História Let Me Love You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Bieber, Justin Bieber
Exibições 40
Palavras 1.278
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, tudo bem com vocês? Espero que sim!
Segue abaixo alguns avisos hehe' <3

* Qualquer erro de português, me perdoem!
* Gostou da fic? Favorita e comenta!
* A fic não vai se basear em comentários, porem, quanto mais comentários maior a frequência de capítulos!
* Criticas construtivas serão muito bem vinda!
* Comentários ofensivos serão deletados!
* Irei responder todos os comentários, pois tenho certeza que isso também motiva vocês a comentar!
* O trailer da fanfic ainda não está pronto, mas quando eu terminar colocarei nas notas e no final da sinopse!
* Eu realmente espero que gostem!
* Boa leitura!

Capítulo 1 - Happy Birthday


Fanfic / Fanfiction Let Me Love You - Capítulo 1 - Happy Birthday

Hoje é meu aniversario de dezoito anos, e iremos comemorar em um dos melhores e mais famosos restaurantes de New York.

 Por incrível que pareça eu não sou o tipo de adolescente que gosta de fazer compras, passar maquiagem, usar salto ou coisa do tipo, sou simples, qualquer roupa básica e confortável me deixa bem.

Coloquei um vestido que havia ganhado no aniversario passado, uma sapatilha, algumas joias e um pouco de maquiagem. Pra que eu coloquei tudo isso? Porque minha mãe me obrigou. Por mim eu colocava uma calça, um moletom e iriamos comer no pizza hut.

— Já esta pronta, Ashley? — Gritou minha mãe, provavelmente da sala de estar.
— Um minuto, já estou descendo. — Falei.

Respirei fundo, dei uma ultima checada no celular e desci. Meus pais e meu irmão mais novo já estavam prontos e bravos, dava para perceber pela minha cara o quão animada que eu estava.

— Coloca um sorriso nesse rosto, hoje é a sua noite. — Disse meu pai me abraçando. 
— Sim, senhor. — Sorri desanimada.

Seguimos até o lado de fora e Jeffrey, nosso motorista, já estava nos esperando encostado no Audi Q7 SUV. Ele como sempre educado, nos abriu e fechou a porta e logo voltou ao volante.

— Boa noite, Jeff. — Apesar do meu pai não gostar, sempre tive intimidade com nossos empregados. 
— Boa noite, senhorita. — Respondeu. 
— Pode ir, Jeffrey. — Disse meu pai em um  tom rude.

Meu pai é um bom homem, apenas não gosta de dar liberdade para os outros. Ele foi criado à moda antiga, como: Sem cotovelos sobre a mesa, sem celulares em momentos em família, sem responder para alguém mais velho, sempre dar exemplo etc, mas quando ele tornou-se governador de New York isso piorou múltiplas vezes.

Enquanto estávamos no carro, meu pai e minha mãe começaram a falar sobre politica – eca - meu irmão ficou jogando em seu vídeo-game portátil e eu coloquei meu fone de ouvido e fiquei escutando minha playlist.

Mais ou menos em meia hora conseguimos chegar ao restaurante. Ele estava um pouco cheio demais para o meu gosto, porem, a assessora do meu pai já tinha nos reservado o melhor lugar da casa.

Entramos no restaurante e imediatamente o recepcionista reconheceu meu pai e foi logo nos levando a mesa. Odiava esses tipos de pessoas puxa saco, mas fazer o que, meu pai adorava chamar atenção.

Sentamo-nos no segundo andar do restaurante, lá era privado, apenas para pessoas publicas.

— Ashley, guarda esse celular. — Ele disse com raiva.

— Mas pai, eu estou respondendo a mensagem da Amber.

— Você disse “mas”? — Ele me olhou furioso

— Não, me desculpe. — Guardei meu celular na bolsa.

Peguei o cardápio e procurei alguma coisa de interessante, mas antes que eu pude dizer meu pedido meu pai já foi falando.

— Por favor, para beber eu quero uma garrafa de Barossa Valley Shiraz e um suco de laranja natural com gelo e pouco açúcar. Já para comer eu quero. – Ele olhou para nós e sorriu.

— Algo mais? — O garçom perguntou.

— Sim, por favor. Quero nachos mexicanos com cheddar e Coca-Cola de 600ml. — Tomei coragem e falei.

Imediatamente meu pai me olhou, ele odiava quando alguém o contrariava, e eu odiava o fato de ele ser controlador ao extremo.

— Quem lhe ordenou a pedir isso?

— Calma, Charles! – Minha mãe o repreendeu. — É o aniversario dela, você sabe que ela não gosta de coq au vin.

— Licença, vou ao banheiro. — Me levantei e sai.

