História Let me know - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Adolescentes, Amor, Bangtan, Bts, Ciumes, Diversão, Jungkook, Romance
Visualizações 194
Palavras 3.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, gente! Tudo bom? Espero que sim! Bom, cá estou eu, novamenteeeeee!!! Me desculpem pela demora, e por qualquer outra coisa, e tenham uma ótima leitura!!! Bye!!!
Ah, e...

Lembrem-se sempre...

Capítulo 20 - I am like the sea.


Fanfic / Fanfiction Let me know - Capítulo 20 - I am like the sea.

Ótima.

Palavra em que se resumiu minha semana toda,desde que JK e eu,reatamos.

Desde então,nos falamos todas as noites pelo celular,e nos encontramos,sempre que ele tinha um tempo do trabalho.

Problemas,apesar de terem muitos,pareceram não existir.

Decidimos deixar o fato de reatarmos,fora de conhecimento dos meus pais.Isso foi mais de minha parte.JK a todo tempo disse que eles deveriam saber,mas eu conheço muito bem o pai que tenho,ia ser a mesma coisa,ele iria ser contra.Então,com esforço,consegui convencer um Jungkook indeciso a aceitar,à contra gosto.

Óbvio que meus pais notaram algo diferente em mim,novamente.Claro,estou de volta com o cara que desejo estar,então,é meio difícil esconder a minha felicidade.

E meu pai,não é nem um pouco burro,ele sabe que essa felicidade tem a ver com o JK,no entanto que veio falar comigo.

-Filha,-Diz,assim que ameaço sair do carro.Como hoje,acordei super atrasada,meu pai foi obrigado a me dar uma carona.Mas,acho que ele até gostou disso,porque assim,tem um tempo para conversar comigo.-espere um minutinho.

Olho-o,já com a mão na maçaneta.

-Mas...-Tento pensar em algo que me tire dali,sei muito bem sobre o que ele quer conversar.-eu já estou atrasada,pai.

-Eu sei,-Ele assente,sorrindo sem graça.-é só um minuto,pequena.

Vendo que não terei escapatória,suspiro,deixando minha mão cair de volta em meu colo.

-Ok,pai.

Ele se re encosta no banco e suspira.

-Você...Hmm,-Ele limpa a garganta.-Você,realmente gosta dele?

Uau.

Não achei que ele seria tão direto.

Abaixo a cabeça,envergonhada,e mordo o lábio,nervosa.

-Ah...-Rio,sem graça.-pai...

Ele me encara,assustado.

-O-o que?-Ele gagueja.-É mais que isso?

Arregalo os olhos.

-Não!-Ele levanta as sombrancelhas.-Q-quer dizer...-Se ele soubesse o quanto,é capaz de surtar.-Sim,eu gosto dele,pai.

Ele assente,e descansa a mão no volante,como se não soubesse o que fazer.

-Eu já disse à você o que eu acho,pequena...

-Eu sei,pai,e por favor...-Olho-o,com uma feição suplicante.-não diga algo para me entristecer,novamente.Eu...-Engulo em seco.-eu realmente gosto do Jungkook e...-Suspiro.-estou feliz com ele,então,por favor...-Sorrio,triste.-não acabe com isso.

Ele presta atenção no que eu digo e depois,também,sorri,triste.

-Eu não sou bobo,filha...-Diz,balançando a cabeça.-Sei como você estava triste,e agora,voltou a ser como antes,e isso me deixa feliz,porque,apesar de não te querer com ele,não quero te ver triste.-Ele leva a mão aos meus cabelos,e os bagunça.-Mas,como seu pai,quero o melhor pra você,pequena...então,não quero ver você se decepcionar,vai ser tão ruim para mim,quanto para você,e...

-Eu entendo,que só quer o meu bem,pai.-Assinto.-eu entendo.Mas,eu já estou terminando a escola,já tenho 18 anos...

-Para mim,sempre vai ser minha pequena.

