História Let It Go - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~bizzlle

Postado
Categorias Cailin Russo, Chaz Somers, Dylan O'Brien, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Cailin Russo, Justin Bieber
Tags Amor, Cailin, Criminal, Drama, Family, Fan, Fanfic, Fanfiction, Fic, Justin, Let It Go
Exibições 8
Palavras 922
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Policial, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Essa fanfic é totalmente de nossa autoria, Ana Paula e Ana Carolina.
Esperamos mesmo que gostem, comentem, não se esqueçam de adicionar aos favoritos. Só quem escreve sabe como é projetar uma história toooooda, ler, adicionar, corrigir, ler de volta, corrigir, adicionar mais coisas e pensar nos próximos capítulos, então, esperamos do fundo do nosso coração que comentem sempre, vejam, e óbvio, gostem de nossa fanfic.
Nossas contas no twitter estão na capa da nossa história, beijos ♡
Ana e Ana

Capítulo 1 - Flashback


Fanfic / Fanfiction Let It Go - Capítulo 1 - Flashback


                      "As vezes a vida nos pega de surpresa, nos fazendo rever cada momento da nossa vida como se aquilo se repetisse toda hora."

Flashback *ON*

            Justin Bieber's P.O.V

   -Justin, meu filho, você precisa ficar! Não posso... – meu pai falava com voz de choro – filho, eu não posso mais cuidar de você. Me desculpe.
                 Hoje eu completo 12 anos de idade e ele disse que eu teria uma surpresa.

 ‘’Você vai gostar, Justin’’ ele disse no carro, eu estava tão animado, eu pensei que iria viajar com ele, pois papai haveria mandado a Dona Lucy arrumar as minhas malas.

- Mas eu não quero ficar aqui, papai. – eu chorava.

- Vai ser melhor para você, eu prometo - disse.

Ele começou a assinar algumas folhas, eu não fazia ideia do que seria aquilo, quando terminou bateu em meu ombro e se foi... Meu pai estava me abandonando, nem sequer olhou para trás, eu estava num orfanato, em um lugar horrível, cheio de mulheres velhas vestidas das cabeças aos pés com roupas de... pinguim?! Com um livro em baixo dos braços, estranho. Eu não faço ideia do por que meu pai me deixou aqui nesse lugar, só sei que nunca irei perdoar ele. Jamais.

Uma senhora que aparentava ter uns 50 anos me mandou um sorriso confortador e me chamou para ir com ela. Eu limpei minhas lágrimas, fiquei com vergonha que alguém me visse chorar, fui seguindo ela pelos corredores brancos, com uma iluminação que me deu arrepios.

Abriu a porta de um quarto no fim do corredor e me colocou lá. Haviam 6 camas, apenas 3 estavam ocupadas, agora, 4, comigo.
‘’Eram os meninos da recepção a minutos atrás..’’ pensei, até que meus pensamentos foram interrompidos por alguns gritos de uma menina, vindo do corredor, parecia que chorava, ‘’..NÃO MAMÃE, POR FAVOR!!..’’ , levei um susto, eu quis sair do quarto, mas estava com medo, queria ver o que acontecia. Até que a porta do quarto se abriu bruscamente batendo na minha testa, caí no chão de costas e vi de reflexo uma menininha loira sendo jogada pra dentro do quarto. Era minha ultima lembrança. 

Acordei em cima da ‘’minha cama’’ que mais parecia uma maca de hospital, com uma dor de cabeça horrível. Me vi em um ‘’pequeno’’ (grande) desespero. Eu quero ir embora disso aqui, não sei o que estou fazendo aqui, não sei por que meu pai me deixou aqui, ele nem sequer olhou para trás. Aquilo se repetia na minha cabeça. 

Flashback *OFF*
                                                         Dias atuais.

Isso tudo me corrói de uma maneira absurda, eu odeio isso, odeio ficar sem respostas. Não me enturmei com ninguém aqui desde que eu entrei, só me dou bem com Ryan, um menino que entrou aqui 2 anos depois que eu, parece que ele sempre quis me contar algo, mas nunca conseguiu... Eu tenho 17 anos e estou preso em um orfanato, obedecendo ordens, quando eu deveria estar em algum lugar do mundo apenas aproveitando a minha vida. Eu fui largado aqui tão cedo que nem tive tempo de conhecer o mundo lá fora, minha infância foi morta, minha vida me disse adeus quando pisei meus pés nesse inferno... ‘’Você vai gostar, Justin.’’, lembrei. Chutei a mesinha do lado da minha cama de ódio. Por que diabos ele me deixou nessa merda, por que minha mãe nunca se presenciou na minha vida? 
Lembro até hoje do dia que me senti livre pela primeira vez desde que entrei aqui, eu tentei fugir, eu tinha 15 anos...

Flashback *ON*

"É AGORA PORRA, É AGORA!!! EU VOU ME LIVRAR DESSE LUGAR!’’ pensei, e ri alto comigo mesmo. Estava quase de manhã, hora perfeita para fugir... 4 horas da manhã. Lá estava eu, de madrugada, em cima do muro posterior do lado de dentro, prestes a  fugir, respirando o ar puro, observando as pessoas de fora, entre arames e cercas conseguia vê-los, me pareciam felizes, estavam fumando, bebendo, rindo, conversando, vivendo, algo que nunca mais fiz... viver. ‘’Eu quero isso pra mim...’’ sussurrei para o vento ‘’Não quero esperar mais 3 longos anos para me livrar disso...’’ , eu estava pensando, sobre o que eu iria fazer quando me livrasse daquele lugar. Até que meus pensamentos foram interrompidos , fui puxado brutalmente pelos pés, dando de cara no chão, CARALHO, a dor que senti era muito forte, minha testa parecia que ia rasgar a qualquer momento, nem tempo de gritar eu tive, olhei de relance para trás, Freira Abigail, tinha que ser.

- NÃO TENTE FUGIR! – ela riu, sua risada me assustava, parecia uma sociopata – Você nunca irá conseguir... – mudou seu tom de voz, em seu rosto empalecido e velho tinha um sorriso horripilante.

- O que você quer comigo? Sua velha suja?! – quis gritar, mas não consegui, essas foram as poucas palavras que saíram de minha boca antes dela me arrastar, como um animal, para um canto e começar a me bater. Eu me debatia, tentava revidar, gritar, tudo em vão, eu queria me livrar dela, queria sair de lá, mas... aquela freira era definitivamente o demônio, ela não me deixava tocar nela, se eu pudesse... Ela já poderia se considerar morta pelas minhas mãos, á sangue frio. Foram tantas noites apanhando dela, enquanto sua risada psicopata tomava conta de meus ouvidos, a dor me preenchia, e a cada chicotada, tapa, socos, arranhões dela o ódio crescia dentro de mim. A cada toque dela em mim era como se pisassem em meus pulmões e a dor me consumisse, dor, raiva e sentimento de vingança.

Flashback *OFF*
 


Notas Finais


Eu (Ana Carolina) estou repostando a história, nós postamos pela primeira vez em 2014 e bom, a gente muda com o tempo, né. Perdi o contato com a Ana e procurei por ela, enfim, corrigi a fanfic e espero que gostem. Vou repostar o segundo capítulo que já estava postado mas excluí para correção.
Não esqueçam de comentar ♡
meu twitter: himproblems


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...