História Legends Part 1: Cold Heart (Interativa) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Interativa, Pokémon, Promessas, Romance
Exibições 33
Palavras 5.427
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oooooooooooooooooooooooh Yeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!!!!!!!!

I'M BACK!!!

Faz tempo né pessoal?
Mas cá estou eu com um novo cap pra vocês meu público tão querido.

Alguns de vocês podem ficar confusos com o cap pois já faz uns... 4 ou 5 meses que eu não posto nada novo, mas vou ajudar um pouco.
Esse cap se passa paralelamente com a segunda fase do torneio, ele não vai ser muito ligado com seus ou o meu personagem e sim vai ser pra apresentar alguns novos, pois eu TIVE que fazer isso pra dar espaço pro próximo cap que vai ser meio grandinho, não que esse já ñ esteja.

Mudei um pouco o estilo da minha escrita, nada radical, mas tentei dar uma melhorada.

E também aconselho para aqueles que podem para deixar uma aba com o Youtube aberto para pesquisarem algumas músicas q estão no cap, ñ são muitas, mas estão lá.

Dito isso, eu espero que você arrenje algum lugar confortável e uma boa leitura.

É bom estar de volta.

Capítulo 8 - Just Another View


 

''Você não entende, não é mesmo...? Não nos tornamos fortes apenas pela simples vontade de obter mais poder... Nós ficamos fortes para protegermos uns aos outros, como uma família. E isso te assusta... A mera noção de que alguém possa te superar em todos os sentidos o deixa amedrontado... Mas... Se você pensa que pode machucar tudo aquilo que amo, está muito enganado... Eu juro! Não importa como, nós vamos te derrotar! Vamos te mostrar a verdadeira força que compartilhamos! Superaremos todos os limites... Até mesmo... A Mega Evolução!!! - N.A


(...)


O brilho do sol não mais os aquece
E a luz da lua agora os esquece.


Os mares gélidos irão lhe acalmar
E os vulcões do mundo lhe eternizar.


A marcha dourada à antiga glória levará
E o legado dos imortais irá retornar.


Enquanto o último dos guardiões em batalha cair
A casca de seu descendente virá a ruir.


Com alarde a resposta das sombras aparece
Mas apenas á criança de ouro e prata a conhece.

 

- Uhm... Já vi coisas mais complexas... - Foi a sentença ditada por ninguém menos que Lavi Stricker, ou mais precisamente, o ''Belíssimo Elite do Norte''... Isso de acordo com suas próprias palavras é claro...

Depois de ter desviado de seu curso para ajudar Allen Walker a encontrar o atalho para Olympo City o ruivo resolveu seguir seu rumo, e após uma despedida com seu mais novo amigo foi isso que ele fez.

Agora, nosso mais querido ruivo de olhos esverdeados podia ser encontrado caminhando sozinho pela rota 4, o caminho que o levaria a uma estação ferroviaria responsável por lhe transportar ao Norte novamente.

A temporada ''Pré-Liga'' ainda não havia começado de fato, por isso o caminho para o Norte estava notávelmente desprovido de quaisquer treinadores. Não que isso importasse é claro, afinal todos os treinadores seriam obrigados a iniciarem suas jornadas na parte Sul antes de poderem viajar para o Leste, Norte ou Oeste... Apenas por medidas de segurança.

Recapítulando...

E tendo visto que seu caminho para as terras geladas estava tão sossegado o membro do clã Book Man resolveu em continuar a andar enquanto traduzia um de seus mais novos achados.

A verdade é que Lavi não se encontrou com Walker por um simples acaso, o ruivo estava explorando uma das cavernas da região antes de escutar os ruídos da batalha do treinador prateado contra os contrabandistas e por isso resolveu dar uma ajuda.

Mas para a sua imensa supresa e prazer ele conseguiu encontrar um pergaminho antes de sair da gruta que explorava.

Depois de ter arranjado tempo para reescrever  o conteúdo contido no manuscrito em uma nova folha de papél o ruivo se colocou a traduzir a escrita, oque provou ser bem simples na verdade já que tudo aparentava ser recente com apenas algumas mudanças na escrita das palavras.

E depois de ler sua PERFEITA TRADUÇÃO (Diga-se de passagem) é correto em afirmar que... Lavi não estava impressionado.

Afinal, vindo de um clã composto por membros de intelectos insaciáveis o ruivo podeira orgulhasamente proclamar que ao longo dos anos ele já havia criado uma bela biblioteca particular cheia dos mais variados itens e conhecimentos, desde pinturas antigas até mesmo textos datados com séculos de idade.

Então um pequeno papel contendo um simples texto, poesia, relativamente recente não seria o suficiente para impressionar o jovem Book Man.

