História Let Me Know [Jikook] - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 40
Palavras 3.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me desculpem! Era pra eu ter postado ontem.

Tecnicamente esse é o primeiro Lemon que eu faço, podem criticar, tenho certeza que está muito... Bleh.

Boa leitura!

Ps: Mídia pra provocar a imaginação suja de cada um.

Capítulo 5 - Lolly — Explicit


Fanfic / Fanfiction Let Me Know [Jikook] - Capítulo 5 - Lolly — Explicit

   [ ... ] 1 semana depois
 
    Jimin chupava um pirulito. Jeon e Park haviam combinado de assistir um filme, preparam a pipoca, pegaram as cobertas quentinhas e dispuseram-se a deitar em um colchão na sala, o que realmente estava sendo agradável até o mais velho se levantar e resolver que seria, no mínimo, aprazível adoçar o gosto em sua boca. A cada susto que ele tomava mordia com certa força o doce, chupava de maneira precisa fazendo com que seus lábios tomassem uma coloração avermelhada e rodeava sua língua pela superfície açucarada. Por pelo menos vinte minutos Jeon se manteve boquiaberto com os atos inconscientes e provocativos do namorado, por várias vezes sentia seu baixo ventre formigar e sua garganta ficar seca. 



     — Ah, o filme acabou — Park fez um beicinho triste enquanto debruçava-se pelo colchão, se sentiu triste por não ter dado tanta atenção ao filme enquanto pode, sentiu uma mão segurar sua cintura com força. 



      — Finalmente — Jeon o puxou para mais perto, mantendo ele ao seu lado de maneira perigosamente próxima, segurou o maxilar do mais velho enquanto o fazia fixar o olhar em seus olhos. — Você sabe o que estava fazendo, Hyung?
 


       Desliza a língua sobre os lábios de forma cautelosa enquanto pensa em uma resposta, sente um maior aperto em sua cintura e apenas conseguiu arfar em resposta, negou com a cabeça, fazendo com que Jeon o encarasse de abrupto.


      — Me responda com palavras quando eu estiver falando com você — Sussurrou ao ouvido do outro, passando sua língua quente e astuta pelo local, Park prendeu um gemido em sua garganta. 



      — Não, J-Jungkook — Engoliu em seco. O que poderia ter feito que o incomodou tanto assim? Não que aquilo estivesse sendo uma má experiência de todo, apenas queria entender.
     


       — Pois bem, estava tentando me provocar com aquele pirulito Jimin? — Arqueou as sobrancelhas de forma questionadora, seus lábios ficaram presos entre seus dentes enquanto Jimin abria sua boca e voltava a fechar ela diversas vezes tentando formular uma resposta que fosse coerente.


      — E-eu só estava... — Começou a se afastar enquanto JungKook se aproximava, do jeito que ele encarava Jimin com volúpia parecia que a qualquer segundo iria devorá-lo por inteiro. 



        — Estava me provocando, não é? — Questionou, porém antes que pudesse dizer ou fazer qualquer coisa, Jungkook tinha o corpo acima do seu enquanto segurava seus pulsos de modo firme, talvez para impedir que escapasse de seu constante aperto ou porque gostava de ver Jimin assim, vulnerável e entregue. 


       

O beijou, seus lábios se encaixando a cada toque mais íntimo e ousado, Jeon desfez o pequeno aperto dos pulsos do outro enquanto com agilidade seus dedos foliões se arriscavam a adentrar o fino tecido da camisa do parceiro, Jimin pediu passagem com sua língua quente e então ambos puderam explorar cada espaço desconhecido, a verdade era que os dois gostavam de desvendar mistérios e estavam descobrindo isso, novos segredos. Mordeu o lábio inferior de Jimin e como um bom provocador demorou para soltá-lo, enquanto isso Park remexia seu quadril contra o de seu âmago, por vezes colidindo os dois totalmente. Seus lábios continuavam colados aos do outro, as ereções proeminetes ficavam enrijecidas na linha do zíper e abaixo dos cós das calças, Jungkook apertou a cintura de Park de modo possessivo o que fez o que estava embaixo de si soltar um arfar desprevenido. Jeon soltou um riso gostoso contra os lábios do outro, fazendo pequenas vibrações passarem por o corpo do mais velho.
    


