História Lembra-se de Nós ? - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia Romantica, Gay, Romance
Visualizações 178
Palavras 1.183
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Fiz esse capítulo com muito amor. Espero que gostem ^^

Capítulo 18 - Capítulo 17: Tarde Demais


No fim das contas Adrian Harper me agarrou mais não do modo convencional para um ataque ou do modo convencional de como eu esperava era um abraço com posse eu podia sentir mais a verdade era que: Eu não me importava. Mas mesmo assim meu estômago dava um nó.

Enquanto eu me afastava contei devagar, com os olhos fechados, e isso meio que me acalmou. Mais entrei em pânico, quando ele pediu em sussurro:

-Por favor só fique mais um pouco.

Então eu fiquei, agarrado a sua blusa me esforçando para não fazer nada que me fizesse cair na real. Mas, ah, meu Deus.

Cada respiração dele; cada vez que sentia seus dedos me apertarem com mais força; cada tremor me tirava o fôlego.

Ah, Merda...

Por que eu estou reparando nisso?
Por que eu tenho que pensar nisso?
Isso é loucura. Loucura! Ficar ali agarrado a ele, sem ter forças para sair, para negar o seu pedido. Só ouvindo seu coração bater segundos e segundos sem parar...

Eu não estava conseguindo suportar. Tenho a necessidade de fugir, me esconder em qualquer lugar na qual ele não pudesse me ver e muito mesmo me encontrar. Pois no mesmo momento que Adrian Harper me tranquilizava me tirava totalmente do chão.

Adrian...

Um barulho de repente invade meus pensamentos  turbulentos o que me faz, me afastar de Adrian instintivamente  constrangido comigo mesmo.

O celular de Adrian estava tocando.

-Sinto muito eu preciso atender. -diz e eu aceno.

Ele se levante e vira-se falando baixo me impedindo de entender o que ele estava dizendo direito.

-Agora? Eu... Por que não resolveram isso antes... responsabilidade... Eu disse que... Eu resolvo. -ele desliga virando o corpo para mim.

-Parece que estamos com problemas. -informa ele com um sorriso luminoso. -Acho que eu deveria ter deixado ele desligado. Sempre arranjam um desculpa para me atrapalhar. -ri sem humor e guardo o celular no bolso. -Desculpe por isso.

O encaro observando os traços do seu rosto tenso em volta dos seus olhos escuros; o queixo forte, sombreado pela a barba recém crescida. Me pergunto a que exatamente ele me pedia desculpas.

-Não se preocupe. Esta tudo bem. -consegui dizer por fim também me levantando da colcha vermelha. -Então vamos?

Adrian me encara por alguns segundos.

-Não. Quer dizer. Deixa pela minha conta dessa vez Neitan. Estou tentando te compensar aqui não esqueça. -Há um sorriso minúsculos nos olhos dele que só me faz assentir. -Então eu já vou. Quer que eu passe para te buscar? Se quiser dormir aqui eu pedi para sua mãe abastecer os armários, então vai ter tudo que precisar. Menos roupas eu acho. -Sorri.

-Obrigado mais acho que posso ir para casa sozinho. -digo sorrindo timidamente. 

Meu coração está martelando. Casa. Eu posso ir para minha casa sozinho.
No fim aquele apartamento, aquele lugar era minha casa, por mais que eu estivesse preso aqui no apartamento número 15 a duas quadras da Star minha casa agora era em outro lugar.

Vejo um pequeno brilho se destacar em seus olhos. Poderia ele estar feliz com o meu comentário?

-Sendo assim acho que essa é minha deixa.  -Ele caminha para porta, mas antes que pudesse fechar ela totalmente hesita. -Neitan? -me chamou.

-Sim? -Murmuro.

-Você acha que podemos começar de novo? -perguntou para mim, mas eu mesmo não sabia a resposta.

De onde iremos recomeçar?Antes que eu pudesse ter  a resposta para essa pergunta tinha tantas outras.

Um casal feliz ou uma farsa?

Quem poderia me dizer a onde tínhamos terminado e em que momento tínhamos para podermos em fim recomeçar?

-Adrian eu... -hesito passando a mão pelo meu cabelo tentando ganhar tempo. Mas a resposta era tão certa quanto era transparente. - não sei o que fazer.