Mas isso não quer dizer que ele tenha ficado desapontado...

- ...A criança de ouro e prata né? - Se auto perguntou o rapaz de cabelos vermelhos continuando a andar para frente com um pedaço de papel em sua mão esquerda tampando sua visão frontal e sua mão direita realizando movimentos repetitivos como se ele estivesse alisando sua barba imaginária - ...Acho que já ouvi falar disso... - Murmurou mais uma vez consigo mesmo ao estreitar tanto os olhos ao ponto de deixá-los parecendo duas linhas horizontais

 

[Pesquise no Youtube: // Naruto Soundtrack - Fooling Mode // Escolha o primeiro resultado]

 

Vendo que não conseguiria se lembrar da menção de tal criança o ruivo se convenceu a guardar o papel em seu bolso para desvendar o ''mistério'' assim que retornar para a sua ''Fortaleza gelada da Solidão''... Ou mais conhecida como, casa.

- Por que eu tive que pegar justo o Norte? - Perguntou-se Lavi ao que parecia ser a milésima vez desde que se tornou parte da Elite dos 4 de Oblivia

O ruivo chutou uma pedra que estava no seu caminho e se pôs a observar o céu com uma expressão pensativa.

Foi então que ele se lembrou... A causa... A pessoa... O MONSTRO que o colocou naquele inferno congelante.

- Oh... Como eu te odeio Ashura...! - Disse, não, gritou o ruivo com toda sua frustração

Somente de olhar para o alto e ver o céu azul ele se lembrou de seu ''amável chefe'' que o indicou JUSTAMENTE O NORTE para ele,  justo para um especialista nos Fucking Tipos SOLO!!

Ah sim! O ruivo podia praticamente ver a projeção do rosto do campeão naquele dia fatídico onde cada um dos Elites recebeu sua parte de Oblivia... Ele se lembra muito bem de quando Ashura se virou para ele com um pequeno, minúsculo e ''inocente'' sorrisso antes de o mandar pro Norte.

- Eu juro que um dia eu me vingo... - Reclamou o ruivo de olhos verdes antes de parar de andar e girtar para os céus

- OUVIU ISSO ASHURA?! EU VOU ME VINGAR!!!!

(...)

- Atchim! - Espirrou o azulado citado anteriormente, este que agora coçava abaixo de seu nariz com o dedo indicador - Acho que alguém deve estar falando de mim. - Constatou Ashura antes de voltar a comer o bolo de laranja que foi feito por sua amiga

Ao seu lado sentada no mesmo sofá e comendo do mesmo bolo estava Naomi que balançou a cabeça em sinal de reprovação pela atitude devéras infantil do Knight.

(...)

É uma sensação tão estranha... Ouso dizer que é até mesmo um pouco eufórica.

Me sinto tão... Forte e cansado ao mesmo tempo.

Deve ser uma grande irônia... Você não acha?

Mas...

Sinto meu tempo se esvaindo por entre meus dedos...

Posso até mesmo ouvir o som... De cada fibra muscular que possuo a se definhar... 

Cada célula... Cada átomo de meu corpo morre aos poucos...

Punição divina talvez...?

...

Nah, nunca fui do tipo de acreditar nessas coisas... Bom... Pelo menos não mais...

Mas oque importa é o presente... Certo?

O presente no pretérito... Mas definitivamente o presente... Ou seria o passado do futuro?

Acho... Que depois de resolver as coisas por aqui, vou voltar e... Passar um tempo com a minha garotinha...

É... Um bom plano.

E depois irei descançar.

Sim...

...Pra sempre...

(...)

- A vida em Crystall Hills nunca foi tão chata...

Esse foi apenas um dos vários pensamentos que permeavam a mente de Yusif Rüzgar, um dos três membros dos grandes Jäegers de Oblivia.

O rapaz estava neste momento na cozinha de sua casa, mais precisamente um chalé, se deixando levar pelos seus devaneios enquanto permitia o tempo passar a sua volta.

O rapaz vestia apenas um par de calças moletom acinzentadas, deixando toda a parte superior de seu corpo despida enquanto seus pés ficavam descalços contra o assoalho de seu lar.

Yusif possuí um tom de pele moreno bastante claro, que na realidade se parece mais com um belo bronzeado do que o tom natural que de fato era. Seus cabelos extremamente curtos e espetados são de uma tonalidade laranja muito intensa, seus olhos adotam quase a mesma cor de seus fios capilares porém estes têm uma tonalidade levemente mais escura, se assemelhando mais á uma mescla entre castanho e alaranjado.

O jovem rapaz estava com seu corpo ligeiramente curvado para frente enquanto apoiava seus ante-braços que se encostavam no balcão de mármore de sua cozinha, os dedos de suas mãos estavam interligados com as palmas das mesmas separadas.

