História Let Me Love You - Imagine Jungkook e Taehyung - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hot, Imagine Jungkook, Imagine Taehyung, Jungkook, Você
Exibições 140
Palavras 3.013
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olar meu amores!
Terceiro capítulo, assim, ficou um pouco grande né?
Mas a gente releva, porque tem acontecimento HOT kkk

Aproveitem e boa leitura!

PS: Lembra que eu falei que a fic ia ser bem hot mesmo? Então, podem esperar muito mais do que isso que vem por ai kkk
PS2: Vou deixar o link do suposto look de (S/n) que me inspirou para os interessados, mas eu gosto de deixar bem livre pra vocês, é bom trabalhar um pouco a imaginação u.u

xoxo

Capítulo 3 - Poker night


Fanfic / Fanfiction Let Me Love You - Imagine Jungkook e Taehyung - Capítulo 3 - Poker night

O celular despertou e remexi-me na cama macia e cheirosa, a tristeza começava a invadir-me novamente pouco a pouco e não tinha forças para acordar ou sequer vontade de ir a faculdade. Demorei mais dez minutos e com a insistência de meu próprio corpo fui obrigada a finalmente levantar, querendo ou não, não conseguia me atrasar. Tomei uma ducha rápida e me dirigi ao closet e minhas novas roupas, havia uma grande variedade de peças entre extremamente formais a eróticas, me fazendo pensar quando as usaria. Chacoalhei a cabeça dispersando meus pensamentos, escolhi um sweather junto de uma saia e um casaco, uma mistura de preto e cinza para combinar com o dia nublado.

Arrumei em uma bolsa o material necessário e segui para a escadaria, descendo em pulos apressados os vários degraus. Era sexta e as aulas não teriam nada além de falação e muitos, muitos slides, tornando o dia o mais cansativo da semana. Observei um quadro que não havia notado antes, um casal bonito de coreanos em roupas formais posando felizes para o retrato. Provavelmente eram os pais de Jungkook, tinham traços faciais semelhantes e o mesmo sorriso gracioso, eram uma bela família.

– (S/n)? – O rapaz chamou-me, estava em seu terno como sempre, lindo e impecável – Aonde vai?

– Para a faculdade.

– Não vai comer antes?

– Pensei em comer algo no caminho...

– De jeito nenhum, venha.

Jungkook me puxou pela mão até a sala de jantar, a mesa era enorme e abarrotada de comida, havendo de tudo ali. Chás, sucos, café, pães, tortas, bolos, frutas... Como um café da manhã de hotel, só de olhá-lo minha boca começou a salivar, era tudo tão bonito e parecia mais do que saboroso. Sentei-me de frente para ele e começamos a comer, não trocávamos uma palavra, as vezes o olhava mas mantinha-se concentrado em sua refeição. Um trovão ecoou fazendo-me voltar a atenção a janela, estávamos em uma época de clima instável, o céu na maioria dos dias era nublado e a chuva não perdoava.

– O motorista está te esperando na entrada, vai te levar e buscar. – Jungkook comentou limpando os lábios com o guardanapo.

– Obrigada, mas eu disse que não era necessário.

– (S/n)... – Encostou-se na cadeira com o olhar cerrado, suspirou profundamente me fitando – Apenas me deixe cuidar de você.

Suas palavras foram como uma bomba, me destruindo totalmente por dentro. Ele estava querendo me conquistar ou o que? Eu sabia que receberia regalias e esse tipo de coisa mas, ele estava mesmo sendo gentil ou apenas se aproveitando da situação para recompensas futuras? Não o conhecia o suficiente ainda para tirar conclusões precipitadas, mas ele não parecia uma pessoa má. Podia e com certeza tinha segundas intenções, mas não era de todo mal.

– Onde estão seus pais? – O questionei.

– Eles quase não vivem aqui. Eu fico em Seoul cuidando da empresa filial, enquanto eles se divertem em Busan com a base.

– Você é de Busan?

– Sim mas preferi ficar, digamos que Seoul é mais... Interessante. Afinal eu te achei aqui, não é mesmo? – Sorriu com o canto dos lábios.

– Me achou... – Revirei os olhos distraindo-me com meu copo de suco.