Peguei meu celular e segui até o banheiro que ficava poucos metros depois da escada. Olhando as novas mensagens sem querer eu esbarrei em alguém e acabei caindo.

— Olha por onde anda, porra.

Fiquei desnorteada por alguns segundos, mas percebi que aquela voz não me parecia estranha. Peguei meu celular que havia caído a alguns centímetros longe de mim e levantei meu rosto para olhar quem foi maldito que havia me derrubado.

— Quem diria que o famoso Justin Bieber seria tão grosseiro com a filha do governador. — Me levantei com raiva.

Não gostava de me exibir com o fato de ser filha do governador, mas às vezes, quando alguém mexia comigo eu usava essa pequena carta na manga.

— F-foi mal — Ele gaguejou. — Eu não tive a intenção.

— Sem problema. — Sorri forçado, tentando esconder minha raiva.

Levantei-me e voltei a andar para o banheiro. Sinceramente o banho era uma desculpa para ficar longe daquela farsa toda de família feliz. Sentei-me no vaso sanitário e fiquei alguns minutos conversando com a Amber.

Falando nela, ela é a minha melhor amiga, minha confidente, confio minha vida a ela.

 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

— Amber, me tira desse inferno.. ��

  — Se eu pudesse estaria ai te ajudando.

—  Você não sabe o que acabou de acontecer comigo.

 — Conte-me tudo e esconda-me nada kk

— Trombei com o Justin Bieber e ele foi
muito ignorante comigo.. Depois que
eu disse que era filha do governador,
ele ficou gaguejando kkk

— OMG!! Queria ter visto essa cena ����

— Amber, tenho que ir antes que
meu pai me mate.. beijos!

 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Antes mesmo de receber a resposta da Amber eu desliguei o celular e sai do banheiro. Respirei fundo e voltei para a mesa. Os pedidos já haviam chegado e o Peter estava acabando com os meus nachos, chegava a ser engraçado.

Ao me sentar à mesa percebi que o Justin tinha sentado na mesa enfrente a minha, quase morri quando percebi que ele me encarava. Tentei me distrair brincando com o Peter, mas toda vez que eu o olhava, ele estava olhando de volta, até que ele se levantou e veio até nossa mesa.

— Licença. — Ele disse ao se aproximar. — É um prazer imenso encontrar o senhor aqui.

Legal, outro puxa saco.

— Opa, Justin. — Meu pai se levantou e o abraçou. — O prazer é todo meu.

Lógico, pai. O Justin é a renda mais sustentável para America.

— Sempre venho nesse restaurante, é o melhor. — Ele olhava para mim ao final de todas as frases.

— Concordo. Estamos comemorando os dezoito anos da nossa filha, Ashley.

— Feliz aniversario, Ashley. — Ele veio até mim e beijou minha mão.

Revirei os olhos com quem ninguém percebesse, então sorri e agradeci. — Obrigada, Justin.

— Por que não se senta conosco? — Meu pai perguntou e o meu desejo era gritar um NÃO bem grande.       

— Claro. — A droga daquele moleque aceitou e se sentou bem na minha frente.

— Essa é Patrícia, minha mulher. — Justin a cumprimentou. — E esse é Peter, nosso filho mais novo.

Mordi os lábios segurando o riso quando o Peter com a mão toda suja de cheedar  apertou a mão do Justin.

Logo depois ele pegou uma cadeira e se sentou a minha frente. Já não bastava aquela coisa se juntar a nós, ele tinha que ficar cara a cara comigo. Revirei os olhos e respirei fundo.

— Hey. — O Justin chamou o garçom.

— Gostariam de alguma coisa? — Ele se aproximou segurando um bloco de notas e uma caneta.

— Me vê dois bifes ao ponto, molho béarnaise, se você tiver, batatas fritas e legumes cozidos, qualquer um que tiver na cozinha.

O garçom escutou tudo atentamente e anotou em seu bloco de notas, logo saindo de perto e indo entregar para o chef de cozinha. Meu pai estava surpreso, parecia irritado, mas tentava não transparecer seu sentimento.

— Por que pediu isso tudo se temos coq au vin? — Meu pai suava de tanto ódio

— Por que não gosto, e percebi que a sua filha também não gosta, então pedi para nós. — Ele sorriu encarando meu pai. — Vocês querem alguma coisa? Eu pago.

Meu pai balançou a cabeça em forma negativa e voltou a sorrir forçado para o Justin. Sinceramente não gosto do jeito do Justin, mas nessa situação o jeito que ele enfrentou o senhor governador, foi hilário.. AMEI! 


Notas Finais


Sinto que nesse primeiro capitulo deixei muito a desejar, mas prometo que daqui em diante os capítulos ficaram mais gostosos de ler!
Ah, e não esquece de comentar.. isso me da muita motivação! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...