Os olhos de Yusif varriam lentamente por cada canto de sua casa de uma maneira preguiçosa, sem nem ao menos se importar com qualquer sinal de bagunça que esgueirava por seu campo de visão.

O Jäeger de cabelos alaranjados ao menos permitiu que seu foco fosse redirecionado para uma das paredes da casa onde uma sessão de retratos estava pendurada.

Cada um dos tais retratos estava pregado na parede de uma forma metículosamente perfeita, não havia um deles que estivesse minimamente torto, tal cuidado era tanto que todos tinham exatamente o mesmo espaço por entre eles e eram até mesmo organizados por época. Porém uma fina camada de poeira era vista na superfície do vidro dos mesmos obscurecendo levemente a vista para as fotos contidas nas variadas molduras, isso dava forma á um pequeno contraste com relação a toda organização presente na montagem dos quadros.

- Talvez eu deveria limpá-los... - Comentou Yusif tão perdido em seus pensamentos que nem mesmo percebeu ter dito sua fala em voz alta

Se alguém por algum acaso entrasse no chalé ele ou ela se depararia com a visão de um Yusif introspectivo, oque na opinião de seus amigos seria uma coisa rara de acontecer, tão rara quanto encontrar um Arceus Shiny em um passeio pelo campo... Difícil, mas não impossível.

O rapaz foi tirado de seus pensamentos pelo distinto sinal de sua cafeteira ao terminar de preparar seu conteúdo.

Se colocando em uma postura ereta novamente o mesmo caminhou para a direção do eletroportátil, e depois de retirar a jarra contendo o líquido o jovem agarrou uma de suas canecas favoritas, resolvendo até mesmo em parar para analisar a mesma.

A louça era de coloração branca com uma estampa dizendo ''Ghost of Uzushio'' e ao fundo a imagem de um personagem ruivo com um olho vermelho visível, o mesmo possuindo três tomoes paralelos a pupíla.

Dando de ombros o rapaz encheu a caneca de café sem ao menos com um pingo de preocupação com oque tamanha quantidade de cafeína poderia fazer com seu sistema nervoso. Bom... Na verdade não faria nada mesmo, o corpo de Yusif provou ser imune à muitas substâncias que poderiam afetar seu organismo de alguma forma, dentre destas substâncias estavam a cafeína, alcóol e entre outras.

Por isso tamanha quantidade de café não fazia praticamente nada com o jovem rapaz, na verdade a bebida o deixava mais calmo.

O sorriso convencido apareceu em seu rosto.

- Posso não ter o fator de cura da maioria dos Knights, mas possuo meus perks...

Yusif agarrou sua caneca com sua mão esquerda enquanto a direita repousava dentro do bolso de sua calça e com toda a calma do mundo caminhou até a porta de sua casa que teve a maçaneta girada com sua mão livre e em seguida a mesma foi aberta com um dos pés do jovem antes do mesmo dar mais um passo para frente e começar a tomar seu café.

Seus olhos começaram a vasculhar toda a paisagem natural a sua frente em um gesto semelhante com o que havia feito anteriormente no interior de seu lar.

O jovem tomou seu tempo para contemplar todos os detalhes que seus olhos podiam captar enquanto assoprava em seu café fazendo o vapor do mesmo sumir por alguns instantes antes de se tornar visível novamente.

Depois de um belo gole de sua bebida quente o jovem Rüzgar deixou que seus olhos perdessem o foco por um único segundo antes de resolver falar algo.

- Me pergunto onde você está agora meu amigo... - E depois disso lá se foi mais um gole do líquido de sua caneca porém desta vez o mesmo foi menor

E quase que instantaneamente o vento começou a soprar na direção oeste em que o rapaz estava, e como uma resposta para sua pergunta um punhado de folhas que se desprenderam de suas árvores flutuaram longe do jovem.

Yusif viu isto e com sua mão livre o mesmo calmamente pegou uma única folha que chegou em sua frente. O rapaz parou para observá-la enquanto o vento ainda soprava fazendo com que seus cabelos balançassem mesmo que ligeiramente com a sinfônia da natureza.

Um sorriso gentil se formou no canto direito de seus lábios e o mesmo abriu sua mão deixando com que a folha presente na palma da mesma fosse levada mais uma vez pelo ar.

- ...Como uma folha ao vento. - Sussurou o alaranjado

Yusif então balançou sua mão que segurava a caneca em movimentos circulatórios, era como se ele quisesse remisturar o líquido contido na louça.

O terceiro Jäeger então olhou para o céu e elevou sua mão esquerda para cima em um gesto que dava a entender que o mesmo estava dando um brinde com alguém.

