História Lembranças do passado - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Personagens Originais, Plagg, Tikki
Tags Adrinette, Ladrien, Ladynoir, Marichat
Visualizações 41
Palavras 2.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie! Olha quem chegou com um cap fresquinho e quentinho da hora?
Mentira gente... esse cap já está murcho e duro guardado na prateleira Microsoft Word desde quarta-feira. O culpado de não ter postado esse capitulo antes é o spirit fanfics com esse tal de Error 524.
Por isso eu resolvi aumentar o tamanho do cap deixando ele com 2000 palavras

Vejo vocês nas notas finais

Boa Leitura

Capítulo 16 - Eu Nunca Prometo Nada... Diretamente


Fanfic / Fanfiction Lembranças do passado - Capítulo 16 - Eu Nunca Prometo Nada... Diretamente

As garota do time de vôlei chegaram no quarto topando com Adrien e a líbero conversando enquanto tomavam café da manhã.

- Agora entendi o porquê da nossa peça principal não ter ido no treino – A atacante e uma das meninas mais próximas da líbero se pronunciou subindo em cima de uma das beliches que tinham ali – Vai ter que pagar trinta depois viu?

- Trinta?! – a líbero se desesperou – Isso não é justo Maya! – se levantou indo em direção a atacante

- Eu acho totalmente justo – dessa vez quem se pronunciou foi a levantadora – É isso... ou quatro voltas de peixinho na quadra – sugeriu outro castigo colocando as mãos no ombro da mesma – A escolha é sua... – a olhou com maldade

- Eu tenho outra ideia – Adrien que ainda estava sentado no chão ergueu a mão na esperança de salvar a amiga – E se ela fosse treinar agora?

- Estamos todas cansadas ninguém vai ir com ela treinar... – Maya respondeu pulando de cima da beliche ao chão – A não ser que alguém se disponha a ir treinar com você...

A líbero olhou para todas as garotas com a esperança de que alguma se disponibilizasse a ajuda-la, mas como se todas quisessem que a mesma pagasse o castigo ninguém se quer a olhou, então olhou para Adrien como se sua salvação fosse ele. E como se entendesse o recado apenas com o olhar, suspirou pesadamente antes de se levantar.

- O que eu não faço por você? – resmungou bagunçando os cabelos castanhos da garota – Eu só vou colocar uma roupa apropriada e aconselho você fazer o mesmo. Te vejo em cinco minutos – foi o que disse antes de sair porta a fora

Passaram a tarde toda treinando, isso até Adrien receber um aviso no celular que seu treino de natação começaria em vinte minutos. Então na mesma hora saiu correndo para se preparar.

Era normal encontrar várias garotas no local de natação, tanto por causa das meninas que praticavam ginastica, quanto da plateia admiradora dos participantes da natação – não era todo o dia que podiam apreciar a vista – afinal não existia nenhuma regra que proibiam elas de estarem ali, então, porque não?

Já era de noite e o jogo de vôlei oficial era no outro dia de manhã, as meninas com certeza estavam ansiosas mas não tanto quanto Adrien estava.

Estava quase fechando os olhos para dormir quando ouviu alguém bater na porta do quarto 534 – que era o seu – desesperadamente. No momento achou que alguém tinha morrido com tamanho desespero, ou algo do gênero, nem se deu ao trabalho de colocar o chinelo, esqueceu até que a única coisa que usava era uma calça de moletom preta. Destrancou a porta em sua frente e antes que pudesse girar a maçaneta a pessoa do outro lado fez isso por ele. Seu corpo ficou menos tenso – mesmo assim ainda preocupado – quando viu sua melhor amiga do outro lado com um cobertor e travesseiro nas mãos.

- O que foi dessa vez? – perguntou mais para si mesmo do que para ela

- Não consigo dormir – disse em um tom baixo e tímido como se estivesse contando algo muito vergonhoso – E também... não quero... dormir... aqui... – seu tom de voz foi descendo gradativamente até sumir

Adrien suspirou pesadamente tentando manter a calma e paciência, uma frase sobre ele que todo mundo sabia era: “Roubem o último Kit-Kat do pacote de Adrien, mas não roubem o papel de seu despertador”. Abaixou a cabeça mas logo a levantou com um sorriso no rosto.

- Tem um terraço muito bonito nesse colégio, quer ver? – indagou tentando ser simpático

- Pode ser – deu uma leve gaguejada e falhada na voz, conhecia o garoto melhor do que qualquer pessoa para saber que ele estava morrendo de sono, e com raiva, principalmente raiva por ter sido acordado.

Pegaram o elevador e subiram até o último andar do prédio escolar com cobertores e travesseiros nas mãos. O lugar era praticamente toda a laje da escola e tinha diversas flores e plantas. Se aconchegaram no chão mesmo, deitando sobre uma parte gramada que tinha no local, observando as estrelas que com toda certeza não daria pra ver da cidade

- O que está te incomodando? – Adrien indagou calmo. Sabia exatamente o que se passava na cabeça dela, mas deixaria ela mesma contar

- Você sabe... Eu estou nervosa com tudo isso... Se eu falhar... Todo o peso da culpa vai cair em cima de mim... Já que eu sou responsável pelas falhas do grupo – todos que a conheciam sabiam que sua maior falha era sua insegurança. Mas não era de menos por tudo o que a menina passou, outro já estaria em estado de depressão.