-Só estou dizendo,que já sou grande o suficiente para cuidar de mim mesma,pai,para arcar com as consequências de minhas escolhas...-Sorrio,carinhosamente.-Não vou poupa-lo de cuidar de mim,porque sei que me ama muito,e faz isso com a melhor das intenções...-Suspiro.-mas vou pedir que aceite minha escolha,-Ele respira fundo.-em relação ao Jungkook.Porque...-Sinto meu olhos arderem e,então,abaixo a cabeça.-apesar de saber que posso me decepcionar...-Assinto.-estou feliz por estar com ele agora,e quero aproveitar isso o máximo que puder...O senhor...-Seguro as lágrimas.-entende isso,pai?

Ficamos nos encarando,colocando nesse olhar,toda a sinceridade entre um pai protetor e uma filha,impulsionada pela paixão...sinceridade essa,como o medo dele por mim,e o meu medo...por mim mesma.

Enfim,ele assente,e me puxa para um abraço.

-Entendo,sim,pequena.-Ele beija minha cabeça,enquanto eu o abraço,fortemente.-O papai te ama...-Ele alisa meus cabelos.-e isso não vai mudar.

Suspiro,aliviada,e ao mesmo tempo,emocionada.

-Obrigada,pai.-Fungo,em seu uniforme.-Eu também te amo.

Ele dá alguns tapinhas em minhas costas,e assentindo,se afasta,sorrindo fechado.

-Ok...-Diz,com a voz meio falha.-É melhor você ir,agora.Já se atrasou de mais.

Arregalo os olhos.

Ah,meu Deus! Já devo ter perdido a primeira aula,toda!

-Ok,-Digo,abrindo a porta.-tchau,pai,te vejo mais tarde!-Arrumo a mochila nas costas,e assim que vou sair,paro e me volto para ele,dando um beijo em sua bochecha.-Te amo,muito!-Digo,e depois saio do carro.

Ele ri,enquanto bato a porta e saio apressada,em direção ao portão da escola.

Nem preciso dizer,que sim,perdi a primeira aula,todinha.

(...)

-Uau...-Digo,assim que desço da moto,olhando para o lugar à minha frente.-É uma...

-Linda lanchonete,né?-JK ,também desce da moto,tentando não rir.

Não a chamaria de linda,já que tem muito tempo que ela existe aqui em Cleveland,pois é,a reforma que falta fazer,é a prova disso.

Quando Jungkook me ligou mais cedo,me chamando para jantar fora,imaginei que seria em um restaurante.Não,claro que não precisava ser, ‘‘O restaurante’’,mas...

-Eu sei o que está pensando.-JK me tira de meus desvaneios.-Eu podia ter te levado em um restaurante,mas...-Ele se aproxima,me abraçando pela cintura.-onde encontraríamos um hambúrguer,igual ao da essa lanchonete?Ou...-Suas mãos descem para minha bunda,onde ele acaricia lentamente por cima do vestido.-...um lugar mais adequado para se fazer...-Ele dá um leve aperto.-isso?

Semi cerro os olhos e sorrio,olhando-o.

-Você é muito safado.

Ele sorri malvado.

-Eu sei que você gosta.

Abro a boca,surpresa.

-Convencido!

Ele pisca,ainda com aquele sorriso sacana,e me beija.

Sim,ele é um safado...mas e daí?

Ele é meu.

É o que importa.

Nos afastamos,assustados pelo toque do celular.Sorrindo,JK retira o mesmo do bolso.Seu sorriso,logo se vai,assim que seu olhar cai sobre a tela acesa.

-Está tudo bem?-Pergunto,enquanto ainda escuto seu celular tocar em sua mão.Ele assente.-Não vai atender?

Ele me olha e respira fundo,balançando a cabeça,negativamente,enquanto desliga e guarda o celular,sem atende-lo.

Assim como antes,ele sorri,como se nada estivesse acontecido.

-Não é importante.

-Olha,papai!-Viro o rosto,me deparando com uma garotinha pulando,enquanto segura a mão de um homem.-É o meu capitão!

-Se acalme,filha.-Diz,o pai da garota,rindo de sua empolgação.-Jungkook,-Continua ele,estendendo a mão na direção de JK.-que surpresa te encontrar por aqui.

-Carlos,-JK ri,cumprimentando-o de volta.-que bom te ver,cara!