Depois desta ação o rapaz bebeu todo o líquido da caneca em um só gole e em seguida esfregou as costas de sua mão direita no canto de seus lábios para os limpar de algumas gotas que escaparam de sua boca.

Dando alguns passos para trás o jovem de pele morena clara fechou a porta de seu chalé e se voltou para a direção de sua cozinha onde ao chegar lá o mesmo tratou de lavar a peça de louça em suas mãos antes de deixá-la para secar enquanto ele voltava para seu quarto.

Ao se encontrar em seus aposentos o rapaz marchou até o banheiro ao lado do cômodo ao mesmo tempo em que desatava o nó dos cordões de sua calça.

Uma vez dentro do banheiro Yusif deixou a única peça de roupa que o acompanhava a cair no chão o deixando completamente desnudo.

O rapaz de pele morena então abriu o box que separava o chuveiro do resto do cômodo e então deu um passo á frente sem nem mesmo se importando de fechar a porta de vidro escuro detrás de si, pois ele era o único na casa e então por isso não haveriam problemas.

Após girar o registro do chuveiro Yusif se contentou em apenas sentir a água começar a cair em seus cabelos, rapidamente os deixando umidecidos antes do líquido puro começar a percorrer por todo o seu corpo em finos filetes que faziam caminho por toda a extenção de seu físico, antes que os mesmos pequenos filetes começassem a cobrir cada vez mais o seu corpo até que enfim ele estava todo coberto por uma fina camada de água que até mesmo brilhava fracamente com somente a luz ambiente do cômodo.

O alaranjado levantou sua cabeça, deixando agora que seu rosto fosse bombardeado pela água que cascateava da boca do chuveiro. Ele podia sentir seus músculos se relaxando ao contato com a água quente, o vapor cada vez mais presente parecia penetrar em sua pele morena.

- Alguns minutos a mais não vão fazer mal...

E como dito, depois de alguns instantes o jovem rapaz saiu de baixo do chuveiro com uma toalha amarrada em sua cintura.

Seu corpo estava quase completamente seco exceto por seus cabelos parcialmente molhados que deixavam alguns pingos de água cair de suas pontas pra direto do chão.

Parando de frente para com seu ármario de roupas o mesmo abriu as portas do móvel e começou a vasculhar oque vestir, e em um movimento sutíl o mesmo retirou a toalha de seu corpo e a jogou para trás pouco se importando se o item caiu no chão ou não.

- Ah! Aqui está você. - Comentou o alaranjado com uma voz ligeiramente rouca

Pigarreando para limpar sua garganta o mesmo agarrou suas roupas e as lançou para cima de sua cama, mas deixando uma cueca boxer pendurada em seus dedos.

Rapidamente o mesmo vestiu o seu primeiro artículo de roupa para sair de seu estado de nudez e em seguida se moveu para perto de sua cama e agarrou o par de calças que havia escolhido para vestir.

Após vestir a peça de roupa de coloração azul escura Yusif então colocou um cinto de couro marrom de modo que o mesmo ficasse inclinado pra baixo no lado esquerdo de sua cintura.

Logo depois o alaranjado pegou um par de botas pretas, o mesmo sentou em sua cama e depois de calçar as meias ele começou a colocá-las em seus pés, as botas não tinham cadarços e sim três pequenas fivelas prateadas que ficavam posicionadas na parte frontal dos calçados, depois disso o rapaz levantou as barras de sua calça e as abaixou, fazendo as mesmas cobrirem as fivelas de suas botas.

Em seguida uma simples camiseta avermelhada foi colocada sobre a parte superior de seu corpo, logo Yusif vestiu seu casaco favorito, o mesmo tinha coloração branca com a kanji 風 (Vento) escrito bem grande nas costas em uma pigmentação azul esverdeada.

Por último o alaranjado arregaçou as mangas de seu casaco as deixando um pouco abaixo de seus cotovelos e em seguida o mesmo pegou duas longas faixas brancas e começou a amarrá-las em seus ante-braços, as faixas paravam exatamente na junta dos punhos do rapaz, deixando seus dedos expostos.

- Roupa? Ok. - Comentou o rapaz que conferia uma lista imaginaria em sua cabeça - Carteira? - O mesmo parou e olhou para uma estante de madeira onde o item de sua procura repousava sobre a superfície do móvel

- Confere! - Exclamou após pegar e colocar sua carteira no bolso de sua calça

O rapaz então esfregou suas mãos juntas enquanto olhava ao seu redor na esperança de encontrar algo que havia esquecido, foi aí que o mesmo estalou seus dedos ao lembrar do último item necessário para sua viajem.

Yusif então foi ao lado de sua cama e colocou sua mão de baixo de seu travesseiro e retirou de lá um Fine Styler, um dispositivo que é entregue e só pode ser utilizado por um Top Ranger.

