História Let me love you. - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Crowley, Dean Winchester, Gabriel, Jody Mills, Lúcifer, Mary Winchester, Personagens Originais, Sam Winchester
Tags Castiel, Crowley, Dean, Drama, Lucifer, Mary, Romance, Sammy, Tormenta
Visualizações 59
Palavras 2.407
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ultimo EP pq sim neh meus fantasmas, obrigada por quem acompanhou e pra quem tbm não, espero que tenham gostado, eu super pretendo logo em breve postar uma nova FIC com mais ação e todo esses paranaues, enfim obrigada ♥

Capítulo 19 - Aqui que eu quero ficar. The End.


O corpo magro se estirou pela cama Charlotte abriu os olhos sorrindo fitando o teto se lembrando de cada detalhe da noite passada, como Castiel fora carinhoso, cuidadoso, como seus dedos tocavam cada parte de seu corpo e como poderia ser maravilhoso aquele ponto, mas o sorriso sumiu ao não sentir a presença do anjo no quarto, bom Castiel não precisava dormir então deveria estar pelo bunker, ainda sim se sentiu chateada.

O choro distante de Thomas a fez se apressar, se levantou rápida, tomou banho se trocou e saiu do quarto em direção as conversas de Dean e Sam na sala principal.

-Bom dia – disse os irmãos em uníssono

-Bom dia – Charlotte sorriu correndo os olhos pela sala e parando em Sam que segurava Thomas nos grandes braços – Me dê ele aqui gigante – estendeu os braços para Sam que torceu o rosto com o apelido logo dando o pequeno nós braços magros.

-Está radiante hoje – Dean zombou

-Boa noite de sono agredido – Sam disse se sentando

-Oh sim – corou o rosto levemente fazendo os irmãos rirem – Hey meu amor – beijou a testa de Thomas fazendo o mesmo agitar os bracinhos na direção do rosto de Charlotte – Cadê o Cass? – olhou para Dean

-Saiu ainda de madrugada – disse Sam voltando a atenção ao celular

-Espera ele não ta aqui? – franziu o cenho

-Não – disse novamente o irmão mais velho e Charlotte se sentiu usada e suja, havia se entregado a ele e do nada ele some

-Bom precisamos ir à cidade – disse Dean batendo as mãos ao sentir o clima tenso pairando perto de Charlotte

-Oh é verdade – Sam ergueu o olhar para fitar o irmão mais novo

-Bom dia – Mary surgiu da direção dos quartos

-Bom dia – disse os três de apenas uma ver

-Mãe pode ficar com o Thomas? – perguntou Sam

-Claro – sorriu – Só me deixe tomar café – se direcionou a cozinha

-Bom então tudo certo, vou pegar minha jaqueta e vamos. – Dean saiu em direção em seu quarto deixando um Sam viciado em celular e Charlotte pensativa brincando com os dedos de Thomas.

[...]

-Charlotte? – Mary chamou pela terceira vez ao ver Charlotte parada no tempo em vez de mexer o molho na panela, os olhos castanhos dançaram confusos recordando a realidade.

-Oh desculpe – voltou sua atenção para o que deveria estar fazendo há minutos atrás

-Quer conversar? – Mary parou ao lado da menina fitando o rosto atormentado da mesma

-Não é nada demais – deu seu melhor sorriso a loira a mesma retribuiu

-O cheiro está divino, o que é isto? – Dean entrou na cozinha já descobrindo as coisas sobre a mesa levando um tapa da parte da mãe – Ai – recuou alguns passos olhando com incredulidade para Mary

-É pra ceia – riu da careta do filho

-Não vai fazer mal eu dar uma mordidinha – fez beicinho

-Nem pensar, parece quando era criança nunca tinha paciência pra esperar à hora certa para comer  – cruzou os braços frente ao peito recordando do pouco que vivenciou a infância do loiro.