- Eu também estou nervoso... – deu um suspiro pesado como se tivesse prendido a respiração – Prometi as pessoas mais importantes da minha vida que só voltaria quando ganhasse ouro

- O seu primo e a sua irmã...? – perguntou mais como uma afirmação do que uma pergunta

- Não só eles. Meu pai, minha mãe, o Nino...- fez uma pausa como se perguntasse a si mesmo se deveria continuar – Você...

- Eu queria que eles estivessem aqui me dando apoio... Os meus pais... – respondeu triste

O loiro apenas resmungou como se entendesse o que a mesma dizia. Queria muito poder dizer o mesmo mas o seu “estivessem aqui” era muito diferente do dela, afinal o pedido dele se realizava apenas com uma passagem de avião. O pedido dela já era muito mais difícil.

- Eu sei que nem se compara mas... Eu vou ser o que vai gritar mais alto quando te ver entrar na quadra – tentou animá-la – e pode ter certeza que vou garantir de sair rouco de lá.

- Sabe o que me animaria muito agora? – olhou sugestiva – Que tal você cantar... cantarolar também serve – abriu um sorriso esperançoso

- Não sei cantar – afirmou convicto

- Sabe sim, lembra quando a professora obrigou você cantar dentro da sala de aula – o recordou

- Aquilo foi um trabalho de escola... maldita professora de português – resmungou mas sabia que era inútil por conta do silêncio – Eu deveria ter levado uma poesia em vez da letra de uma música.

- Não devia não, você tem uma voz linda – o elogiou – Está com o seu celular? – o mesmo não respondeu, apenas entregou o objeto para a menina – A que eu gostar... você canta pode ser?

- Pode – respondeu seco não gostando muito da ideia – Baixinha

- Você só tem Rock, Rock Clássico, Pop Rock, Reavy Metal, J-rock... – disse tudo em uma frase só – Wenever you are... One Ok Rock – Abriu um sorriso por achar algo que conhecesse na playlist estranha de seu amigo – Eu quero essa! – exclamou quase gritando mas logo se lembrou que eram os únicos acordados

- I’m telling you. I sofiily whisper. Tonight, tonight. You are my angel... – logo parou de cantar quando ouviu a voz da garota

- Aishiteru yo. Futari wa hitotsu ni. Tonight tonight. I just say... – deu um bocejo e logo o outro continuou

- Wenever you are, I aways make you smile. Wenever you are, I’m aways by your side. Watever you say, kimi wo omou kimochi. I promise you “forever” right now – cantarolou uma parte da música por não lembrar a letra – Kono saki nagai koto zutto. Douka kona boku to zutto. Shinu made Stay with me. We carry on – cantarolou novamente o refrão mas não por não saber e sim porque sempre fazia isso.

Continuou cantarolando até a música acabar e só aí percebeu que a mesma tinha dormido. Com certeza não iria dormir ali, o tempo estava parcialmente frio e a última coisa que queria era alguém resfriada no dia do campeonato. Pegou a amiga no colo e desceu com praticamente tudo, deixou algumas coisas caírem no chão então foi chutando elas. Para seu azar a porta do quarto 536 estava trancada, então optou ir para o 534 mesmo.

O quarto 534 era bem diferente do das meninas de vôlei. Por ser poucos garotos competindo a natação e por serem apenas os da França no local – para não misturar as línguas que eles falavam – o lugar era bem espaçoso e com camas sobrando.

Colocou a garota em uma das camas e deitou na sua. Logo recebeu uma mensagem em seu celular, e quem diabos mandava mensagem as exatamente 1:32h da madrugada?

Apesar de tudo Adrien já tinha uma certa ideia de quem seria, afinal essa pessoa era meia ocupada para mandar mensagem de manhã. Abriu a mensagem a lendo

Felix: Oi primo! Desculpa não ter respondido antes, eu estava meio ocupado com as provas e trabalhos da escola. Por sorte ocorreu tudo excelentemente bem!

 Uma mania muito certinha que Félix tinha era escrever mensagens como se estivesse escrevendo um diálogo de um texto. A forma que ele escrevia fazia as pessoas terem medo de errar alguma palavra. Logo o mesmo mandou uma outra mensagem.

Félix: On-line a essa hora? Pensei que horário de criança ir dormir era as 22:00h da noite.

Outra das coisas que irritavam qualquer um quando iam conversar com ele é que o mesmo escrevia muito rápido, não dando tempo da pessoa sequer ler a mensagem.

Adrien: Você me manda mensagem a essa hora e ainda reclama?!

Felix: Não ia ter tempo de mandar amanhã, não sou igual a você que usa celular dentro da classe. Eu tenho que estudar esqueceu?