Após se certificar de que o Capture Disc estava acoplado ao Styler o rapaz o colocou em seu pulso como um bracelete.

Neste instante o jovem Rüzgar saiu de seu quarto, passou pela cozinha e pegou a chave de seu veículo no balcão e em seguida foi até a porta de sua casa a abrindo e depois trancando a mesma.

O rapaz então desceu os degraus da pequena escada á frente de seu lar e foi até um Jeep Wrangler de coloração amarelada.

Sem mais delongas o terceiro membro dos Jäegers entrou em seu carro e fechou a porta, em seguida abriu o porta luvas e ao olhar dentro do compartimento o mesmo pôde encontrar seis pokébolas e um óculos escuros.

 

[Pesquise no Youtube: // Drifters - Op // Escolha o primeiro resultado]

 

Dando de ombros o rapaz de cabelos alaranjados pegou os óculos e antes de os colocar em seu rosto ele ligou o rádio e deu partida no veículo.

Ao sentir o ronco do motor de seu carro o alaranjado criou um sorriso no canto de sua boca, grande o suficiente para deixar alguns de seus dentes visíveis, ao mesmo tempo em que ele abriu seus óculos com apenas o balançar de uma de suas mãos e após tapar seus olhos contra o sol ele colocou seu braço esquerdo sobre a lateral da porta de seu carro, assumindo uma postura relaxada.

- Oh yeah bitch! Let's roll out! - E com isso seu pé pisou fundo no pedal do acelerador

Poeira e cascalhos eram lançados ao longe graças ao canto que os pneus fizeram contra a estrada de terra.

- Vamos para o leste my friend! 

(...)

Sul - Leaf Village

A superfície espelhada refletia a imagem de uma bela menina de cabelos loiros que se encarava com uma expressão ansiosa e ao mesmo tempo aflita.

A porta do quarto da pequena se abriu dando espaço á um homem que aparentava estar no final de seus quarenta anos de idade com seus cabelos escuros já apresentando os sinais de envelhecimento.

- Está pronta senhorita? - Perguntou o sujeito ao se posicionar atrás da garota

A menina fechou seus olhos e respirou fundo e depois os abriu novamente revelando assim dois orbes rubis do mais belo vermelho que se possa imaginar.

- Acho que sim James... - Disse a pequena com pouco convicção enlaçada em sua adorável voz

James sorriu de forma gentil e colocou suas mãos nos ombros da menina como uma forma de conforto.

- Não deveria se preocupar jovem Kilari, afinal você se preparou para isso. - Falou o mais velho dando apoio á pequena que olhou em seu reflexo no espelho mas abaixou um pouco o olhar

- Eu sei... Mas é que... E se eu não conseguir? - Perguntou a jovem, seu rosto esteva contorcido em uma máscara de incerteza

Dessa vez James suspirou ao olhar para a reflexão do espelho.

- Diga-me, o que você vê? - Disse o mais velho ao indicar para o espelho com sua cabeça

Kilari, com uma expressão um tanto confusa começou a contemplar a pergunta que lhe fora entregue. A menina de olhos vermelhos inclinou sua cabeça minimamente para o lado e piscou duas vezes antes de dar sua resposta.

- Ah... Eu vejo a mim mesma...

James sorriu e assentiu.

- Exato. E quer saber o que eu vejo?

A menina sem saber o rumo da conversa só pôde concordar com um aceno de sua cabeça, fazendo seus longos cabelos louros se mexerem de acordo com os movimentos de sua cabeça.

- Eu estou fitando o reflexo de uma bela garota que possui um potêncial como nenhum outro, uma menina especial que vai deixar uma marca no mundo.

Kilari sorriu com suas bochechas um pouco rosadas.

- Você acha mesmo? - Indagou a menina de forma manhosa

- Sem um pingo de dúvidas. - Confirmou o mais velho

Ao escutar isso um sorriso radiante se formou nos lábios de Kilari, tamanha era sua felicidade que a mesma se virou a abraçou James que arqueou uma sombrancelha com o ato repentino.

- Arigatou... - Disse a menina com sua voz abafada contra as roupas do maior - Não vou desapontar a você e nem ninguém.

James reprimiu sua surpresa e novamente sorriu e se pôs a retribuir o gesto da pequena.

- Eu sei que não. - Afirmou o mais velho ao dar um beijo no topo da cabeça da pequena de cabelos dourados

Kilari se soltou do abraço com seu sorriso ainda estampado em sua bela face e um brilho poderoso e ao mesmo tempo inocente contido em seus olhos.

James tomou a oportunidade para dizer uma última coisa antes da pequena partir.

