História Let it Happen - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Narusasu
Exibições 77
Palavras 2.381
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


hi there ^^

bem, essa é a primeira fic narusasu que eu tô postando aqui, então tá tudo muito fofinho - pq eu gosto de enredo fofo - mas não tá a ponto de ser meloso :)
e assim, eu sei que Sasuke e Itachi não têm uma irmã, mas gosto de inventar personagens

mas eu espero mesmo que vocês gostem dessa fic ^^

boa leitura <3

Capítulo 1 - One


Sasuke estava em casa, deitado em sua cama, e pegou uma bola de tênis que estava em cima da cômoda. Ele suspirou, jogou a bola na parede e riu quando escutou seu irmão reclamando. Ele continuou jogando a bola na parede e olhou pro celular que começou a vibrar em cima do travesseiro.

- Droga... – Sasuke pegou o celular, revirou os olhos depois de ver o nome no visor e disse assim que atendeu a ligação – O que você quer, Suigetsu?
- Nossa... Quanto carinho, hein? Quero saber como você está.
- Entediado.
- Ah, eu tô bem e...
- Engraçado que eu não perguntei nada sobre como você está.
- Poxa, Sasuke, até quando você vai agir dessa maneira? Eu queria sair contigo hoje pra gente conversar.

Sasuke suspirou e respondeu:

- Por que você não entende o propósito de me dar um espaço?
- Você não acha que isso já passou dos limites?
- Não, pois eu estou me sentindo muito bem sem você me importunando o dia inteiro. E também, mesmo que eu quisesse sair contigo, eu não iria.
- Posso saber por quê?
- Não. E agora eu vou desligar.

Sasuke sequer esperou Suigetsu falar alguma coisa e desligou o telefone. Ele continuou jogando a bola na parede e escutou Itachi gritando:

- Se você não parar com isso, essa bola vai descer pela tua goela!

Sasuke riu e colocou a bola dentro da gaveta. E depois de desligar o celular, ele o colocou sob o travesseiro e pegou o novo que havia comprado alguns dias antes. Então, depois de trocar de roupa, Sasuke saiu do quarto e viu sua irmã mais nova prestes a cortar o cabelo de seu pai.

- Sayuri...

Sayuri, cinco anos e a caçula dos Uchiha, tentou esconder a tesoura. Porém, Sasuke a pegou e balançou a cabeça enquanto guardava aquele "perigoso" objeto de plástico.

- Ah, Sasuke! Por que você nunca deixa eu brincar?
- Porque você queria cortar o cabelo do pai. Já imaginou o que ele iria fazer se visse um buraco no meio da cabeça dele?
- Hum... Papai ia gostar.

Sasuke arqueou uma sobrancelha e Sayuri riu quando sentou no chão no mesmo momento em que seu pai acordou. Fugaku olhou pro seu filho e, ainda sonolento, perguntou:

- O que está acontecendo aqui?
- Nada... Só Sayuri que queria cortar seu cabelo, mas eu não deixei.

Fugaku olhou pra Sayuri e a menina rapidamente ficou de pé e disse:

- Eu juro que não ia cortar o seu cabelo, papai. Sasuke acha que eu ia, mas eu não ia.

Sayuri piscou de maneira fofa e Fugaku não resistiu. Ele abraçou sua filha e disse:

- Sei que você é um anjinho, querida. Você nem alcança a tesoura.

Sayuri assentiu e olhou pra Sasuke, que balançou a cabeça e disse:

- Bem, eu tô saindo. Vou me encontrar com Ino e Hinata e não sei a que horas volto.
- Sasuke, por favor, não chegue muito tarde. Sua mãe disse que você está passando por certos problemas e acho que você deve tomar cuidado.
- Tudo bem, coroa. Eu vou chegar antes de onze horas. Mas se eu demorar, é porque fui pra casa de Ino e dormi lá.
- Bem, você tem vinte anos e sabe o que faz. Mas na sua casa tem telefone e seus pais também, então já sabe.

Sasuke assentiu e bagunçou o cabelo de Sayuri, fazendo a garota rir. Ele saiu de casa, entrou no carro e dirigiu rumo ao bar onde suas amigas estavam lhe esperando. Sasuke ligou o rádio e volta e meia observava se estava sendo seguido – depois de ter pedido um tempo, o Uchiha percebeu que Suigetsu estava mais insistente do que nunca.

Não que Suigetsu tenha sido violento, mas Sasuke achou melhor prevenir do que remediar.

Então, quando chegou ao bar, Sasuke estacionou o carro e entrou no estabelecimento. Ele procurou suas amigas e viu Hinata acenando enquanto bebia alguma coisa que o moreno julgou ser Martini seco.