       — Você gosta disso, Hyung?  — murmurou de maneira manhosa, sua língua quente passando pelos lábios do seu namorado de maneira tortuosa.


        — Jungkook...  — Ver Park gemendo deste jeito necessitado enquanto seu corpo se contorcia era um extremo pecado, mas, Jeon queria chegar perto. Porque aquela proximidade não era o suficiente para sua cobiça ser saciada.


        Sentiu seu corpo queimar, como uma chama ígnea, a cada momento em que o corpo  do mais velho colidia contra o seu era como se tivessem estado separados por tempo demais, o corpo de Jimin era tentador demais e por sua vez, Jungkook tentava resistir ao máximo, porém tudo de que precisava era se permitir saciar sua libido crescente e continua. Anseava o momento em que pudesse prensar o corpo do outro contra qualquer e lugar, apenas para poder acabar com cada milímetro da perdição que ele era.

 

     Possessivo, Jeon tomou os lábios do outro de forma desesperada, era quente, molhado e gostoso. O peito de Park queimava por dentro, como se a larva de um vulcão o invadisse, curioso ele fazia as suas línguas se encontrarem de formas cíclicas, apertou os lábios em sinal de prazer, deixando que um som rouco escapasse por entre eles. Os pulmões trabalhavam de modo estertor quando enfim se separaram. Buscaram ar, o inalando de forma rápida, o frescor proporcionado por ele era agradável, mas o calor produzido pelo contato carnal era quente e ardia, inflamava como uma chama. Era bom. 

 

     Park se levantou, levando Jeon consigo, tendo agora o garoto em seu colo espalmou as mãos contra os seus ombros ainda cobertos, seus dedos malcriados desceram até a barra da camisa preta e sem permissão alguma retiraram o tecido do corpo do mais novo, gentilmente beijou cada milímetro do pescoço exposto e leitoso, recebeu pequenos gemidos em troca. Mordeu o local e parou para observar, a epiderme protestou tomando tons vermelhos e arroxeados, traçou sua língua pelo torso e clavícula, deixou o caminho molhado enquanto deixava o pescoço alheio arrepiado. 


    Jeon tratou de se sentir incomodado com todas as barreiras de tecido que estavam entre si neste momento, levou a ponta dos dedos para a camisa que Jimin trajava e passou por sua cabeça sem muita cerimônia, jogou o pano  inútil por um canto qualquer da sala. Beijou a extensão dos ombros do mais velhos, recebendo um espasmo a cada toque rendeu-se permitindo que cada carícia ficasse mais íntima, inclinou o pescoço para um lado dando fácil acesso ao outro. Seus beijos faziam um barulho estalado contra a pele quente e clara, Jimin reclamou, cessando o ciclo de toques. 


        — Jeon... Eu, posso te chupar?  — pediu de forma manhosa, seu corpo queimava cada vez mais, suas bochechas tomaram um tom avermelhado que era contestado por todo calor que sentia, o que era proporcionado pelo atrito que teve a segundos atrás com seu namorado. 


        Jungkook puxou o ar para seus pulmões, respirando de forma pesada com a ideia suja e pervertida, analisou o corpo de seu Hyung e enlaçou as mãos na curvatura de sua cintura, gostava tanto de passar suas mãos pelo corpo curvilíneo do mais velho, voltou a deitar ele, beijou o seu peito, parou em um dos gomos musculares e sugou de maneira lenta, os barulhos de sucção ecoavam pela sala, Park não conseguiu conter pequenos gemidos. Seus lábios contra os ouvidos do mais jovem, sua sanidade estava de maneira rápida e simplória se esvaindo, dando lugar a uma intensa névoa irracional que lhe proporcionava os prazeres da carne, satisfazendo sua mente pérfida. 