– Fui rude da minha parte? – Apoiou os cotovelos na mesa entrelaçando os dedos abaixo do nariz – Prefere que... Eu diga que me procurou?

– Eu não procurei você.

– Especificamente não. Mas quem deu o maior lance, esse sim fui eu.

– Eu não ligo para lances... – Levei o copo aos lábios e o mesmo me fitou, sem oscilar o olhar de minha boca – Eu já disse meus motivos.

– E eu entendo seus motivos... – Disse hipnotizado enquanto finalizava a bebida adocicada, seus olhos castanhos tinham um brilho intenso sobre mim como se contemplasse o momento – Basta você entender os meus.

– Bom, até mais tarde. – Lambi os lábios com os últimos resquícios do suco, levantando-me inexpressiva. Peguei minha bolsa saindo do local, ouvindo um longo suspiro libertador do rapaz.

Apertei fortemente o tecido de meu casaco enquanto caminhava apressada para fora da residência, era obvio que ele me via apenas como alguém que estava ali por obrigação, como um objeto. Não vou negar que estava em um impasse, uma relação de amor e ódio para com o rapaz, que querendo ou não me deixava em deleite com apenas seu olhar e não queria me render a seus “encantos”. Mas que droga...

 

------------------------

 

Adentrei na grande mansão após o dia cansativo e a única coisa que queria fazer era tomar um bom banho quente, estava disposta a inaugurar aquela banheira e enche-la de espuma e sais de banho. Já era noite e não havia sinal do rapaz ou de qualquer um dos empregados, apenas uma música tocava ao fundo, um jazz.

– Olá (S/n). – Taehyung se aproximava com um sorriso no rosto. Era um dos rapazes amigos de Yoongi e Jungkook, e acabei descobrindo que foi quem me disputou com o mesmo. Naquela noite não escondeu o interesse por mim muito menos deixou de insinuar-se, e eu temia suas atitudes pensando em Jungkook.

– O-o que faz aqui? – Gaguejei enquanto puxava minha mão e depositava um selar sobre a mesma.

– Viemos jogar, baby...

– Jogar?

– Taehyung... – Yang também estava lá e o repreendeu.

– Yang? O que está acontecendo? – Questionei-a e a mesma estampou um sorriso nos lábios.

– Noite de poker, meu amor. – Apoiou seu braço em meu ombro, afastando algumas mexas de meu cabelo.

– Noite de que?

– Poker... – Respondeu Taehyung.

– E onde estão os outros?

– Lá em cima... – O rapaz me fitava de forma penetrante, seus olhos eram grandes e lindos, e seus lábios fartos a cada segundo eram umedecidos por sua língua impaciente. Soltei um suspiro profundo receosa quando ainda segurando minha mão, a acariciava com o polegar – Vamos?

– Estão me esperando?

– É, somos as companhias, esqueceu? – Sorriu Yang.

– Vou ter que ficar assistindo vocês jogarem? – Franzi o cenho indignada, minha ideia de relaxar já desfazia-se em minha mente.

– Acredite, é mais interessante do que parece... – Taehyung sorriu de lábios fechados, aproximando-se mais de mim.

– Ei, vai com calma. Você sabe como o Jeon é... – A garota o alertou.

– Só porque não ganhei nos lances, não quer dizer que não possa me divertir quando ele não está... – Segurou em meu queixo e fiquei petrificada, não soube o que fazer ou dizer – Não é mesmo, (S/n)?

– Tae... – Ela o empurrou rindo e puxou-me pelo pulso – Vamos (S/n).

A garota me puxava escada a cima, enquanto o rapaz nos seguia me lançando um sorriso perverso, me fazendo arrepiar. Afinal, ele parecia decidido no que fazia e pouco se importando para as consequências, esses playboys acham mesmo que podem tudo. Perdida em meus pensamentos nem percebi que chegamos a um dos cômodos da casa onde os rapazes se encontravam, estavam todos os seis ali, os mesmos da noite em que conheci Jungkook.

– É meus amigos, parece que nosso Maknae se deu bem... – Comentou Namjoon, sorrindo malicioso para mim.

– É mesmo, que tal compartilhar Kookie? – Comentou Taehyung tomando seu lugar a mesa, logo depois fitando-me. Jungkook riu nasalado e apenas balançou a cabeça negativamente.

