História Leo - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Novas Espécies
Personagens Justice, Valiant
Tags Amor Possessivo, Ciumento, Leo, Nova Espécie Leo, Novas Espécies
Visualizações 24
Palavras 1.557
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


boa leitura

Capítulo 5 - V Leo


Ela pareceu estar insegura. Ela franziu o cenho pensando, e ele poderia achar aquilo fofo se não estivesse preocupado
demais.

Será que foram muitos e essa demora toda é porque ela está fazendo um cálculo mental? Será que ela sente falta
deles? foram muitos?Ele grunhiu frustrado depois do que se pensou ser uma eternidade para ele.

— droga, foram tantos assim? – rosnou antes de beija-la com força — eu quero saber os nomes deles e vou fazer você esquece-los. Todos eles.

Ela sorriu levemente.

— você é do tipo ciumento.

— só cuido do que é meu.

— é, você é ciumento. Eu sou um pouco grudenta... Espero que se acostume...

Ele franziu cenho e segurou um grunhido.

— Me. diga. os. nomes. agora.

— Rony, Adyson... Eu acho que só. È, foram só eles.

Leo se aconchegou mais a ela, deixando seu pau roçar a buceta molhada de Yllime. Sua boca desceu na dela e
ronronou. Beija-la, para ele, era uma das sete maravilhas do mundo. Ele conseguia sentir o cheiro de excitação
aumentar, e ele ficou feliz por saber que a excitava tanto quanto ele ficava excitado só por beija-la.

Yllime deslizou as mãos pelos ombros largos e fortes de Leo e segurou os cabelos macios dele. Ele desceu os beijos
para a garganta dela, e mais um pouco até pairas sobre o seio direito dela.

— vou chupar você, Minha linda. – Ele sussurrou roucamente. Ele inalou profundamente, inspirando mais do
seu cheiro antes de abocanhar o seio dela.
Ele ronronou. Leo chupava com força o seio direiro dela e acariciava o esquerdo com firmeza. Yllime tinha os olhos
fechados e suas mãos seguravam firmemente os cabelos deLeo. Ele estava selvagem, louco para monta-la e saciar
ambos. Queria faze-la gozar muitas vezes e mostrar que ele era o único homem capaz de faze-la sentir prazer.
Um grunhido baixo retumbou dele, o que fez ela abrir os olhos e o olha-lo.

— tudo bem? - ela sussurrou a pergunta. Sua voz saiu tremula de desejo.

Leo assentiu a encarando. Parecia que ele estava com raiva. Os lábios perfeitos estavam entreabertos e mostravam suas presas.

— você é tão sexy – Ele lambeu a ponta do seio dela e sugou lentamente.

Ela gemeu baixinho.

— você que é sexy... – ela suspirou.

Leo foi para o outro seio e sua boca quente e úmida sugou com força. Não doeu, mas ela foi pega de surpresa. Ela
sentiu as presas dele sobre seu seio e gemeu novamente.

Ele poderia não ser muito experiente, mas ele sabia agrada-la.

Leo ficou ali por um bom tempo, Um ótimo tempo. Ele passou a distribuir beijos em sua clavícula e foi descendo...
até chegar em sua buceta. Ela olhou para o rosto dele e segurou os cabelos da nuca dele, o puxando pra cima.

— é melhor você parar... – ela murmurou, desejo pingando em cada palavra sussurrada.

— vou te chupar – ele grunhiu tentando abaixar o rosto, mas ela segurou com mais força seu cabelo.

— não...

Ele a ignorou. Ele beijou, lambeu e chupou o feixe de nervos sem pensar duas vezes. Ele foi gentil e lento, mas
sugava com força. Ele começou a ronronar e rosnar, acrescentando vibrações muito deliciosas na mistura. Ela tentou fechar os joelhos, mas Leo segurou as pernas dela as deixando abertas e mais sensíveis ao toque. Ele assistiu ela se contorcer de prazer quando sua boca sugava lentamente seu clitóris.

Yllime estava em um mar de sensações.

Ela olhou para baixou só para encarar Leo que a admirava. Ele passou a
dar varias lambidas repetidas vezes e sorriu quando ela gemeu alto e gozou fortemente em sua boca.

Ele subiu em cima dela e a beijou, sem dar tempo de deixa-la se recuperar. Ele segurou seu pau e guiou ate a entrada encharcada dela. Começou a penetra-la
vagarosamente até estar totalmente entalado dentro dela.

Ele fechou os olhos e respirou várias vezes para se acalmar.

Yllime mordeu os lábios e tentou relaxar. Leo, além de grande, era grosso e isso não era muito agradável para as
virgens. Ela acariciou as costas dele. Ele estava muito tenso.

— você se importa de ficar parado por alguns... Segundos? – ela sussurrou.

Ele abaixou o rosto e a beijou com força.

— como esta se sentindo? - ele murmurou a pergunta.

— um pouco entalada – brincou. Ela chupou o lábio inferior dele e sorriu – você é beeem grande.