      — Ajoelha, hyung  — Pronunciou tal palavra de forma arrastada, apenas por provocação, a maneira com qual a frase foi dita soou como uma ordem e realmente era, Jimin passou minuciosamente sua língua pelos lábios e obedeceu, ajoelhando-se. 


       Suas mãos aflitas não aguentariam por muito mais tempo aquele inferno de tecidos separando seus lábios de entrar em contato com a pele quente do mais novo, mordeu os lábios e direcionando os dedos para o zíper do seu dongsaeng puxou a calça jeans pelas coxas, roliças e musculosas. Retirou o tecido insuportável e fez questão de o jogar longe, Jeon segurou os cabelos do mais velho, o qual foi obrigado a encarar o rosto do outro em troca. De sua testa algumas gotículas de suor escapavam, fazendo com que alguns de seus fios de cabelo ficassem grudados contra a testa. Silenciou-se enquanto o outro puxava seus cabelos, recentemente enrolados em seus dedos extensos, Park sentiu cada músculo de seu corpo ficar tenso quando os lábios de Jeon se recostaram contra seu ouvido apenas para pronunciar a frase que conseguiu deixar seu membro mais rijo e apertado contra o tecido da sua calça de moletom. 


     — Me chupe, Hyung. Acabe comigo e então eu vou poder foder você, pedaço por pedaço.   — estalou a língua contra o céu da boca, o outro engoliu em seco porém não questionou nenhuma palavra, sua respiração cálida bateu contra o tecido da boxer preta e fez questão de esfregar a boca entreaberta contra a peça, apenas por provocação.  — J-Jimin... 


      Um murmúrio manhoso saiu de forma arrastada pelos lábios de Jeon, um sorriso perverso apareceu nos lábios alheios, enroscou seus dedos curtos e grossos contra os cós da boxer e fez menção de tirar de uma vez porém não realizou tal ato, desceu um dos lados deslizando sorrateiramente e acomodou sua mão no meio da coxa esquerda do seu parceiro, inclinou-se contra a pele clara e sua língua tocou a virilha do mais novo que se encontrava tenso, Jimin podia sentir e tudo que queria evitar isso, queria de todas as formas possíveis dar prazer a Jeon. 


     Puxou a única peça que faltava do corpo definido a sua frente, Park tocou a glande rosada e inchada, soprou de leve tentando simular o contato com sua boca e de volta ganhou como resposta a pele arrepiada de Jungkook, observou cada veia grossa e pode sentir elas pulsando contra sua mão, rodeou seu dedo por cada centímetro de extensão e suas unhas curtas arranharam o abdômen imaculado a sua frente. Sentiu-se surpreso ao sentir o puxão em seus cabelos, subitamente abriu sua boca quando estava perto demais do membro tenso de Jeon, inclinou seu rosto e pela primeira vez seus lábios tocaram cada uma das veias saltadas da região, sua língua astuta rodeou por alguns segundos a glande que liberava o líquido pré-ejaculatorio. Park deu uma pequena sugada, provando do gosto do outro, sentiu seu rosto sufocado pela proximidade do quadril arqueado de seu dongsaeng, mas tudo aquilo era tão bom, sentir a fricção de sua boca contra o pênis rígido e pulsante era surreal. 


     Levou seus dedos curiosos até a base, assim que se afastou, circundou pela região. Como se estivesse tentando provocar a mente alheia, separou um pouco as coxas de Jeon para ganhar mais espaço e suas mãos geladas entraram em contraste com a pele cálida. 

 

    — Porra, Park Jimin! — Sussurrou entre dentes, sentia seus olhos pesando cada vez mais, embora fosse difícil manter eles abertos seus sentidos recobravam para que deste jeito não perdesse nenhum dos movimentos necessitados de Jimin, porque a cada instante o corpo curvilíneo dava um jeito de pegá-lo desprevenido. 


