História Lésbica e apaixonada - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lésbica
Exibições 60
Palavras 1.410
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - SE ASSUMIR


Lógico que aceito meu amor- falou me dando um abraço seguido de um selinho demorado.

 [...] 

 P.O.V FRIDA 

 Meu relacionamento com Eloá ia muito bem, estávamos namorando a alguns meses nos amávamos muito, as vezes tinha brigas e muito ciúmes envolvido, mas bem, é normal, eu estava amando tudo aquilo. 

 -Quando vou conhecer meus sogros? Toda vez que pergunto isso você muda de assunto, está me escondendo alguma coisa dona Frida?

 -Logico que não, só não quero falar dos meus pais agora.

 fico pensando no meu pai, ele sempre foi um cara muito duro, frio, agressivo e extremamente machista, tenho muito medo disso de ter que contar pra eles, sinto meio que uma obrigação pois eu moro de baixo do teto deles, sou filha deles, mas bem, sou quase maior de idade, se ele aceitar seria ótimo, mas se não aceitar? O que eu vou fazer? Eu amo Eloá mais que minha própria vida. Conhecendo meu pai, eu sei que ele não vai aceitar, mais e minha mãe? Ela faz tudo que meu pai manda, (as vezes o amor à uma pessoa vai longe demais.) 

 -Tudo bem princesa não precisamos falar sobre isso agora. É um sábado lindo! que tal você ir na minha casa para assistimos um filme? - perguntou com um olhar malicioso. 

 Apenas assenti segurando sua mão seguindo a sua casa.

 [...]

 - Que filme você quer assistir? - perguntou se acomodando ao meu lado no gigantesco sofá de sua casa.

 - Não sei, o que você quer ver?- perguntei deitando em seu peito.

 - Quero ver minha boca na sua- Falou com um olhar malicioso olhando no fundo dos meus olhos.

 Sorri e beijei sua nuca -Então não passe vontade - Sussurei em seu ouvido. C

omeçamos a nós beijar selvagemente e quando nos tocamos já estávamos no quarto de Eloá, na cama por cima de mim pra ser mais exata e eu ofegante. 

 P.O.V ELOÁ 

 Frida já estava ofegante por causa dos beijos então joguei-à na cama sem muito carinho começando à beija-la selvagemente, eu já estava totalmente louca com aquela situação, Frida tem um beijo tão viciante e intenso. 

 Me ajeitei por cima de seu corpo descendo meus beijos até seu pescoço enquanto uma de minhas mãos ia de encontro a sua cintura apertando com força, fazendo Frida soltar um gemido baixo e pouco rouca me fazendo molhar a calcinha por completo, Prontamente tirei sua camiseta tendo visão de um lindo sutiã vermelho muito tentador. 

 - É lindo, mais prefiro sem ele- sussurei em seu ouvido fazendo-à arrepiar cravando suas unhas em minhas costas.

 Retirei seu sutiã sem muito esforço e tendo visão daqueles seios medianos maravilhosos, apertei os dois com intensidade e força em movimentos circulares a fazendo arfar, Desci minha boca até o esquerdo sem deixar de massagear o direito logo repetindo o procedimento com o mesmo, movimentos circulares, sugadas e mordidas de leves. Desci meus beijos até sua barriga e logo cheguei em sua calça, a retirando e tendo também Frida retirando minha camiseta e sutiã, nos fazendo trocar de posição a fazendo ficar por cima "Não sabia esse lado Ativo de Frida, Tô adorando". 

Logo ela começou a depositar beijos e mordidas que provavelmente vão ficar marcado por todo me corpo, depois devorando meus seios me fazendo gemer muito alto. Frida desceu com seus beijos e mordidas até minha barriga até retirar meu short com um pouco de dificuldade e beijar meu sexo por cima de minha calcinha

 -Aaawn.... Frida..nã..o..me.e... provoca.. aa- falava em meio a gemidos e suspiros.

 Até Frida olhar pra mim e sorrir maliciosa me fazendo molhar mais, retirou minha calcinha e caiu de boca e meu sexo não demorou muito e já estava totalmente suada e havia chegado ao meu ápice. 

Trocamos de posição novamente me fazendo ficar por cima. 

 - Eu que mando agora. 

 -Sim senhora- falou mordendo seu lábio inferior. 

 Comecei à beijar seu pescoço enquanto à masturbava por cima da calcinha, logo retirei a pequena peça de teu corpo penetrando dois de meus dedos em sua entrada comecei a dar estocadas leves e devagar que logo foram alimentando de ritmo não demorou muito pra mim ouvir

 - Aa..aaah.. amor. Eu....vou... 

 antes que ela pudesse terminar eu retirei meus dedoss de seu sexo a fazendo me olhar com cara de ódio. E então logo cai de boca em seu sexo, eu queria que ela gozasse em minha boca, eu queria sentir o gosto dela, queria prova-lá. Logo seu ápice chegou me fazendo sentir aquele gosto maravilhoso em minha boca, que fiz questão de engolir tudo. 