O ambiente era escuro e havia apenas um lustre sobre a mesa que iluminava a superfície e suas faces, trocavam olhares e sorrisos vitoriosos gritando vez ou outra quando batiam as cartas, bebiam de seus drinks e mordiscavam alguns amendoins de aperitivos. Observei a garota a meu lado concentrada no jogo, enquanto de minha parte só surgia o sono e o tédio, era extremamente chato e provavelmente nunca iria entender.

Olhei para Taehyung e o mesmo parecia estar me observando a horas, inexpressivo e sereno, era atraente e causava-me desconforto com seu olhar. Ele era bonito e me deixava preocupada com a situação, demonstrava mesmo querer se envolver e não escondia sua tração por mim. Suspirei profundamente desviando o olhar, Yang me fitando balançou a cabeça negativamente, como se me repreendesse por estar tão desinteressada. Jungkook soltou um grunhido se espreguiçando em sua cadeira levando os braços bem no alto e depois os pendendo ao lado do corpo, alguns dos garotos também se remexeram em seus assentos.

– Ei! Eu preciso de uma massagem... – Suga chamou a garota que foi até ele, massageando seus ombros com força fazendo-o gemer e relaxar – Ah... Suas mãos são ótimas...

– Eu sei que adora minhas massagens. – Sussurrou em seu ouvido e o rapaz riu.

Desviei minha atenção dos dois para Jungkook que me fitava, ele sorriu como se esperasse que fizesse algo, bateu a mão em sua perna me chamando para sentar em seu colo. Dirigi-me até o rapaz e acomodei-me em sua perna meio tímida, passou o braço a meu redor segurando suas cartas a sua frente mostrando-me as mesmas.

– Sabe jogar?

– Não faço a menor ideia... – Ele riu e remexeu-se abaixo de mim, uma fisgada atingiu meu estomago.

– Tecnicamente são sequencias, mas seria um pouco complicado te explicar agora.

– Eu não faço questão...

– Porque não? – Perguntou-me Hoseok.

– É, não gosta de poker, baby? – Jimin piscou para mim me levando a corar, ele era fofo mas conseguia ser o oposto disso em um piscar de olhos.

– Eu acho sem graça, é meio parado e tedioso. – Escorei o rosto em uma das mãos apoiada sobre a mesa.

– Como pode dizer isso? Poker é sensacional! – Manifestou-se Seokjin.

– Ainda mais quando as apostas são interessantes... – Taehyung comentou sorrindo malicioso e abaixei o olhar.

– Tudo bem, o que quer apostar? – Disse Jungkook decidido.

– Eu já disse... Não gostaria de compartilhar seu novo bem? – Taehyung sorriu sugestivo e os demais olharam para o garoto.

– Bom... – Jungkook encarou suas cartas.

– O que? – Fitei-os indignada, como assim eu estava sendo usada novamente por esses playboys ridículos? Não, isso não.

– É só dizer... – Taehyung trocava um olhar cerrado com o mesmo que deu um longo suspiro.

– Eu... – Balbuciou e me irritei.

– Vocês só podem ta de brincadeira, né? – Levantei-me desacreditada com a situação e Jungkook me olhou perplexo.

– O que foi? – Franzia o cenho.

– Como pode sequer pensar em uma coisa dessas?

– O que?

– Eu não sou a merda de um objeto para ficarem me apostando! – Fui em direção a porta e o mesmo segurou meu braço fortemente – Me solta!

– (S/n), essa foi sua escolha.

– A minha escolha não foi ficar passando de mão em mão Jungkook! – Desfiz-me de sua mão e fitei a mesa – Eu tenho nojo de vocês...

Sai apressada em direção a meu quarto, eu queria mata-los, matar todos. Eu não acredito que ele iria realmente me apostar, depois do que fez no leilão ia mesmo me entregar de mão beijada para Taehyung? Não mesmo. Bati a porta de tanta raiva que sentia, aquele playboy de merda, o que eu estava fazendo? Como pode ser tão sínico, tão ridículo? Eu queria gritar e quebrar alguma coisa na parede, que ódio. “Me deixe cuidar de você”... Idiota! De repente apareceu em meu quarto, seu semblante era de surpresa e fúria ao mesmo tempo.

– O que pensa que está fazendo!? – Andou até mim.

