História Let Me Love You - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Fanfics Do Jb, Fanfics Do Justin Bieber, Justin Bieber
Exibições 285
Palavras 1.408
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiii <3
Boa Leitura <3

Capítulo 3 - His Mother Left Us


Fanfic / Fanfiction Let Me Love You - Capítulo 3 - His Mother Left Us

Cassie Sullivan - P.O.V

Ela me abraçava sorrindo, e ria, sua risada era gostosa de ouvir. Ela se afastou de mim e limpou as lágrimas que ainda escorriam pelo seu rosto. Ela era linda, seu cabelo era loirinho, liso. Seus olhos eram da cor de mel. Ela segurava um panda de pelúcia, que logo colocou no meu colo e sorriu. 

- Oi - Ela disse quase num sussurro

- Oi, tudo bom?! - Peguntei levantando da cama e me ajoelhando e ficando do tamanho dela

- Tudo, como é seu nome? - Ela colocou as mãozinhas do meu rosto - Você é linda 

- Obrigada, meu nome é Cassie Sullivan. E seu princesa? 

- May Bieber. Meu papai tá dormindo ainda?! - Ela disse cruzando os braços e fazendo bico 

- Eu não conheço seu papai pequena. Cadê sua mamãe? 

- Eu não tenho mamãe - Ela sussurrou e percebi uma lágrima escorrer

- Desculpa, May. Eu não sabia - Disse sentindo minha mão tremer e limpei o seu rosto

- Tudo bem tia Cassie. Vem, vou te levar pra lá pra baixo e ver se meu papai tá lá e perguntar pra ele quem você é porque nem a você mesmo sabe né? Vamos - Ri daquela situação

Ela me tirou do quarto, estávamos passando por um corredor enorme, passamos por uma porta aberta e pude ver dentro, um quarto TODO rosa! Tinha unicórnios, princesas... tudo rosa! Mas era lindo. Continuava sendo arrastada pela May, até que ela parou:

- Titia Cass, espera aqui, vou buscar meu uniforme lá no quarto - Eu assenti e ela foi em direção ao quarto cor de rosa

Eu estava apreciando a casa, era linda, as escadas de mármore, a porta principal de vidro, as cor neutra da tinta nas paredes... era tudo bem sofisticado. A porta de vidro da frente se abriu, entraram cinco homens. Não queria que me vissem então fui andando para trás pouco a pouco até que eu esbarrei em alguém, me virei e tive e visão MARAVILHOSA  de um peitoral super definido e todo tatuado, olhei para cima e ele me olhava de olhos arregalados, sem cabelo estava molhado, meu Deus, que homem era aquele, quando me afastei a a toalha que estava na cintura dele caiu, adivinha só? Eu desmaiei. Mentira, foi quase. Ele pegou a toalha voltou a amarrar a voltou a amarra-la na cintura e entrou de volta no banheiro. Eu não entendi absolutamente nada! Até que May chegou e segurou minha mão:

- Vamos tia Cass? - Assenti e descemos

Quando descemos, adivinha só? Eu esqueci que havia chegado gente. Eu estava só com uma blusa masculina que ficava gigante em mim e de calcinha, pelo o menos meu cabelo não estava em estado deplorável com ele fica quando eu acordo diariamente. Quando descemos o último degrau daquela escadaria vi outra vez aqueles homens que haviam chegado. May me puxou em direção a eles e eu só queria um buraco pra enfiar minha cabeça de tanta vergonha que eu estava. 

- Titia Cassie, esses aqui são meus titios: Chaz, Za, Chris, Ryan - Ela falava apontando para eles - E esse aqui eu não sei falar, por isso chamou só de titio. - Ela dizia decepcionada - E essa é Tia Cassie, titios. 

- Oi - Disse ficando quase roxa de vergonha

- Oi - Eles juntos acenando 

- Bom dia, e desculpa eu vou trocar de roupa e já volto - eu disse tremendo novamente e saí correndo

Pude ouvir eles falarem algo, mas não dei importância. Entrei no quarto que eu havia dormido. Eu não entendia nada. Eu fui atropelada, tinha que estar no máximo num hospital. Vesti minha legging preta e meu moletom da noite passada, fiz um coque frouxo bagunçado, e peguei minha mala. Eu estava com medo. Mas... com medo de quê? Só porque eu fui atropelada e me trouxeram para um casa onde tem homens que eu nunca vi na vida que me viram só de calcinha, só isso. Quando eu virei para a porta, ele estava lá, aquele homem de alguns minutos atrás, agora já com roupa. Ele era tão lindo. 