 P.O.V FRIDA

 [...] 

 Cheguei em casa totalmente exausta Eloá havia tirado todas minha energias. Subi para meu quarto tomei um banho demorado para lavar o cabelo e vesti um pijama bem confortável. Estava um pouco cedo ainda então resolvi esperar meu pai junto com minha mãe para jantarmos todos juntos. Assim que meu pai chegou e tomou banho logo nos sentamos a mesa onde minha mãe serviu a janta. Jantar com eles sempre era uma atividade calma e tranquila conversamos de assuntos monótonos a assuntos de total interesse. Meu pai adorava falar sobre seu trabalho e como era um cara de sorte de ter o carro do ano, uma filha que não te dá trabalho e minha mãe que fazia tudo certo para ele. 

 - Alguma novidade Frida? - meu pai me perguntou enquando se servia com um suco de laranja que minha mãe havia feito. 

 - Acho que não..... Espera sim!- falei dando uma garfada em meu bife- Por onde começo? Bem, Eu tirei nota baixa em geografia mais tirei dez em matemática e tô namorando. 

 - Você sabe que se não melhorar essa nota baixa ae, nada de carro em aniversário de 18- Meu pai disse e eu assenti. 

 - Ainda falta muito dá pra recuperar pai.  

- Espero que sim. Sorri fraco fazendo o assunto sobre minhas notas morrer. 

 - Mas namorando? Quem é o garoto de sorte? - meu pai perguntou e vi seus olhos brilharem. 

 - Júnior não é? - Agora foi vez de minha mãe perguntar me fazendo negar com a cabeça.

 Pude perceber o olhar confuso de minha mãe e a curiosidade no olhar de meu pai.

 -Bem, não é um garoto- vi os dois arregalar os olhos- É Uma garota linda e o nome dela é Eloá, ela tem 18 anos e estamos namorando.

 -VOCÊ E ESSA GAROTA O QUE FRIDA?- meu pai praticamente gritou me deixando assustada.

 -Estamos namorando. - Pode parar de brincar eu não estou gostando dessa brincadeira, você sabe muito bem que não gosto desse tipo de aberração- Falou ficando todo vermelho fechando a mão querendo socar alguma coisa.

 - Eu não estou brincando, eu não brincaria com coisa séria, e não somos aberração.

 - O que essa garota fez com você Frida? 

Vi minha mãe olhar pra mim com cara de choro pois ela sabia que o pior estava por vir. 

 - Olha eu amo ela e é isso. 

 - NÃO FRIDA, NÃO, VOCÊ NÃO AMA UMA GAROTA, EU NÃO TE CRIEI PRA GOSTAR DE GAROTAS. QUANDO ISSO PASSAR VOCÊ ESTARÁ MUITO ENCHENCADA. 

- falou quase gritando se levantando e apontando o dedo em minha cara

 - Isso o que? Vai dizer que é uma fase?

 - É Uma fase. - Não é uma fase, eu amo Eloá e estamos namorando a alguns meses você aceitando ou não e pai.....

Antes que eu pudesse terminar de falar senti a mão pesada de meu pai sobre meu rosto com força. 

 - NÃO É UMA FASE! NÃO É UMA FASE... ESCUTA AQUI GAROTA EU NÃO CRIEI FILHA MINHA PRA SER LÉSBICA E VAGABUNDA ESTA OUVINDO? VOCÊ NÃO VAI VER ESSA GAROTA NUNCA MAIS, VOCÊ PRATICAMENTE MORREU PRA MIM, ONDE JÁ SE VIU MINHA FILHA LÉSBICA, É O QUE FRIDA FALTA DE ROLA? 

 - Não fala assim com ela- ouvi minha mãe se pronunciar cortando meu pai. 

 -Pai, eu não vou mudar pelo seu preconceito estúpido. 

 - VAI CONTINUAR NESSA, ENQUANTO VOCÊ NÃO VIRAR GENTE NEM PRECISA ME CHAMAR DE PAI- Falou num tom mais calmo mais ainda gritando.

 Eu ainda estava chorando muito sentada no chão por causa do tapa que havia levado, eu estava sentindo meu rosto arder de uma maneira inexplicável. Subi para meu quarto, fechando a porta com muita força, como ele pode ser tão babaca? Tentei pegar meu celular pra ligar pra Eloá mais não consegui então apenas cai no chão e comecei a chorar desesperada.   


Notas Finais


Tenso


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...