– O que VOCÊ pensa que está fazendo... Seu playboy de merda que só pensa em dinheiro e sexo!

– Não fale assim comigo! – Segurou meus pulsos me empurrando contra a parede.

– Eu falo do jeito que eu quiser, você não liga pra mim de qualquer forma! Iria me apostar para seus amiguinhos, outros idiotas que- – Tapou minha boca cerrando os dentes.

– Eu jamais iria te apostar, sua tola. – Meu peito subia e descia com a respiração descompassada enquanto sua mão forçava meus lábios – Acha mesmo que iria fazer isso? Ainda mais para Taehyung que te queria, apenas fiz um joguinho de encenação, e parece que você caiu também... – Fitava-me nos olhos, também pouco ofegante, logo depois libertou minha boca.

– Você é ridículo... – Cerrei os olhos balançando a cabeça negativamente.

– É mesmo? – Sorriu sacana.

– Eu te odeio, Jeon Jungkook.

Quase não finalizei a pronunciação de seu nome quando o mesmo beijou-me vorazmente, sua língua quente tinha gosto de uísque e travava uma batalha com a minha que tentava nega-lo com todas as forças, e claro foi tudo em vão. Suas mãos foram ligeiras para minhas nádegas as apertando com tamanha força que me fez soltar um gemido abafado contra seus lábios, sentia minha intimidade formigar e tentava negar a mim mesma o fato de já estar completamente excitada pelo mesmo.

Pegou-me em seus braços e jogou-me sobre uma cômoda que havia a nosso lado, fazendo-me bater bruscamente as costas na parede e balançar o pequeno móvel. Abriu minhas pernas adentrando sua mão em minha saia enquanto olhava-me nos olhos, massageava meu clitóris sobre a calcinha o apertando me deixando molhada e boquiaberta com o toque. Contorcia-me sobre o móvel enquanto apertava minha coxa e chupava meu pescoço, fazendo-me gemer rouco.

– Você me odeia? – Disse meio ofegante entre as caricias.

– Aaah... – Gemi arqueando as costas.

– Hein (S/n)? – Voltou seu rosto ao meu, senti afastar minha peça intima e penetrou-me um dedo, rápido e fundo.

– Aaah... – Gemi e logo repetiu o movimento me fazendo gemer novamente – Awwn... Você...

– Eu?... –  Continuou os movimentos de vai e vem me fazendo delirar, escorada na parede.

– Você... É um ridículo. – Disse entre arfadas e o mesmo sorriu perverso.

– Vou te dar motivos para não me odiar...

Jungkook abriu minhas pernas novamente que apertavam seus dedos contra meu sexo, ergueu minha saia e rasgou minha calcinha puxando-me para seu quadril, sentindo seu volume contra minha intimidade úmida. Segurando em minha bunda esfregava-se contra mim me levando a deleite, estava completamente molhada e praticamente entregue ao mesmo. Voltou a beijar-me enquanto abaixava sua calça e cueca, puxou-me para seu membro ereto e pulsante, roçando nossas intimidades.

Penetrou-me lentamente para que pudesse sentir toda sua extensão, um arrepio correu por todo meu corpo e saiu em forma de gemido arrastado de meus lábios. Estava abraçada a ele, com um braço em seus ombros e uma mão em seus cabelos macios, seus movimentos começaram em um ritmo lento enquanto me estimulava a rebolar sobre os mesmos. Beijava meu pescoço e esfregava-se contra minha pele, a sensação era maravilhosa e seu cheiro de colônia chegava a minhas narinas me inebriando e deixando-me em puro êxtase.

Minutos atrás estávamos discutindo e agora Jungkook estava me fudendo maravilhosamente bem, aquele playboy podia ser ridículo, idiota e o caralho a quatro, mas ele sabia fazer sexo. Estava arrependida internamente? Em parte sim, eu estava me sentindo um lixo para ser exata, me rendendo a ele daquela maneira depois do que ele fez, mas não consegui resistir, pelo menos ninguém conseguiria.

Entrelaçou minhas pernas em sua cintura e levou-me até minha cama, sobre mim estocava forte e profundo de maneira rápida, seus gemidos roucos e clamantes por mais só me deixavam mais quente. Apertava e puxava seus cabelos da nuca com certa força tentando em parte conter-me, suas investidas eram frenéticas me fazendo gemer em alto e bom tom. Levou seus lábios novamente a meu pescoço, o mordiscando e chupando, quente e molhado.

