História Ler dá Nisso - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, V
Tags Bangtan Boys, Bangtan Boys (bts), Bts, Escrever Dá Nisso, Namjin, Vkookmin
Visualizações 11
Palavras 1.708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá!!!
Voltei passado - quase - um mês! ^-^ Demorei... mas apareci!
Boa leitura!

Ah, espero que gostem e não seja uma seca!

Capítulo 2 - Momento vergonhoso


Fanfic / Fanfiction Ler dá Nisso - Capítulo 2 - Momento vergonhoso

 Eu estou abismado com a maneira linda de como Seokjin devora o sorvete de 5 bolas com sabores diferentes. Ele enche a colher de sorvete e leva aquela grande porção até a boca, fazendo-me surpreender, a nunca se queixar da boca ao sentir o frio nos dentes. Eu contento-me com duas bolas de sorvete com os meus dois sabores favoritos enquanto vejo o hyung a saborear o seu como uma criança, ou mesmo, a maneira única de Seokjin Hyung.


 - O que tanto pensas? - perguntou fazendo beicinho e com a colher, com alguns vestígios de sorvete de morango, encostada nos seus lábios rosados.


 Poderia responder logo, certo? Mas preferi levar a minha colher, com uma porção razoável de sorvete até a boca. Fiz uma careta - com o olho esquerdo fechado e a colher na boca - que o fez rir e voltar a passar a colher no sorvete.


 - No livro que li. - respondi e ele riu.


 Eu dava de tudo para responder que era nele em quem eu estava pensando... Especialmente naquele biquinho fofo que sempre faz, naquele seu riso e, para concluir, na sua maneira de comer. Até na sorveteria consegui ver que o hyung é fofo sem querer.


 - Já avisei-te que podes ler o resto.


 - Perderia a graça! - comentei e fiz beicinho.


 Riu e apertou a minha bochecha. Parei de sorrir imediatamente e Seokjin fez o mesmo mas com a minha bochecha.


 - A coleção é pequena!


 - Sério? Ainda não quero ter outro momento péssimo.


 - Posso sempre ler contigo. - sugeriu.


 - Está bem!


 Concordei e vi-o tirar algo do bolso do casaco. Eu já falei que o livro não é grande.


 - Eu sabia! Por isso, peguei emprestado.


 - Não acredito! - disse mais para mim e bufei desinteressado.


 - Lê! - olhei-o torto. - Obedece aos mais velhos! 


 - Aish... - suspirei.


 Ele consegue ser chato quando quer e, pior, quando não quero mesmo fazer o que ele está mandando eu fazer.


 - Agora é só abrir o livro... É para eu ler para mim?


 - Sim! - respondeu simples e continuou a comer o sorvete de morango, chocolate, menta, limão e melancia.


Jungkook iria receber os dois melhores amigos em sua casa à noite, então estava ajudando a sua mãe a arrumar a casa para que os dois garotos se sentissem a vontade. Com isso, o mais novo dos três limpava o seu quarto como a sua mãe o tinha pedido.


 Deitou-se no chão e arrastou as caixas de baixo da cama, colocou-as a sua frente e pôs-se de joelhos. Limpou o pó de cima delas e depois, com a vassoura, o lixo que estava debaixo da cama. Voltou a colocar no lugar de cada uma, as caixas.


 Varreu o resto do quarto, passou o chão com a esfregona - deixando tudo a brilhar -, limpou o resto do pó dos móveis e da mesinha de cabeceira e suspirou cansado.


 Levou os objetos utilizados até a dispensa e voltou ao quarto. Retirou uma das caixas que limpou, de baixo da cama, e abriu, revelando objetos e fotografias de cinco anos atrás até ao momento que o lembravam de momentos infantis com os dois garotinhos mais cúmplices e íntimos da sua vida. Levou-a até a escrivaninha e começou a organizar cada uma num álbum de fotografias.


 Destraia-se facilmente quando ficava rindo-se de um momento muito cómico que passaram por causa de Taehyung ou mesmo por si mesmo. Jimin era o que sentia vergonha alheia mais vezes por causa de Taehyung e Jungkook.


