História Lefgreen's Story - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 18
Palavras 731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi!

Mais um capítulo.
Espero que gostem.

Capítulo 3 - Morte


Passaram-se 3 meses e Lefgreen ia tornando-se a cada dia mais próspera sob o comando de Adrian. Ele e Weysni haviam começado um namoro duas semanas após a coroação e estavam a cada dia mais apaixonados. Porém, August a cada dia sentia mais raiva do irmão, e toda a felicidade que Adrian sentia com Weysni era amaldiçoada pelo irmão.

            Num dia, quando os pássaros cantavam e o sol brilhava sobre as diversas flores coloridas do palácio, Adrian pediu a mão de Weysni em casamento.

 

– Eu quero que você aceite esse anel, era da minha mãe, meu bisavô deu à minha bisavó, meu avô deu à minha avó, meu pai deu à minha mãe, e agora eu dou a você, junto com meu coração.

 

            No momento que ouviu essas palavras, lágrimas rolaram pelos olhos de Weysni, que respondeu um radiante sim.

            De longe, August observava o casal. Seu olhar era de um ódio que podia-se sentir só de chegar perto dele, um ódio que seria capaz até mesmo de matar.

 

– Quer dizer que você gosta dela?!

 

            Quando August se virou, viu a figura sombria de Ally.

 

– Do que você está falando?

– Não tente me fazer de idiota. Eu sei que você é apaixonado pela palerma da minha prima. Todos são. Desde pequena, que é só o que eu ouço, “como a Weysni é linda, como é educada, como é gentil e delicada”, já eu, ninguém nunca olhou para mim.

– Ally, eu não sei do que você está falando. – Mentiu.

– Não seja hipócrita. Eu venho te observando desde o baile, eu já percebi que você está apaixonado por ela.

– Eu...

– Calma, não precisa se preocupar, eu não vou contar para ninguém, eu só quero uma coisa em troca do meu silêncio, uma coisa que eu acho que você também quer.

– O quê?

– Separar aqueles dois.

 

_____     x    _____

 

            Adrian e Weysni foram chamados às pressas ao quarto de Árthur, pois este estava muito mal, e os médicos achavam que o mesmo não duraria mais uma noite.

            Chegando lá, e vendo seu pai tão mal, Adrian revela que irá se casar com Weysni, o que deixou o antigo rei muito feliz.

 

– É bom que antes de morrer eu tenha realizado esse sonho.

– Que sonho meu pai?

– O de saber que um de meus filhos constituirá uma família e dará continuação aos Runzpens.

– Que é isso meu pai, o senhor não vai morrer, pelo menos não agora, o senhor não viveu 300 anos, lembra? Lembra que o senhor me dizia quando eu era pequeno, que o senhor iria viver 300 anos?

– Eu acho que essa promessa eu não vou poder cumprir meu filho. Mas eu vou em paz, sabendo que Lefgreen está em ótimas mãos, assim como meu filho. E eu só peço uma coisa a vocês dois.

– O quê?

 

_____     x    _____

 

– Por que você iria querer separar meu irmão e sua prima? Não é bom para sua família, que alguém de lá se case com um rei? - August perguntou confuso.

– Acontece, que minha prima sempre teve TUDO o que quis. Sempre teve tudo do bom e do melhor. As melhores roupas, os melhores colégios, até os melhores pais. Agora, ela roubar o MEU Adrian, aí já é demais.

– Seu Adrian... Então, você...

– Isso mesmo August, eu sempre fui apaixonada pelo Adrian, desde que eu conheci ele, ele tinha 7 anos e eu 10. Mas aí, veio minha prima e roubou ele de mim, como ela faz com tudo o que é meu.

 

            August olhava para Ally com um olhar assustado. Ao mesmo tempo que se sentia feliz por ter mais alguém compartilhando de sua dor.

 

– Então, vai me ajudar ou não, principezinho?

– Eu, não posso... Quer dizer, não tem nada que eu possa fazer.

– Olha, se nós não fizermos nada, aqueles dois vão se casar, e aí sim, não terá nada que nós possamos fazer.

– NÃO! Eu não posso fazer nada contra meu irmão.

– Tudo bem. Pensa nisso e depois você me dá uma resposta, ainda tem tempo, e eu sei que você vai mudar de ideia.

 

            Nesse momento, chega um soldado do palácio.

 

– Príncipe August, o senhor está sendo chamado com urgência ao palácio.

– Não vê que eu estou tendo uma conversa importante. Mais tarde eu vou, agora não posso.

– Mas príncipe, é urgente.

– Mas o que é tão urgente que não pode esperar?

– Vossa majestade, seu pai, acaba de falecer.


Notas Finais


É isso.
Amanhã posto outro capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...