Jungkook levou suas mãos a meu sweater e o puxou para cima exibindo meu sutiã, lambia e beijava meu peito nu enquanto meus dedos alisavam seus cabelos e os bagunçavam por completo. Pegou meus pulsos e os prendeu sobre minha cabeça, me encarando enquanto diminuía a velocidade das estocadas, ele entrava forte e saia vagarosamente, liberando de mim gemidos finos. Eram como um choque, súbitas e inesperadas, fazendo-o se deliciar com minhas expressões de prazer.

– Você... Urgh... Ainda me odeia? – Falou ofegante, grunhindo entre os movimentos.

– Huum... Sim... – Mordi o lábio inferior abafando um gemido.

– Ham... – Riu nasalado – Você não aprende.

Selou nossos lábios novamente, voltando as investidas compassadas, aumentando gradativamente a velocidade. Suspiros custosos faziam com que nossas respirações se misturassem, nos separava para buscar ar mas logo voltava a mim, sedento e desejoso. Senti meu ápice se aproximar conforme ele ia mais fundo e bruto, me deixando sensível e pouco dolorida. Logo explodi sentindo o calor alastra-se por todo meu corpo, e ele continuou até desfazer-se meio tonto, os dois encontravam-se ofegantes e suados.

– Vou dispensa-los. – Disse por fim se levantando e arrumando suas roupas – Me espere. – Ele saiu do quarto como se nada tivesse acontecido, me deixando jogada na cama. O que ele queria agora? Um segundo round?

Estava sentada na beira do colchão observando-me no espelho, meus cabelos estavam levemente bagunçados e eu já não tinha mais uma calcinha, dentro de mim uma mistura de sentimentos se formava não sabendo ao certo o que eu sentia no momento. Jungkook voltou sorrindo tênue ao entrar no aposento, segurou minhas mãos e me levantou da cama fazendo-me ficar frente a frente com o mesmo.

– Vamos estrear sua banheira... – Ainda sorria, e eu no caso, sentia um iceberg no estomago.

Me levou ao banheiro e observei-me no espelho, estava com uma aparência cansada e leves olheiras faziam-se presentes em meus olhos, o rapaz posicionou-se atrás de mim deslizando meu casaco por meus braços e jogando-o de lado. Suas mãos correram para minha cintura e logo retiravam meu sweather, pude ver alguns chupões e marcas de mordidas por meu pescoço e peito, avermelhadas e arroxeadas. Abria o zíper de minha saia quando me virei de frente para o mesmo, segurei seu rosto selando nossos lábios em um beijo calmo e tranquilo.

Minha mãos desceram para sua camisa a desabotoando, ele terminou de tira-la e já me direcionava para a banheira quase cheia, tirou as calças e os sapatos, ficando apenas em sua box. Abaixou minha saia apenas me deixando de sutiã, pois minha calcinha se fora a muito tempo atrás, terminamos de nos despir e entramos na banheira. Estava entre suas pernas e Jungkook me acariciava e ensaboava enquanto beijava meu pescoço, a água estava quente e me fazia relaxar, cheirosa e com bastante espuma. Estava um pouco receosa e confusa, mantinha-me quieta apenas sentindo suas mãos por meu corpo.

– (S/n)... – Perguntou num sussurro, apenas erguei meu olhar até o seu, encontrava-se inexpressivo – Você ainda me odeia?

De inicio hesitei continuando a o encarar, seus cabelos molhados caiam sobre seus lindos olhos castanhos que brilhavam intensamente e os lábios estavam levemente avermelhados e convidativos. Sorri suave e o abracei, se assustou mas logo me retribuiu o carinho.

– Não... – Sussurrei próxima a seu ouvido e senti seu riso nasalado em meu pescoço.


Notas Finais


Link do look (gente essa moça é maravilhosa, eu queria ser linda e estilosa assim que nem ela... T.T):
http://lookbook.nu/look/8494003-Romwe-Chunky-Knit-Sweater-4th-Reckless-Smoke

Espero que tenham gostado!
Kisses <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...