História Lendas e fatos sobrenaturais - Capítulo 76


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas
Personagens Personagens Originais
Tags Lendas Urbanas
Exibições 251
Palavras 534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Espero que gostem

Capítulo 76 - É você mamãe?


Depois que minha mãe morreu eu me sentia muito sozinha, eu não conhecia meu pai e então fiquei sozinha no mundo, até aquele dia .

Eu comprei uma tábua ouija com a intenção de falar com minha falecida mãe, que havia falecido a quase dois meses atrás, durante as vezes que eu jogava nada acontecia, até que um dia eu comecei a jogar, e um espírito se revelou para mim, dizendo ser minha querida mãe .

Ele descrevia coisas impossíveis de serem descrevidas e que apenas minha mãe saberia, durante esse tempo eu sempre falava com minha mãe, pedindo conselhos e me abrindo, todos ao meu redor me orientavam de que, o que falava comigo não era minha mãe, mas eu não os ouvia, e a cada vez nosso contato ficava mais forte .

Até que em uma noite eu tive um sonho muito real com minha mãe, que me dizia para parar com aquilo, ela me dizia que estava bem, que estava na luz, e que não era ela que falava comigo, e logo quando ela ia falar comigo uma coisa, sussurrando bem no meu ouvido, eu acordei, era o maldito alarme das 7:00hs indicando que era hora de eu trabalhar .

Durante o expediente vi que minha amiga cochichava com a irmã que iria tentar procurar ajuda pra mim, que quando eu saísse ela iria se desfazer do tabuleiro, pois aquilo que eu fazia era perigoso .

Eu não aceitei aquilo e quando cheguei em casa fui direto falar com minha mãe, pois acreditava que aquele sonho não seria nada de mais, então eu disse em voz alta :

" - Mãe, acham que sou louca, vão me tirar o tabuleiro, querem tirar você de mim " .

Foi aí que as respostas vinheram e minha mãe me deu a solução, o suicídio, disse-me que se eu fizesse isso, estariamos juntas para sempre no céu, a princípio eu questionei, mas em seguida aceitei, afinal de contas eu já estava no inferno mesmo, estava sozinha e desamparada, o que poderia ser pior do que isso ?

Após a idéia, eu peguei uma corda e amarrei no teto, subi em uma cadeira e fechei os olhos, logo depois minha amiga que tinha a chave da minha casa entrou, mas quando ela me encontrou meu corpo já balançava sem vida .

Depois que morri, vi meu corpo e minha amiga chorando, enquanto gritava, e aí a minha felicidade rendeu, era minha mãe vindo até mim enquanto sorria, eu então disse :

- Mãe, estou tão feliz por te ver, agora vamos ficar juntas, vamos para o céu ?

Em tom de risada e sarcasmo ela então respondeu :

- Que céu ?

Eu então parei de sorrir e disse :

- O céu mamãe, você me disse que iria me levar com você para o céu, e que iríamos ficar juntas eternamente .

Ela então pegou no meu braço, e o tom angelical havia sumido de seu rosto, enquanto ela abria um enorme sorriso dizendo :

- Sim, vamos ficar juntas eternamente querida, mas será no inferno .

Foi aí que eu percebi, que fiz a escolha errada, aquilo não era a minha mãe .


Notas Finais


Bjuu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...