História Lembranças de Outras Vidas - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Academia, Almas, Amoresmemoraveis, Bts, Hoseok, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Namjin, Namjoon, Reencarnação, Seokjin, Sugamentor, Taehyung, Texting, Vhope, Vidaspassadas, Yoongimentor
Visualizações 43
Palavras 1.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


KO KO BOP

BROTEI

E aí turo bon :)

Acho que vão gostar desse cap
É só jikook ❤

Amém

:v

Capítulo 11 - Capítulo 10 - Preciso de você


Fanfic / Fanfiction Lembranças de Outras Vidas - Capítulo 11 - Capítulo 10 - Preciso de você


[Pov Jungkook]



Eu não sabia por qual caminho minha vida estava andando, mas sabia que era um bem complicado. Eu não sabia mais no que acreditar e no que não acreditar. Todos temos essa fase, certo?! Incertezas, confusão, dúvidas, até medo, tudo junto ou um atrás do outro. Quando temos uma religião nós seguimos às suas doutrinas, quando temos um professor nós aderimos seus conhecimentos, quando temos uma inspiração nós seguimos sua expressão. Mas e eu? O que eu tenho?


—Procurando alguém, jungkook?


A voz penetrou meus ouvidos eu já sabia quem era. Era exatamente quem eu, de fato, procurava. Virei-me e ali ele estava, com as mesmas roupas que lhe caíam muito bem, mesmo cabelo negro como o céu da noite e rosto como de um anjo que caíra, direto do céu, em meu caminho.


—Jimin... Você sempre estará aqui mesmo? —falei enquanto o analisava.


—Eu sempre sei quando você está aqui. E agora sei que você sempre estará aqui.


—A resposta é sim, então...


Ele riu baixinho e se aproximou mais de mim com um sorriso no rosto.


—Pode ser, se você quiser.


—Como você faz para entrar aqui? Eu nunca o vejo pela Academia e tenho impressão de que apenas eu o vejo aqui.


—Eu entro pela porta, Jungkook.


—Mas, como assim? As únicas portas que há aqui são as da salas que se encontram vazias e inativas, a não ser que você entre pela janela de uma delas ou simplesmente brote dentro de uma.


—Hahaha você ainda se recusa a acreditar no que eu sou, hun?! —ele diz com um sorriso mínimo mas também um olhar baixo de decepção.


—O que você é?


Ele levantou o olhar o direcionando para meus olhos e ali ficou uns segundos. Eu sabia que havia alguma espécie de linguagem ali, alguma mensagem, mas eu nunca sabia decifrar. Eu queria, queria muito, poder me lembrar dele. Saber quem fora Jimin pra mim. Eu queria acreditar em tudo no que eu estava entendendo nesses últimos dias, mas iam muito além de minha sanidade, muito além de minhas crenças. Eu estava incerto. O que se destacava em meio essa confusão psicológica era que, eu estava materializando um sentimento por Jimin. Eu não sabia o que era mas eu ficava ansioso quando pensava nas possibilidades de encontrá-lo, tanto em meus sonhos como na Academia. Sentia que ficaria mal se não o visse, se não me aproximasse, se não arriscasse. Era exatamente isso o que eu ansiava fazer naquele momento. Ver, tocar, arriscar. Saber se alguma dessas tentativas me fariam lembrar de algo relativamente importante.


Como não obtive nenhuma resposta do moreno, fui me aproximando do mesmo. Ele não olhava em meus olhos mas sentia minha aproximação e recuava a cada passo que eu dava.


—Jungkook...


Meu ato o obrigou a se encostar na parede atrás de si e estávamos agora tão próximos ao ponto de sentir o calor do corpo de um do outro emanando. Segurei seu queixo com uma das mãos o obrigando a me encarar.


