História Leap Of Faith - Synacky - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avenged Sevenfold
Personagens Frank Iero, Gerard Way, Johnny Christ, M. Shadows, Quinn Allman, Synyster Gates, The Rev, Zacky Vengeance
Tags A7x, Amizade, Divórcio, Família, Highschool, Lovexhate, Synacky
Visualizações 132
Palavras 3.236
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - Protège-Moi


4 semanas depois.

- Jimmy, de novo. Com o vocal. – Matt disse, sinalizando para Jimmy recomeçar pela terceira vez.

Assim que alcançaram a metade da música Matt pediu que paressem novamente, olhando para Zack enquanto ele bebia um gole de sua água.

- O que foi? – Zack disse, jogando na direção de Brian para que ele bebesse também.

Após a “conversa” que os guitarristas tiveram quatro semanas atrás os ensaios estavam cada vez melhores, a interação da banda como um todo influenciando diretamente na produção musical.

Zack e Brian agora discutiam juntos sobre os solos que fariam, as mudanças que deveriam aplicar nas músicas e até mesmo compartilhavam palhetas, equipamentos, garrafas de água e algumas piadas aqui e acolá.

- Sabe como você assina todos seus desenhos como Zacky V de Vengeance? Da onde surgiu essa ideia?

Zacky deu de ombros, ajeitando a faixa no seu peito.

- Eu achei que seria legal ter um nome “artístico”. Pensei na coisa mais aleatória no momento e deu certo.

Brian o olhou enquanto afinava sua guitarra e Jimmy girava a baqueta em seus dedos.

- Que tal se cada um de nós criássemos nomes para o festival? Todos já nos conhecem como somos. Matthew Sanders, Zachary Baker, e tal. Mas nunca nos viram tocando. Estaremos de fantasias inclusive. Seria uma forma única de lançarmos uma nova imagem. O que acham?

Os membros se observaram um a um, todos analisando a ideia.

- Achei genial. – Johnny disse. – Vou pensar nisso assim que chegar em casa.

- Por que seu nome do celular do Matt é Jesus Christ? – Zack perguntou lembrando da primeira vez que ligou do celular de seu melhor amigo pra Johnny.

Matt riu.

- Quando nos conhecemos eu dei meu celular para ele anotar o número e nome dele, e ele disse ‘não se assuste com a minha verdadeira identidade’, e eu só notei quando cheguei em casa e recebi uma mensagem de Jesus Cristo himself.

Zacky riu.

-Por que não Johnny Christ?

Todos olharam para Johnny com sorrisos, inclusive o próprio.

-Obrigada, Zacky. Você me poupou o trabalho de pensar em um nome e agora eu posso simplesmente assistir pornografia quando chegar em casa.

Brian riu.

-Ok. E a segunda ideia? – perguntou.

- Bom, a segunda é meio idiota também, mas a Michelle que sugeriu semana passada enquanto assistia o ensaio.

Zack e Brian se olharam brevemente.

- Ela disse que o fato de o Zacky ser canhoto e você destro traz uma sintonia legal no palco. Talvez se em alguns momentos você chegasse mais perto do Brian para tocarem perto um do outro as pessoas sem nem perceber o porquê vão sentir essa sintonia.

Zack observou sua guitarra e a direção que apontava, e depois a de Brian, analisando que de fato fazia sentido o que ele estava sugerindo.

-Ok. Sem problemas. – Respondeu sorrindo para Brian. – Vai ser ótimo roubar o brilho do garoto prodígio.

Brian sorriu em resposta, revirando os olhos em seguida.

-Jamais.

~~’’~~

Zack abriu a porta da loja com pressa, entrando o recinto com apreensão assim que topou diretamente com seu chefe.

- Se essa foi sua tentativa de entrar de fininho faltou bastante. Quer sair e tentar de novo? – Marc disse, apontando para a porta.

-Arg... Desculpa o atraso. Os ensaios estão me matando. – Zack respondeu entrando de cabeça baixa enquanto deixava sua mochila no canto.

- Quanto a isso tudo bem. Imaginei que fosse ser assim. Mas não explica o sumiço do fim de semana. Encontramos seus amigos na praia. Nem adianta dizer que estava com eles.

Zack deu de ombros enquanto arrumava o balcão para seu turno.