Charlotte sorriu ao ver a cena dos dois conversando com ternura coisa que era difícil ver Dean fazendo, queria poder fazer isso com sua mãe mais uma vez, ah sim ela queria realizar esse desejo, mais no momento ela se sentia tão usada e sozinha, Castiel havia lhe tirado a única coisa que restava e depois sumiu, não deu noticia o dia todo simplesmente sumiu e ela duvidada completamente se ele voltaria, teria sido a ultima noite juntos? Uma despedida talvez.

[...]

Conversavam animadamente sentados na mesa da sala principal, cerveja e uísque tinham a vontade, bom pelo menos para os Winchesters beber era uma coisa normal, mais Charlotte não havia nem terminado sua primeira garrafa de cerveja.

-Acho que está na hora de comer – Dean dizia pela quarta vez

-Você é tão impaciente, bom eu estou com fome – Mary disse concordando

-Eu também – Sam se recostou na cadeira

-Charlotte? – Mary balançou a mão na frente do rosto estático da menina

-Hum oi? – piscou algumas vezes deixando a visão se focar nas três faces que a encaravam – Oh sim vamos comer – sorriu amarelo – Vou ao banheiro e ver se o Thomas está dormindo – se levantou saindo apresada, indo direto para o quarto encontrando um Thomas acordado balançando as mãozinhas no ar.

-Hey meu amor – pegou o pequeno nos braços – Deveria estar dormindo – sorriu ao que Thomas segurou seus dedos balançando sua mão no ar – Me deixa adivinhar, fome? – saiu a andar com o pequeno no colo o mesmo chiou como se concordasse.

-Anda Charlotte estou com fome – a voz de Dean saiu alta pelo bunker

-Esfomeado – a menina zombou indo em direção a cozinha com todos ao seu encalço – Vou fazer a mamadeira de Thomas podem se servir – anunciou vendo que todos a esperavam, bom o primeiro a atacar a comida foi Dean ação que já era de se esperar

-Isso ta bom demais – o loiro dizia de boca cheia

-Nesse ritmo eu perco o apetite – Sam encarou o irmão com cara feia

-A comida não vai fugir Dean – Charlotte se sentou ao lado de Mary, segurava Thomas que sugava o leite

-Super engraçado – Dean fez cara feia fazendo a menina rir

[...]

-FELIZ NATAL – Mary gritou erguendo os braços, bom as doses exageradas de uísque estavam surtindo efeito

-Mãe sem escândalos – Dean abraçou a loira

-Feliz Natal Charlotte – a voz de Sam acordou Charlotte que fitava o rotulo da cerveja, já quente, na sua mão

-Oh feliz natal Sam – Charlotte abraçou o gigante ficando alguns centímetros fora do chão

Em seguida abraços quentes de Mary e Dean

-Presentes – Mary apareceu com várias sacolas na mão sorrindo abertamente, fazendo os três rirem

O som da porta do bunker se abrindo fez todos se calarem, voltando seus olhares para a figura de sobretudo que descia as escadas tranquilamente assustando a todos que o olharam por estar com a roupa banhada em sangue

-Cass? – Dean olhou incrédulo pro amigo

-Eu queria ter chegado mais cedo mais eu não... – dizia afobado se embolando e respirando pesado

-Hey hey – Sam ergueu as mãos fazendo o amigo parar de falar – Respira, se acalma e diz por que não veio antes e por que está todo cheio de sangue – Sam puxou a cadeira para o amigo se sentar o mesmo não o fez, seus olhos miravam Charlotte em um pedido de Desculpa silencioso a mesma abaixou o olhar dando passos para trás.

-Cass? – Dean balançou a mão na frente do rosto do anjo o mesmo não tirou o olhar de Charlotte

-Charlotte eu posso ex... – era clichê era frase mais foi a única que se formou na cabeça do anjo

Somente o passos pesados e apressados da menina pelo corredor foram ouvidos por todos o anjo fez menção de sair atrás de Charlotte mais foi impedido por Dean que o segurou pelos ombros o fazendo sentar.