Leo a beijou de um jeito esfomeado. A sensação de finalmente senti-la era boa e queria mais e mesmo que tivesse mais se sentiria insaciado. Ele estava respirando com dificuldade, mas ela percebeu que ele não estava com raiva, apesar de parecer.

Ele estava feliz, mas a desconfia estava ali. Depois de tudo, ela seria capaz de deixa-lo? Ele não seria capaz de
deixa-la partir. Nunca. Ele não queria nenhum tipo de separação. Não colocou a camisinha por dois motivos. O primeiro era porque não tinha, O segundo motivo era porque queria senti-la perfeitamente e porque também queria engravida-la. Se ela
tivesse um bebe seu ela nunca teria chances de fugir.

Ele sorriu capturando a boca dela em um beijo selvagem.
Ele segurou a vontade de ir rápido e duro nela, mas se controlou para não machuca-la.

Yllime passou a se mexer em baixo dele e acariciar o corpo de Leo lenta e carinhosamente, tornando difícil para Leo se controlar. Ela abriu mais as perna e riu quando ele ronronou.

— acho que pode se movimentar agora, grandão.

Ele a encarou com um sorriso de predador. Seu sorriso desapareceu quando as mãos dela foram para seu traseiro e apertaram sua bunda, o fazendo entrar mais fundo.

Ele grunhiu alto.

- isso é tão bom... – ele gemeu alto, sem nenhuma vergonha.

Ele apoiou os braços perto do rosto dela e passou a penetra-la lentamente, mas ia o mais fundo que podia. Ele
abaixou o rosto e roçou seus lábios nos dela.

— está bom pra você? – Ele a viu morder os lábios e assentir rapidamente. Ela tentou segurar um gemido, mas foi
impossível quando ele mordeu seu lábio inferior levemente e ronronou baixinho. Ele também gemeu, mas ao contrario
de Yllime, não foi nenhum um pouco baixo. — você é tão
apertada...

Ela se sentia muito bem. Ela sentiu quando ele passou a morder e chupar seu pescoço repetidas vezes, tentando
marca-la. Ele queria deixar bem visível que a noite foi boa, longa e que ela pertencia a ele. Somente a ele.

Ela mordeu o pescoço dele para abafar seus gemidos. Sua vagina ordenhava o pau de Leo enquanto ela encontrava
sua própria libertação.

Ele não conseguia desviar o olhar de seu rosto. Queria gravar aquela imagem pra sempre...

Vou ter que comprar uma câmera para gravar todos os nossos momentos felizes, ele pensou.

Leo continuou se movimento por mais tempo e sentiu quando ela gozou novamente. Ela o apertou tanto que ele chegou a sentir um pouco de dor. Ele se a joelhou e trouxe as pernas dela por cima de sua coxas.

Segurou a cintura dela e a puxou para mais perto, e então começou a penetra-la com um pouco de rapidez e força.
Ele estava tão perto.
Ele a analisou. Ela tinha os olhos
fechados, o rosto totalmente corado, as mãos seguravam os lenções da cama com força e se contorcia de prazer.

Ele quase gozou com essa visão. Quase.

Leo fechou os olhos e grunhiu de prazer. Ela era tão deliciosa. Ele abriu os olhos e viu seu pau entrar e sair
daquele paraíso apertado, úmido e quente. Enterrou-se até
o mais profundo que ele podia ir. Ele se remexeu e dava estocadas curtas e a acariciou com o membro no fundo dela
num ritmo lento. Leo retirou quase todo o pau de dentro dela depois voltou todo o membro para dentro dela e
começou novamente os impulsos de entra-e-sai, agora mais fortes. Leo passou a dar estocadas mais violentas,
duras, enquanto mexia-se dentro dela, perdendo totalmente o controle que tinha.Ele cerrou os dentes quando ele começou a chegar. Yllime
sentiu que iria desmaiar de tanto prazer. Ela o viu se enterrar nela como um louco, totalmente perdido nas sensações em busca da própria liberação. Ela o viu
estremecer e grunhir alto quando o sêmen dele começou a jorrar muito quente dentro dela.

Leo se recusou a parar de entrar nela mais vezes. Ele voltou a se deitar sobre ela e continuou se movimentando, dessa vez bem mais devagar. Ambos não conseguiam parar de gemer.

Yllime segurou o rosto dele e o beijou bem devagar, depois desceu beijos até o pescoço dele onde passou a dar
mordidas e chupadas.

Ele sentiu seu coração apertar e, no segundo seguinte, bater mais rápido.

Ela quer me marcar também, ele pensou sentindo uma mordida seguida de uma chupada.

Minha.

Ela gemeu baixinho quando ele passou um braço por baixo dela, a segurou com força e se virou a deixando por cima.
Tudo isso sem sair de dentro dela. Ele gemeu quando ela ficou por cima dele, dando a visão dos seios avermelhados.
Marcas de chupadas estavam bem visíveis e aquilo o deixou mais excitado.

— você é minha. Minha – ele rosnou ameaçador. Ele segurou os braços dela, que estavam apoiados na sua barriga, e
puxou. Ele a abraçou apertado e começou a se mexer novamente. Ele gemeu e a apertou mais contra si.

Notas Finais


iaê?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...