- Oi, me desculpa... por... pelo jeito que agente se viu... conheceu, foi um acidente - Ele disse gaguejando e tropeçando nas palavras.

- Tudo bem, mas, você pode me explicar o que aconteceu, tipo, como eu vim parar aqui?! - Ele assentiu e se sentou na cama e me sentei junto. 

Depois que ele me contou tudo, me senti uma louca. 

- CHRISTIAN - Gritei lembrando dele e procurei meu celular

- Quem é Christian? - Ele me perguntou 

- Meu melhor amiga, ele estava indo me buscar ontem - Achei meu celular

(30) Ligações Perdidas -> Chris / (7) Mensagens Não - Lidas -> Prim 

- Ai meu Deus, aconteceu alguma coisa. Minha mãe. - Eu comecei a chorar 

- Calma, calma. Primeiro me diz seu nome. - Ele dizia limpando as lágrimas do meu rosto 

- Ca-Cassie Sullivan - Disse meio a soluços

- Justin Bieber - Ele me deu a mão - Vamos, vou te levar para casa. 

Quando descemos, May já estava de uniforme escolar e os garotos estavam no escritório, a espera de Justin. 

- Tia Cass, a senhora já vai embora?! - Ela perguntou fazendo bico

- Vou sim pequena May - Disse abraçando-a 

- Mas você vem me visitar né? Quase nenhuma titia vem, só a vovó. - Ela dizia decepcionada

- Claro que volto. 

Eu estava inquieta esperando Justin sair daquele maldito escritório. Não ia demorar muito para eu colocar meu paizinho atrás das grades por agressão física e moral a mim e a minha mãe. Eu tentava ligar para o Christian e só dava caixa postal, ligava para a Mandy e número inexistente. Jesus. Eu iria para casa do Christian, espero que ele não com nenhuma puta lá. Ouvi a porta do escritório ser destrancada e apenas Justin sair de lá. 

- Eu vou levar a May para o colégio e depois levo você, okay? 

- Tudo bem. - Disse pegando minha mala o seguindo 

Entramos num Audi R8, o caminho todo May conversava comigo sobre o colégio. Justin apenas dirigia, não dava uma palavra. Chegamos no colégio de May ela se soltou do cinto e me deu um beijo estalado na bochecha e sussurrou um ''Tchau, tia Cass''. Justin ficou perplexo, eu não sei porque. Quer dizer, May foi embora do carro e nem falou com ele. Eles deviam ter uma relação difícil, ele é pai solteiro, ela deve ficar sobre os cuidados somente da babá ou da governanta da casa... eles não devem ter um tempo juntos. 

- Oii, planeta Terra chamando - Eu gritava e estalava os dedos perto dos olhos arregalados de Justin para mim 

- Ah, oi, desculpa, é que... isso foi estranho. - Ele disse ligando o motor

- Porque estranho?! 

- Cassie, ela não faz isso com ninguém, ela é orgulhosa, tem um temperamento muito forte, provavelmente pro conta da perda da mãe. - Ele disse molhando os lábios - Ela não costuma ser fofa com ninguém. 

- O que ela foi super fofa comigo, e olha que nem sou legal com crianças - Disse o olhando incrédula

- Hm... para onde você vai? 

Passei o endereço para ele e o mesmo seguiu. Chegamos na casa de Christian, ele parou e carro e ficamos nos encarando não sei porque. 

- Bom, obrigada por tudo. Tchau. - Saí do carro e bati a porta

- Cassie, espera. - Ele mexia no bolso direto de sua calça - Toma, qualquer coisa me liga - Ele me deu um cartão com seu nome e seu número. 

- Obrigada, tchau - Dei um beijo em sua bochecha e ele saiu cantando pneu. 

Cheguei na frente da casa a porta estava aberta. Entrei não havia ninguém na sala. Subi para os quartos e pude ver minha madrinha a mãe do Chris chorando, seus olhos estavam vermelhos. 

- Madrinha? O que aconteceu? Cadê o Chris? - Eu abracei ela

- Sua mãe minha filha, o Chris está no hospital com ela... ela está.. - Ela não continuou e voltou a chorar, suspirou e voltou - Ela  está morta querida, com um tumor no cérebro. 

"Se há algum conforto na morte de quem amamos, é o saber de que a pessoa está indo para um lugar que não há tristeza, maldade e dor" 

Continua...

 

 

 


Notas Finais


Tadinha da Cassie, né non Brasil??
Amanhã tem maiiiiis ::)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...