- Mas lembre-se minha pequena, se algo acontecer, sempre procure a resposta bem aqui... - Falou o adulto apontando para o coração da menina - Pois é isso que te faz ser especial, nunca acredite no contrário.

Kilari assentiu com uma confiança de ferro aplicada á seu corpo e alma.

- Hai, eu te dou minha palavra como Kilari Majimoto.

As vezes as coisas mais magníficas não são aquelas que parecem estar destinadas á grandeza, e sim na verdade, uma coisa tão simples que possa passar despercebida por seus olhos, pois é por debaixo de uma camada de simplicidade que se esconde uma verdadeira jóia.

(...)

Sul - Angel City

Portas automáticas se abriram dando caminho para um rapaz que entrou no estabelecimento de forma casual com passos lentos.

O capuz branco de seu casaco deixava a parte superior de seu rosto coberta por uma penumbra mas ainda assim seus olhos azuis celeste persistiam em perfurar a pequena camada de sombras em movimentos calculados para observar os seus arredores com mais cuidado.

Um Centro Pokémon de Oblivia era um pouco... Diferente dos outros, não era tão tecnológico como os da região de Kalos, mas também, o que esperar de algo vindo de um lugar que já foi intitulado de A Região dos Esquecidos?

Isso não queria dizer que era ruim...

O lugar era todo feito com uma madeira espessa e escura, vinhas verdes podiam ser vistas escalando do chão até as paredes em uma espécie de decoração natural, que era muito bem cuidada por sinal, gravuras também eram vistas pela madeira das paredes com as formas de alguns pokémons típicos da parte Sul.

Após notar um dos últimos detalhes da decoração, que eram algumas plantas que ficavam nos cantos, o jovem caminhou até a frente de um balcão da recepção na espera da enfeimeira que certamente tomava conta do lugar, com uma respiração profunda o rapaz abaixou o seu capuz libertando assim os seus cabelos que possuiam a mesma tonalidade de seus olhos.

Depois de um ou dois minutos de espera e sem algum sinal da enfermeira o jovem já se preparava para chamar a atenção da pessoa que supostamente deveria estar trabalhando no local.

Mas um segundo antes do garoto realizar tal ato um grande estrondo vindo dos fundos da recepção ecoou, uma porta fechada tapava a visão para o interior da sala de onde o barulho se originara.

Em seguida uma série de murmúrios foi ouvida junto com passos pesados que se aproximavam cada vez mais da frente da recepção onde o jovem aguardava.

A porta foi aberta e junto dela uma lufada de fumaça cinza foi expelida juntamente com uma figura que limpava suas mãos com uma flanela enquanto tossia rapidamente com os olhos tampados.

O garoto arqueou uma sombrancelha.

- Cof Cof.. Máquina estúpida! Cof Cof Cof... Eu sabia que seguir as dicas daquele cientista de Kalos era uma má ideia! - Comentou a pessoa sem nenhum conhecimento de sua platéia única que o observava com um certo entreterimento estampado em sua face

- Uh... Olá?

Imediatamente a pessoa cessou sua linha de reclamações e abriu os seus olhos azuis escuros.

Como um robô a pessoa virou sua cabeça para a direção do balcão e seus olhos se focaram com os do garoto que abservava quietamente.

- ... Pois não? - Disse a pessoa com um sorriso forçado após um longo momento em encarar o rapaz

- Eu... Gostaria de saber onde se encontra a pessoa que trabalha aqui. - Constatou o azulado

A pessoa em questão sorriu e estufou seu peito enquanto pigarreou em voz alta.

- Você está olhando pra ela! - Declarou

O jovem novamente arqueou sua sombrancelha.

- Não, é sério, cadê a enfermeira Joy?

Ao ouvir esse comentário a pose da pessoa falhou um pouco, a mesma gemeu e revirou seus olhos antes de mostrar em seu peito uma insígnia médica de Oblivia que era de um cruz azul com duas asas brancas.

- Eu sou o enfermeiro que cuida desse lugar. - O homem proferiu as palavras com tanto tédio enlaçado em sua voz que até mesmo o azulado passou a achar que isso já havia acontecido com o mesmo várias vezes

O enfermeiro possuia pele clara e olhos azuis escuros com um físico normal, seus cabelos eram curtos e cor-de-rosa. Sua roupa era um par de calças marrom com um cinto preto, uma camisa branca totalmente abotoada e um jaleco branco com dois bolsos na laterais. Em cima de sua cabeça estava um óculos de grau que se encontrava com as lentes sujas, certamente por causa do que quer quê tenha acontecido nos fundos do estabelecimento.

O garoto observou o homem mais um pouco antes de um simples fato se resgistrar em sua mente um tanto lenta.