- Ei Sasuke! – Hinata disse e sorriu quando Sasuke acenou e sentou – Pensei que você não fosse vir.
- Do jeito que Sasuke é, eu aposto que ele não iria vir.
- Pra ser sincero, eu não queria vir. Já havia tomado banho, mas eu estava deitado na minha cama prestes a morrer de tédio.
- E então Suigetsu ligou e você achou melhor vir pra cá. – Ino disse e Sasuke assentiu – Você precisa de uma bebida. Que tal um Cosmopolitan?
- Com certeza.
- Tudo bem. – Ino chamou o garçom e pediu uma bebida. Depois, ela olhou pra Sasuke e perguntou – Como tem sido os últimos dias?
- Normais. Todos eles, já que decidi que essa situação não pode me parar. Eu tenho uma vida e não vou deixar de vive-la porque um ex-namorado não sabe ouvir "não".  – Sasuke pegou seu Cosmopolitan e agradeceu. Ele bebeu um gole e sorriu – Adoro Cosmopolitan.
- Como se eu não soubesse disso. – eles riram – E como está em casa?
- Bem. Itachi está naquela neura de sempre, meus pais trabalham a todo o vapor e Sayuri quase deixou meu pai careca usando uma tesoura de plástico.
- É o que? – Hinata riu – Sayuri-chan é a melhor criança que eu já vi.
- É, mas você não vai ve-la por muito tempo se minha mãe sonhar que ela está brincando com o material escolar. Se bem que Sayuri é a princesinha da casa, então minha mãe vai deixar passar.
- Com certeza. – Ino disse e sorriu amplamente quando levantou o braço e acenou freneticamente. Hinata também acenou e Sasuke deu de ombros, já que não sabia quem suas amigas viram. Então, Ino ficou de pé e abraçou o homem que se aproximou sorrindo – Caramba, eu jamais pensei que fosse ver você agora.
- É que a viagem pra França foi tão rápida quanto eu esperava.
- Ah... Ricos têm uma vida tão chata, né? – eles riram e a loira prosseguiu – Bem, você se lembra de Hinata, não é? Ela praticamente vive lá em casa.
- Claro que eu me lembro dela. Como posso me esquecer de quando nos vimos pela primeira vez?

Hinata corou e disse:

- Cancele aquele dia de sua mente. Foi muito vergonhoso.

Naruto riu e Ino disse:

- Esse que tá enchendo a cara é Sasuke.

Sasuke levantou a cabeça e olhou pra Naruto, que sorriu e fez um breve aceno de cabeça. O moreno se limitou a dizer "oi", pois ele não conseguiu dizer mais nada enquanto olhava para o loiro que estava parado ao seu lado.

- Oi Sasuke.
- Então, depois de devidamente apresentados, o que você acha de sentar com a gente?
- Se eu não estiver incomodando...
- Você não está. – Hinata disse e sorriu quando Naruto sentou ao seu lado. Então, o loiro olhou pra Sasuke e disse:
- Se minha memória não falha, eu me lembro de você.
- Eu?
- Claro. – Naruto sorriu – Era uma quinta–feira, três da manhã, e você foi ao meu apartamento pra saber se eu tinha fita métrica.
- Oh! – Sasuke riu – É verdade. Eu estava muito bêbado naquele dia. – e depois olhou pra Ino -- Foi aquele dia que eu perdi minha fita e a gente precisava tirar as medidas de Hinata.
- Tem uma senhora costureira no prédio e você foi à casa de Naruto?
– Claro. Ele mora no apartamento da frente. – Sasuke olhou pra Naruto e sorriu antes de beber um gole de sua bebida. O loiro sorriu também e disse:
- Espero que você perca a fita métrica mais vezes. Afinal, eu gosto de ajudar.

Hinata e Ino olharam uma pra outra e perceberam que estavam como duas belas velas ali. Naquela altura, Sasuke realmente não tinha intenção de flertar com ninguém, mas Naruto parecia tão atraente que ele começou a reavaliar seu novo jeito de pensar.

- Enfim... – Hinata pigarreou – O que vamos fazer em relação ao nosso modelo?
- Não sei. Sai disse que não tem motivação maior pra ajudar a gente e o seu casinho não deu o telefone pra entrar em contato.
- Neji trabalha, okay? Pode não parecer, mas ele trabalha muito.

Ino riu sarcasticamente e Naruto disse:

- Talvez eu possa ser modelo de vocês. Não tenho nada pra fazer de qualquer forma.
- Mas a gente não pode te pagar por enquanto.
- Não é preciso, Ino. Eu posso ajudar vocês porque tenho muito tempo livre. E quando digo muito, é muito mesmo.
- Bem, então você pode nos encontrar depois de amanhã. Temos que comprar muito tecido, linhas e cartolina para o molde amanhã.
- Só não me ofereço para levar vocês porque minha mãe me ligou e disse que quer me ver.

Ino e Hinata assentiram enquanto Sasuke apenas escutava tudo. Ele não se preocupava com essa questão sobre o modelo, pois precisava apenas de alguém que pudesse caber na roupa que eles iriam confeccionar para colocar na exposição na loja de sua mãe. Então, depois de pedir mais bebidas, eles conversaram sobre outras coisas e riram muito de Naruto que contava sobre sua última viagem para a Austrália.

Ino e Hinata ficaram felizes porque Sasuke deixou de lado toda aquela situação com Suigetsu e se divertiu enquanto conversava com os três. Bem, elas sabiam que ele só precisava de um tempo longe de tudo.