-Ah,que isso,-Ele sorri,maroto.-nos vimos ontem,e você já estava com saudades?

-Ha-ha,-Diz JK,fingindo estar aborrecido.-que engraçado.

Carlos ri.

-Me desculpem,-Diz,me olhando.-Acho que atrapalhei vocês.

-De forma alguma.-Acalmo-o.

-Ah,cara,quero te apresentar.-Diz JK,me abraçando de lado.-Essa é a Emily,minha namorada.-Sorrio,cumprimentando-o.-E anjo,esse é o Carlos,meu co-piloto,-JK faz uma careta.-e meu amigo engraçadinho,como você pôde ver.

-Ah,-Digo,rindo.-É um prazer.

-E essa pequenina,-Continua JK,olhando para a garotinha,que parece ter uns cinco anos.-é a Kaila.

-Olá,linda.-Sorrio,enquanto aceno com a mão em sua direção.Ela logo se aconchega próxima a seu pai,toda envergonhada,nos fazendo rir.

-Mas,e aí,cara,-JK se volta para o amigo.-Tudo na boa?

-Tudo sim.-Diz,olhando para a filha.-Só vim trazer essa princesa insistente pra comer um hambúrguer.

-Ah,é?-JK sorri,se agachando na frente da menina.-Oi,Kaila,-Diz bagunçando seu cabelo.-lembra de mim,né?

-Claro,que sim.-Ela diz,toda convencida,com suas pequenas mãozinhas juntas.-Você é o meu capitão.

-Ei,filha,-Carlos intromete.-o seu capitão,é o seu papai aqui.

-Shhh,não a iluda,você é o co-piloto,-Diz JK,centrado na conversa.-O capitão,sou eu.-Diz,encarando a garotinha.-Não é,Kaila?

-Sim!-Ela aponta para o céu.-Você voou até lá!

-Uau!-JK faz uma cara de surpresa.-E você não teve medo?

-Não...-Responde,envergonhada,enquanto balança o corpinho de um lado para o outro.-Quer dizer,-Ela fecha um dos olhos,e estende a mão a frente,mostrando a pequena quantidade,entre o polegar e o indicador,o que me faz sorrir,encantada com tanta fofura.-só um pouquinho,assim...mas só foi no começo,-Ela sorri,orgulhosa.-porque depois,eu não tive mais medo,não.

-Ah,eu acredito.-JK ri.-Foi porque você viu que quem estava pilotando,era eu,então não tinha com o que se preocupar,não é?

Reviro os olhos.

Ele não cansa.

-Não.-Kaila balança sua cabeça de um lado para o outro.-Eu não fiquei com medo,porque,-Ela explica,fazendo com que suas bochechinhas se movam,com cada palavra dita,o que me encanta ainda mais.-o papai disse que tudo ia ficar bem,porque eu estava com a mamãe na poltrona,mas,-Ela balança o indicador,em forma de negação.-isso não fez meu medo acabar,mas aí depois,ele disse que se algo desse errado,ele partiria a sua cara,então eu não tive mais medo.

Não aguento,e começo a rir,fazendo Carlos me acompanhar,logo depois.

-Ah,ele disse isso?-Pergunta JK,olhando para o amigo.

-Sim,-Ela balança a cabeça,positivamente.-ele disse,aí eu não tive mais medo.

-Era o único jeito,cara.-Carlos se defende,ainda rindo.-Ela estava com muito medo.

-E dizer que partiria minha cara,foi a única coisa que pensou em dizer para acalma-la?

-Sim,-Ele responde,ainda rindo.-ela estava com muita confiança em você,afinal,-Ele dá de ombros.-não foi você quem disse à ela,-Carlos o imita.-‘‘Eu sou o seu capitão’’?

Rio ainda mais.

Ah,meu Deus.

JK resmunga.

-Eu não disse desse jeito,não.

-Ah,disse.-Concordo com o Carlos.-Eu aposto que disse.

-Anjo...-Ele me repreende,e depois se vira para seu amigo.-Ah,que ótimo,cara,passou uma bela imagem de mim para a minha namorada.

-Ah,por favor...-Ergo a sombrancelha.-ele não disse nada de que eu já não saiba.

