito. Não posso lhe tirar-lhe a vida que meu pai o concebeu - ele chora.

 

                                                                         - //-//-

 

Um dia ensolarado. Lucardio acabara de acordar e vestira armadura, seu treino se iniciaria.

-Lion! - berra e o som é espalhado ao castelo - Acorda logo! Parvati vai ficar furioso com você se não levantar!

-Poderias deixar-me mais meio tempo a dormir praga infernal! -bradou Lion.

-Se vós não levantardes de imediato dar-lhe-ei uma espadada na costela.

-O faça e sejas preso e sentenciado as masmorras - debochou Lion.

-Não sejas tão cabeça dura Lion! O que tens contra os treinos?

-Eu detesto-os, simples assim.

O dia passa quase como correndo e anoitece, amanhece, e cada vez os dias vão passando mais rápidos.

-Pai! Não! - berrou Lucardio agora com 13 anos de idade e com uma espada em punho.

 -Lucardio adentre no saguão. Vou salvar teu irmão Lion! - ele empurra o filho para dentro de uma porta e logo em seguida ela é trancada, Lucardio ficara preso.

Eragon corria com a espada em punho, seus olhos firmes. Cortava inimigos ao redor com sua lâmina e se podia ouvi-la rasgar suas carnes e banhar-se em sangue. Mil homens. Foi o total de mortes que a lâmina causou para salvar um único garoto. O rei Eragon cansado pegou pelos braços Lion de 12 anos e o colou atrás de si, quando um exército a sua frente se destacava. O cansaço já não importava mais a Eragon. Proteger Lion era seu único princípio. Mais cento e trinta homens mortos, quando o rei terminou urrando de orgulho. Olhou para Lion e deu um sorriso, o garoto desesperado o abraçou. O pai adotivo o olhara nos olhos e se afastara. O garoto sorriu.

A felicidade foi cortada por uma navalha. Esta que atravessou o peito de Eragon. Infelizmente eram cento e trinta e um soldados.

O desespero de Lion tomou forma, ele berrou psicótico e em um ataque de fúria, sacou a espada de Eragon e perfurou o peito do último soldado com uma força inimaginável, perfurando assim a armadura, as costelas o pulmão e o coração do ultimo soldado.

Ele chorava. Chorava cada vez mais pela morte de Eragon, seu pai. O pai que lhe deu carinho e amor, que lhe ensinou como proteger quem ama é mais importante que tudo, ele caiu de joelhos chorando aos prantos em cima do pai.

-Pai! -ele soluçava no peito gélido do pai - Senhor Eragon! Por quê? - berra Lion em desespero. Lucardio chegou e olhou seu pai morto, pânico o tomou. Lucardio desmaiou.


Notas Finais


Olha, fiquei realmente satisfeito, até porque eu pensei em um universo todo pra esta história acontecer, espero que gostem e lembrem que dicas criativas são sempre bem vindas ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...