-Primeiro vai nós contar o que aconteceu depois se limpar e depois ir falar com ela – apontou o dedo no rosto do amigo o mesmo suspirou pesado abaixando a cabeça em negação, começando a contar toda a história para os amigos presentes.

Charlotte se sentou ao pé da cama, mexendo nos dedos freneticamente enquanto as lágrimas escorriam pela bochecha, seu peito doía em confusão, queria abraçar o anjo aperta – ló com todas as forças que tinha mais estava nervosa, chateada e triste com o abandono sem explicações, seus olhos percorreram o quarto parando nas sacolas perto da cômoda as sacolas de presentes, seu natal estava arruinado. Mais uma vez os olhos dançaram parando em Thomas que ressonava na cama, tranqüilo sem preocupações, bom pelo menos nesse tempo de criança

Não sabia quanto tempo se passou, apenas ficou sentada afundada em pensamentos e discordando de seu coração que a impulsionava em direção a Castiel mais ela não o faria.

O ranger da porta denunciava a entrada de alguém, seu coração pulsou rapidamente apenas se acalmando quando a cabeleira loira e olhos verdes a fitaram.

-Nosso natal não acabou ainda – Dean lhe estendeu uma cerveja a mesma a pegou com rapidez virando o liquido amargo garganta abaixo

-Pra mim sim – Charlotte acompanhou os movimentos de Dean se sentando no chão ao lado dela

-Vocês precisam conversar, sair correndo não vai melhorar a situação para nem um dos dois, você sabe disso – falou da maneira mais calma possível

-Eu só estou confusa – jogou a cabeça para trás fitando o teto

-Castiel é confuso você é forte e decidida – Dean segurou a mão da menina – Isso é meloso – fez uma careta

-Está bêbado? – Charlotte zombou deitando a cabeça no ombro do maior

-Um pouco talvez – sorriu largo – Castiel está se limpando, vamos comemorar por favor, estava tudo tão bem – suspirou pesado – E um dos poucos natais que estou passando com minha mãe – Charlotte levantou para olha – ló havia sido egoísta.

-Dean desculpa eu não queria...

-Tudo bem eu tento te entender – sorriu amarelo – Só vamos comemorar, depois vocês conversão você precisa de uma explicação e Cass tem uma – beijou o topo da cabeça da menina logo se levantando estendendo a mão para a mesma – Você vem?

Charlotte agarrou a mão do amigo sendo puxada assim ficando de pé

-Oh espere – voltou as sacolas pegando todas e seguindo Dean

-Espero que seja alguma coisa boa – tentou bisbilhotar as sacolas recebendo um tapa da amiga

-Sem espiar – riu da careta do mais velho

-Ok – ergueu as mãos em redenção

Ao chegarem na sala principal Charlotte virou de uma vez a cerveja garganta a baixo, sorriu parando o olhar sobre Castiel que desviou dos olhos da mesma, tensão.

-Então vamos aos presentes – Mary bateu palmas ao sentir a tensão no ar novamente

[...]

-Cara você tem que parar de me dar revistas pornôs – Sam fitava a revista em mãos assim que a tirou do embrulho

-Sei que você gosta – Dean piscou pro irmão zombando

-Se fosse de mulheres talvez. – Sam arremessou a revista na cara do irmão o mesmo se abaixou fazendo a revistar cair no chão

-Isso é desagradável e vergonhoso dando em conta que eu estou aqui – Mary riu da situação deixando ambos os irmãos vermelhos de vergonha.

-Esse é de quem? – Dean apontou para a única sacola que restava na mesa

-É meu – Charlotte disse fitando o chão

-Mais você já... Oh – Dean estreitou os olhos ao olhar para a menina e logo em seguida para Castiel que até agora não disse uma palavra se quer desde que Charlotte voltou à sala.

Tensão mais uma vez naquela sala.

Charlotte fitava Castiel de maneira séria.

-Venham meninos vamos beber mais – Mary segurou cada um dos filhos pelos braços puxando os dois para cozinha.