Jungkook finge estar ofendido,enquanto Carlos,se segura para não rir.

-O capitão Jungkook,-Kaila se pronuncia.-é convencido.

Eu já amo essa garotinha.

-Até você,pequena?Ah,não...-JK balança a cabeça,-assim você acaba comigo.

Ela ri,toda sapeca.

-Posso te contar um segredo?

-Claro,-JK,responde.-o que é?

Ela olha na direção de seu pai,e depois na minha.

-Se eles escutarem,não vai mais ser um segredo.

-Oh...-Sorrio,surpresa,com tanta inteligência dessa pequena criaturinha.

-Isso é verdade.-Diz JK,aproximando a orelha,próxima à sua boca.-Pode falar agora.

Ela se aproxima,e me olhando,tenta sussurrar,o que não tem muito sucesso.

-Ela é mais bonita do que a outra.

JK me olha e,eu sorrio,sem graça.

Outra?

-É...-JK confirma,sorrindo.-eu sei,disso.

Por alguns segundos,fica um silêncio,constrangedor.

-Bom...-Diz,Carlos.-é melhor irmos,filha,sua mãe deve estar cansada de esperar.-Ele sorri em minha direção.-Foi um prazer te conhecer,Emily.-Retribuo o sorriso,enquanto ele se despede de Jungkook.-Te vejo amanhã,cara.

JK assente.

-Tchau,linda.-Digo,acenando para Kaila,que dessa vez,retribui.

Assim que se afastam,JK se vira de frente para mim.

-Você está brava?

Suspiro.

-Eu tenho um motivo para estar?

Ele balança a cabeça,negativamente.

-A garota a quem Kaila se referiu...-Ergo a sobrancelha,querendo que ele termine.-é passado.

Não tenho como negar que isso me incomoda,mas se ele diz que é passado,não vou trazer à tona de volta,não vou estragar o nosso momento.

A contra gosto,assinto.

-Tudo bem.-Sorrio,enquanto pego sua mão.-Vamos entrar.

Também não tem como negar que a Mirian,veio em meu pensamento.Mas não vou deixar que isso nos abale.JK e eu estamos bem,e se depender de mim,vai continuar assim.

O mesmo de sempre.É assim que a lanchonete se encontra por dentro.O mesmo lugar aconchegante e bom de se estar.

Avisto uma mesa vazia no fundo,e logo caminhamos até lá e nos sentamos.Como o assento é tipo um sofá,JK se senta tão perto,que nossos corpos ficam próximos,isso para não dizer,praticamente colados um ao outro.

A garçonete logo vem,e sem demora,fazemos o pedido.

-Já,já,trago o pedido de vocês.-Ela diz,segundos antes de partir.

Suspiro,e encosto em meu assento.Pensamentos de JK brincando com Kaila,vem em minha mente,me tirando um sorriso.

-O que foi,anjo?-JK pergunta,perto do meu ouvido,fazendo com que eu me arrepie.

-Nada,eu só...-Encaro-o.-te achei muito fofo com a Kaila.

Ele sorri de lado,me olhando.

-Eu gosto de crianças.

Sorrio,impressionada.Sei que ele é um cara incrível,mas nunca parei para imagina-lo como um ser todo fofo com uma criança.

É...

Isso me faz lembrar o que meu pai disse,sobre eu não conhece-lo.

-Me fala sobre você.

-De mim?-Ele sorri,sem graça e,eu assinto.-O que quer saber?

Lembrando das perguntas do meu pai,suspiro.

-Quantos anos você tem?

Ele ri.

-É isso que tanto quer saber?

-Relaxa,amor.-Sorrio,maliciosa.-Mal começamos.

Ele morde o lábio,me olhando.

-Hmm...-Murmura,perto da minha orelha.-eu gosto disso.

Com o propósito de me manter firme,me afasto.

-Não tente me distrair.-Digo,com o indicador,apontado em sua direção.-Agora,responda minha pergunta.

-Ah,vamos lá,anjo.-Diz,se divertindo,enquanto coloca uma de suas mãos em minha coxa.-Que tal adivinhar?

Minha perna começa a formigar por inteira,devido a cada leve aperto que ele dá em minha coxa,de dois à dois segundos.

