História Lendo Harry Potter - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Charlus Potter, Dorea Black, Hermione Granger, Tom Riddle Jr.
Exibições 185
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello, como vao?

A fic se passa em 1943, no penúltimo ano de Tom Riddle em Hogwarts. Haverão personagens criados por mim, mas vocês saberão reconhece-los.

Boa leitura

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Lendo Harry Potter - Capítulo 1 - Prólogo

25 de Dezembro de 1943,

Naquele dia, o castelo estava em silencio. Um castelo que antes, vivia movimentado e cheio de jovens animados, agora estava no mais total silencio. Todos os jovens estavam em suas casas, aproveitando o natal, por isso o castelo estava tão silencioso. Dumbledore estava em sua sala, admirando o silencio e imerso em seus próprios pensamentos, tomando um sorvete de limão, conhecido pelos trouxas, quando um barulho fora ouvido, despertando-o de seus devaneios. Não saberia dizer bem, qual barulho era aquele. Somente o que se via, era o vento sobrando a janela e uma luz verde, iluminar todo o local.

Em seguida, viu um envelope rosa em sua mesa. O professor fitou a carta em um misto de medo e curiosidade. Afinal, o que poderia ser aquilo? Poderia ser algum artefato de Artes das Trevas? Afastando tais pensamentos, sua curiosidade o venceu, pegando a carta e começando a lê-la:

"  Dumbledore, sei que deve estar entre surpreso e curioso e que é errado mexer com o tempo, mas no lugar de onde eu vim, a guerra deixou muitas vitimas feridas, outras mortas. Depois de Grindewarld, surgiu um novo lord das trevas, muito mais poderoso, que não teve piedade de ninguém. Hoje, o mundo bruxo ainda sofre as maldades que esse lord já destruído, já fez. Então, eu tive essa ideia... Ninguém que morreu pelas mãos dele mereceu esse destino. Hoje lhe dou a chance de mudar tudo, por favor, não a desperdice, você pode salvar milhões de bruxos. Além do mais, não é você que está mudando o passado, sou eu e eu pagarei por esse preço. Caso aceite, você deverá levar os alunos que citarei até a Sala Precisa, onde farão um voto perpetuo de jamais contar a ninguém o que foi dito na sala. Quem contar não morrerá, mas mais para frente, pagará caro pelo erro. Tais pessoas ficarão presos na Sala Precisa até o final das leituras. Peço que chame Charlus Potter, Dorea Black, Cedrella Black, Septimus Weasley, Freya Parkinson, Eileen Prince, Callidora Black, Hrfang Longbottom, Minerva McGonagall, Hanna Spower e Julius Lupin, agradeço desde já,

Por favor, não chame os demais sonserinos de jeito nenhum, estragaria tudo, não chame Riddle também. Mas peço que o traga de volta ao castelo, nesse verão acontecerá algo terrível e é necessário que ele volte, mas sem suspeitar de nada. Conto com a sua cumplicidade. Devido a algumas duvidas que os alunos forem ter ao ler os livros, meus filhos e sobrinhos surgirão ao longo da leitura, não se assustem.

Obrigada desde já,

Hermione Jean Weasley "

 

Dumbledore leu e releu aquela carta, cada vez mais curioso. Hermione Jean Weasley? Lord das Trevas? Poderia supor que deveria ser uma parente de Septimus Weasley. Interessante " pensou. E o lord das trevas quem poderia ser? Será que no futuro o mundo estava tão perdido assim, para uma Weasley precisar interferir? Mas mesmo assim, era perigoso mexer com o tempo... Sua curiosidade novamente venceu e pensou com bom senso " Se ela está se arriscando, é porque tem motivos... Irei ler esses livros! " pensou decidido e logo conjurou um patrono para avisar aos mencionados na carta.

Aquilo seria divertido " pensou como se já imaginasse tudo que aconteceria dali em diante.

