História Let me Free of the Chains - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane
Tags Malec, Osintrumentosmortais, Shadowhunters, Thelovewins, Themortalinstruments
Exibições 193
Palavras 1.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


GENTE
Bora dar uma ajudinha na minha fanfic nova?
É Scorbus
Para os trouxas(não bruxos gente, não tô chamando ninguém de trouxa, vcs entenderam) Scorpius (filho de Malfoy) + Alvo/Albus (filho de Harry Potter).
Poisonous Love
Me ajudem pls
Juro que tá legal

Capítulo 49 - Our home


 

Naquela tarde enquanto Alec ainda estava trancado em alguma sala da delegacia, Magnus planejava como o contar sobre a transferência. Não parecia justo para ele, talvez pra ninguém, poderiam apenas o mudar de escola e não de estado. Se assim fosse provavelmente só veria Alec uma vez no mês, talvez duas. 
E ter que o contar isso logo agora, com essa tempestade na cabeça dele… não era nada agradável. O julgamento de Robert se aproximava e Alec teria que ir, obviamente, Magnus também por ser testemunha, pelo menos tinha essa desculpa. Mas depois disso teria que ir embora, seu coração doía em imaginar Alec sozinho ali, ele tinha irmãos mas não era a mesma coisa. Sentia-se ansioso e ao mesmo tempo não, ansioso por contar e nem um pouquinho ansioso para ir. 
Se passaram duas horas, e então Alec veio pelo corredor, sério, com às mãos nos bolsos do casaco, esboçou um sorriso pra Magnus e parou na frente dele que estava sentado nos bancos de espera. 
Magnus se levantou e viu os olhos do namorado levemente inchados, franziu a testa e tocou o rosto dele, que se inclinou para o toque como Presidente Miau. Magnus sorriu e perguntou:
-Não me diga que chorou, quebra meu coração. 
-Então não o digo. -Alec fechou os olhos e suspirou, fazia muito aquilo ultimamente, como se fosse capaz de tirar os pensamentos ruins num sopro. Sem conseguir ver o namorado daquele jeito e vendo o canto do olho dele tremer como sempre acontecia antes de chorar, Magnus o puxou para um abraço. -Eles conseguiram uma gravação da câmera de segurança da casa dele. -Alec sussurrou trêmulo. -Me fizeram ver para saber se tinha alguma alteração. 
Magnus o apertou mais, queria da um soco no rosto de quem quer que tivesse feito aquilo, já não era sofrimento demais passar por tudo aquilo? Alec tinha o rosto afundado na curva do pescoço de Magnus, e quando sentiu sua camisa ficar úmida, Magnus se afastou e limpou às lágrimas do rosto do namorado. 
-Vamos para casa, ou eu vou ser forçado por mim mesmo a dar um soco em cada um daqui que lhe fez chorar. 
Alec riu e assentiu dando a mão a ele para ir para o carro. 


-X-
Quando chegaram em casa, Alec passou direto para a janela, às vezes olhar por ali, mesmo que fosse apenas telhados de armazéns antigos, ajudava a organizar os pensamentos, que atualmente pareciam o quarto de Max depois de brincar com Lego. Isso o fez rir, passou às mãos no rosto e respirou fundo. Aquela loucura já tinha acabado, só faltava dá um ponto final em Robert e tudo ficaria bem. Só faltavam alguns meses para o final do ano, ficaria bem. 
Aquele canto do loft o lembrava de quando beijou Magnus pela segunda vez, quando admitiu a ele que tinha medo de ter o coração partido, quando soube que Magnus não seria qualquer um, suspeitava que ele fosse o amor da sua vida. Talvez já tivesse certeza disso. Alec sorriu pra noite e se virou vendo Magnus sentado no chão com Presidente Miau jogando às patas para cima para receber carinho. Riu da cena e saiu mais alto do que esperava, a dias não sorria daquele jeito. Magnus o olhou sorrindo e disse pegando o gato nos braços. 
-É bom te ouvir rir. -ele se levantou e deixou Presidente Miau no sofá, foi até Alec e o beijou, lentamente o encostando na mesma parede que Alec o impressara quando ainda tinha dúvidas.
O beijo de Magnus fazia Alec se sentir mais vivo, como uma carga de energia que ele sozinho não conseguia produzir. Não sabia oque seria dele se Magnus nunca o tivesse chamado daquela janela, se ele não fosse professor dele, se Izzy nunca tivesse o forçado a ir a aula de artes e se suas roupas nunca tivessem ficado encharcadas naquela chuva. Talvez se tudo não tivesse sido exatamente daquele jeito, incluindo Jason, Alec não estaria com Magnus. 
Quando se afastaram, por um minuto ficaram apenas se olhando, anotando cada detalhe bonito que achavam um do outro, até que Magnus disse com a voz baixa:
-Preciso te contar uma coisa. 
-O que? -Alec perguntou franzindo a testa. 
-Conversei com o diretor hoje. -suas mãos deslizaram pelos ombros de Alec até segurarem às mãos dele. -Ele já sabe que estamos juntos, acho que… todo mundo sabe. Você não viu às notícias ultimamente, mas nos gravaram juntos e isso gerou fotos, enfim, chegou ao diretor. -Alec já começava a entender um pouco oque ele queria dizer. Continuava a olhá-lo nos olhos, próximos o suficiente para se beijarem a qualquer momento. -Ele decidiu que… eu vou ser transferido. 
Alec suspirou e o abraçou, a bochecha contra o ombro do namorado, os olhos fechados, mas não se sentia triste, ou mal, na verdade aquilo o dava uma ideia. 
-Pra onde você vai? -perguntou sentindo Magnus aconchegar o rosto ao ombro dele.
-Colorado. -aquilo espantou Alec por um tempo, mas não se afastou dele. 
-Tão longe assim? E como eu vou te ver? 
-Posso vir te ver acho que uma vez no mês, ou você ir me ver. 
-E oque vai fazer com o loft? -perguntou soltando o abraço, Magnus sorriu pra ele. 
-Vou deixá-lo com você, aliás, percebi que aqui é o seu lugar favorito para se esconder. 
-Só quando você está aqui. -Alec sussurrou olhando para o chão.
-E aqui foi onde eu te beijei pela primeira vez, eu não venderia ou alugaria um lugar assim. Aqui também é a nossa casa. 
Alec franziu a testa e riu aliviando a expressão. 
-Nossa casa? 
-Claro, já me sinto como se fossemos casados a cinquenta anos. -eles riram e Alec se recostou no parapeito da janela. 
-Então aceita ser meu par na formatura? -Magnus ergueu as sobrancelhas surpreso. -Você não vai ser mais professor de lá, então não tem problema. E eu não vou se não for com você. 
-Não sei como você faz isso. 
-O que? 
-Você me deixa sem palavras. Estávamos falando a um minuto que eu ia embora e você me surpreende pensando em formatura. É claro que vou ser seu par.
-Fala o cara que declara um “nossa casa” como se fosse a coisa mais simples do mundo. 
Magnus riu e o beijou novamente. 
-Também gosto de fazer surpresas, sr. Bane. -disse Magnus. 
-Como? 
-Tem razão, acho que Magnus Lightwood fica mais interessante.


Notas Finais


Adorei esse capítulo, não sei porque
Gostaram da capa nova?
Viram a frase????
ADOREI! Autor desconhecido, mas vamo fazer oque né?
Comentem <#


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...