-Ah...Não é uma má idéia.-Digo,tentando focar em nossa conversa e não em sua mão,que de vez em quando,ameaça subir mais para cima.-Ok,vamos lá.-Começo a encara-lo da cabeça aos pés,avaliando-o.-Você tem um corpo muito definido,o que te faz parecer mais velho,mas acredito que não seja tanto assim,então,vi-vi...-Ele aperta,novamente,dessa vez,com um pouco mais de força,enquanto me encara,esperando.-vinte e um.

Ele ri,novamente.

-Não sou tão novo assim.-Ele começa a brincar com a ponta do meu vestido,subindo-o um pouco,deixando a barra quase no meio de minha coxa,fazendo,logo depois,uma linha imaginária no lugar descoberto.-Outro palpite?

Semi cerro os olhos em sua direção,e penso um pouco mais.

-Vinte e três...?

Ele sorri e pisca em minha direção.

-Quase.

Arregalo os olhos.

-Vinte e quatro...?-Ele assente.-Você tem vinte quatro anos?

Ele ri com a minha expressão de surpresa.

-Sim,anjo,-Diz,tranquilo,ainda alisando minha coxa.-tenho vinte e quatro anos.

-Uau...-Murmuro,passando as mãos pelo rosto,me certificando de que estou bem,acho que não,meu rosto,por inteiro,está quente.Respiro fundo.-Oh,meu Deus.

-O que?-Pergunta,beijando meu pescoço,levemente.-Muito velho pra você?

-Não...hmm...-Digo,tentando conter um gemido.Não sei o que está acontecendo com o meu corpo.-Engulo em seco.-na verdade...

-Na verdade...?

-I-isso é....-Com dificuldade,tento me pronunciar,mas o carinho que a ponta de seu nariz teima em fazer em meu pescoço,me tira a fala.-muito sexy.

Ele tenta não rir.

-Sexy?-Assinto.-O fato de eu ter vinte e quatro anos,é sexy?

Que merda eu estou dizendo?

-Ah,não...é...-Suspiro.Por que eu não calo a boca?-é que o fato de você ter essa idade...-Fico envergonhada,pelo seu olhar que não sai de mim.-quer dizer,que você tem muita...

-Muita...?

-Experiêcia.-Ele ergue a sobrancelha e,eu quase entalo com minha própria saliva.-Não digo isso por ter sabido agora,-Digo,rapidamente.-que você tem essa idade,eu já sabia que você,-Engulo em seco.-é experiente...

Aish...

Ele morde o lábio,fortemente,ainda se segurando.

-Experiente em que?

Em me deixar feito uma bocó.O que eu tenho na cabeça?!

-Ah...

-Aqui está.-Diz,a garçonete,pondo nosso lanche sobre a mesa.Acho que meu suspiro de alívio foi tão alto,que até faz a moça me encarar.-Está tudo bem?

-Ah,sim...-Sorrio e assinto,sem graça.-Está sim,obrigada.

-Por nada.-Ela sorri de volta.-Tenham um bom lanche.

Enquanto me encontro imóvel,pensando na vergonha que estou passando,por causa da minha boca,JK abre o seu refrigerante,e toma um gole,todo tranquilo.

-Então,anjo...-Me olha,sorrindo.-Ainda quer continuar com o mesmo assunto?

Fecho os olhos,me xingando mentalmente,e balanço a cabeça,negativamente.

-Hmm,ok.-Ele continua.-Então,vamos falar sobre você.

Quando foi que eu perdi a bola?

Segundos depois começamos a falar sobre mim,e a deliciar do nosso maravilhoso lanche.A cada coisa contada,e que acabava nos fazendo rir,eu tive a certeza de que não teríamos nos divertido tanto assim,no restaurante.Pois se a cada vez que JK me beija,e faz carinho,ou coloca batata frita em minha boca,chama atenção,imagine lá.Em meio a esse divertimento,conto muito sobre a minha infância,o que faz JK rir e muito.Afinal,eu não fui uma garotinha tão boazinha assim.

-Oh,eu não acredito.-Diz,se acabando de rir.-Você precisava mesmo ter quebrado o braço do garoto?