      Atravessou a língua pela pequena fenda da glande necessitada, encaixou seus lábios enquanto empurrava o membro contra sua cavidade bucal, sentiu tocar sua garganta. Sentiu Jungkook soltar a respiração pesada, deixou as mãos de Park para trás. Para o seu próprio amparo, concentrou suas mãos nos fios sedosos abaixo de si, os puxou com força e sentiu que a fricção de seu quadril contra os lábios macios era algo extremamente pervertido, quente como o inferno. Jimin gemeu com tamanho ato inesperado, os ruídos da sucção que fazia eram um ritmo quase premeditado, Jeon estava literalmente fodendo sua boca em um ciclo vicioso. O ar quente que escapou dos lábios de Park por meio de um de seus gemidos fez com que Jungkook se arrepiasse. O olhar de falsa inocência da parte de seu Hyung apenas contribuía para que sua sanidade se perdesse em meio daquele local, as paredes abafaram cada resquício de som que pudesse ser ouvido. Com um gemido prolongado por parte de Jeon, seu hyung decidiu se afastar, limpou a gota de pré-gozo que escorria por entre seus lábios inchados e vermelhos nas costas de sua mão destra. 


        — Eu mandei você parar? — mordeu os seus lábios olhando diretamente para Park, os soltou quase que em câmera lenta e então o puxou, sem qualquer aviso. 


         Não teve chance de responder. Jeon beijou-o, exigente e autoritário, suas mãos davam toques firmes e precisos contra a pele do outro, apertou a mão na cintura alheia onde a cava curvada lhe proporcionava maior espaço para enlaçar suas mãos longas.


Virou o corpo necessitado do garoto, ainda coberto por sua calça de moletom, o apoiou contra seus joelhos e mãos no colchão, afastou suas pernas de modo que tivesse maior espaço para o tocar e se debruçou contra ele, a boca molhada beijava-lhe as costas imaculadas, a língua atrevida percorreu pelo local, Jimin não se contentando empinou sua bunda de forma que se chocasse contra o quadril de Jeon, já que atrás de si ele se encontrava de joelhos. Respirou fundo e sentiu sua calça ser arrancada sem mais nem menos de seu corpo, os dedos brincalhões do mais novo contornaram algumas das áreas de suas  costas e quando pararam, Jeon tinha a ereção molhada roçando contra a coxa de Park de maneira continua, soltou um gemido manhoso quando sem permissão alguma Jungkook lhe tocou por cima daquele tecido inútil.
 
      — Você está tão molhado, Hyung — Ele olhou para o mais velho de forma perversa, a essa altura Jimin já sussurrava inúmeras palavras desconexas, adentrou o tecido molhado com os dedos, tocou o pênis latejante e rodeou seus dedos longos por ele, recebeu um gemido prolongado em resposta.
 
      — Por f-favor, Jeon, por favor  — sussurra, arrastando-se em cada maldita palavra. Deixou a cabeça pesar para trás ao que sentiu um tapa ardido em sua bunda, um sorriso de lado apareceu em seus lábios.
 
        — Por favor o que, baby? — Ouve um gemido ainda mais alto do mais velho enquanto passeia seus dedos por sua entrada contraida a cada toque, afastada seus dedos, os sentindo molhados. Maldito.
   
      — Me fode, Oppa. Me fode, por favor — Suplicou com seus olhos fechados, Jeon se sentiu arrepiar a cada palavra. Ele se afasta e puxa a última peça de tecido do corpo alheio, lançando para longe, inclina-se e se senta, puxa o Park pelas coxas grossas e suadas e faz ele sentar em seu colo, de costas para si.

      — Provocador... Ah, Park Jimin  — Ele sussurra enquanto posiciona seu membro contra a entrada molhada, desliza seus lábios pela extensão dos ombros largos, chupa a pele leitosa e sente o sangue se aprisionando naquele local. Mais uma marca vermelha para a coleção.
 
       Com suas mãos apoiadas na linha curva da cintura de Jimin deu um impulso para baixo, o que fez a bunda do mais velho envolver sua ereção pulsante, cada vez mais. Park abriu sua boca diversas vezes, porém, sem conseguir formular qualquer coisa que fizesse sentido, soltou um gemido gritado quando sentiu-se ser totalmente preenchido, sua entrada se contraiu contra o pênis pulsando dentro de si apenas por mera provocação, rebolou contra o colo do mais novo, seu corpo respondeu impulsionando seu quadril para cima, acertando bem na próstata de Jimin.