- Marc...  Eu tenho bastante coisa para fazer. Essa conversa vai chegar em algum lugar?

Marc imediatamente baixou a guarda, caminhando em direção ao menor ao redor do balcão até chegar ao seu lado, uma mão plantada sobre seu ombro.

-O que aconteceu com o Zacky rainha do drama?

Zacky riu baixo, estapeando a mão de seu chefe.

- Ele ainda está aqui, contido e tentando amadurecer. – Respondeu enquanto retirava um maço de notas de dentro do caixa para conta-las e guarda-las nos envelopes como fazia todos os dias.

Marc puxou as notas de sua mão, depositando novamente sobre a caixa antes de puxar o menor em sua direção.

-O que aconteceu, Zacky? Você está me preocupando. Você não sai mais, não te vejo direito fazem quatro semanas. Você vem para a loja, trabalha que nem um idiota, estuda e vai embora sem nem me irritar nenhuma vez no dia. Algo aconteceu, e fico feliz que você esteja amadurecendo. Mas quero ter certeza que você está feliz e bem.

Zack deixou seu chefe apertar seus ombros gentilmente enquanto observava seus olhos cor de mel, preocupação escrito neles.

- Isso tem algo a ver com o Aiden?

Zack revirou os olhos, novamente afastando as mãos de Marc de si.

- Sim e não. – respondeu, se virando para o caixa. – Não totalmente. Ele me incomoda, lógico. Mas não é só isso. Mas sim. E não.

Marc riu.

-Te incomoda como?

Zack fechou os olhos firmemente detestando o rumo daquela conversa.

Nas últimas duas semanas ele havia recebido uma carga de novas emoções que talvez julgasse não estar preparado para tanto.

Enquanto os treinos exigiam dele energia, seu trabalho e os estudos exigiam um maior comprometimento e maturidade. Suas constantes saídas se anularam por completo, e sua vida de promiscuidade foi rapidamente trocada por  uma maior preferência por permanecer em casa e desfrutar da tranquilidade desta com a companhia das últimas pessoas que achou que precisaria: sua família.

Zack se deparou encontrando prazer nos jantares com sua mãe a padrasto e em assistir filmes e desenhos com sua irmã todo o tempo livre que tinha.

Por mais que a carga que tivesse antes lhe trouxesse imensa tristeza, Zack ainda se sentia com um enorme rombo no peito. Até a visão de seu padrasto e sua mãe fazia ele se questionar sobre se estar sozinho era ou não a melhor opção que tinha – não que tivesse muito opção, haja vista todos a sua volta estarem namorando. Marc e Aiden já passavam grande parte do tempo juntos, e quando não precisava ver os dois aos beijos geralmente estava ao redor de Matt e Valary, Brian e Michelle, Jen e Alexis, Ge e Frank, e até mesmo Johnny e Jimmy haviam achado companheiras.

A única pessoa que continuava solteira com Zacky era Quinn. Mas Quinn estava sempre trocando de cama em cama, tornando difícil para Zack acompanhar seu ritmo dentre seus outros deveres no dia.

Por fim Zack chegou à conclusão de que deveria finalmente se abrir para alguém, porém havia perdido as oportunidades que teve, resultando em somente observar os casais se amarem enquanto os criticava diariamente pelo excesso de demonstração de afeto.

Marc o observava enquanto Zack estava perdido em seus devaneios, perdendo a pergunta que lhe fora feita.

- O que foi? – perguntou confuso.

- Você tem ciúmes de verdade. – Marc disse parecendo surpreso.

Zack parecia ainda mais confuso.

-Não entendi. Como assim de verdade?

-Você sente ciúmes por eu estar com alguém pelo simples fato de eu estar com alguém, e não porque eu não estou com você. Sempre achei que fosse pela competição.

Zack sorriu.

- Confesso que no começo talvez.

Marc retribuiu o sorriso, observando a lateral do rosto de Zack com certa fascinação.

- E se eu te dissesse que ele quer transformar em algo sério, qual seria sua reação?

Zacky deu de ombros.

-Já é algo sério. Não?

Marc negou cruzando os braços em seu peitoral.

-Não? Bom... Não sei como me sentiria. Você merece alguém bom. E não posso negar que ele seja alguém bom.

Marc manteve o sorriso.

- Quer dizer que não posso ter os dois?