Ele sorriu e minhas pernas mal me sustentaram.
Olha só para ele... Merda eu realmente não sei o que fazer.

E como se pudesse ler meu pensamentos ele me tranquilizou.

-Não precisa fazer nada. -Me encara. - Eu só quero poder ser mais do que um estranho para você.

Engulo em seco.

-Você não é um estranho. -a voz sai fraca. Eu estava mentindo. - É complicado para mim, mas se você puder ser meu amigo...

Ele encosta mais um pouco a porta e sem olhar para mim murmura...

-É mais do que o suficiente. -e enfim se vai.

Eu não conseguia pensar. Não conseguia pensar na metade do que sobrou do dia inteiro.

Havia uma TV, rádio, cd's, filmes até mesmo um notebook mais nada era o suficiente para tirar minha atenção do enorme elefante rosa na minha cabeça. 

Arrumei a sala. Apaguei as velas aromatizantes, dobrei a colcha vermelha ridícula e fiz algo qualquer coisa para comer no meio da noite.

Mais por quê? Por quê minha mente ficava se preenchendo de Adrian.  

Seu sorriso. Sua voz.
Seus olhos. Seu corpo.

-Merda! -xingo ao deixar meu copo cair no chão.

Respiro fundo. Indo pegar mais um copo de água quando me deparo com outra garrafa de vinho.

Achei minha distração...

Talvez eu devesse ter pensando duas vezes antes de beber ou até mesmo três, mas já era tarde demais.

Um passo de cada vez. Eu pensava inebriado ao andar pelo corredores do prédio.

Eu vou para casa eu disse. Eu estava indo mesmo. Não sabia que horas eram, mas pelas ruas vazias podiam ser muito bem meia noite ou uma hora da manhã.

Adrian estaria acordado?

Estaria me esperando?

Não sei. Quando se tratava dele eu realmente não sabia. Isso me deixa
frustrado.

Abro a porta escandalosamente me escorando nela. Eu nunca mais iria beber.

-Adrian?  -Me vejo chamando. Procurando. Encontrando.

-Adrian está dormindo? -pergunto. O quarto estava todo escuro. Não conseguia ver seu traços então me aproximei da cama. -Está dormindo? -perguntei mais um vez.

-Querido... -sua voz era sonolenta.

-Eu não consigo tiver. -reclamo.

A cama se meche um pouco, e por mais que a visão estivesse turva eu ainda conseguia ver ele se sentando.

-O que está fazendo aqui? -me aproximo do seu lado.

-Ficou bravo? -Eu pergunto baixo.

-Não. Não é  isso. Eu só... Você está bêbado?

-Acho que... sim. -Dou risada. Ele deveria estar perplexo agora.

-Droga. Vamos eu vou te levar para cama. -segura minha mão já quase levantando.

Reviro os olhos.

-Eu já estou em uma.

-Tsc. Neitan eu me refiro a sua cama.

-Essa também é minha cama.

Ele me ignorou, mas antes que pudesse me levantar da cama subo em cima dele o prendendo em meu corpo.

Me sinto ofegante o corpo queimando.
Eu estava colado nele. Por mais que eu não visse sabia que ele estava semi-nú.
Sem blusa. Sem calça. Só um uma cueca box. Uma maldita cueca box.

Vermelha? Preta? Qual seria a cor?

Ah, meu Deus. Eu estava sem controle.

Eu não deveria ter procurado por ele.

Não devia ter bebido.

Não devia estar agarrado a ele assim.

Qual era minha intenção? Meu objetivo?

Eu mesmo não conseguia entender meus atos. Mais acho que eu meu corpo entendia.

Fosse bêbado ou sóbrio. Adrian Harper me enlouquecia.

-Por que não consigo tirar você dá minha cabeça?


Notas Finais


Neitan bipolar? Sempre 😂
Mais coitado o cara sofre um acidente. Acorda Gay e casado com um gostosão.
Eu ia PIRAR !!!!😍😍
Então comentem aí o que vocês esperam do próximo capítulo... Estão torcendo para o Neitan perder as estribeiras? Ou para recuperar a sanidade? Não sei o que fazer... Mais estou tão feliz, sei lá... amo os dois "kkkkk eu particularmente quero que ele ***** não posso contar e.e Mais espero que vcs sim... bjs e até o próximo 😍😙😙😙😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...