Adrien: Me desculpa Sr. Certinho. Mas não tenho culpa se você me acordou.

Felix: Vou mandar tia Lindy bater na sua boca pra você largar de ser mentiroso. O seu celular vive em modo vibratório, e isso não seria capaz de fazer você mover um músculo sequer. Pinóquio!

Adrien: Mudando de assunto... O que exatamente você queria me falar?

Felix: Ah é! Eu queria te avisar que talvez... Repito... Talvez dê para eu passar as minhas férias aí. Ou se não você pode vir para a Suíça. O que você acha?

                O que Adrien sentira na hora não deu pra explicar, quase deu um grito de felicidade mas lembrou que não era o único no local, então, para segurá-lo, mordeu o travesseiro batendo os pés no colchão. Não iria acreditar tão facilmente no que o primo dissera, mas quem ele está querendo enganar?

                Saiu do quarto às pressas, iria tirar aquela história a limpo, mas tinha que escutar saindo da boca dele, ouvindo a voz dele antes que tivesse um ataque cardíaco de tanta emoção.

                - É brincadeira né? – perguntou o loiro mais novo não podendo conter o sorriso

                - Adrien, por algum acaso eu tenho cara de alguém que brinca com essas coisas? Ou melhor eu já fiz alguma vez um tipo de brincadeira que colocasse em risco a sua felicidade? – Felix o respondeu em um tom sério e um pouco indignado

                O primo dele tinha razão, nunca foi de fazer brincadeiras, nunca gostou de fazer isso. E ainda tinha o fato do primo ser bem realista, ele disse que talvez ele viria e talvez Adrien iria para lá.

                - Você promete que vem? – apelou, sabia muito bem que a maioria das vezes que fazia isso seu considerado irmão amolecia um pouco

                -  Adrien eu sou um cara neutro, nunca prometi nada e se eu for prometer algo algum dia vai ser somente no dia do meu casamento. Se é que eu vou casar...

                - Você é muito pessimista – resmungou Adrien

                - Não sou pessimista, sou realista. É muito diferente

                Pelo ou menos uma coisa Adrien sabia, ele tinha falo seu nome em quase todo o começo de frase isso só podia significar três coisas.

                Primeiro: Ele estava dando um conselho. Era a mesma coisa de “não faça nada de errado” ou “estou te dando um aviso”.

                Segundo: Ele estava nervoso. Soava como um “meche comigo e eu encho sua cara de porrada” ou “estou preocupado com você”

Terceiro: Ele estava prometendo algo discretamente. Ele dizer o seu nome e dizer um “eu vou fazer o possível” ou “faço o que estiver ao meu alcance” era praticamente a mesma coisa, já que um “eu prometo” nunca sairia de sua boca. Afinal, a vida era cheia de reviravoltas e Adrien sabia disso agora mais do que ninguém.

- Os meus colegas de quarto chegaram da tal boate que eles estavam, bando de doidos, qual é a graça de ficar dançando no meio de aglomerações humanas suadas e nojentas? Sabe quantos germes eles devem contrair um dos outros nesses contatos? Prefiro ficar em casa estudando para garantir o meu futuro e o seu também. Adrien... – “Adrien” – Nunca siga o exemplo de seus amigos, falo isso para o seu próprio bem... – sua fala foi interrompida pelos seus colegas o caçoando e o imitando por dar conselhos “certinhos” ao seu primo – Bando de bêbados incompetentes, isso que dá ficar em um quarto onde seus colegas são dois anos mais velhos do que você – resmungou para penas o seu primo ouvir – Vou ter que desligar, tchau.

Não deu tempo de dizer tchau, mas ainda conseguiu ouvir os garotos falarem a frase: “Agora que Félix terminou com a namorada porque andava ocupado demais, resolveu arrumar um namoradinho novo” e um “vai cuidar da sua vida” vindo de Felix

A única coisa que pôde fazer foi sorrir da cena, voltar para o quarto e dormir. Amanhã teria um dia cheio assim como o de hoje foi.

 

 

 

 


Notas Finais


Voltei! (novidade)
Pausa para aviso importante...

AMANHÃ É O MEU ANIVERSÁRIO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
EBAAAAAAAAAAAAAAAAAA

E talvez - Repito - Talvez eu volte aqui com um cap

Eu prometi algo? - vou dar uma de Felix agora - Não. Eu falei que com toda certeza eu voltaria amanhã? Não. Mas talvez eu volte ok?

OKAAAAAAAAAAYYYY

Vou deixar o link da musica, caso alguém se interesse a ouvir:https://www.youtube.com/watch?v=6fka_yXg0Vc

Já assistiram Hotarubi no mori e? Pra quem gosta de animes vai se amarrar na historia vale a pena ver afinal, ele só tem 30 Minutos, vou deixar o AMV só pra deixar vocês curiosos:https://www.youtube.com/watch?v=VNdHd1asf9s

Eu chorei, vale a pena ver... sério


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...