Charlotte queria socar, chutar até mesmo matar qualquer coisa que estivesse ao seu alcance que no caso era Castiel, mas se segurou no lugar.

-Estou esperando – Charlotte cruzou os braços frente o corpo segurando o nó que se formava na garganta

Castiel retirou do bolso da calça uma corrente com um pingente brilhante, Charlotte encarou o objeto com certa confusão no olhar.

-Me fizeram um pedido – Cass encarou o colar delicado na palma de sua mão – Encontrar você e Thomas – dessa vez encarou Charlotte que ainda sustentava a expressão de confusão – E entregar aos céus, teria minha reputação limpa com os anjos e teria passagem livre pra ir e vir pra céu e terra – deu alguns passos em direção de Charlotte – Eu ia ter minha casa de volta, ia ter meu lugar, não me ia sentir deslocado ia ter minha família de volta – estendeu o braço em direção a Charlotte segurando o colar entre os dedos, Charlotte encarou o pingente brilhante hesitando ao pegar em sua mão – Mais depois de tudo – a voz ainda mais próxima do anjo a fez o encarar novamente se prendendo no azul safira – Eu percebi que minha família está aqui na terra – as safiras brilhavam e dançavam de um lado ao outro observando cada detalhe do rosto de Charlotte - Eu sei que estive afastado esses dias, mais eu estava atrás de uma proteção permanente pra você e Thomas – Charlotte encarou mais uma vez o colar em sua mão – Conseguir encontrar o que Gabriel fez e reproduzi, com menos poder é claro mais funciona da mesma maneira – Castiel sorriu pegando novamente o colar entre os dedos andando para trás de Charlotte e colocando o colar em seu pescoço, Castiel desceu em um toque fantasma os dedos pelo ombro da menina fazendo os pelos se ouriçarem, Charlotte levou os dedos até o pingente o tocando com as pontas do dedos – Feliz Natal – se voltou para frente de Charlotte bem mais próximo do que estava antes.

Charlotte não sabia o que fazer estava assustada com a noticia que acabara de receber.

-Castiel eu... – sua frase foi cortada ao ter os lábios tomados pela boca do moreno em um selinho demorado

-Eu já errei tanto, continuo errando não posso mais cometer erros, nem com os meninos e principalmente com você – Castiel manteve os lábios trêmulos sobrepostos aos de Charlotte – Desculpa Charlotte.

Os dedos delicados de Charlotte seguraram o rosto do anjo afastando o mesmo o fazendo encarar seus olhos castanhos.

-Você podia ter pedido minha ajuda ou a de Sam e Dean e não ter tentado resolver tudo sozinho, nunca da certo – acariciou as bochechas do moreno

-Eu só queria voltar com uma vitória – segurou a cintura fina de Charlotte – Consegui em parte.

-Não voltou morto pelo menos

-Isso é um perdão?

-Em parte – Charlotte alcançou os lábios de Castiel

-Isso é seu – Charlotte estendeu a sacola a Castiel o mesmo abriu o presente deslumbrando o sobretudo longo lembrando muito com o seu primeiro, mais dessa vez era preto, negro como seus cabelos, logo o vestiu se sentindo completo de uma maneira diferente, sorrindo largo – Feliz natal.

Castiel não respondeu ao que foi cortado com a gritaria de três bêbados.

-Pombinhos resolvidos vamos beber – Dean entregou uma garrafa de cerveja a Charlotte e outra a Castiel que não negou rindo do exagero do melhor amigo.

Charlotte bebeu seu primeiro gole parando ao lado de Castiel ao que conversava animadamente com Sam.

Observando ao seu redor Charlotte sabia que ali era seu lugar, que ali estava sua família, sabia que seu futuro era tão incerto e que tudo poderia acontecer afinal cuidar do filho de Lúcifer não poderia dar alguma coisa boa poderia? Mas ela iria tentar, iria conseguir e tudo ia dar certo, aquela era sua família e era ali que ela queria e deveria sempre estar.


Notas Finais


Obrigada <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...