-Como assim? – Zacky agora virou-se novamente para seu chefe.

- Se ele estiver por perto você não vai estar?

Zack ouviu o sino da porta alertando que alguém havia entrado na loja, provavelmente McKenna, se abstendo da resposta com um simples sorriso enquanto Marc o puxou para um abraço.

-Olá! – McKenna disse assim que avistou os dois, Marc soltando Zack e dando a volta no balcão para receber um abraço da menina. – Trouxe cookies.

Zack bufou enquanto Marc acariciou o cabelo da garota.

- McKenna, assim não dá para ser magro. – Zack disse recebendo o pacote acompanhado de um forte abraço.

Marc riu da porta de entrada.

-Deixei a surpresa nos fundos em cima do sofá, Z. – ele disse antes de sair.

-Surpresa? – McKenna perguntou com os olhos brilhando enquanto Zack a pegou pela pequena mão e a puxou até os fundos, cobrindo seus olhos com suas mãos.

- Não vale olhar. – Zack disse enquanto tentava fazer com que ela não tropeçasse nos equipamentos espalhados pelo chão.

Assim que alcançaram o sofá Zack abriu a caixa que continha o que queria, retirando um item e puxando de seu saco.

Sobre o sofá deitou uma camiseta e a alinhou sobre o encosto.

-Pode abrir.

McKenna abriu seus olhos para se deparar com uma camiseta cinza com um desenho seu estampado em pop art, enormes óculos escuros, cabelo roxo e um pirulito preso a boca dando um ar de quadrinhos vintage.

-Não acredito! – Ela disse observando a camiseta com adoração. – Você que desenhou?

Zack assentiu mostrando as outras diversas camisetas estampadas com o desenho de McKenna em diversas cores.

-Essa é sua de lembrança. – Zack disse entregando à menina. – Os funcionários da loja já estão todos usando esse modelo durante o mês de outubro inteiro, e já vendemos metade. Você vai ver muita gente com seu rosto nas ruas.

McKenna abraçou o guitarrista com tanta força que seus pequenos braços doeram levemente, Zack retribuindo com todo o carinho que existia em seu corpo. Os dias que havia passado com sua McKenna lhe fizeram valorizar ainda mais sua própria irmã, reconhecendo o quanto criaturas aparentemente problemáticas como crianças podiam trazer tanta felicidade dia a dia.

- Obrigada, Zacky. Você não sabe o quanto isso significa para mim.

Zack sorriu enquanto bagunçava seu cabelo.

-Obrigada você, McKenna, por ser essa criança sensacional que você é.

~~’’~~

-Finalmente esse jantar saiu. – Valary disse passando um prato cheio de macarrão para seu namorado. -Johnny, não sei o gosto, mas o cheiro, meu deus.

Johnny sorriu enquanto retirava o enorme chapéu de chef que Matt havia comprado para ele, colocando-o ao seu lado na mesa.

- Espero que gostem.

Matt comeu a primeira garfada antes de qualquer pessoa ter terminado de se servir, recebendo xingamentos de desaprovação de sua namorada.

-Wow. Isso aqui está incrível, gnomo. – Matt disse ainda mastigando, realmente aparentando surpreso com a qualidade da comida.

Jennifer e Alexis riram longamente, desacostumadas com o comportamento de Matt quando o assunto era comida.

-Olha, Martha Seward. Não posso fazer nada além de concordar que você se superou mesmo. Eu não gosto nem de molho branco e nem de bife cru, mas tá sensacional. -Jimmy disse atacando sua comida também.

-Tudo bem que isso é fettuccine ao melho Alfredo e a carne não é bife e sim mignon no ponto perfeito da carne, mas vou relevar e agradecer. – Johnny disse rindo, recebendo os elogios de todos na mesa.

Valary havia arrumado a mesa de forma impecável, taças de vinho e água, talheres de entrada, jantar e sobremesa. A coleção de porcelana de seus pais dando um ar ainda mais requintado à mesa de jantar, sendo que a casa toda contemplava riqueza por todas as partes, quadros com molduras folhadas em ouro e cristais por todas as partes.

-A casa de vocês é absolutamente linda, Valary e Michelle. – Marc disse bebendo seu vinho enquanto Jenny apreciava as pinturas do cômodo.