-Não,mas...-Sorrio,envergonhada.-Era uma barbie,eu tinha acabado de ganha-la e ele a esfolou toda,o que queria que eu fizesse?

-E você ainda pergunta?-Ele está quase chorando de tanto rir.-Há milhares de coisas aceitáveis que você poderia ter feito,antes de quebrar o braço dele.

-Ele pelo menos,teve conserto,minha boneca,não.

-Mas...-Ele tenta respirar.-Era só uma boneca,anjo!

-E eu era só uma garotinha,iludida com a boneca que tanto queria,para horas depois,chegar e ve-la,toda destruída!

-Aish...-Ele balança a cabeça.-Você realmente foi uma garota má.

-Não se sinta mal por ele,ok?Eu pedi desculpa,-Digo,com desdém.-fui obrigada,mas pedi.

-Ok,-Diz ele,com as mãos levantadas.-eu me rendo.-E logo sorri,aproximando sua boca da minha.

-Desculpem,mas...-Nos viramos para o rapaz a nossa frente.-a lanchonete já vai fechar.

Olho ao redor e vejo que não há mais quase ninguém,a não ser nós,e um casal que acaba de sair.

-Tudo bem,parceiro.-Diz JK,se levantando,eu logo,faço o mesmo.

Depois que ele acerta tudo com o rapaz,saímos porta fora.Assim que chegamos perto da moto,pego meu celular da bolsa e vejo que faltam apenas cinco minutos para as nove da noite.

-É...-Digo,rindo.-acho que perdemos a noção da hora.

Ele sorri e beija minha testa.

-O que é normal,quando estou perto de você.-Ele me ajuda a pôr o capacete  e depois sobe,esperando por mim.-Vamos?

Guardo o celular e subo em sua traseira.Antes que ele o faça,já enrolo meus braços ao seu redor,me aconchegando junto a ele.

Segundos depois,ele dá a partida e põe a moto em movimento.Como já está um pouco tarde,o trânsito se encontra tranquilo,e a única coisa em que consigo me centrar,é na subida e descida de seu peito,a cada respiração dada sob minhas mãos.

Não demora muito,e sinto a moto desacelerar.JK para e,eu olho em volta,confusa,tentando adivinhar onde estamos.

-Ah...-Murmuro,assim que me dou conta de que estamos na praia.Desço da moto,já tirando o capacete.-o que viemos fazer aqui?

JK também desce,e tira o tênis,deixando a chave da moto e seu celular em um canto ali perto.Assim que faço o mesmo,ele segura minha mão,e vai me puxando em direção ao mar.

É tão gostoso sentir a areia entre meus dedos,que fecho os olhos,deixando que o vento frio da noite,bagunce meus cabelos.As ondas do mar,são como música para os meus ouvidos,nessa praia deserta.

Assim que estamos na beira do mar,JK me abraça por trás.Ele dá um beijo em minha bochecha,enquanto mantêm seus braços em volta da minha cintura.

-Confia em mim,anjo?-Ele sussurra e,eu fico sem entender o por quê dessa pergunta agora.

-Jungkook...

-Só me diz.-Ele me aperta mais junto a si.-Confia em mim?

Enfim,suspiro e assinto.

-Sim,eu confio em você.

Ele fica em silêncio por alguns segundos e,eu fico esperando,tentando entender o que ele está fazendo.

-Então,feche os olhos.

Viro a cabeça em sua direção.

-O que?

Ele sorri,carinhoso.

-Só confie em mim,anjo.

Lentamente,me viro para frente,novamente,e assim como ele pediu,fecho os olhos.

-Isso...-Ele sussurra.-Com os olhos fechados,dê dois passos para frente.

Meio nervosa,faço o que pediu,sentindo a água cobrir meus pés,e bater em meus tornozelos.

-Relaxa...-Ele ainda sussurra.-e não pense em nada,a não ser neste lugar...em nós...-Tento me desligar de tudo,assim como ele pede.-no agora...-Respiro fundo,aproveitando a brisa que beija o meu rosto,e nas pequenas ondas que beijam os meus pés.-Agora,me diz,anjo...-Ele ainda sussurra.-O que você ouve?

