História Lefgreen's Story - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 9
Palavras 637
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi!

Mais um capítulo.
Espero que gostem.

Capítulo 9 - Incêndio


Nove anos se passaram. Lefgreen havia perdido o brilho que tinha após o desaparecimento do príncipe recém-nascido. A guerra contra Victoria havia piorado, já que, na cabeça de todos no reino de Lefgreen, especialmente do rei Adrian, o rei Derick havia mandado roubar seu filho, como vingança, pois achava que Adrian havia sequestrado o dele.

            Nunca mais ouviu-se notícias em todo o continente Savannah dos príncipes de Lefgreen e Victoria. No entanto, os dois reinos acreditavam que o reino inimigo havia roubado o príncipe herdeiro de seu reino.

            A família real de Lefgreen tentou por anos obter notícias do príncipe e da mulher que o havia levado, porém nunca descobriam nada.

            August e Ally deliciavam-se com a profunda tristeza do rei e da rainha, que a cada dia, consumiam-se mais em sua tristeza, mergulhados em sua dor.

            Os pais de Weysni e Adrian tentaram de tudo para reanimá-los, mas nada dava certo e a situação piorou quando, como uma bomba, descobriu-se que devido ao parto complicado de Weysni a nove anos, ela não poderia mais ter filhos. Isso fez com que a rainha entrasse em uma profunda depressão e o rei tornar-se uma pessoa amargurada.

            Em um dia qualquer, toda a família estava reunida, quando August pediu atenção da família e fez um anúncio que deixou a todos surpresos e a Weysni sob maior tristeza.

 

- Boa tarde! Eu, duque August Runzpens, gostaria da atenção de todos agora, pois preciso fazer um anúncio, que deixará a todos muito contentes. Meu irmão, minha cunhada, minha mãe, sr. e sra. Daavon e sr. e sra. Menphis... é com grande alegria, que anuncio agora, que minha esposa, Allana Menphis Runzpens está grávida.

 

_____     x    _____

 

- MÃE, MÃE. – gritou o menino loirinho lindo – Mãe, olha o que eu encontrei.

 

            Quando Cínthia viu o pássaro morto, fez uma cara de nojo e desaprovação.

 

- Largue esse bicho menino. – falou enojada.

- Mas mãe, olha.

- Largue isso Dimitri. Onde eu estava com a cabeça quando eu te trouxe comigo?

- Mas mãe, olha.

 

            Quando Dimitri tocou o pássaro, houve uma luz e o animal imediatamente começou a se mexer e então, se levantou, bateu asas e voou.

            Cínthia olhou o garoto, que sorria à sua frente e ainda um pouco assustada, teve uma ideia.

 

_____     x    _____

 

- SOCORRO! SOCORRO! – gritava Katherine, enquanto desesperada, tentava proteger os filhos do fogo que se alastrava.

 

            Quando Hector chegou, viu a cena que o aterrorizou. Seu irmão Caio, caído morto debaixo de uma viga em chamas, enquanto Katherine tentava desesperadamente proteger seus filhos.

 

- SOCORRO! HECTOR, ME AJUDE. TEMOS QUE TIRAR AS CRIANÇAS DAQUI. – a mulher gritava desesperada.

- CALMA KATHERINE. – gritou para a cunhada – CALMA, EU VOU TENTAR BUSCAR AJUDA.

 

            Quando voltou, 30 minutos depois, a casa estava completamente em cinzas, vários carros de polícia, bombeiros e ambulância se encontravam em um local, rodeados pela grande multidão que os cercava.

 

- Com licença, com licença. – disse muito aflito, se aproximando dos policiais – Eu me chamo Hector Zachin e meu irmão é o dono dessa casa. O que aconteceu com a família?

- Oh, eu sinto muito, mas as chamas tomaram conta da casa e não sobrou nada. – disse o policial.

- Mas e a família?

- Infelizmente, quando nós chegamos o fogo já havia tomado conta da casa e infelizmente, a família morreu.

- O quê?! Todos morreram? – perguntou com os olhos marejados.

- Não. Houve um sobrevivente.

 

            Quando Hector viu para onde o policial apontava e viu Jackob sentado, debaixo de um cobertor, conversando com uma assistente social, a raiva tomou conta de seu corpo.

 

- Ele?! É tudo culpa dele. Desde que esse garoto apareceu, só aconteceram tragédias. A culpa é toda dele. – falou irritado e com as lágrimas caindo por sua face. O ódio agora tomava conta de seu ser.


Notas Finais


É isso.
Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...