- Nem me fale. Eu adorei aquela réplica de Renoir. – Jennifer disse.

Michelle riu enquanto Valary ajeitou sua franja envergonhada.

-É lindo, não?

Matt riu ainda mais alto.

-Não é uma réplica, Jenny. – Ele disse, se servindo pela segunda vez.

Jennifer arregalou os olhos levantando imediatamente para observar a pintura.

-Vocês tão falando sério?

-Começou... – Marc disse rindo, enquanto Zack revirava os olhos.

-Agora vamos para uma aula de arte impressionista até o próximo verão. – Zack continuou fazendo com que todos rissem.

Após o jantar o grupo se instalou na sala de estar, tomando o resto de seus vinhos e conversando casualmente.

-Onde está aquele seu namorado elegantíssimo? – Michelle perguntou a Marc assim que se aconchegaram em um dos sofás, Brian ao seu lado e Zack sentado do outro lado junto com seu chefe, Jennifer e Alexis.

- Em casa. – Marc respondeu rapidamente, vertendo seu olhar em direção a porta de entrada da casa dos DiBenedetto onde o cachorro das gêmeas latia incessantemente.

- Hoje de tarde você disse que ele estava viajando... – Alexis comentou observando-o curiosamente.

Marc retornou o olhar com apreensão.

- Já voltou.

Zack e Jenny se olharam rapidamente como se estivessem lendo a mente um do outro. Faziam dias que Aiden havia sumido, se quer aparecendo para comemorar o aniversário de Marc alguns dias antes, o que fez com que Zack desconfiasse que a conversa que tiveram na loja não fosse mera confabulação.

Assim que estava prestes a explorar mais questionando Marc sobre o paradeiro de seu ficante a porta de entrada se abriu e revelou os pais de Michelle e Valary, cada qual carregando uma pequena mala ao seu lado.

-Olá! – Debbie, a mãe de Valary cumprimentou todos assim que entrou no recinto.

Todos cumprimentaram os DiBendettos antes de Debbie e Nick, o pai das gêmeas, se aproximarem do grupo onde Zack estava.

- Olá, Zachary, Brian. – Nick disse enquanto cumprimentava os meninos.

- Boa noite, Sr. DiBenedetto. Essas são minhas amigas Jennifer e Alexis, e esse é o Marc. – Zack disse apresentando-os.

Assim que Nick apertou a mão de Jennifer essa o observou com curiosidade.

-Bom, não vamos atrapalhar sua festinha. Vamos nos deitar já. Qualquer coisa que precisarem é só chamar.

Jennifer sorriu, ainda observando Nick e Debbie atenciosamente até que subiram para seus quartos.

- O que foi? – Zack perguntou assim que não havia mais sinal deles.

-Eles me são familiares. – Jenny respondeu. Brian e Michelle a observaram atentamente. – Ele me é muito familiar na verdade.

-Meu pai? Você o conhece? – Michelle perguntou enquanto Brian se ajeitou em seu assento, desconfortável.

- Não sei. O rosto dele me é muito familiar. Posso estar confundindo com alguém.

Zack observou Brian por um instante, sentindo uma tensão esquisita na forma com que seu corpo se ajeitou ao lado de Michelle.

- Ele também não me é estranho. – Marc disse para Jen, ambos agora perdidos em pensamento tentando desvendar o porquê de Nick DiBenedetto lhes parecer familiar.

-Bom, vamos jogar poker então? – Brian perguntou se levantando rapidamente enquanto puxava sua namorada para si que protestava, querendo saber mais sobre o que conversavam.

Zack observou quando Brian a pegou pela cintura, beijando sua boca intensamente, fazendo com que a loira cedesse e se engajasse em retribuir.

Jennifer imediatamente olhou para Marc e Zack, o segundo baixando rapidamente a cabeça para bloquear a visão, fingindo estar interessado em seu cadarço.

Marc se levantou juntamente com Jennifer assim que o beijo de Brian e Michelle foi interrompido por Matt e Valary que ofereceram um quarto ironicamente.

- Eu acho que infelizmente preciso ir embora... – Marc disse puxando a chave de seu carro de dentro do bolso.

- Por que?  Tão cedo... – Valary disse, abraçando o moreno.