Durante os cinco anos, os três garotos partilharam momentos cheios de segredos tanto como momentos mais embaraçosos. Eles sempre que podiam, conseguiam ficar juntos - com os seus joguinhos, um bocado, mauzinhos. Naquele dia, estava fora de questão algum deles fazer asneiras porque teriam sempre os pais do Jungkook atentos a qualquer coisa que aconteceria.


 Pegou numa foto das últimas férias de verão, onde Jungkook estava no meio dos amigos num momento muito alegre, e colocou-a no chão. Fechou o álbum, colocou-o de volta a caixa e colocou o plástico que antes protegia o álbum no lixo ao lado da escrivaninha. Abaixou-se de novo para esconder  a caixa e pegar na fotografia.


 Na escrivaninha dele tem uma moto muito pequena, com uma mola fina presa ao centro e para cima que na mola, na ponta de cima, tem um género de mola de prender a roupa de metal, também em pequeno. Colocou a fotografia aí.


 "Jungkook, filho!" a mãe da criança de 11 anos o chamou.


 Desceu correndo as escadas que deram a sala.


 A sua mãe já tinha novas roupas vestidas e a casa estava toda arrumada e bem apresentável. O pai do Jungkook abriu a porta, trancando-a de novo quando entrou e pousou a pasta do trabalho no braço do sofá.


"Olá querido!" a mulher cumprimentou o marido que lançou um sorriso de volta. "Então filho,..." voltou a sua atenção para o pequeno. "Os seus amigos devem estar chegando, são quase..." olhou o relógio de pulso. "18h:30m."


 "Sim, omma!" concordou. "Podemos pedir pizza?"


 "Acho que sim!" respondeu com um sorriso para o filho que fez o mesmo. Alguém tocou a campainha. "Vai atender por mim, mas não se esqueça do que tem que fazer antes de abrir a porta."


 Jungkook assentiu com a cabeça enquanto sua mãe ligava para alguma pizzaria.


 "Quem é?"


 "O ladrão!" começou a rir, pela voz era Taehyung.


 "Então não pode entrar!" entrou na brincadeira.


 "Mas aqui fora está alguém que quer entrar e não é nenhum ladrão!" disse Jimin, do outro lado, provavelmente, com um bico fofo. Jungkook riu mais uma vez.


 Abriu a porta. "Bem-vindos!"


 "Olá!" ignoraram Jungkook e cumprimentaram o pai do mesmo.


 "Olá crianças!" cumprimentou-os de volta. "Podem fazer qualquer coisa, eu posso ir para o escritório." levantou-se.


 "Sim, appa!"


"Então, o que fazemos?" perguntou Jimin, tirou a mochila das costas e encostou-a no sofá.


 "Alguma competição!" Jungkook sugeriu.


 "Sim, sim, aquele jogo que não terminámos no outro dia!" concordou Taehyung empolgado.


 "Podemos começar de novo?" perguntou Jimin e Jungkook concordou.


 Ligaram a PlayStation e começaram o jogo. Algum tempo depois, quando Taehyung jogava contra Jungkook, a mãe do segundo referido abriu a porta, pagou e levou as caixas com as pizzas até a mesinha de centro. Taehyung, largou o controlo e pegou num guardanapo para pegar na pizza e saboreá-la como deve ser.


 Todo o mundo de casa conversou e comeu muito bem.


 O tempo foi passando aos poucos, os três garotos correram até ao quarto do Jungkook com direitos a risos, tiraram os pijamas das mochilas enquanto o dono do quarto tirou de uma gaveta e vestiram-nos. Sentindo-se mais confortáveis, sentaram-se na cama - em rodinha - e começaram a bater no colchão como se este fosse um tambor.


 "O que fazemos agora?" perguntou Jimin aos dois amigos.


"Histórias?" sugeriu o mais novo.


 "Só se for de terror!" falou Taehyung.


 "Tu achas? Claro que não!" discordou Jimin.