      — Oppa, o-oh, ai de novo — gemeu extasiado, seus lábios se contorcendo e ficando entreabertos a cada intervalo de som, debruçou suas mãos nos joelhos de Jeon, fazendo com sua bunda se empinasse. Puta merda.

     Podia ver com clareza enquanto Jimin rebolava, seu pênis entrando e saindo da entrada alheia. Subia e descia, enlouquecia seria o termo correto. Tocou a glande molhada de Jimin que gemeu com dificuldades para se pronunciar sobre qualquer coisa.

      — J-Jung-Kkook... — Gemeu de forma arrastada, obrigando o outro a puxar ar para seus pulmões. Talvez estivesse fazendo aquilo de propósito, já que sabia que o outro ficava louco quando gemia seu nome de forma tão manhosa. Sussurrou baixinho o nome do mais novo por diversas vezes, sentiu seu interior se contrair mais uma vez com a força da estocada que recebeu. Mordeu os lábios de cor vermelha, tentando se controlar um pouco mais, sem sucesso.
   
      — Você gosta de sentir cada centímetro meu em contato com você, uh Hyung? — viu uma pequena linha de expressão aparecer contra os lábios bem moldados, um sorriso de lado. Rodeia seus dedos pelas coxas brancas e acerta-lhes um tapa, admirando cada marca formada por si, beija o pescoço arrepiado sai de dentro do outro. — De bruços.

      Obedeceu, expondo cada parte marcada de seu corpo, Jungkook beijou cada milímetro do corpo moldado em perfeição, vez ou outra mordia a pele levemente roxa. Separou suas nadegas e deu um grande impulso com seu quadril forte, entrou de vez dentro de Jimin, que gemeu abafado contra o colchão numa súplica silenciosa.

     — Oppa, eu p-preciso gozar — Ele sussurra, Jeon deixa seu polegar mais rígido e desliza sobre a glande do mais velho, faz movimentos rápidos conforme o ritmo incessante de suas estocadas, precisas e fortes. Cada veia do pênis do outro pulsava sobre sua mão, assim que acertou a próstata de Jimin por continuas cinco vezes uma onda de prazer invadiu seu corpo, sentiu seus joelhos fraquejarem, estava tão perto.

      — Você é tão gostoso, Jimin — Sussurrou atordoado, estar dentro de Park era como se sentir desnorteado de tudo e todos, seus sentidos o atingiram em cheio quando seu corpo se arrepiou por completo, sentiu o interior de Park se contraindo de forma que apertava seu pênis de dentro para fora, consequentemente acariciando a glande ainda inchada. Com um gemido extremamente manhoso, Jimin se desfez, lambuzando a mão do namorado.

     Sem qualquer palavra Jungkook continuou a estocar dentro de Jimin que gemia a cada toque, estava tão sensível com expressão contorcia e os lábios abertos, inclinando-se Jeon deu a seu âmago uma mordida nada afetuosa, marcando-lhe a pele de forma possessiva e com um último movimento de seu quadril, gozou no interior do mais velho, deixando como um presente um beijo na tez de seu rosto.

     Depois de algum tempo saiu de dentro do amado, o encarou e voltou seus olhares para os lábios totalmente vermelhos. Mordeu-os com certo cuidado devido a fragilidade e sensibilidade dos mesmos, sorrindo de forma gentil, Jimin o puxou para o beijar, começando um pequeno ciclo vicioso. Arranhou as costas do mais novo, voltando a lhe provocar.

     — Park Jimin — Sussurrou como em um aviso prévio.

     — Me deixe insano, Jeon Jungkook — foi tudo que respondeu, antes de voltar a estar em cima do mais novo.


       


Notas Finais


Vocês vão ter que me desculpar por isso amores!

Beijos e Até o próximo, talvez último...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...