-Temos uma sessão de fotos amanhã de manhã com o Matt Hoffman e Bam Margera para lançar uma nova linha. – Respondeu enquanto se despedia dos amigos e inclusive de Jennifer e Alexis. Quando alcançou Zack este o parou na metade do caminho.

- Posso ir com você? – Perguntou rapidamente.

Marc assentiu, cumprimentando Michelle e Brian.

- Obrigada novamente pelo jantar. Tudo estava perfeito.

~~’’~~

-Camiseta ou moletom? -Marc perguntou segurando ambos na mão enquanto Zack escovava os dentes em sua pia, sua camiseta sobre o cesto de roupas sujas, somente vestido de calça e meias.

- Moletom. – Respondeu com certa dificuldade pela pasta de dentes, apontando para a peça.

Assim que saiu do banheiro se deparou com os dois lados da cama prontos para serem dormidos. Se encaminhou até o seu lugar costumeiro das noites que vinham direto do bar para casa de Marc.

De todas as vezes que voltaram bêbados, Marc jamais havia dado abertura para dormirem juntos, sendo que Zack era sempre a pessoa petulante que obrigava Marc a deitar na cama e não no sofá, e por diversas vezes provocando o maior até que este se rendesse a algum tipo de atividade sexual, sempre parando Zack antes da hora H e forçando-o a dormir.

Desta vez, ao invés de deitar na cama, Zack pegou o travesseiro e um dos cobertores avulsos e os colocou debaixo do braço, caminhando em direção à sala até ouvir Marc chamá-lo.

- Onde você vai?

-Sala.

Marc riu enquanto batia levemente no local onde Zack deveria estar deitado.

- Esses meses todos quando eu tentava dormir no sofá você não me deixava, e agora que eu finalmente aceito dormir na minha cama com você, você decide ir para o sofá? Nada mais faz sentido.

Zack voltou na direção da cama, a vontade de dormir ao lado de Marc muito maior do que qualquer outra vontade.

- Não é certo. – Zack disse observando o teto receoso enquanto aconchegava a cabeça no travesseiro. 

- O que não é certo? – Marc perguntou virando na direção do menor, deitado sobre seu próprio braço acima do travesseiro.

- Você está quase namorando alguém e eu estou deitado na sua cama. Por mais que nada vá acontecer eu não quero te colocar nessa situação.

Marc sorriu docemente.

- Você não está me colocando em nenhuma situação. Eu dei um tempo.

Zack agora virou-se na direção do mais velho, os olhos estalados.

-Quando? Não foi por causa da nossa conversa na loja, né?

Marc negou.

-Foi antes disso... Não estava dando muito certo. Nós queríamos coisas diferentes.

Zack continuou a observá-lo.

- O que ele queria?

- Um relacionamento sério comigo. – Marc respondeu casualmente.

Zack engoliu em seco, ainda observando seu chefe. A beleza do mais velho tirando parte de sua concentração.

- E o que você queria? – Zack perguntou ingenuamente, seus enormes olhos verdes quase infantis enquanto observava o outro homem.

-Um relacionamento sério com outra pessoa.

A respiração de Zack travou rapidamente em sua garganta, borboletas dançando no topo de seu estômago.

- E o que essa outra pessoa quer? – Zacky perguntou curiosamente, com medo de que essa ‘pessoa’ não se tratasse dele mesmo e a suposição desse fato parecesse arrogante.

- Ainda estou esperando para descobrir. – Marc respondeu ainda mais casual, tornando Zack ainda mais nervoso.

Assim como todas as atitudes que Zack toma na vida, decidiu por impulso ter suas respostas imediatamente. Sem nem pensar duas vezes atacou os lábios do mais velho, sua mão fortemente puxando a nuca de Marc.

Após alguns segundos soltou o maior, observando sua feição atentamente.

Marc demorou mais alguns segundos para esboçar um pequeno sorriso, deixando Zack aflito.

Ao invés de palavras, sua boca ocupou-se novamente com a de Zack, beijando-o intensamente até que o ar faltasse para ambos.

Assim que seus rostos se afastaram Zack o puxou para um terno abraço, nem se quer o soltando quando o cansaço tomou conta de seu corpo e seus sentidos se renderam, caindo em sono profundo nos braços de seu chefe. 


Notas Finais


2 CAPÍTULOS - CHECK. <3 espero que gostem. beijing


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...