 "Podemos sempre falar de episódios divertidos ou envergonhosos que aconteceram connosco." disse Jungkook.


 Taehyung arregalou os olhos. "Sim, sim! Mas pode ser também algum episódio que envolva outras pessoas como protagonistas?"


 "Acho que sim! Desde que seja divertido e todos nós concordarmos, não há problema!" falou Jungkook. "Confirmas Jimin?"


 "Eu concordo com vocês!"


 "Ok! Borá começar!" disse Taehyung, aparentemente, empolgado.


 "Ei, ei!" fez-se um minuto de silêncio. "Quem vai começar?" perguntou o mais novo. 


 "Deixa o Tae ser feliz sendo o primeiro a começar." disse Jimin e Jungkook assentiu.


 "Num dia eu passei pela marginal da praia sozinho e um garoto de uns 19 anos, aparentemente qualquer, que eu não fazia ideia da sua existência até ao momento, estava a dormir no muro que divide o passeio e a praia. Aproximei-me do cara e reparei que ele usava a t-shirt dele na cara. Respondendo a vossa expressão facial, ele estava de tronco nu."


"Mas nós nem sequer pensámos em nada e nem reagimos a isso!" reclamou Jimin.


 "Não quero saber!" mostrou a língua e o mais baixo sentiu-se indignado. "Continuando... o garoto nunca mais reparava na minha presença e eu gosto de ser notado."


 "Que novidade..." desta vez foi Jungkook.


 "Shiu!!!" reclamou. "Eu toquei em alguns dos poucos gominhos que ele tinha e tem! Enquanto eu tocava, as pessoas olhavam para mim de forma estranha, algo que já acho irrelevante para a minha vida. Ele tirou a t-shirt da cara e apanhou um susto. Eu só sabia estar cada vez mais vermelho com a mão no rosto. Ele sentou-se para depois agarrar-me pela camisola, mas eu fugi e tranquei-me no quarto."


 "Sim, só isso?" perguntou Jimin. 


 "Ainda não acabei!" fez uma pausa. "Depois, um pouco mais tarde, às 18 horas a minha mãe mandou-me ir ao mercadinho comprar uma coisa que ela tinha-se esquecido quando foi fazer compras."


 "Sim, e como as histórias normais, encontraste-o lá!" interrompeu Jungkook.


 "Não! Simplesmente, quando cheguei a casa ele estava a nora com às chaves para abrir a porta de casa. Ele era o meu novo vizinho! Então, fui a correr abrir a porta da minha e, como a vida não é um mar de rosas, ele reconheceu-me e chama-me de Atrevido até hoje!"


"Era porque merecias e mereces, na verdade!" disse Jimin.


 "Haha, que engraçadinho... Ninguém merece ter um vizinho como o Yoongi!" 


 "No teu caso, sim!" disse Jungkook.


 Jimin virou-se para o mais novo e chocaram as mãos, rindo logo de seguida.


 "Riem-se, riem-se da minha desgraça!" falou Taehyung, cruzou os braços.


 Alguém bateu na porta do quarto e abriu-a quando os risos acabaram. "Hora de dormir, já são 23h:30m! Amanhã, brincam mais."


 "Está bem, omma!"


 "Boa noite!" sorriu para eles e fechou a porta.


 "É melhor obdecermos a senhora Jeon." disse Jimin saindo da cama do Jungkook para deitar-se no grande colchão que estava no chão do quarto.


 "Ok" os mais novos concordaram e deitaram-se, só que, Taehyung deitou-se no mesmo colchão que Jimin.


 - Outra vez, continuação! - reclamei. - Este foi... Como ei de dizer? Peculiar?


 - Fofinho? Não foi?


 - Não!


 - Trengo!


 - Ei! - fiz biquinho. - Que mauzinho!


 - Eu sei! - mostrou a língua. - Mas não penses que estás safo, eu vou obrigar-te até ao fim.


 - É o que vamos ver! - provoquei.


Notas Finais


Hihihi...
Espero que gostaram e, pelo menos, espero que não se cansaram de mim!
...tchau! ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...