- Oh... Eu pensei que... Você sabe... - Balbuciou o menino gesticulando com suas mãos levantadas ao ar

O enfermeiro suspirou mais um vez e andou para ficar de frente do garoto do outro lado do balcão.

- Sei sei... Todo mundo pensa que minha família é composta apenas por mulheres, eu aprendi a lidar com isso. - Falou o mais velho com uma feição de leve frustração 

O azulado coçou sua cabeça com um sorriso de canto.

- Hehe... É mesmo, por um tempo eu acreditei que elas eram um exército de... - O mesmo parou ao ver a cara do enfermeiro que carregava uma expressão seca enquanto o mesmo negava com a cabeça

- Sério, não termina essa frase, eu já escutei isso demais. - Suplicou o rosado com uma voz monótona

O azulado assentiu um pouco sem graça pela falha de sua piada.

- Suponho que você esteja aqui para... - Começou o mais velho com um sorriso se formando em seu rosto, afinal os equivocos que acontecem com o mesmo por causa de sua família já foram tantos que ele já se acostumou a certo ponto, então qual a serventia de se estressar por algo que acontece no seu dia a dia? É melhor dançar conforme a música

- Ah certo, ainda tem algum quarto disponível? - Indagou o azulado

O enfermeiro cruzou os braços e assentiu.

- Aham, só me passa sua Pokédex um instante. - Falou o rosado ao estender uma mão para o azulado que concediu seu pedido e lhe entregou o dispositivo

O rosado então se virou para o lado onde um computador residia e em seguida encaixou a Dex em um painel conectado ao aparelho.

O garoto simplesmente preferiu em ver o rosado digitar um pouco no teclado enquanto os olhos do mesmo não se desgrudavam da tela.

- Shintaro Katsu? - Perguntou o mais velho observando o azulado de esgueira

- Sim... Algum problema? - Indagou o jovem com um timbre de tenção ocultado em sua voz

O enfermeiro negou com sua cabeça e um sorriso no rosto.

- Não, tudo nos conformes. Aqui... - Disse o mais velho ao entregar a Pokédex de volta para o rapaz que ficou um pouco confuso

- Mas já?

- É, já fiz sua reserva se é oque estiver pensando. - Confirmou o rosado enquanto Katsu guardava seu dispositivo no bolso de sua calça - Aqui está. - Falou o mesmo ao entregar uma chave que continha um número e letra para o jovem

- Arigatou... - Proferiu Katsu dando uma deixa para o mais velho que entendeu o recado e lhe respondeu

- Joe. - Confirmou o mais velho para o azulado que assentiu

- Arigatou Joe-san. Posso te pedir mais alguma coisa? - Questionou Katsu e ao ver Joe assentir o mesmo continuou - Poderia cuidar de meu pokémon? Eu não acho que ele esteja ferido nem nada do tipo, mas quero ter certeza.

O rosado logo pegou um única pokébola que foi colocada em sua mão.

- Claro. - Confirmou o enfermeiro - Mas é só esse mesmo? - Perguntou o mesmo ao chacoalhar a pokébola em sua mãe levemente

O azulado hesitou por um segundo antes de negar com a cabeça.

- Pois bem, pode ir que eu vou dar uma olhada no seu pokémon. - Afirmou Joe para o jovem que assentiu e começou a andar na direção das escadas para o primeiro andar

...

A porta atrás de si foi fechada e trancada e com um suspiro o azulado colocou sua mochila ao lado da cama antes de se jogar na mesma e ficar deitado enquanto encarava o teto por alguns minutos.

Sua mão direita agarrou sua segunda pokébola que ficava em seu cinto e o mesmo levou a esfera para frente do seu campo de visão de onde pôde observar a mesma em sua forma expandida.

Na parte superior da esfera, um pouco acima de seu botão havia um adesivo colado na superfície vermelha do dispositivo que mostrava o símbolo dos tipos Dragão.

Katsu permitiu que sua pokébola diminuisse de tamanho enquanto a colocava com sua mão sobre seu peito e seu braço esquerdo começava a repousar sobre seus olhos.

Pequenos filetes de lágrimas escorriam pelo seu rosto.

- Desse jeito você sempre terá algo para se lembrar de mim...

(...)

 

[Pesquise no Youtube: // Far away - Sad Beautiful Piano Violin Film Music (Original) // Escolha o primeiro resultado]

 

- ...Por que... As pessoas de coração puro são sempre as primeiras a cair?
 

- Acho que é uma Lei Universal...

- ...?

- Sempre deve existir um equilíbrio entre todas as coisas, seja neste mundo ou além. A escuridão sempre foi abundante, e para que deva haver alguma forma de balança pessoas boas nascem, como uma luz que ilumina um quarto escuro...

- Continue...