E com o passar da noite, Hinata recebeu mensagens de Neji e se despediu de seus amigos. Ino também queria ir embora, já que ela havia trabalhado praticamente o dia inteiro, e Naruto ofereceu carona.

- Bem, eu acho que vou pedir um táxi. – Sasuke disse quando pegou sua carteira, mas Naruto o parou e disse:
- Não se preocupe. Posso levar você pra casa.
- Sasu, por favor, dorme lá em casa hoje. – Ino pediu – Temos que sair cedo amanhã.

Sasuke suspirou, mas assentiu e saiu do bar depois que pagaram a conta. Ele e Ino foram pro carro de Naruto e a loira deitou no banco de trás enquanto o moreno sentou no banco do carona e colocou o cinto. O loiro entrou, colocou o cinto e dirigiu rumo ao prédio onde ele e Ino moram – e aproveitando que sua vizinha estava literalmente desmaiada no banco de trás, Naruto pigarreou e disse:

- Infelizmente a gente não teve oportunidade de conversar muito.
- E por que você queria conversar muito? – Sasuke perguntou num tom de brincadeira e Naruto riu – Hum... Pelo menos eu ainda sei fazer um homem rir.
- Você parece uma pessoa bem interessante,  sabia?
- Se você está dizendo, eu acredito. Não são muitas as pessoas que conversam comigo como eu gostaria que elas fizessem. Afinal, eu sou bem legal.

Naruto não sabia se Sasuke estava brincando ou sendo convencido demais, então sorriu e continuou a conversa:

- Então você faz faculdade de moda... Posso saber por quê?
- Você conhece Uchiha Fugaku? – Naruto assentiu – E Uchiha Mikoto? – o loiro assentiu de novo – Então, eles são meus pais e trabalham na indústria da moda. Meu pai é dono de uma agência de modelos e minha mãe é uma das estilistas mais famosas do mundo.
- O que faz de você...?
- Segundo na linha de sucessão ao trono se meu irmão mais velho abdicar do poder. – Sasuke sorriu quando Naruto riu – Itachi nunca na vida vai abdicar, então eu tenho que esperar ele morrer.
- Caramba... Você tá falando sério?
- O que? Não. – o moreno riu – É que a gente sempre brinca dessa maneira.
- E como seria essa linha de sucessão?
- Hum... Itachi é o mais velho, 27 anos, eu sou o do meio, 20 anos, e vem a princesa Sayuri que tem 5 anos. Meu pai tem 50 anos e minha mãe tem 45. Somos o clã Uchiha.
- Interessante. Eu não tenho irmãos, então posso dizer que estou feliz por isso.
- E quantos anos você tem?
- Vinte e cinco. – Naruto respondeu um pouco chateado e Sasuke percebeu isso, mas não disse nada – Bem, meus pais têm cinqüenta anos e é isso.
- E o que eles fazem?
- Meu pai trabalha criando robôs e minha mãe é engenheira química.
- Uau! Sério? Isso é muito legal.
- Sério?
- Sim. – Sasuke sorriu e perguntou – Mas o que você faz?
- Bem, eu sou um quase filhinho de papai. Só não sou cem por cento porque tenho uma cervejaria na Alemanha. É um emprego legal, embora.
- Agora entendi por que você é tão despreocupado.
- Bem, é um estilo de vida. – Naruto parou o carro e abriu o portão. Depois de entrar na garagem, ele estacionou e disse – Chegamos.
- Ótimo. Vou acordar Ino. – Sasuke cutucou a perna da loira e disse – Acorda. A gente acabou de chegar.
- Já? – Ino, com a cara toda amassada, sentou e esfregou os olhos – Quantas horas?
- Duas e meia. – Naruto disse e a loira arregalou os olhos – Você quer que eu te carregue até seu apartamento?
- Eu adoraria, mas não. Posso ir andando.

Naruto e Sasuke riram e saíram do carro. Ino tirou os sapatos, saiu do carro e foi pro elevador com seu vizinho e seu amigo. Os três subiram até o quarto andar e o Uchiha abriu a porta depois que Ino lhe entregou a chave. E quando ela entrou em casa e caiu no sofá, Sasuke olhou pra Naruto e disse:

- Obrigado pela carona. Acho que Ino vai dormir até domingo que vem. – eles riram – Mas sério... Obrigado.
- Não há de que. – Naruto sorriu e pegou sua chave – Qualquer coisa, você pode me chamar. – e sussurrou quando se aproximou de Sasuke – Mesmo que seja para pedir uma fita métrica que eu não tenho.

Naruto piscou e deu um soco leve no queixo de Sasuke, que sorriu abobado e apenas assentiu involuntariamente. E depois que o loiro entrou no apartamento da frente e fechou a porta, o moreno fechou a porta do apartamento de Ino e sorriu quando escorregou devagar e sentou no chão.

Naruto trouxe sensações, até então perdidas, de volta para sua vida.

Mas falando em vida, Sasuke saiu de seu conto de fadas e disse enquanto procurava seu novo celular:

- Ah, caramba! Meu pai vai me matar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...