—Ah, Jimin... O que está acontecendo comigo? Sei que você sabe. Não sei, realmente, QUEM é você. Talvez eu saiba O QUE é você mas esteja me recusando a acreditar. Eu sinto coisas por você que não sei quando surgiram mas agora estão em minha consciência. Uma espécie de necessidade, sei que é de você mas não sei do que exatamente. O que quero de você? Por que quero? Eu só preciso de respostas... —eu aproximava nossos rostos como numa hipnose e acredito que agora ele esteja sentindo minha respiração pesada em seu rosto como eu sentia a sua suavemente sobre o meu.


—Ah, Jungkook. Isso é tão errado... —sussurrou.


—Por que é errado?


—Não é esse amor que quero de você, não ainda. Isso nem pode ser chamado de amor. É paixão. —Ele disse empurrando levemente meu corpo com sua mão em meu peito, mas eu o impedia disso pondo agora minha outra mão sobre sua cintura.


—Qual a diferença?

—Uma paixão é carnal... dura pouco. Um amor é... É tudo, e pode durar até a Eternidade. —ele disse pausadamente, provavelmente procurando se concentrar pois eu apertava sua cintura.

Jimin emanava pureza, transformava ares pesados e tensos em suaves e tranquilos. Eu não queria imaginá-lo em situações mais íntimas com outra pessoa se não eu. Não queria imaginar ninguém mais usufruindo da paz que ele emanava se não eu. Quando eu comecei a pensar assim? Céus, o que está acontecendo comigo?


—Para sua informação, Jungkook, podemos atravessar qualquer porta que quisermos. —ele disse olhando em meus olhos ainda na mesma proximidade, subindo suas mãos que estavam em meu peito para meu pescoço e as pousando em meus ombros.


—Como assim "podemos"? Quem são o "nós" dessa frase?


—Tantas perguntas... —abaixou o olhar.


—Responda apenas essa.


—Então diga, o que sou?


—Você responde primeiro.


—A pergunta foi para você.


—Aish... —fechei os olhos e tombei a cabeça para baixo como num suspiro. Surpreendi-me com uma das mãos de Jimin em meu queixo fazendo comigo o que eu havia feito com ele anteriormente. Agora olhava em seus olhos. Acho que terei mesmo que respondê-lo.


—Não pense como uma resposta para mim mas sim, como uma para você. —disse calmamente.


—Você... Não está vivo, está?


—Hahaha, Jeon! Eu não sou como aqueles espíritos que aparecem nos filmes de terror, já aviso logo. Não se assuste.


—Ei, não tem graça. Como sabe que tenho medo dessas coisas?


—Porque não importa quantas vidas avance, você sempre tem esse medo. E sempre estou lá para ampará-lo quanto a isso... —agora ele acariciava minha bochecha com a mão que segurava meu queixo. Okay, o calor que sinto pinicar ali indica que corei, alguém me ajuda.


—Por que insiste tanto em tirar as palavras da minha boca?


—Porque não são para mim, são para você, eu já disse. —após falar isso, mais uma vez, ele olhou fixo para algo atrás de mim e o sorriso que decorava seu rosto foi sumindo aos poucos. —Kook, eu... Eu preciso ir! —com um tanto de força empurrou meu corpo para longe do seu e saiu do canto que tanto permaneceu escorado por mim. Já mais distante olhou para mim e sorriu uma última vez antes de sumir num piscar de olhos.

Mais uma vez senti um leve soprar de trás de mim como num sussurro e eu só soube dizer num transe um completo nome: 























Park Jimin...


Notas Finais


Acho que não ficou tão longo quanto os outros mas é porque eu realmente queria um cap só com o meu/nosso jikook
Mas de acordo com o decorrer da fic não tinha muito o que esclarecer

"Mas Bia, era só detalhar mais."
Sorry :'(
Aconteceu uma pancada de coisas indesejadas agora no finalzinho da semana e eu não tava inspirada

MAS JURO QUE VOU TRAZER CAPS MELHORES

Obrigada por ler e kissus
💋💋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...