- ...Nada dura para sempre, eventualmente essas luzes perdem suas forças, diminuem seus brilhos, e assim como o fogo sem oxigênio... Elas se apagam. Para manter a balança novas luzes são repostas nos lugares daquelas que se extinguiram, como um Yang para se igualar ao Yin. Pessoas boas existem aos montes, a questão... É que algumas brilham mais do que as outras...

- E de que lado da balança você está? Yin ou Yang...?

- ...Nenhum dos dois...

 

Continua...
 


Notas Finais


Pois é chegamos ao final de mais um cap.

Gostaram? Provávelmente não...

Caprichei um bom bocado nesse cap, mas ñ tenho certeza se pude corrigir TODOS os erros.

Olha pessoal não teremos as perguntas hoje pq quero falar de outra coisa, mas vocês podem especular sobre oq quiserem nos comentários.

Bom vamos lá.

Sabem pq fiquei sumido?
Assistam o último episódio da Liga Kalos, alguém deve ter se sentido... ENTUSIASMADO como eu fiquei depois de ver aquilo.

Mas vamos ao q realmente interessa.

Os novos jogos Sun e Moon foram lançados e com eles novos pokémons e blá blá blá.

É o seguinte, como uma nova geração chegou, nada mais justo do que os personagens teram os pokémons da nova geração não é mesmo?

Farei um esquema simples.

Nos comentários DESTE CAPÍTULO vocês vão poder me dizer se querem ou não trocar um de seus pokémons por um dos pokémons de Alola, e se quiser vc vai ter que colocar qual pokémon vc vai querer, assim como seus ataques e personalidade e a linha evolutiva. Somente 1 ÚNICO pokémon vai ser trocado, e se por acaso vc quiser dois lembre-se q vc vai precisar de um belo argumento para me convencer.

Quanto aos Z-moves... Sinceramente... Eu ainda ñ sei.
Pq cara! É difícil articular algumas cenas de um cap, imagina então descrever uma FUCKING DANÇA! Eu não sei quanto a vcs, mas eu nunca fui um pé de valsa natural.
Ñ posso simplesmente chegar e falar ''Tal personagem realizou os movimentos únicos para executar o seu Z-move.'' Não, isso é chato... E se eu for escrevar vai ter q ser com capricho, não q eu seja o melhor escritor do mundo mas eu pelo menos tento.
Então os Z-moves estão indeterminados por enquanto.

Mais uma coisa, completamente diferente.

Nesse tempo q eu fiquei sem postar eu conversei com alguns leitores sobre algumas coisas.

Entre elas foi que eu tive que remover o Co-autor dessa história.
Stamford, eu sei q vc me ajudou e bastante durante algum tempo, mas depois de meses sem nenhuma ajuda ou conselho eu resolvi tomar uma atitude, não estou de ridicularizando, afinal vc foi o cara q me ajudou a fazer isso e por esse motivo sempre vou te agradecer, mas tudo tem um fim.
Por isso o personagem Lewis sairá da história em breve, junto com uma outra menina q também vai sair caso alguém ñ comente. O dono dessa personagem vai saber de quem eu estou falando pois ele ñ comentou desde o cap 2 da versão ORIGINAL na fic, esteja avisado.

Outra coisa é que um dos Elites teve sua ficha apagada pois ela estava com Stamford antes de perdermos contato, desculpe mais Stewart o elite do Sul vai ter de ser removido, a menos q seu dono tenha uma cópia da ficha.

Quero agradecer a @SwadFroste que me deixou usar um estilo similar de divulgação de música na Fic dele, é quase a mesma coisa. E por falar nisso ainda tô pegando o jeito da coisa. E ñ, eu ainda não vou pegar músicas temas para cada personagem, AINDA, então fica sossegado se esse pensamento passou pela sua cabeça.

Mas o obrigado mesmo vai para @CristalLunar que foi aquela que mais me ajudou, obrigado Cristal, eu demorei mas cumpri aquilo que prometi.

Acho que foi um cap relativamente ''produtivo''.

E pra aqueles q ñ gostaram da versão masculina de Joy, bom, cada enfermeira e policial Jenny faz parte de uma família ENORME, é sério mesmo que ñ deve existir um único homem nessa porra toda? E se vc ainda ñ gostou...

Minha Fic, minhas regras.

E bom... Estou me preparando pra escrever um hentai no futuro próximo caso vc tenha prestado atenção numa cena em específico, mas deixa pra lá.

Alguém pode ter notado as referências a um certo anime de ninjas... Será q vem algo por aí?

Bom acho que é isso.

Vejo vocês depois!
E se esse for o nosso último encontro neste ano, eu lhes desejo boas férias e um feliz natal.
Tenho bastante Fics pra ler se eu quiser recuperar o tempo perdido.

Ja ne!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...