********************************************************************************************************************************************************************************************

Não demorou muito e todos já estavam ali. Alguns, surpresos por terem sido chamados, antes mesmo do retorno das aulas, em pleno natal. Outros curiosos com o que Dumbledore fosse dizer. Até mesmo o diretor Dippet estava curioso, mas Dumbledore havia sido claro, só os mencionados na carta, poderiam entrar na sala. Dippet bufou, mas acabou se conformando. Riddle também fora chamado e se irritou. Afinal, o que de tão importante, aquele velho poderia querer para tira-lo da Mansão Riddle? Seu plano parecia perfeito, seria naquele verão que mataria sua família trouxa, nada daria errado, mas Dumbledore o chamara de volta, antes que ele pudesse concluir seus planos, aquilo o irritara. Riddle se irritara ainda mais, quando Dumbledore disse que ele teria que passar o verão em Hogwarts, devido a uma nova ameaça que surgiu. Que ameaça? Mais um grande feito de Grindeward? " pensou. Admirava Grindeward por tamanha astucia de enfrentar Dumbledore e ser um grande bruxo das trevas.

Por fim, acabara aceitando a decisão de Dumbledore sem teimar, por mais irritado, que estivesse, afinal ele ainda era seu professor e não era boa hora para enfrenta-lo, faria isso quando já fosse o temido, Lord Voldemort.

**************************************************************************************************************************************************************************************************

- Professor, o que estamos fazendo aqui exatamente? - perguntou Hanna Spowers curiosa, fazendo a pergunta que todos queriam ter feito. Os demais alunos conversavam alto, curiosos com aquela situação.

- SILENCIO! - Dumbledore gritou - Pois Srta. Spowers, já vou explicar - disse lançando um olhar serio e todos se calaram - Eu estava calmamente em minha sala, tomando um sorvete de limão, um sorvete trouxa - disse após lhe lançarem um olhar de confusão e sorriu - É muito bom por sinal... Mas voltando, quando eu recebi essa carta e junto a ela, pedia para que eu lesse sete livros do futuro, porque eles poderiam mudar todo o mundo bruxo - disse Dumbledore, começando a ler a carta, surpreendendo a todos. Entao haveria a guerra? Muitos morreriam?

" Interessante, eu tenho uma descendente e vou conhece-la " pensou Septmus animado.

- Isso é uma bobagem! Pra que eu vou querer saber de um livro sobre mais uma Weasley idiota e traidora de sangue - se irritou a sonserina, Freya Parkinson. Não era segredo para ninguém que Freya era uma puro-sangue elitista, que odiava nascidos-trouxas e mestiços. E estar ali para ler qualquer coisa sobre uma Weasley, lhe dava tedio.

- Ninguem se importa com a sua opinião, Parkinson - disse Septmus entredentes, não permitiria que falassem mal de uma descendente sua. A Parkinson apenas lhe mostrou a língua e Charlus fez o mesmo.

- Tão maduros! - disse Minerva lançando-lhes um olhar de reprovação. A garota tinha cabelos grisalhos, presos num coque apertado e olhos verdes, mantinha uma expressão seria e severa, mas também curiosa, como todos ali. Era da Grifinória e devia estar cursando seu ultimo ano em Hogwarts.

- Professor, podemos ler logo? - pediu Dorea Black cada vez mais curiosa. Na verdade, nem sabia o que estava fazendo ali, mas estava extremamente curiosa.

- Claro, mas antes... - disse o professor conjurando os livros e apontando sua varinha para o mesmo - façam uma fila em frente a esses livros e façam um voto perpetuo, prometendo não julgar ninguém e prometendo não contar a ninguém, o que for lido aqui. Não morrerá caso conte, mas pagará caro, em um futuro distante - disse Dumbledore olhando os alunos serio, incluindo Maya Parkinson. Sabia que a aluna tinha uma queda por Tom Riddle e se fosse algo que o comprometesse, lhe contaria tudo.

Assim, todos até mesmo a jovem Parkinson fizeram o voto perpetuo, para que assim a leitura se iniciasse.

- O nome do livro é Harry Potter e a Pedra Filosofal. Quem quer ler? - perguntou Dumbledore.

- Ele é um Potter? - perguntou Dorea curiosa.

- Sim - confirmou Dumbledore.

- Eu quero ler - pediu Charlus Potter, para a surpresa de todos e logo Dumbledore fez um aceno com sua varinha, para o livro ir em direção de Charlus. O mesmo estava sentado a direita de Dorea e a esquerda de Minerva, os três estavam extremamente curiosos. Seria aquela uma historia de um Potter? - Capítulo 1 - O menino que sobreviveu

- Ele sobreviveu a que? - perguntaram Callidora e Harfang juntos e coraram, fazendo Charlus, Septimus, Dorea e Cedrella rirem. Sabiam que os amigos amavam um ao outro, mesmo sem admitir.

- Não sei, vamos ler para descobrir - disse Charlus, logo começando a leitura.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...