Assim como ele pede,relaxo,me centrando apenas nos sons à minha volta.

-O vento...-Digo,sentindo o mesmo soprar meu rosto,com seu ar frio.-as ondas...

JK massageia meus braços,tão levemente,que me sinto flutuar em suas mãos.

-As ondas...-Ele sussurra,rente à minha orelha.-Se elas tivessem sentimentos,e demonstrassem isso,pelo simples fato de se moverem,-Tão leve,como uma pluma,seus lábios descansam em minha bochecha.-o que estariam sentindo,agora?

Sorrio,sentindo a água fria,cobrir meus pés,pouco a pouco.

-Uma verdadeira,paz...-Sussurro,escutando as ondas dançarem,impulsionadas pelo vento.-Uma calma absoluta...sem preocupações...-Suspiro,ainda sorrindo.-Só a doce harmonia,as cercam.

JK respira fundo,e caminha,me levando mais alguns passos para frente.

-Continue de olhos fechados.-Sussurra,enquanto já sinto a água bater,próxima aos meus joelhos.De repente,o vento parece mudar,de calmo,para agressivo,o que não é diferente das ondas,que agora,parecem estar mais agitadas.-E agora,anjo?-A rajada do vento frio,insiste em tocar meu rosto,fazendo com que meus olhos,mesmo fechados,queiram lacrimejar.-O que elas estão sentindo?

As ondas,agitadas,que até à pouco se mostraram diferentes,batem em meus joelhos,de forma bruta,ameaçando subir mais e mais.

-Agora,elas...-Começo,sentindo algo diferente,em mim mesma.-elas parecem magoadas,bravas...-Na mesma hora,uma onda vem mais forte,fazendo com que um pouco de água,respingue em meu rosto.-Como se a cada a vez,que elas batem contra as minhas pernas estivessem...-Outra onda se revela,molhando uma parte de meu vestido.-se machucando,querendo se livrar de algo...-Lentamente,abro os olhos,fixando o mesmo a minha frente,observando as ondas se baterem.-algo triste...

-Sim...eu sei...-JK diz,apoiando o queixo em cima de minha cabeça.-é exatamente assim,que me sinto quando não te tenho por perto.-Fico em silêncio,e ainda sem me virar,presto atenção em suas palavras.-Eu sou como esse mar,anjo...-Ele suspira.-com sentimentos de mágoas,raiva...-Tento me segurar e manter a respiração compassada.-sentimentos de querer descontar em tudo que vejo pela frente,pelo fato de não ter o que mais quero ao meu lado.-Pressiono os lábios,me privando de chorar.É difícil acreditar que ele se sinta dessa forma,em relação a mim.-Mas,quando estou com você,-Ele me aperta contra o seu peito.-assim,como agora...-Inevitávelmente,me vejo limpando uma lágrima.-sou como o mar,na sua verdadeira paz...sou a calma absoluta...sem problemas algum,porque você me cerca.-JK pega um de meus pulsos e me vira,fazendo com que eu me centre em sua feição sincera.Suas mãos vão para o meu rosto,onde ele limpa minhas lágrimas,e ajeita uma mecha atrás da orelha,me olhando fixamente,a todo momento.-Você é toda harmonia de que preciso,anjo.

Me emociono,mas,sem conseguir desviar,nossos olhares continuam grudados.Passando um para o outro,todo o sentimento com apenas esse olhar.

Isso foi tão lindo...não imaginava que ele seria capaz de tal coisa...coisa tão romântica,ao qual me deixou mais certa de minha paixão por ele.

-I-isso...-Sussurro,incapaz de pronunciar palavras coerentes.-isso foi...-Balanço a cabeça,incredula.-Eu não...

Ainda com as mãos em meu rosto,ele aproxima seu nariz do meu,me fazendo carinho,e logo depois, ri,como se estivesse acabado de descobrir algo.Segundos depois,sua risada se cala,e seus olhos não desgrudam dos meus,enquanto ele meche a cabeça de um lado para o outro,decidido.

-Eu estou perdidamente apaixonado por você.


Notas Finais


...bons momentos, virão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...